.

.
.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe – Amarante


Devolvam o ramo a S. Gonçalo

A AD Fafe recebe o Amarante em jogo que inicia a segunda volta do campeonato. No primeiro os fafense saíram derrotados da terra de S. Gonçalo, o tal que dizem ser casamenteiro. Mas casamentos como o do primeiro jogo do campeonato não valem a pena, por isso há que devolver o ramo àquele santo milagreiro. Analisando o campeonato a frio, os fafenses perderam dois jogos com as equipas do concelho de Amarante, com o adversário de agora e o líder Vila Meã. É tempo de retribuir e começar a ganhar terreno que dê alguma margem de manobra para os últimos jogos do campeonto e lutar tranquilamente pela subida.

Juvenis - Camp. Nac.: Padroense - AD Fafe


Aguentar o novo padrão

Depois da derrota caseira com o Diogo Cão, os juvenis fafenses têm agora um jogo muito complicado, contra o Padroense, segundo classificado. A equipa de Miguel Paredes tem vindo a subir de rendimento apesar de pecarem sempre muito no capítulo da finalização. Esta equipa do Padroense é a equipa B do Futebol Clube do porto nos nacionais de Juvenis, pelo que tem uma qualidade acima da média. Os fafenses têm poucas hipóteses de vencer mas têm algumas e por isso, enquanto houver forças há que acreditar que é possível. Basta manter o padrão dos últimos jogos e fazer um pouco mais pela sorte.

Div. Honra AF Braga: Silvares – Louro

.
O primeiro jogo de Luís Alberto
- Jogo no Sábado às 15 horas

O Silvares recebe os famalicenses do Louro naquele que será o primeiro jogo de Luís Alberto. O treinador não tem a equipa toda à sua disposição uma vez que Antero está castigado e Fernando ainda se encontra lesionado. Além disso saíram sete jogadores e só entraram quatro. Um plantel mais curto, com o treinador a ter que fazer muito trabalho de balneário, mesmo assim a vitória é possível.

Div. Honra AF Braga: Arões – Santa Eulália


Tem que ser um jogo dos diabos

O Arões recebe o Santa Eulália e tem que esquecer o enquadramento natalício pois este tem que ser um jogo dos diabos para que a vitória sorria aos fafenses. Não pode ir no nome do adversário porque os santos não entram em campo mas podem dar moral para as vitórias.
O santo padroeiro de Arões é S. Romão mas este não pode ser um jogo santo mas sim dos diabos e que ganhe o diabo dos fafenses.

Div. Honra AF Braga: Pica – Vilaverdense


Começar bem o ano

O Pica recebe o Vilaverdense dos fafenses André e Rambóia. André não irá estar em campo pois encontra-se lesionado e é menos uma dor de cabeça para os fafenses. Mas seria bonito vê-lo a jogar contra um antigo companheiro de equipa e de golos nos juniores da AD Fafe, Richa. Naquele tempo, estes dois jogadores servidos por Delfim Sepúlveda, faziam mossa a qualquer equipa. Saudades! As duas equipas estão a precisar de pontos pelo que o jogo vai ser renhido.

Regionalona - Jogos

.
1.ª Divisão - Série B

O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, desloca-se ao terreno do Pedralva, último classificado com o intuito de começar o ano melhor que aquele que termina. A equipa esteve bem nos dois últimos jogos mas a sorte não esteve do seu lado. Ano novo vida nova e há que acreditar.


2.ª Divisão - Série D

O FORNELOS, de Carlos Careca, descansa nesta jornada porquanto tinha que jogar com o S. Romão que acabou por desistir.

O ANTIME, de Domingos Freitas, recebe o FERMILENSE, de Luís Carlos. Um jogo de capital importância para as duas formações. Para o Antime, se vencer, pode ser o ponto de partida para uma recuperação desejada. Para o Fermilense manter o comando é primordial, até porque o Antime é um candidato assumido à subida.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, recebe o GANDARELA, do Professor Eugénio. Ambas as equipas têm sangue novo. O União está melhor que o Gandarela mas os de Basto vão querer recuperar o tempo perdido. Dois treinadores e muitos jogadores fafenses em confronto. Há condimentos que cheguem para se assistir a uma partida movimentada.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, recebe o Águias de Alvite. Apenas um ponto separa as duas equipas com vantagem para os fafenses. Começar o ano a ganhar era um bom tónico para o que resta da época pois dava outro alento.

Camadas Jovens – AF de Braga - Jogos

.
JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

Estorãos - Fradelos

Antime – Prazins

Travassós – Vieira


JUVENIS – 2.ª Divisão – Série E

Pencelo - Golães

Mota FC - Ases S. Jorge

Tabuadelo - Vasco da Gama


INICIADOS - 1.ª Divisão – Série B

AD Fafe – Moreirense


INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Vitória Guimarães - Ases de S. Jorge


INFANTIS – SÉRIE I

Taipas - Fafe B

Ases S. Jorge – Celoricense


INFANTIS – SÉRIE J

Os Craques - Arões

Vieira - AD Fafe

Ases S. Jorge – Celoricense


FUTEBOL DE SETE – ESCOLAS

Celoricense - Arões

AD Fafe - Ases de S. Jorge

.

Campeonato de Futsal Feminino de Fafe – Jogos

.
JORNADA de 03/01/2010

Estorãos - Armil B

Amigos de Quinchães – Se rafão

Regadas – C. S. Fafe

Folga: Armil A

Campeonato de Futebol Popular de Fafe – Jogos

.
JORNADA 9

Fareja - Regadas

Amigos de Quinchães – Pardelhas

Serafão - S. Clemente

Marinhão - Armil

Aboim – Ribeiros

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Mike e PH assinaram pelo FC Gandarela


Clube de Basto é treinado
pelo fafense Professor Eugénio

O Futebol Clube Gandarela garantiu o contrato de três jogadores que iniciaram a época no Grupo Desportivo de Silvares. Os fafenses Mike e PH, que por sinal são irmãos, o primeiro avançado e o segundo médio e ainda Armando, outro avançado que não foi feliz no Clube fafense.
O Gandarela milita na II Divisão Distrital e ocupa, nesta altura, o penúltimo lugar com cinco pontos mas, a apenas sete do quinto classificado e a oito do quarto. Está cumprido o primeiro terço do campeonato e ainda há muitos pontos em disputa, pelo que muita água ainda vai correr debaixo das pontes. Agora sob o comando de um novo treinador, o fafense Professor Eugénio que, entre outros clubes, fez um excelente trabalho no Pica, com uma subida à Divisão de Honra, tendo passado ainda por clubes como o Celoricense, os de Basto estão apostados em ascender rapidamente na tabela classificativa, pelo que com a qualidade e experiência destes dois fafenses, bem como do treinador, certamente que vão melhorar as actuações da equipa.
.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Clube Amigos do Delfa fez mais um jogo


Liedson vence Di Maria

O Clube Amigos do Delfa (CAD) voltou a reunir-se para mais uma peladinha de “indoor soccer” e momentos de descontracção e convívio, onde o amigo Delfim Sepúlveda (Delfa) marca sempre presença, pois o companheiro Ranza, seu compadre, nunca se esquece de o levar. Se assim não fosse o jogo também não tinha piada, até porque o jovem Delfa delira com os golos do veterano Liedson, que é melhor não dizer quem é por causa da cobiça. Na verdade a sua equipa venceu a do Di Maria.
Desta vez a contenda teve cerca de vinte minutos de verdadeiro equilíbrio, período em que o resultado se manteve em branco, muito por culpa dos guarda-redes Ranza e Carlos que estiveram em grande. A partir daí o golo de Liedson abriu as hostilidades e uma das equipas, a mais experiente, passou a tomar conta do jogo e a ampliar progressivamente a vantagem até fixar o resultado final em 6-2. Notou-se a ausência de jogadores históricos destes embates que, só não marcaram presença por impedimento de força maior como o cumprimento de obrigações profissionais, embora todos saibam a vontade que tinham de participarem. Fica para próxima, porque o CAD já está a agendar o próximo jogo.
.

União Moreirense reforça-se com qualidade

.
Pedro Neves, Diogo Gomes,
Rui Miguel e Pedro Sobrança
trazem mais dinâmica ao plantel

O União Moreirense, equipa orientada por Arlindo Silva, assegurou os serviços de quatro jogadores que muito vão contribuir para uma subida substancial de rendimento do plantel. Rui Miguel e Pedro Sobrança são dois defesas que fizeram escola nas camadas jovens da AD Fafe, bem como o médio Diogo Gomes, um jogador de excelentes recursos técnicos e avançada visão de jogo. Estes três jogadores iniciaram a época no Grupo Desportivo de Silvares, na Divisão de Honra, mas, para poderem compatibilizar o futebol com os estudos vão jogar agora na II Divisão Distrital, num plantel mais humilde mas muito bem orientado por uma equipa técnica jovem e ambiciosa. São três excelentes jogadores e com capacidades acima da média para o futebol distrital.
O outro reforço chama-se Pedro Neves, é avançado e transita do Futebol Popular para os distritais, tendo o aval da equipa técnica que já o conhece muito bem.
O União Moreirense é uma equipa humilde do nosso Concelho, uma das poucas que tem sobrevivido no futebol distrital onde nomes como o Estorãos, Cepanense, Paços, Regadas ou Vinhós deixaram de existir. De louvar nesta equipa é o facto de nunca ter desistido, apesar dos resultados não serem os melhores. A isso chama-se saber conviver com a realidade e com as possibilidades à disposição, mantendo o desporto na freguesia com esforço e muito sacrifício.
Esta temporada a equipa continua a manter os pés assentes na terra mas rodeou-se de homens capazes de potenciar os muitos jovens que representam com gosto o emblema de Moreira de Rei. Falamos dos técnicos, Arlindo, Lira e Xeno, que vieram trazer uma lufada de ar fresco à formação moreirense, transmitindo as suas ideias aos jovens e limando-lhe as arestas necessárias para que possam evoluir um pouco mais.
Estes jogadores novos que agora desembarcam em Moreira de Rei vão, certamente, ajudar a levar a alegria a um clube humilde mas acolhedor como é o União Moreirense.
.

Antime assegura Brokinha (ex-Arões)


Para furar os esquemas adversários

O Operário Futebol Clube de Antime fechou contrato com o jovem médio Brokinha. Trata-se de um atleta que já estava em negociações com a formação liderada por Domingos Freitas há algum tempo mas que só ontem (segunda-feira) se comprometeu definitivamente com esta carismática equipa fafense.
Brokinha é médio de drible fácil e rápido que costuma marcar muitos golos. Por isso, a formação antimense vai, certamente, ganhar em criatividade e qualidade. É um jovem médio-ala, com um talento nato para a prática do futebol, que faz mesmo jus ao próprio nome, é daqueles jogadores que, com a bola nos pés fura qualquer esquema adversário. O jovem jogador fez a sua formação no Futebol Clube de Felgueiras e, na extinção deste, depois no Clube Académico de Felgueiras. Neste último Clube sagrou-se campeão Distrital em juniores e seniores na AF do Porto. Ingressou depois na equipa do Silvares onde esteve época e meia e deixou a sua marca. Quem não se lembra dos cinco golos num só jogo apontados ao Futebol Clube Gandarela? Esteve depois com um pé no Cabeceirense mas iniciou a presente época no Arões Sport Clube de onde transita para o Antime.

Mais dois reforços para o GD Silvares


Costa (ex-Arões) e Roberto
Martins (ex-Cabeceirense)

A equipa do Silvares, agora orientada por Luís Alberto está apostada em reforçar todos os sectores do plantel e já garantiu o concurso de mais um defesa e um médio. Tratam-se de dois jogadores que representavam equipas da Divisão de Honra da AF de Braga.
Para o sector recuado contratou o jovem fafense Costa, de 19 anos, que nas últimas épocas representou os juniores da AD Fafe, e os juniores e seniores do Arões Spor Clube
A outra aquisição é Roberto Martins, um médio de 21 anos, natural de Santo Tirso, com 1, 77 metros de altura e 75 quilos de peso, que nas últimas três épocas representou o Mondinense, o Vilarinho e o Atlético Cabeceirense, tendo feito parte da sua formação no Moreirense Futebol Clube.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

GD Silvares esclarece sobre Mike I

.
Recebemos um pedido de esclarecimento do GD Silvares sobre as notícias veiculadas sobre Mike I que passamos a publicar na integra.
.

"Em relação peça por vós publicada referente à dispensa do jogador "Mike I" a direcção do GD Silvares tem o seguinte esclarecimento:

1. O Jogador em causa nos dois últimos meses vinha a intrometer-se no trabalho da direcção sem ter o mínimo conhecimento das situações;

2. A direcção do GD Silvares não pode tolerar falta de disciplina que origina o mau estar dentro do clube, não podendo permitir que os atletas se intrometam no trabalho da direcção, seja que atleta for;

3. Em relação ao facto afirmado pelo jogador dispensado, foi mais uma das situações de intromissão, pois é uma questão interna da direcção e que não diz respeito aos atletas que única e simplesmente têm que cumprir o trabalho para o qual foram contratados;

4. O jogador não veio embora, pois foi convidado a não entrar mais nas instalações desportivas do clube pela pessoa do Presidente e com o apoio dos restantes membros da direcção que estavam presentes, sendo a situação uma questão em análise na reunião de direcção de acordo com o regulamento interno;

5. Em relação ao facto dos atletas anteriormente dispensados, nunca foi e nem é intenção da direcção do GDS mantê-los ligados esta época ao clube;

6. A direcção do GDS que como antes, agora continua a manter a mesma linha de actuação em relação ao Plantel e Equipa Técnica, pois não se intromete no trabalho deles;

7. O Plantel foi constituído inicialmente com uma equipa técnica, a qual em determinado momento pressionou a direcção para a dispensa de determinados jogadores;

8. Com a entrada da nova equipa técnica, a mesma pretendia readmitir os atletas no plantel, os quais recusaram, ficando as desvinculações em análise de reunião de direcção e não pendente por um ou outro director, dado que todas as decisões são tomadas em conjunto, tal como aconteceu com outras dispensas e consequentes desvinculações, que foram solicitadas pelos técnicos.

9. Perante os factos, os quais os jogadores não têm que se intrometerem ou tecerem comentários impróprios, pelo menos sem antes se inteirarem da realidade dos factos e do conhecimento dos processos, a Direcção do GD Silvares está de consciência tranquila porque acima de tudo defendeu e continuará a defender os interesses da colectividade, que para tal também está a cumprir condignamente os compromissos assumidos, nomeadamente os de ordem financeira e muito mais os que dizem respeito ao plantel.

A Direcção"

Mike I "veio-se embora do Silvares"


“Não concordei com algumas situações”

O jogador do Silvares, Mike I, em declarações prestadas à nossa redacção, após a publicação da sua "dispensa", afirma que “não foi dispensado do Silvares mas sim que se veio embora por não concordar com algumas situações que estiveram na dispensa de outros atletas, entre eles os ex-juniores da AD Fafe, tendo-se gerado aí um conflito institucional, que o levou a optar pela saída”.
Segundo as declarações deste atleta que tem muito mercado no desporto Distrital quer a nível da AF de Braga quer da AF de Vila Real, o “facto de o Silvares não ter dado a desvinculação a esses atletas depois de os dispensar criou-lhe um sentimento de revolta que o obrigou a falar”.
O atleta afirma que “não foi dispensado e que se assim fosse estaria livre e não o está porque o Silvares não lhe quer dar a desvinculação devido ao conflito entretanto gerado”.
.

Kartcross: À velocidade da luz

Texto e foto: JCL/TJL

Parecem brinquedos

Foi com enorme expectativa que o público que desafiou o frio do último Domingo assistiu à prova de Kartcross na Pista do Bi, em Serafão, Fafe.
Os carros construídos artesanalmente atingem velocidades estonteantes chegando a parecer veículos telecomandados, tal é a destreza com que são tripulados por pilotos destemidos e muito astutos para a estrada.
Mais um espectáculo emocionante na Pista do Bi que já nos habituou a assistir ao que de melhor há no desporto motorizado em pistas de terra.

.

Luís Carlos, técnico do Fermilense, em entrevista

Entrevista e foto: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Ser campeão de Inverno só
faz
sentido se subirmos de escalão

O fafense Luís Carlos, técnico do Sport Clube Fermilense tem a sua equipa na primeira posição da Série D da 2.ª Divisão Distrital, mas considera que o título de Campeão de Inverno só faz sentido se terminar a época nos dois primeiros lugares, ou seja, em posição de subir de escalão. Com humildade e os pés bem assentes na terra, este jovem técnico, que, na nossa opinião foi um dos melhores avançados do futebol regional da AF de Braga, revela ter ambições mas prefere aguardar tranquilamente pelo futuro. Foi precisamente sobre o campeonato já realizado e sobre a sua condição de treinador que Montelongo Desportivo falou com esta referência fafense no desporto regional.


MD: Como está a correr este primeiro terço do campeonato?

- LUÍS CARLOS: Está a correr bem embora considere que podíamos ter mais uns pontinhos.

MD: O que aconteceu para não os terem?
.
- LUÍS CARLOS: Alguma infelicidade em pelo menos dois jogos. Um em casa com o Nespereira em que nos marcaram o golo do empate aos 94 minutos e em Fornelos que foi aquilo que toda a gente viu. Mesmo assim estamos na frente e agora é continuar a trabalhar bem para que as coisas se mantenham

MD: Qual era o objectivo inicial do Fermil para a época?
.
- LUÍS CARLOS: Nunca nos assumimos para a Comunicação Social, mas dentro do grupo mantivemos sempre o propósito de subir. Uma equipa que desce de divisão tem que pensar em subir logo na época seguinte.

MD: Reforçaram-se nesse sentido?

- LUÍS CARLOS: Sim reforçamo-nos com alguns jogadores que vieram dar mais qualidade e acho até que, temos um plantel melhor que o da época passada na 1.ª Divisão.

MD: Têm as condições necessárias para subir de divisão?

- LUÍS CARLOS: Acho que é sempre difícil responder a essa pergunta. No entanto considero que com o trabalho que estamos a realizar e o espírito que o nosso grupo tem vamos conseguir. Sei, contudo, que não vai ser fácil porque para subir seja na divisão que for é preciso que tudo funcione em harmonia.

MD: Na sua opinião quem são os adversários mais directos?
.
- LUÍS CARLOS: Existem duas ou três equipas que devemos ter em consideração: são elas o Arco de Baúlhe, o Fornelos e o Nespereira, sem nunca esquecer o Antime que se nos conseguir vencer pode entrar também na luta. Recordo que o nosso próximo jogo é em Antime no próximo Domingo.

MD: Há alguma equipa que o esteja a surpreender?

- LUÍS CARLOS: Sim. O Fornelos pela positiva e o Antime pela negativa embora considere que tem boa equipa e que devia estar a fazer um pouco melhor do que quilo que tem feito.

MD: Há jogadores de Fafe no Fermilense?

- LUÍS CARLOS: Jogadores apenas o Vitinha Esquiça. Mas também temos outro fafense no Fermilense, o Anselmo massagista.

MD: A equipa vai reforçar-se até Janeiro?

- LUÍS CARLOS: Não. Temos um plantel de 26 jogadores, apesar de dois estarem lesionados. Por sinal duas mais valias mas, o plantel dá-me todas as garantias para o resto do campeonato.

MD: Que valor atribui ao título de campeão de Inverno?

- LUÍS CARLOS: Sinceramente é sempre bom chegar em primeiro a qualquer estação do ano mas, se não chegarmos ao fim do campeonato em primeiro ou segundo lugar, que são os lugares que dão acesso à subida, este título de campeão de Inverno deixa de ter importância.

MD: Por onde passa a sua ambição como treinador?
.
- LUÍS CARLOS: Acredito no trabalho que tenho vindo a fazer mas tenho os pés bem assentes no chão. Mentiria se dissesse que não era ambicioso. Sendo assim, espero vir a ter outras oportunidades, pelo menos como as tive enquanto jogador. Só o futuro dirá até onde posso chegar como treinador. Vou trabalhar no sentido de tentar ser melhor do que fui como jogador que, na minha perspectiva, não foi assim tão mau.

MD: Há alguma mensagem que gostasse de transmitir?

- LUÍS CARLOS: Sim. No futebol falamos de tantas coisas mas esquecemo-nos um pouco da família e eu queria pedir desculpa á minha por lhe roubar tanto tempo com o futebol. Eu sei que elas me compreendem. Elas, a minha mulher e as minhas duas filhotas. É que o futebol é a coisa mais importante das menos importantes!
.

Leo e Zé Berto reforçam GD Silvares


Mike I foi dispensado

O Grupo Desportivo de Silvares acaba de assegurar duas contratações para o que resta da presente época mas, ao que tudo indica, estas não vão ficar por aqui.
Para já assegurou a contratação do avançado de 20 anos, Levan Blagidze, mais conhecido por Leo, um Georgiano que representou os juniores do Vitória de Guimarães, tendo passado depois pelo Vieira Spor Clube na época de 2008/2009 e na presente temporada representava o Académico de Felgueiras. Trata-se de um jogador de grande porte para actuar na área pois possui 1,87 metros de altura e pesa 78 quilos. Este jogador já representou a selecção da Geórgia em Sub-19.
Do outro jogador não nos foram reveladas as suas credencias mas sabe-se que se trata de um médio e já representou o GD Silvares, onde envergava a camisola oito, na época 2005/06 e se chama Zé Berto Boido.
Entretanto, o Grupo Desportivo de Silvares dispensou mais um jogador. Trata-se de Mike I, um dos elementos mais em foco na formação fafense neste primeiro terço do campeonato mas que, segundo fonte oficial, "foi dispensado por motivos disciplinares”.
.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Jogo amigável - Juniores: Merelinense, 2 – AD Fafe, 1

Foto de aqruivo: MD

Golo de João Miguel não chegou

Os juniores da AD Fafe deslocaram-se ao estádio João Soares Vieira, em S. Pedro de Merelim, Braga, onde defrontaram a equipa local, Merelinense, com quem perderam por 2-1.
Ambas as equipas militam nos nacionais de juniores com a diferença dos bracarenses estarem ma primeira divisão e os fafenses na segunda. Mas isso não obstou a que houvesse equilíbrio na partida.
Na primeira parte assistiu-se a um jogo mais disputado no meio campo, sem grandes oportunidades de golo, tendo no entanto havido algumas quezílias entre os jogadores nomeadamente entre um avançado do Merelinense e um defesa fafense, que por sinal é um jogador muito calmo e sereno mas que acabou por reagir às provocações do adversário. O primeiro tempo foi mesmo disputado com muita raça por todos os intervenientes mas acabaria com uma igualdade a zero bolas.
Na segunda parte o Fafe entrou melhor traduzindo a sua superioridade num golo apontado por João Miguel que havia entrado na partida precisamente na segunda metade do jogo.
O empate do Merelinense surgiu de uma situação pouco habitual no futebol moderno. Um canto a favor dos fafenses com um jogador mais recuado a pedir a bola mas a perde-la, o que originou um contra-ataque que resultou em golo.
O segundo golo da equipa bracarense adveio de um desentendimento na defesa fafense e terminou com um chapéu ao guarda-redes Luís sem que este tivesse qualquer culpa no lance.
.

Jogo amigável - Juvenis: Merelinense, 4 – AD Fafe, 4

Foto de arquivo: MD
.
Duas vezes a perder e
outras tantas a ganhar

Aproveitando a paragem oficial do Campeonato Nacional de Juvenis, a AD Fafe deslocou-se a S. Pedro de Merelim para defrontar a equipa local, o Merelinense, com quem empatou a quatro bolas, no campo sintético daquele Clube.
A partida disputou-se sob o signo do equilibro, porquanto a formação merelinense ocupa o primeiro lugar da sua série no campeonato Distrital da 1.ª Divisão. Foi um bom apronto para os pupilos de Miguel Paredes estiveram primeiramente em desvantagem, tendo o Fafe empatado através de Lula e a equipa bracarense voltado a estar no comando do marcador. Os fafenses não baixaram os braços e voltaram a igualar a partida, desta vez por Bruno. Depois foi a vez do Fafe estar na frente do marcador, ao obter o 3-2 através de Fábio, resultado com que foi atingido o intervalo. Na segunda parte a equipa da casa voltou a colocar o resultado numa igualdade, desta vez a três bolas. Os fafenses ainda estiveram novamente na frente do marcador com um golo apontado por Nelinho mas os rapazes de Merelim conseguiram igualar a partida a quatro bolas.
Foi um bom treino para os fafenses que têm vindo a melhorar de semana para semana as suas performances dentro de campo.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Futebol – Veteranos: S. Romão, 1 - U D Fafe A60, 3

Texto: Fernando Marinho Gonçalves/Foto de arquivo MD

UD Fafe A 60 comemora o Natal com jogo e ceia

No seguimento do alinhamento desportivo da época em curso, a UD Fafe A 60 realizou no último sábado, mais um jogo, mas desta feita, inserido na sua tradicional “Festa de Natal”.
Com efeito, e como vem sendo habitual, este clube fafense realiza todos os anos a sua “Festa de Natal” que inclui, durante a tarde, um jogo de futebol e à noite um jantar convívio entre todos os elementos desta agremiação com trocas de prendas, simbolizando a amizade de décadas que ainda perdura.
No que ao jogo diz respeito, este desenrolou-se de forma tranquila e amistosa, com os fafenses a dominarem completamente a partida na primeira parte, pelo que a concretização dos três golos com que brindaram o adversário, não espantou ninguém. Na segunda parte, os vimaranenses, fruto de algumas substituições bem conseguidas, tomaram conta do meio campo e dominaram durante grande parte do tempo e até final do encontro, valendo o guarda-redes Fernando e um sector defensivo muito atento e batalhador. Por isso, o resultado aceita-se perfeitamente, pois os fafenses foram mais eficazes e inteligentes a gerir as acções e emoções do jogo.
Ao início da noite, os fafenses, numa iniciativa habitual, mas de grande significado pelos laços fraternos e de amizade que os une, deslocaram-se à Quinta das Vinhas (Arões) onde desfrutaram de um merecedor repasto para lembrar os velhos tempos em eram “jogadores da bola”! Houve troca de prendas e a animação do costume. No fim, como vem sendo hábito também, a direcção deste clube, distinguiu, simbolicamente, os elementos que, por diversos motivos (que não como atletas) se distinguiram ao serviço da União Desportiva de Fafe A60. De resto esta é uma iniciativa sempre muito ansiada e de enorme impacto no clube.

AS EQUIPAS APRESENTARAM:

S. ROMÃO (Guimarães): José Carlos, Djalma, Vicente (Tininho, 45’), Mário, António Augusto (Firmino, 45’), Martins, Simão (Tó Marques, 68’), André, Luis Teixeira, Ferreira e Mané (Siveira, 45’).

UD FAFE A60: Anselmo (Fernando, 24’), Abílio, Roberto (Charta, 78’), Pires, Pereirinha, Condeço (Rogério, 65’) Feliciano, Marinho, João Paulo e Pedro.
Técnicos: Rogério Ferreira, Novais e Fernando Coelho.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Festa de Natal do Arões Sport Clube

Texto e Fotos: João Carlos Lopes

“O Arões tem um grande balneário”

O Arões Sport Clube levou a efeito, na noite da última segunda-feira, num restaurante da localidade, a sua tradicional festa de Natal, destinada aos jogadores da equipa sénior e elementos directivos, em ambiente de alegria e descontracção.
Este momento de união, vivido em ambiente familiar, teve a honra da presença de um dos fundadores da colectividade e sócio número um do Arões, António Marques Mendes, que enriqueceu esta cerimónia festiva também na qualidade de presidente do Centro de Formação da Juventude de Arões. De resto a sua presença fala por si, pois trata-se de uma das figuras mais ilustre do nosso Concelho. A mesa de honra estava composta por esta individualidade e ainda pelo presidente da Direcção, Pedro Castro, pelo vice-presidente Vítor Castro, pelo presidente da Assembleia-Geral, José Freitas e por Joel Fernandes, em representação da presidente da Junta de Freguesia, Cláudia Castro, que se encontrava ausente por imposição médica.
Depois de uma saborosa refeição, a Direcção do Arões resolveu sortear alguns objectos alusivos ao Clube por entre todos os presentes. Foram momentos de verdadeiro suspense pois toda a gente queria uma recordação. Ainda houve quem tentasse fazer batota, como o endiabrado António, que fez rir o pessoal quase todo o jantar com as suas travessuras e os adereços que colocou para alterar o seu aspecto fisionómico. Aliás este jogador do Arões chegou a arrancar verdadeiras gargalhadas a todos os presentes. Pelo que contam os colegas também é assim no balneário, pois transborda alegria e deixa o ambiente descontraído.
Na hora dos discursos, o presidente Pedro Castro, quis agradecer a quem estava presente, que não lida diariamente com o Clube. Depois falou da ausência das camadas jovens no jantar dada a tenra idade desses praticantes, mas elogiou o trabalho dos responsáveis pelas escolas de formação do Clube, César e Romeu, atletas da equipa principal e ainda Sílvio e André. O presidente disse ainda que “o Arões tem tentado dar passos curtos, por vezes até lentos, para que possa vir a ter um futuro muito mais risonho mas, salientou que, para isso acontecer, tem que haver mais envolvimento da freguesia”. Para explicar que não é fácil gerir o Clube, lembrou que a direcção foi eleita com dezanove elementos e nesta altura já tem menos seis. Lembrou depois, que há pessoas que podem ajudar o Clube que estão inseridas na freguesia. Sintetizou dizendo, que, “nesta altura seria muito bom que alguma das entidades oficiais prometesse algo ao Clube”.
António Marques Mendes, no uso da palavra, pegou nas palavras do presidente para dizer que “ficou impressionado por ouvir que há menos seis directores mas salientou que por vezes os Clubes de futebol costumam jogar melhor quando têm jogadores a menos, pois os que ficam tornam-se mais coesos e acabam por fazer melhor figura. O importante é o espírito de equipa. Continuem a lutar e a trabalhar para o bem do Clube que também é para o bem de todos nós e da freguesia”, rematou.
Depois, Marques Mendes lembrou que foi por sua acção que foi criado o Arões Sport Clube, quando o conseguiu filiar. Lembrou ainda que, cada um deve voar até onde tiver asas que seja capaz de sustentar. Querer ir além disso é muito perigoso”, disse aquele causídico.
José Freitas, presidente da Assembleia-Geral, desta vez cumpriu a promessa de ser breve, para dizer que “o Arões é o Clube que marca a diferença a nível concelhio e que deve o seu estatuto actual ao doutor Marques Mendes”. Entre outras situações, salientou que “o Arões tem referências do futebol distrital a nível de jogadores porque estes gostam do Clube”.
Em declarações solicitadas pelo Montelongo desportivo, o capitão Vitinha, formulou desejos para 2010. “Espero que continuemos todos unidos e que depois de atingirmos o objectivo da manutenção, consigamos obter a melhor classificação possível. Para mim, o forte do Arões está no balneário. Aliás, eu considero que os jogos se começam a ganhar no balneário. O Arões é um Clube que se deve orgulhar de ter um grande balneário já há vários anos, conseguindo recrutar jogadores que convivem em verdadeiro ambiente familiar”.

Luís Alberto é o novo treinador do Silvares

.
Conhece todos os cantos à casa

- PH e Armando foram dispensados

Depois de muita expectativa já está encontrado o sucessor de Carlos Salgado no Grupo Desportivo de Silvares. Trata-se de Luís Alberto, um homem que se pode considerar da casa e que conhece bem a realidade do Clube e do futebol regional.
Como jogador, Luís Alberto representou vários clubes fafenses e como treinador foi precisamente no Grupo Desportivo de Silvares que revelou as suas qualidades como técnico, aliás regista no seu currículo uma subida à Divisão de Honra por este Clube. Apesar de não ter exercido essa função nos últimos anos o novo técnico do Silvares nunca se alheou do futebol sendo frequente vê-lo ao final de semana a assistir a partidas dos campeonatos distritais, nomeadamente da Divisão de Honra.
É uma nova aventura para este técnico ainda jovem que irá ter como adjunto o jovem Ismael que transita da formação do Agrupamento de Santa Cristina, onde as lesões o impediam de jogar futebol.
Neste novo contexto do Silvares, e depois das saídas de Diogo Gomes, Sobrança e Rui, saem agora mais dois elementos, o médio PH e o avançado Armando. Ao que se pode apurar, estas saídas permitem que o Silvares vá recrutar atletas que possam dar alguma consistência, concretamente no sector atacante com o intuito de alcançar os golos que parecem estar alheados da equipa.
Por ora ainda se desconhecem as novas aquisições do Clube, até porque só neste início de noite de terça-feira é que o novo técnico foi apresentado ao plantel.
Como havia referido o capitão do Silvares, Antero, por altura do jantar de Natal do Clube, a equipa precisa de reencontrar a confiança para fazer as pazes com as vitórias.

Legião Estrangeira

.

LIGA SAGRES – Jornada 14


O VITÓRIA DE SETÚBAL (13.º), de Bruno Monteiro, levou de vencida a formação do Marítimo por 3-2 e já abandonou a lanterna vermelha. Terá sido o grito que a equipa estava a necessitar? Só os próximos jogos o podem confirmar. Bruno não entrou nas contas do jogo.


II LIGA – Jornada 14


O DESPORTIVO DAS AVES (9.º) de Henrique e Jorge Duarte, perdeu com o beira Mar por 3-2, em Aveiro. Apesar de tudo manteve a mesma posição. Jorge Duarte foi opção para esta partida tendo feito parte do onze inicial.


O GIL VICENTE (10.º), de Tiago André e Sandro, foi empatar ao terreno do Santa Clara e não viu o anticiclone dos Açores. O ponto conquistado não fez mexer nada na sua posição na tabela mas dá algum alento por ser contra quem foi. Sandro foi o único fafense a jogar.


2.ª DIVISÃO B – Jornada 12

.

O FC MOREIRENSE (1.º), de Castro, deslocou-se ao terreno do Boavista para registar um empate a zero bolas num jogo com muitas incidências extra futebol que obrigaram á interrupção da partida pelo menos duas vezes. Aparte disso, o Moreirense mantém a primeira posição.


O VIEIRA SC (10.º), de Óscar e Pablo, recebeu o Merelinense, o outro parceiro da subida da época anterior, tendo registado um empate a duas bolas. Um embate entre velhos rivais que serviu para manter o décimo posto.


3.ª DIVISÃO – Série A – Jornada 11

.

O MARIA DA FONTE (1.º), de Fredy, foi empatar ao terreno do Bragança a uma bola. O Bragança parece não estar tão forte como em épocas anteriores mas é sempre um adversário difícil. Os marianos cumpriram a sua missão.


O MONTALEGRE (2.º), de Leonel e Ricardo Nogueira, registou uma igualdade a um golo no campo do Marinhas. Apesar do resultado não ser mau perdeu a oportunidade de se colocar no poleiro e viu o Macedo de Cavaleiros ficar a apenas a distância de um ponto.


O MACEDO DE CAVALEIROS (3.º), de Eduardo, foi a Ponte de Lima comer queijo e saborear uma vitória frente ao Limianos por 2-1. É sempre um campo complicado o sintético da Vila mais antiga do país pelo que o resultado não podia ser melhor e a equipa transmontana subiu mais um lugar e já só está a dois do comando.


O AMARES (8.º), de Ismael, foi vencer ao terreno do último classificado, Morais por 2-0. Bem precisava deste resultado que lhe permitiu subir um posto na classificação. Agora só tem que continuar na senda da vitória para ver se encarrila.


3.ª DIVISÃO – Série B - 11.ª Jornada


O SERZEDELO (10.º), de Ricardo Morais, foi perder ao terreno do Famalicão por uma bola a zero. A equipa vimaranense não se está a enquadrar neste campeonato que está a levar para o sofrimento da época passada. Quatro derrotas consecutivas abalam qualquer um.


O JOANE (4.º), de Gil e Miguel Lemos parece ter engatado e tudo à custa das equipas do mesmo concelho. Depois da vitória sobre o Famalicão, foi vencer a casa da Oliveirense por 2-0. Com isso subiu mais um lugar na classificação e já está na luta novamente.

.

O REBORDOSA (6.º), de Paulo Freitas, foi a grande surpresa da jornada ao ir bater o Vila Meã por 3-0, aplicando-lhe a única derrota da temporada. Depois de ter vencido o Torre de Moncorvo parece ter embalado e já não sofre golos há dois jogos. Subiu mais um lugar na tabela.

.

Dois dias de emoções na “Pista do Bi”

Notícia: Pista do Bi/MD


Autocross e KartCross/CrossCar


A "Pista do Bi" vai receber no seu circuito, nos próximos dias 26 e 27 (Sábado e Domingo) duas grandes corridas, duas fantásticas provas de desporto automóvel de Autocross e KartCross/CrossCar. Existe grande expectativa relativamente a estas provas porque o respectivo "Staff" confirma a presença dos melhores pilotos nacionais e espanhóis destas modalidades desportivas.


São os melhores carros e pilotos a competir na freguesia de Serafão, situada a cerca de 15 Km da Cidade de Fafe, 18 Km da Cidade de Guimarães e 13 da Póvoa de Lanhoso.


O circuito, em terra, está totalmente preparado ao pormenor para receber mais uma grande corrida, com extensão de 1Km e largura de 10 metros de mínimo e 18 metros de máximo. Trajecto perfeito para acelerar e proporcionar grandes momentos de adrenalina e emoção.


No dia 26 de Dezembro a partir das 14:30 horas será realizada uma prova de Autocross, e dada a larga experiência na realização de provas desportivas, do “Staff” da "Pista do Bi" contando no seu "Curriculum"com provas a contar para os Campeonatos Nacionais de Quadcross, Nacional de Motocross e Campeonatos Stock Car, podemos afirmar que o espectáculo está de volta a Fafe, nomeadamente em Serafão.


Dia 27 a partir das 14:30 horas realizar-se-á a prova de Kartcross/Crosscar, onde a velocidade é o sinonimo mais apropriado para estas provas, ou seja, a velocidade atingida por estes carros é verdadeiramente espectacular e o circuito proporcionará grandes acelerações e momentos ímpares para os amantes deste desporto automóvel.

Formação – Futebol de 7: Xoot, 2 – AD Fafe, 4


Pequenos mas em grande

As Escolas A, da Associação Desportiva de Fafe, jogaram este fim-de-semana com a equipa do Xoot, em Tagilde, no Concelho de Vizela, tendo a Associação Desportiva de Fafe vencido o jogo por 4-2.
A pequenos fafenses ainda têm um jogo em atraso relativo à sétima jornada com o ACR Guilhofrei,.
A equipa da ADF neste escalão, terminou em segundo esta fase, com os mesmos pontos do Vitória de Guimarães, ambos com 18 pontos. Em seis jogos, todos contabilizados como vitórias, os fafenses marcaram 27 golos e sofreram apenas sete.
.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Andebol – 1.ª Div. Nacional: Belenenses, 34 - AC Fafe, 24

Texto: Associação de Andebol de Braga
.
Pastéis indigestos
.
Mais uma vez, o Fafe “ausentou-se” do jogo frente ao Belenenses durante 15 minutos, começando aí a escrever a história da derrota. Marcou o segundo golo aos 3 minutos de jogo, ficando a ganhar por 2-0, mas contraiu uma das habituais “brancas” e só voltou a marcar aos 18 minutos, quando o seu adversário já tinha concretizado 9 golos. A partir deste período, a diferença no marcador ainda avolumou aos 10 golos de diferença, nomeadamente aos 25 minutos da 1ª parte e, mais golo menos golo, foi nesta diferença que se desenrolou o resto do encontro.
Vem aí um descanso providencial, com a interrupção da competição até 30 de Janeiro, que o Fafe poderá aproveitar para se reorganizar, principalmente na vertente psíquica, onde tem claudicado imensas vezes.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Festa de Natal do Silvares

Texto e fotos: João Carlos Lopes

“Uma questão de confiança”
- Novo treinador apresentado 2.ª Feira

O Silvares realizou, na noite do último Sábado, a sua festa de Natal, de forma humilde e singela, à imagem do actual elenco directivo, encabeçado por Teodoro Bastos, que vive o dia a dia com os pés assentes na terra.
Este não foi um jantar tradicional das equipas de futebol com pompa e circunstância, mas sim um típico jantar de família, feito na sede social do clube que se situa por cima do balneário do campo de jogos. Mais familiar não podia ser. Porém, esta humildade, foi sinónimo de união, de alegria e de fraternidade. No fundo tudo o que se espera no Natal.
O prato do dia foi um pica-no-chão, superiormente confeccionado pelo mestre de culinária Adriano “Maravilhas”. Na verdade, foi de comer e chorar por mais, com frango em abundância.
Nestas alturas há sempre alguém que sobressai. Pela sua irreverência e juventude, louva-se a integração plena de Samu, ex-júnior da AD Fafe, um brincalhão nato e muito interventivo. É com pessoas como estas que se costumam fazer os bons balneários. Mas o Silvares tem lá gente que já anda no mundo do futebol há muitos anos. Muitos deles são os obreiros da subida a este escalão e esses sabem bem com quantos gestos se faz uma família.
Montelongo desportivo ouviu um desses homens, que dá pelo nome de Antero e é um dos capitães da equipa. O outro, Fernando, esteve ausente pelo falecimento da sua avó, a quem endereçamos as nossas condolências.
Para Antero, os desejos para 2010, vão no sentido de melhorar em relação a 2009. “Vamos aguardar pelo novo treinador para ver se algo de bom acontece e as coisas começam a melhorar. Os jogadores estão unidos e a Direcção está a trabalhar bem pelo que só podemos fazer mais e melhor daqui para a frente”, disse o capitão.
Na opinião deste veterano jogador e um dos defesas centrais fafenses mais respeitados do futebol distrital, os quatro jogos que se avizinham (Louro, Cabeceirense, Prado e Pica) são cruciais para a presente época do Silvares. “Se fizermos bons resultados, mesmo que não vençamos todos estes jogos, podemos dar um salto na classificação. Para Antero, “a equipa esteve bem até ao jogo com o Apúlia, tendo começado a perder confiança a partir dessa derrota. Estamos conscientes que temos valor. Se assim não fosse não tínhamos empatado no Torcatense e em Porto D’Ave e não tínhamos vencido o Martim. Todos unidos vamos dar a volta à situação e devolver o Silvares aos bons resultados”, concluiu.
O presidente da Direcção, Teodoro Bastos, “espera que o próximo ano traga vitórias ao Silvares para tentar recuperar o que tem perdido. Já contratamos uma nova equipa técnica e só não vamos revelar já os nomes porque entendemos que não o devemos fazer antes de a apresentar aos atletas. De resto, agora vamos jogar com equipas que consideramos do nosso campeonato e esperamos reforçar todos os sectores da equipa, sendo certo que isso irá implicar mais saídas de jogadores para equilibrar o plantel”, teceu.
O presidente silvarense considera que o clube que lidera “é uma equipa de pobres que apenas visa a manutenção neste escalão mas que, com esforço, dedicação e humildades quer fazer ver aos tubarões deste escalão”.
A tradicional troca de prendas proporciona sempre momentos hilariantes. Há quem encare o momento com seriedade e há quem o aproveite para as malandrices. Daí terem surgido prendas que arrancaram verdadeiras gargalhadas.
Um bocado de noite passado com alegria, boa disposição e muita humildade, porque o Natal deve ser mesmo assim.

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Taipas, 0 – Arões, 0 (5-4 g. p.)

Foto: Rui Silva
.
A lotaria saiu ao Taipas
com pénalti suplementar

O Arões não foi feliz na deslocação que fez ao campo do Montinho nas Taipas, pois foi eliminado na marcação das grandes penalidades por 5-4, depois de ter registado um empate a zero bolas nos cento e vinte minutos de jogo.
Luís Gomes fez algumas alterações na equipa para este jogo e elas surtiram efeito. O Taipas exerceu pressão nos primeiros quinze minutos mas não passou disso, pois não criou situações de golo.
A primeira parte obrigou as equipas a recolher com uma igualdade sem golos para se retemperarem do muito frio que se fez sentir na região neste Domingo.
No segundo tempo, ao contrário do que se podia prever, a turma das Taipas baixou de rendimento e o Arões subiu de produção. A equipa fafense esteve mesmo perto de fazer golo aos 75 minutos, não fosse a bola rematada por Vasco ter saído à barra da baliza anfitriã.
O jogo desenrolou-se de forma pausada pelo que não se esperava grandes mudanças para o prolongamento. Mesmo assim, voltou a ser o Arões a estar perto de marcar na primeira parte do prolongamento, mas o guardião taipense esticou-se e evitou a alegria dos fafenses.
Sem que a equipa da casa tivesse mostrado grandes argumentos o jogo foi arrastado para as grandes penalidades. Na primeira série desta roleta Russa, ambas as equipas falharam duas vezes. Depois, no desenrolar das restantes grandes penalidades marcadas, o Arões chegou a ter a decisão da eliminatória a seu favor. Porém, quando um jogador do Taipas enviou a bola, no lance decisivo, ao poste, o árbitro auxiliar deu indicação que o guardião fafense, Abreu, se mexeu, o que originou a repetição da grande penalidade. Os fafenses ficaram incrédulos com a decisão, até porque a bola foi ao poste e nem sequer foi defendida pelo seu guarda-redes. São daquelas coisas que nem lembram ao diabo mas que acontecem, lá isso também é verdade. Por coincidência, o mesmo auxiliar anulou, dois lances por pretenso fora-de-jogo aos Arões nesta mesma partida, sem que tivesse motivo para o fazer. Com tudo isto o Taipas acabou por passar à eliminatória seguinte.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe, 2 - Infesta, 2

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Só um Cícero Natal animou
uma exibição muito agreste


O Fafe cedeu um empate a dois golos ante o Infesta, numa exibição tão fria quanto o tempo, em que os fafenses estiveram a perder por 2-0, tendo empatado o jogo em dois minutos ainda antes do intervalo, com um monumental golo de Cícero, mais um. O público parece que adivinhava a exibição pelo que, se alheou do jogo, tendo-se verificado uma assistência muito abaixo do normal, em parte devido ao frio, em parte à quadra natalícia.
O Infesta veio a Fafe jogar simples e concreto tendo até entrado melhor no jogo que os fafenses.
O Fafe só começou a aparecer verdadeiramente aos 16 minutos quando Mike cruzou para Cícero tentar servir um companheiro mas o lance foi interceptado para canto. No minuto seguinte Cícero tentou rodar e o remate saiu ao lado.
Aos 18 minutos, o Infesta chegou à vantagem. Serge tem uma investida pela esquerda do seu ataque, aproveita uma escorregadela de Cícero e ultrapassa Miguel Mendes para depois servir, à vontade, Paulinho, com este a rematar rasteiro e colocado, sem hipótese de defesa.
Aos 21 minutos, na sequência de um canto, Cícero travou a bola no peito e rematou por cima.
Aos 27 minutos o Municipal de Desportos gelou. Júlio levou uma jogada pela direita do seu ataque, fugiu para a linha de fundo, sentiu um toque de Miguel Mendes e deixou-se cair. Grande penalidade sem contestação dos fafenses que Vitinha se encarregou de transformar em golo.
Apesar de estar a jogar pouco, 2-0 era penalizante de mais para os fafenses que pareciam estar desmotivados com o frio. Contudo, depois de estar a vencer por dois, o Infesta recuou e o Fafe aproveito para se acercar da baliza contrária.
Aos 39 minutos, Filipe cruzou para Josi obrigar Bruno a ceder canto. Na sequência deste lance a bola chega a Silvestre que, ao segundo poste faz a emenda que se pedia, reduzindo para 1-2.
No minuto seguinte a bola é metida em profundidade para Cícero este faz uma recepção cabal, com o calcanhar desvia a bola do adversário, criando o espaço necessário para fazer um remate com o pé esquerdo ao ângulo da baliza do Infesta. Um golo de meter o “chapéu” de pai Natal, pois foi isso mesmo que este extraordinário avançado fez para festejar este tento.
O intervalo parece ter esfriado ainda mais o futebol praticado pel
as duas equipas que evidenciaram ainda mais quebra de produção. Aos 49 minutos o Fafe podia ter-se colocado em vantagem. Cícero combinou bem com Filipe e este viu Josi se oposição e endereçou-lhe a bola com todas as medidas certas, o cabo-verdiano não fez a melhor recepção pois a bola bateu-lhe no peito e fugiu, fugindo também uma ocasião soberana para marcar.
Dois minutos depois, em jogada de contra-ataque Cícero tentou servir Filipe de trivela mas a bola saiu comprida. Volvidos mais quatro minutos a bola andou a rondar a baliza forasteira e acabou com pontapé de bicicleta de Zé Manel que saiu por cima da barra.
Aos 62 minutos o Fafe esgotou todas as substituições. Na verdade estas nada de novo vieram trazer ao jogo.
O tempo do jogo e atmosférico era uma agonia para os jogadores que pareciam alheados do futebol, de tau paupérrima que foi a exibição das duas equipas na segunda parte.
Aos 72 minutos, aproveitando alguma letargia fafense o Infesta voltou a acreditar. Vitinha deu mal na bola e saiu um passe a Nuno Dias. Aos 75, foi Corina a atirar ao lado.
Aos 83 minutos, Fafe tentou ripostar por Cícero, um jogador mais inconformado, mas a bola saiu desenquadrada da baliza. No minuto seguinte, Pereira aproveitou uma escorregadela de Zé Manel e atirou à malha lateral.
O Fafe voltou a ter a decisão do jogo aos 88 minutos. Bijou fez um passe soberbo para Vítor Hugo, este podia correr mais dois ou três metros com a bola e fuzilar mas optou pelo passe o que originou um fora-de-jogo.
Já nos quatro minutos de desconto o Infesta teve um lance em que também podia ter sentenciado o resultado. Mayckol e Paulinho atrapalharam-se um ao outro num lance em que podiam ter ficado isolados na cara de Nuno Dias.
Com este resultado o Fafe perdeu a oportunidade de ficar a dois pontos do Vila Meã que perdeu em casa por 3-0 com o Rebordosa. Mesmo assim mantém a segunda posição a apenas uma vitória do líder.

Jogo realizado no Estádio Municipal de Desportos, em Fafe.

Árbitro: Carlos Silva, auxiliado por Miguel Coelho e Paulo Vieira (CA Aveiro).

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Miguel Mendes e Mike (Vítor Hugo, 56’), Silvestre, André e Josi (Rui Gonçalves, 62’); Filipe, Cícero e Delfim (Bijou, 56’). Treinador, Carlos Condeço.

FC INFESTA: Bruno; Nuno, Vicente, Vila e Galego; Paulinho Serge (Mayckol, 80’) e Paulo Nuno; Júlio (Pereira, 70 e Ricardo, 88’), Vitinha e Corina. Treinador, Manuel António.

MARCADORES: Paulinho, 18’; Vitinha 27’ (g.p.); Silvestre, 39’ e Cícero, 40’.

Juvenis - Camp. Nac.: AD Fafe, 0 – Diogo Cão, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes
.
No aproveitar é que está o ganho
- Fafenses falharam em demasia

A expressão no melhor pano cai a nódoa pode muito bem aplicar-se ao jogo que os juvenis da AD Fafe fizeram na manhã deste Domingo, frente ao Diogo Cão, com quem perderam por 1-0.
Os fafenses talvez tenham feito nesta partida os melhores 45 minutos de toda a época mas não conseguiram marcar um único golo em mais de um punhado de situações de que dispuseram. Por seu turno, a formação transmontana mostrou-se fria, pragmática e acutilante quanto baste nas ocasiões de ataque que dispôs. Aliás, esta equipa tem um jogador na frente de grande qualidade, Marcelo, senhor de uma boa visão de jogo, muito rápido nas acções ofensivas e dono de um bom remate. Foi mesmo este avançado a fazer a diferença, ao marcar o tento solitário do jogo, numa jogada de contra-ataque da sua equipa.
Num terreno que mais parecia uma pista de gelo artificial foram os fafenses quem melhor se adaptou no primeiro tempo. O festival de golos perdidos começou logo aos 10 minutos de jogo com Rafael a fazer um bom trabalho e a entregar para o remate desenquadrado de Vasco; aos 13, o fafense Marcelo cheirou o golo mas o guardião Sérgio resolveu a situação; aos 15, na sequência de um canto cobrado por Vasco, vários jogadores fafenses insistiram no remate, perto da linha de golo, mas a bola teimou em não entrar; aos 18, foi Vasco a rematar de novo por cima, depois de mais um bom trabalho de Rafael.
O Diogo Cão sacudiu a pressão por volta dos 20 minutos e aos 23 o transmontano Marcelo mandou uma bomba de fora da área a que Preto correspondeu com excelente estirada, defendendo para canto. No minuto seguinte, o mesmo jogador voltou a levar perigo à área fafense.
O Fafe voltou ao ataque aos 27 minutos, com Nelinho a servir Serginho e este a rematar mas a ver a bola desviada para canto. Na sequência desse lance de bola parada, Marcelo rematou mas o guardião do Diogo Cão defendeu com os pés. Aos 31 minutos, Vasco cobrou um canto e Rafael enviou a bola para a baliza mas esta foi tirada em cima da linha de golo por um defesa dioguense; aos 33, o remate de Vasco saiu à figura de Sérgio; aos 34 Nelinho teve oportunidade de visar a baliza mas preferiu alisar o lance perdendo ocasião soberana.
O Diogo Cão voltou à área fafense aos 36 minutos. Rui Jorge serviu Jorge Filipe mas a recepção deste foi defeituosa, caso não tivesse adiantado a bola podia ter surgido o golo. Aos 40, o dioguense Marcelo teve um grande pormenor ao ajeitar a bola para o remate pronto a que Preto correspondeu com grande intervenção. Na recarga, Rui Jorge viu a bola bater num defesa fafense. Grande oportunidade para os transmontanos.
No segundo tempo a equipa de Trás-os-Montes surgiu a pressionar mais cedo as saídas do Fafe, equilibrando o jogo e condicionando o caudal ofensivo que os fafenses haviam tido no primeiro tempo.
Aos 51 minutos o fafense Fábio cobrou um livre directo mas a bola saiu por cima, aos 55 o mesmo jogador voltou a cobrar uma falta idêntica mas desta vez a bola saiu ao lado.
De um lance que podia ter dado golo para o Fafe surgiria o golo transmontano. Aos 62 minutos, Lula apareceu solto na direita apenas com o guarda-redes pela frente e com Rafael solto para encostar a bola. Porém, Lula deslumbrou-se com o lance e preferiu tentar marcar. A perdida foi tão evidente que anestesiou os fafenses. Os rapazes do Diogo Cão é que não estiveram com contemplações e foram rápidos no contra-ataque, fazendo chegar a bola aos seu melhor jogador, Marcelo, este, na cara de Preto, não teve contemplações desviando a bola do alcance do guardião fafense para obter o único golo do desafio.
Aos 65 minutos, Miguel Paredes arriscou tudo tirando Chico e Bertinho para a entrada de Bruno e Rafael.
A classe deste atleta transmontano voltou ao de cima aos 70 minutos quando o remate colocado saiu ao poste esquerdo da baliza fafense. Aos 71 minutos os transmontanos ficaram reduzidos a dez por acumulação de amarelos de Rui Jorge.
Estava escrito que este não era o dia do Fafe. Aos 73 minutos, Vasco cobrou um livre e Fábio, no coração da área enviou a bola à trave; aos 76, novamente Vasco a cobrar um livre para a sucessão de remate fafenses na área esbarrar na muralha defensiva do Diogo Cão. Foi o canto do cisne para os fafenses que jogaram bem mas não aproveitaram o trabalho que tiveram. Ao invés, o Diogo Cão produziu menos mas obteve mais resultados. A isto chama-se pragmatismo.
Numa altura em que o campeonato está na fase descendente vê-se o trabalho realizado pelo técnico Miguel Paredes que nunca teve à sua disposição o seu melhor conjunto. Apesar de tudo, os resultados não têm aparecido, por alguma falta de maturidade dos jogadores misturada também com falta de sorte dos fafenses.

Jogo realizado no Campo Professor Manuel José Dias, em Silvares, Fafe.

Árbitro: Carlos Dias, auxiliado por Pedro Martins e Pedro Silva.

AD FAFE: Nuno Preto; Chico (Bruno, 65’), Mário, Fábio e João Miguel; Bertinho, Marcelo e Vasco; Serginho (Lula, 56’), Rafael (Rafael, 65’) e Nelinho. Treinador Miguel Paredes.

DIOGO CÃO: Sérgio; Zé Miguel, Fábio Silva, Luís Cipriano, Fábio carvalho, Pedro Filipe, Sebastião, Rui Jorge, Marcelo, Jorge Filipe (Xelas, 46’) e Pedro Miguel. Treinadores: José Maria/Jorge Taipinha.

MARCADOR: Marcelo, 62’.

Camadas jovens - Jogos de acerto de calendário

.
Juvenis

Tabuadelo – Ases de S. Jorge


Escolas Federadas

Craques, 1 – Ases S. Jorge, 3


Infantis Serie J

Ases S. Jorge – Craques


Iniciados

Bairro – Ases S. Jorge

sábado, 19 de dezembro de 2009

Futsal - AF Braga: Nun’Álvares, 2 – Mouquim, 0

Foto de arquivo

Paulo resolveu

O Nun'Álvares recebeu e venceu a equipa do Mouquim, acabando o ano de 2009 no comando da sua série.
Não foi um jogo fácil, já que a equipa famalicense veio jogar totalmente à defesa e a contar com as bolas perdidas pelo adversário, para tentar marcar em contra-ataque. Não se deixando enlear pela táctica adversária, os pupilos de Nelo Barros iam desperdiçando algumas boas oportunidades, embora não tivessem o caudal de outros jogos, porque a táctica adversária era muito fechada. Houve algumas situações em que os famalicenses conseguiram criar algum perigo, mas o guarda-redes Rui Cunha ia-se opondo aos intentos adversários. Nesta toada veio o final da primeira parte com o resultado em 0-0.
Para a 2ª parte os nunalvaristas tentaram forçar o andamento, pressionando mais alto a equipa de famalicão e iam conseguindo que as marcações não fossem tão fortes e começassem a aparecer melhores oportunidades. No entanto, tivemos de esperar até cerca dos 8 minutos finais, para ver o primeiro golo, marcado por Paulo, que numa boa combinação, fez uma rotação sobre o adversário e rematou fora do alcance do guarda-redes contrário. Estava feito o mais difícil e obrigava os homens de Mouquim a abrirem um pouco mais as suas guardas, proporcionando um jogo mais bonito e aberto. Neste tipo de jogo esteve melhor a equipa fafense que conseguia controlar bem o jogo e ia permitindo que o tempo se escoasse sem sofrer grande pressão. Quando faltavam cerca de um minuto para o final, o Mouquim prescindiu do seu guarda-redes para colocar mais um atacante na tentativa de chegar ao empate, mas foi mais uma vez Paulo que numa reposição rápida de Rui Cunha, dominou a bola à entrada da área adversária e fez o 2-0.
Estava encontrado o vencedor que com todo o mérito termina este ano de 2009 no comando da sua série.


O GRUPO ALINHOU COM: Cunha; Hugo, Mário, João Nuno e Bruno Portas. JOGARAM AINDA: Artur, Paulo, Banana e Pisco. TREINADOR, Nelo Barros.

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe, 1 – Bragança, 0

Texto e foto: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Vitória arrancada a ferros
com cabeçada de Sandro


Os juniores da AD Fafe venceram a equipa do Bragança com um golo solitário obtido por Sandro, aos 74 minutos, num golpe fulgurante de cabeça após cruzamento tenso de Samora. Foi uma partida difícil de gerir e de digerir pois a equipa de arbitragem complicou, ao tentar enervar constantemente os jogadores fafenses, umas vezes por negligência grosseira e outras por decisões invertidas.
Num terreno difícil que penaliza e muito o futebol praticado pelos jogadores fafenses, a formação brigantina veio a Fafe discutir nitidamente o resultado, apresentando um futebol musculado e uma equipa coesa quer no esquema de jogo quer no aspecto psicológico. Foi um surpreendente Bragança aquele que se apresentou em Fafe e que só por pouco não conseguiu pontuar e acabou por ser penalizada por uma única desatenção defensiva, sendo certo que o golo do fafense Sandro foi obtido com muito mérito.
Os minutos iniciais do jogo foram disputados sob o signo do equilíbrio mas com um Bragança a tentar fechar todos os caminhos para os avançados do Fafe, sem nunca ter abdicado de atacar. Nesta primeira parte, foram, aliás, em lances de contra-ataque que os fafenses criaram mais perigo. Diogo, Costa, Zé Brochado e João Miguel eram quem mais se encarregava dessa missão.
Apesar de ter uma ou outra situação mais aparatosa, o primeiro período não foi muito fértil em emoções de possível golo.
No reatamento, os transmontanos estiveram perto de inaugurar o marcador. Vítor Hugo, na conversão de um livre directo, atirou á barra da baliza de Luís. A bola ainda ficou perdida a cerca de um metro da baliza, mas, após alguns calafrios, os fafenses acabaram por sacudir esse perigo.
Aos 65 minutos o Bragança surgiu novamente com perigo. Desta vez foi Edas a cabecear de cima para baixo e a bola subiu por cima da trave. Aos 68 minutos os brigantinos viram um golo anulado por fora de jogo, após a marcação de um livre que Luís defendeu com os pés.
Por força de algumas alterações feitas na equipa, o Fafe cresceu um pouco e aos 69 minutos Zé Brochado, à boca da baliza, atirou á barra. Três minutos depois, rematou de primeira mas a bola saiu ao lado.
A alegria dos fafenses chegou aos 74 minutos quando Samora colocou a bola na cabeça de Sandro e este, em estilo Jardel, cabeceou espectacularmente para o fundo das malhas.
Aos 74 minutos Mota ainda fez um remate espectacular do meio da rua mas Nélson, atento, defendeu. No minuto seguinte foi Ruben a ver a bola bater em muitas pernas, após cobrar um livre.
Até ao final, a que acresceram quatro minutos de compensação, os fafenses tiveram de sofrer mesmo muito para aguentar o resultado. Foram muitas as faltas que o árbitro viu a favor dos forasteiros, mais as que não marcou a favor do Fafe. Mesmo assim, os briosos jogadores do técnico Tenev, alcançaram um triunfo arrancado a ferros mas muito saboroso.

Em jogo realizado no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos,

Arbitro: Luís Moreira (CA de Porto), auxiliado por João Marques e André Fernandes, as equipas apresentaram:

AD FAFE: Luís; Ricardo, Rampa, Ivo Lopes, Toka, Samora, João Victor (Nuno Freitas, 85) e Mota, Diogo Costa (Ruben, 60’), Zé Brochado e João Miguel (Sandro, 64’). Treinador, Ténio Tenev.

GD TROFENSE: Nélson; Nélio, Jaime, Victor Hugo, Edas, Kapelo, Valentim, Padrão, Ricardo, Guerra e Paulo Lima. Treinador, Marcelo Alves.

MARCADOR: Sandro, 74’.

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Santo Adrião, 2 – Silvares, 1


"Jogo manchado por irregularidades"

O Silvares foi afastado da Taça ao perder no terreno do santo Adrião, da 1.ª Divisão, por 2-1. Os fafenses queixam-se de erros de arbitragem que, ao que dizem, acabaram por influenciar o resultado.
A equipa orientada pelos capitães Antero e Fernando colocou-se em vantagem aos cinco minutos de jogo, através de uma grande penalidade cometida sobre Nelinho pelo guarda-redes local que “apenas viu o cartão amarelo quando deveria ter visto o da cor encarnada”.
Os silvarenses voltam a queixa-se da arbitragem quando aludem que o golo do Santo Adrião “foi obtido em claro fora de jogo”.
Segundo as informações que Montelongo Desportivo obteve de pessoas que assistiram ao jogo também o golo da vitória da equipa vizelense foi manchado pela irregularidade pois, ao que consta, “na sequência de um livre, o jogador local terá introduzido a bola com a mão na baliza”.
A ser verdade tudo isto seria quase impossível para os fafenses seguirem em frente na eliminatória.

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Pica, 1 – Águias de Alvite, 2


David tombou Golias

O Águias de Alvite, da Segunda Divisão, surpreendeu o Pica, ao vencer por 2-1, em jogo a contar para a terceira eliminatória da Taça AF de Braga. A equipa de Basto tornou-se num tomba gigantes, porquanto afasta da prova uma equipa da Divisão de Honra. Um resultado que não estava nas cogitações dos fafenses mas que, nestas partidas a eliminar são susceptíveis de acontecer. Tão susceptíveis que acontecem mesmo. O Pica tinha tudo a seu favor para seguir em frente mas cedeu.
Ao intervalo já a formação de Alvite voava alto com uma vantagem de 2-0 mo marcador. Álvaro ainda haveria de reduzir aos 77 minutos para o Pica mas, a formação de Neco Braga baqueou e não conseguiu evitar o prejuízo. A taça é isto mesmo, com os chamados pequenos a serem uns verdadeiros Davides e a derrubar um incautos Golias.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Andebol – 1.ª Div. Nacional: Belenenses - AC Fafe


Mais uma viagem…
.
O AC Fafe desloca-se a Lisboa para defrontar o Belenenses e se pudesse evitar a viagem talvez poupasse pelo menos nas despesas. É que não é nada previsível que os fafenses façam aquilo que ainda não conseguiram fazer até agora, ou seja, pontos positivos. Este campeonato parece ser forte demais para este AC Fafe.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Futebol de Formação: Torneio de Natal do Ases de S. Jorge


Colégio de Fornelos, AD Fafe e
Pevidém são os clubes convidados

O Desportivo Ases de S. Jorge vai levar a efeito, no próximo Sábado, dia 19 de Dezembro, o Torneio de Natal, destinado aos escalões de formação. Este torneio envolve quatro escalões cujos atletas têm a data de nascimento compreendida entre o ano de 2000 e 2003/2004. Este convívio futebolístico vai ter a participação da AD Fafe, Colégio de Fornelos e equipa organizadora no escalão cujo nascimento é o ano 2000. No escalão seguinte (2001), participam, Ases de S. Jorge, Pevidém e Colégio de Fornelos. No escalão dos nascidos no ano de 2002, estão o Ases de S. Jorge, o Colégio de Fornelos e a AD Fafe. Já para os nascidos em 2003 e 2004, os clubes são o Ases de S. Jorge, o Fornelos e o Pevidém.
Os jogos serão divididos em duas partes de 20 minutos cada, com cinco minutos de intervalo.


PROGRAMA DOS JOGOS

Campo 1

09.30 Horas - Fafe – Fornelos (Escalão 2000)
10.20 Horas – Fafe – Ases (Escalão 2000)
11.00 Horas – Ases – Fafe (Escalão 2000)

Campo 2

09.30 Horas - Pevidém – Fornelos (Escalão 2001)
10.20 Horas – Ases – Pevidém (Escalão 2001)
11.05 Horas – Ases – Fornelos (Escalão 2001)

Campo 3

09.30 Horas - Fafe – Fornelos (Escalão 2002)
10.20 Horas – Ases – Fafe (Escalão 2002)
11.05 Horas – Ases – Fornelos (Escalão 2002)

Campo 4

09.30 Horas - Pevidém – Fornelos (Escalão 2003/04)
10.20 Horas – Ases – Pevidém (Escalão 2003/04)
11.05 Horas – Ases – Fornelos (Escalão 2003/04)
.

Futsal - AF Braga: Nun’Álvares – Mouquim


Sexta-feira, 18 de Dezembro, pelas 21H30
- Pavilhão do Nun’Álvares com entrada livre

Depois de ter vencido o Pousadense, o Nun'Álvares regressa a casa para passar o Natal com tranquilidade. Para isso vai ser preciso que a equipa de Nelo Barros consiga ultrapassar a formação do Mouquim. O jogo é nesta sexta-feira à noite pelas 21:30 horas e a entrada é livre. O espectáculo é garantido, o futsal de qualidade, as movimentações tácticas de grande relevo e os golos não costumam faltar. Mais e melhor é impossível.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe - Infesta


Sem infestar para festejar

A AD Fafe recebe o Infesta no jogo que precede a quadra natalícia. Este infesta não é o mesmo do saudoso Augusto Mata, treinador que esteve 25 anos ao serviço daquele clube e que agora treina o Padroense. Um grande homem e um grande treinador, a quem o país deve uma merecida homenagem. Este Fafe também não é o mesmo que fez furor por esse país fora até ao início da década de noventa. É um Fafe em busca de uma entidade e, principalmente da recuperação da consolidação. Para este jogo os dados são os seguintes, Fafe seis vitória, Infesta uma; Fafe dois empate Infesta cinco; Fafe duas derrotas, infesta quatro. O Fafe é segundo com 20 pontos o Infesta penúltimo com oito. O Fafe marcou 15 golos e sofreu oito e o Infesta marcou 18 e sofreu 24. Uma análise a frio diz-nos para ter cautelas com este clube ainda que as posições na tabela sejam extremas. O Fafe terá de fazer um jogo sem infestar para poder festejar.

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe – Bragança

.
Dar gás no TGV amarelo

Os juniores da AD Fafe recebem o Bragança e, face à periclitância dos últimos resultados não têm muitos créditos para poderem jogar descansados. Isto tendo em conta que os fafenses são uma equipa de topo nesta série. Quem anda no topo não dorme e, como tal, os adeptos do Fafe exigem uma vitória expressiva contra os brigantinos para terem a certeza que os nossos juniores são mesmo bons. A realidade é que depois da derrota em Moreira de Cónegos, os fafenses parecem ter ficado mais permeáveis. É certo que, incluído esse jogo com o Moreirense, foram quatro derrotas por 1-0 mas, se os outros marcaram, o Fafe também tinha obrigação de o fazer. Aliás rezam as crónicas que criou oportunidades suficientes para isso. O que faltou? Pormenores? São os pormenores que distinguem os bons dos medianos. Para mim estes juniores são bons mas às vezes fazem jogos medianos. O que lá vai, lá vai. Mas é preciso reflectir nos erros do passado para construir o futuro. Esse futuro tem nova estação neste jogo com o Bragança. A partir daí o comboio tem que embalar e não parar mais. Uma espécie de antecipação ao TGV. Digam lá se não seria bonito ficarem conhecidos pelo TGV Amarelo (Todos Gostamos de Vencer de amarelo)?

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Pica – Águias de Alvite


Dar uma prenda aos associados

O Pica recebe o Águias de Alvite, equipa da 2.ª Divisão Série D. Não deverá ser um jogo complicado para a equipa orientada por Neco Braga. Mas, do outro lado vai estar uma equipa aguerrida, apostada em fazer brilharete na competição caso consiga tombar uma equipa da honra. Este é daqueles jogos que vale mais do que realmente vale. Tem um valor intrínseco acrescido. O factor casa reverte a favor do Pica, mas o jogo tem noventa minutos mais o que tiver que ter e só final se fazem as contas. No entanto, a equipa fafense tem respondido bem nos últimos encontros realizados, parece estar mais consistente e os jogadores, mais que ninguém, querem dar a vitória como prenda de Natal aos associados.

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Santo Adrião – Silvares


“Um, dois, três, quero nascer
outra vez… começar de novo…”


Há uma canção do grupo Português “Tambor” que diz: “um, dois, três, quero nascer outra vez, começar de novo…”. Este é o jogo ideal para o Silvares começar de novo, depois de tudo o que se passou ultimamente. A equipa fafense precisa de passar uma esponja no que pior registou no passado recente e pegar no bom, transformando-o em energia para encarar a vida que tem daqui para a frente nas competições que está envolvida. Agora que está para breve o anúncio do novo treinador, é altura para o Silvares renascer. Certamente que os jogadores vão respirar bem fundo, cantar 1, 2, 3… e “voilá” porque para a frente é que é caminho. De Santo Adrião só pode vir uma vitória. Os fafenses têm equipa para trazer de Vizela o passaporte para a eliminatória seguinte.

Taça AF Braga - 3.ª Elim: Taipas – Arões


Jogo de tripla no Totobola

O Arões desloca-se ao campo do Montinho, nas Taipas para defrontar a equipa local em jogo a contar para a 3.ª eliminatória da Taça Associação de Futebol de Braga.
O Clube Caçadores das Taipas está a fazer uma grande época mas o Arões não costuma deixar créditos por pés alheios e vai ao terreno do adversário discutir a eliminatória de igual para igual. Ainda que o factor casa dê algum favoritismo aos taipenses, não se deve nem pode excluir a hipótese do Arões seguir em frente. Se assim não fosse nem valia a pena jogar. Um jogo grande da Taça e do Futebol Distrital. Se contasse para o Totobola seria um jogo de tripla.

Juvenis - Camp. Nac.: AD Fafe – Diogo Cão


Manter os olhos na linha do horizonte

Em plena época natalícia, os Juvenis da AD Fafe vão receber a formação transmontana do Diogo Cão. Nesta altura do campeonato, com nove jornadas ainda por cumprir, o cenário para os fafenses não é o melhor porém, nada está perdido ainda. Miguel Paredes tem feito os possíveis e impossíveis para tentar fazer uma equipa mas, por um motivo ou outro, a fazenda acaba sempre por não chegar para que o fato assente como uma luva. Quando assim é não se pode pedir muito mais. Até porque, nota-se que houve evolução da equipa. No entanto, quando tudo parecia encaminhado, as lesões voltaram a fazer um rombo no casco e o barco voltou a meter água. Há muito mar pela frente e é preciso acreditar e não perder uma linha do horizonte chamada manutenção. O Diogo Cão tem mais seis pontos que os fafenses, marca muito mas também tem uma defesa permeável. Concentração defensiva e acutilância no ataque podem ter um bom resultado para os fafenses.

Ases de S. Jorge – Jogos para 19/20 de Dezembro

.
JOGOS DE ACERTO DE CALÉNDÁRIO

SÁBADO DIA 19

Juvenis

Tabuadelo – Ases - 15.00 horas


DOMINGO DIA 20

Escolas Federadas

Craques – Ases - 9.30 horas


Infantis Serie J

Ases – Craques - 10.00 horas


Iniciados

Bairro – Ases - 10.00 horas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Campeonato de Futebol Popular de Fafe – Resultados

.
JORNADA 8

Regadas, 1 – Amigos de Quinchães, 1

Ribeiros, 3 – Fareja, 2

Armil, 0 – Aboim, 2

S. Clemente, 0 – Marinhão, 1 *

Pardelhas, 4 – Serafão, 1

* Este resultado aguarda decisão da AFPF pelo que não está homologado

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Futsal - AF Braga: Pousadense, 2 - Nun’Álvares, 4


Mário deixou-os pousar e bisou

O Grupo Nun'Álvares deslocou-se na noite de segunda feira a Terras de Vermoim, para disputar o jogo desta 11ª jornada contra o Pousadense, equipa que tinha eliminado a equipa fafense da Taça AF Braga. Esta equipa famalicense tem vindo a subir de rendimento, causando alguns dissabores a equipas menos precavidas.
Apesar de se apresentar apenas com 10 elementos, os nunalvaristas tentaram e conseguiram impor o seu estilo, mediante um jogo com garra e muita concentração. Não permitiam que o Pousadense se aproximasse da sua baliza e iam conseguindo algumas boas oportunidades, como aquele remate de César ao poste. O jogo ia decorrendo nesta toada morna, até que numa bola recuperada no meio campo contrário, César pôs a bola no segundo poste onde apareceu Paulo a encostar para o golo, quando faltavam cerca de três minutos para o final. Tentou a equipa da casa ir para cima dos pupilos de Nelo Barros, mas estes não estavam pelos ajustes e Mário com uma arrancada do seu meio campo, bateu dois adversários em corrida e de ângulo um pouco reduzido rematou para o segundo golo. Foi uma bela acção de Mário, que assim tranquilizou mais a equipa forasteira.
A segunda parte iniciou-se com uma certa pressão do Pousadense, tentando empurrar a equipa do Nun'Álvares para a zona da sua área, mas sem o conseguir porque a equipa nunalvarista estava muito concentrada no que era preciso fazer. E numa acção ofensiva, João Nuno conseguiu colocar a bola à entrada da área onde apareceu César em luta contra o guardião e um defesa contrário, acabando por ganhar o ressalto e fazer o 3-0.
Estava ainda mais tranquila a equipa de Nelo Barros, que no entanto, viu o Pousadense reduzir para 1-3, quando ainda faltavam cerca de oito minutos para o final.
Mas o dia era do Nun'Álvares e numa reposição de canto, César colocou a bola ao segundo poste onde Mário só teve de empurrar a bola para o fundo da baliza.
Com 4-1 no placard, os fafenses controlaram o jogo até 30 segundos do final, altura em que um dos árbitros borrou a pintura ao não assinalar uma falta escandalosa sobre César e depois de este reclamar, lhe ter mostrado o cartão vermelho. Com menos um elemento em campo, o Nun'Álvares viria a sofrer o segundo golo a três décimos de segundo do final.
Grande jogo da equipa fafense que soube muito bem controlar o adversário.

O NUN'ÁLVARES, ALINHOU COM: Cunha; Hugo, Bruno, César e João Nuno. JOGARAM TAMBÉM: Mário, Pisco, Paulo e Talocha. TREINADOR, Nelo Barros.
.