.

.
.

domingo, 31 de maio de 2009

Meias-finais da Taça AF Braga: Águias da Graça, 2 - GD Silvares, 2 (5-4 g. p.)

Texto e fotos: João Carlos Lopes e Tiago João Lopes

Pesadelo das grandes penalidades estragou
um sonho que chegou a ser uma realidade

Silvares foi grande e caiu de pé


O Silvares foi afastado da final da Taça Associação de Futebol de Braga, cento e vinte minutos e catorze grandes penalidades depois do início do jogo que deu a vitória à equipa do Águias da Graça. Pelo que fez nesta partida e pela época que protagonizou, o Silvares merecia estar no Estádio D. Afonso Henriques no próximo dia 10 de Junho. Porém, o Águias da Graça, foi mais feliz e, sem que tenha feito muito para isso, acaba por marcar presença nesse mítico jogo eliminando, pelo caminho, Arões, Pica e Silvares nas grandes penalidades. Ainda assim, o Silvares pode-se queixar de si próprio, pois, quando estava a vencer, a dez minutos de terminar o prolongamento, marcou um golo na própria baliza e, depois, falhou três grandes penalidades. Contudo, os seus jogadores estão de parabéns pela forma digna como lutaram e pelo bom futebol que praticaram. O Silvares foi grande e caiu de pé. Só lhe faltou a estrelinha que iluminou o Águias da Graça.
A equipa comandada por Carlos Salgado mostrou
um futebol mais elaborado que o Águias da Graça, cujo sistema de jogo era aproveitar o bom e colocado pontapé de Lixa para meter a bola na área onde tinha como referência o gigante Gama. Enquanto os silvarenses jogavam um futebol de pé para pé, os bracarenses usavam e abusavam dos passes em profundidade. Diga-se, em abono da verdade, que a pressão alta do Silvares também assim obrigava.
Aos 21 minutos de jogo, Marinho preparava-se para fuzilar Rui mas Fernando, capitão do Silvares que personifica a raça da equipa, apareceu a oferecer o corpo às balas numa atitude empolgante de vontade e querer. Aos 24, Brandão, solicitou Dany mas a bola acabou nos pés de Pandilha que atirou ao lado.
O primeiro golo do jogo surgiu aos 28 minutos. Lixa marcou um livre na ala esquerda, com a bola a fugir aos defesas e a encontrar a cabeça de Gama, com o remate deste a sair colocado e fulminante.
Seguiu-se um curto período em que os homens da Graça, mercê da tranquilidade do golo obtido, praticaram um futebol mais apoiado. Porém, o Silvares nunca baixou os braços e, aos 35 minutos, Brandão preparava-se para furar a defesa das Águias e quando foi derrubado perto da área. Do livre nada resultaria.
A perder, o Silvares tomou conta do jogo na segunda parte e empurrou o adversário para a sua defesa. Porém, os contra-ataques do Águias da Graça iam fazendo mossa. Foi assim aos 64 minutos, quando Rui Abreu apareceu isolado à frente de Rui mas este defendeu o remate. Dois minutos depois, o mesmo jogador e Gama estiveram, novamente, perto de marcar. Os bracarenses, criavam, essencialmente, perigo, nas bolas paradas.
Quando o Silvares já jogava com uma frente de ataque alargada, chegou ao golo do empate. Decorria o minuto 80, quando Brandão colocou a bola ao segundo poste, onde Celso dividiu o lance com o guarda-redes Nuno Rocha e a bola sobrou para Mário Bi, que não se fez rogado e rematou para o empate.
Sobre os noventa minutos, o Silvares podia ter acabado com o jogo. Boa iniciativa de Gomes que solicitou bem Feirinha mas este preferiu o passe para Celso tendo terminado a jogada de forma prematura, por intervenção de um defesa da Graça.
No prolongamento, o Silvares marcou aos 105 minutos, novamente por Mário Bi, depois de cruzamento p
erfeito de Feirinha. A equipa de Carlos Salgado passou a controlar o jogo o que fez até aos cinco minutos da segunda parte do prolongamento. Aí, a sorte não estava mesmo do lado do Silvares, pois, Celso, na sequência de um livre do Águias da Graça marcou, de cabeça, mas na própria baliza. Foi um balde de água fria para uma equipa que estava a ser superior que a outra que pertencia ao escalão mais acima.
Quase a terminar o prolongamento, Rui ainda teve uma intervenção com os pés a negar o golo a Ricardo Cruz.
Na lotaria das grandes penalidades, o Silvares voltou a não ter a sorte do seu lado. Falhou o primeiro e o quinto penalti, com um remate por cima e outro por defesa de Nuno Rocha. O Águias falhou o terceiro e quintos remates da marca de grande penalidade. Em ambos, Rui efectuou duas boas defesas.
Na segunda série de penaltis, o Silvares marcou o primeiro e falhou o segundo, por mais uma defesa de Nuno Rocha. O Águias da Graça marcou os dois, cabendo a responsabilidade a Adriano de colocar a equipa na final da Taça.

Em jogo realizado no Complexo Desportivo Dona Maria Teresa, em S. Martinho de Sande, Guimarães, sob a orientação do árbitro Manuel Fernandes, auxiliado por João Paulo Silva e Hugo Miguel Silva, as equipas apresentaram:

ÁGUIAS DA GRAÇA: Nuno Rocha; Ruizinho, Balakov, Fábio e Agostinho; Barbosa Adriano, 90’), Lixa e Pedro (Ricardo Cruz, 98’); Gama, Marinho e Nuno (Rui Abreu, 56’). Treinador, Jorge Macedo.

SILVARES: Rui; Jorginho (Feirinha, 73’), Antero, Fernando e S. Martinho; Nelinho (Celso, 52’), Pandilha e Barbosa (Mário Bi, 70’); Dany, Jorge Brandão e Gomes. Treinador, Carlos Salgado.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Barbosa (AG), 35’; Antero, 37’; Dany, 41’; S. Martinho, 45’, Ruizinho, 62’; Pedro, 76’; Nuno Rocha, 106’ e Fernando, 118’.

MARCADORES: Gama, 28’; Mário Bi, 80’ e 105’ e Celso, 110 (própria baliza).

Futsal: Fase final – AF Braga: André Soares, 8 - Nun’Álvares, 2

Evitar lesões e castigos era a prioridade,

para jogar a final da Taça com mais força


Terminou o campeonato distrital da 1ª divisão da A. F. Braga e a equipa do Grupo Nun'Álvares, apesar de todos os contratempos terminou no 3º lugar, num universo de 21 equipas.
Temos a sensação que se não fossem os condicionalismos que apareceram nesta fase final, a equipa de Nelo Barros tinha muitas hipóteses de se sagrar campeã distrital. Não foi possível e há que dar os parabéns à equipa do Guimarães Futsal, que acabou por se tornar a campeã e assim teve o acesso à subida para a 3ª divisão nacional.
No último jogo a equipa do Grupo foi até Braga jogar com o André Soares e sofreu mais uma goleada (8-2), principalmente por se ter apresentado muito desfalcada.
Mas este é um resultado totalmente falso, pois os nunalvaristas dispuseram das melhores oportunidades de golo que se foram desperdiçando umas atrás das outras. Numa tarde em que o pavilhão mais parecia uma sauna e com uma equipa debilitada numericamente, não se estranhou que os números fossem muito concludentes. Este jogo tinha como principais objectivos: Não sofrer lesões e evitar as expulsões.
Estes objectivos foram cumpridos, pois no próximo fim-de-semana, esta equipa irá disputar a final da Taça da AF Braga, pelas 17 horas, no Pavilhão Municipal de Vizela, contra a equipa do Pousadense. Este tornou-se no principal objectivo da época, dado que os últimos jogos do campeonato foram para cumprir calendãrio.

O NUN'ÁLVARES ALINHOU COM: Carlitos; Hugo, Mário, Banana e Paulo.
JOGARAM AINDA: Tosé, Nelo e Rui.

sábado, 30 de maio de 2009

2.ª Edição Torneio Juvenil Cidade de Fafe

Texto e fotos: João Carlos Lopes e Tiago João Lopes



AD Fafe, 4 – Vasco da Gama, 1
.
.
Ases S. Jorge, 1 – GD Golães, 3






.
- Falta apurar um finalista

Está a decorrer no campo do Vasco da Gama de Medelo a segunda edição do Torneio Juvenil, Cidade de Fafe, no qual estão envolvidas as equipas da AD Fafe, Desportivo Ases de S. Jorge, Grupo Desportivo de Golães e o próprio Grupo Desportivo Vasco da Gama.
Na primeira jornada defrontaram-se a AD Fafe e o Ases de S. Jorge, com a equipa fafense a vencer por 5-1. No outro jogo desta ronda, o Vasco da gama venceu o Golães por 3-1.
No dia de hoje, Sábado, decorreu a segunda jornada, com o Fafe a vencer o Vasco da gama por 4-1 e o Golães a bater o Ases de S. Jorge por 3-1.
A final deste torneio está marcada para a tarde do dia 13 de Junho e será realizada no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe, pelas 17 horas. Antes, pelas 15:30 joga-se para o terceiro e quarto lugares. A AD Fafe, mercê das duas vitórias alcançadas, já tem presença marcada para a final, faltando apurar o outro finalista que será o segundo classificado. Vasco da Gama e Golães são os candidatos a finalistas, sendo certo que, no confronto directo, os medelenses têm vantagem pois venceram os golanenses na primeira jornada por 3-1.
A terceira jornada deste torneio realiza-se no próximo fim-de-semana, no Campo do Vasco da Gama e com jogos a realizar pelas 15:15 e 17:15, sensivelmente. Nessa jornada, o Golães defrontará os fafenses e o Vasco da Gama mede forças com o Ases de S. Jorge.
De referir que os jogos têm quarenta minutos em cada parte e que, face ao muito calor que se faz sentir, foi acordado que a meio de cada parte o jogo pára para que os jogadores possam beber água.

RESULTADOS

1.ª JORNADA
AD Fafe, 5 – Ases de S. Jorge, 1
Vasco da Gama, 3 - GD Golães, 1
.
2.ª JORNADA
AD Fafe, 4 – Vasco da Gama, 1
Ases de S. Jorge, 1 - GD Golães, 3
.
3.ª JORNADA – 6/01/2009
GD Golães - AD Fafe
Vasco da Gama - Ases de S. Jorge

Futebol - 3.ª Divisão Nacional: Bragança, 1 - Fafe, 1




Árbitros amordaçaram o Fafe


- Presidente Albino Salgado, indignado,

queria que a equipa abandonasse o jogo



O Fafe foi a Bragança empatar a uma bola numa partida em que os fafenses foram autenticamente amordaçados pela equipa de arbitragem que pareceia estar encomendada, não pelo próprio Bragança, mas por outros que acabram beneficiados com este resultado. Na verdade, o matematicamente possível deixou de o ser porque, nesta jornada, tanto o Merelinense como o Vieira garantiram a subida de divisão. O certo, é que se o Fafe, ou mesmo o Bragança vencessem, o Vieira teria obrigatoriamente de vencer o último jogo, depois do empate desta jornada, a duas bola, no terreno do Limianos e no último jogo recebe o Merelinense. Assim está tudo decidido.
As razões de queixa da arbitragem, nesta partida realizada em Trás-os-Montes são tantas que até o presidente Albino Salgado queria que a equipa abandonasse o terreno de jogo, valendo na circunstância os apelos do treinador que o terá chamado o presidente à atenção para as consequências de um acto como esse. A revolta não podia ter sido maior e até os brigantinos concordavam que o árbitro da partida e seus pares estavam ali apenas para complicar e não para fazer um trabalho isento e profissional. Não faltou quem apelidasse esta actuação de “roubo do século”.
Os fafenses batalharam em vão pois foram sistematicamente manietados para não chegarem à baliza contrária. Assim, as faltas sofidas pelos jogadores do Fafe era inexistentes para quem tinha a missão de as avaliar. Ainda no primeiro tempo ficou uma grande penalidade por assinalar a favor dos fafenses. Esse foi um dos muitos erros cometidos, aparentemente, propositadamente pelo trio de arbitragem.
Para desespero dos fafenses o juiz da partida haveria de assinalar uma falta de grande penalidade congtra o Fafe, a cerca de dez minutos do termo da partida, situação que o Bragança aproveitou para se colocar em vantagem. Porém, num dos raros lances em que o árbitro assinalou uma falta a favor dos fafenses, Cerdeira, de livre directo repôs a igualdade na partida, dois minutos depois do Fafe estar a perder.
Nos cinco minutos de compensação que foram acrescidos ao jogo, tanto uma como outra equipa fizeram tudo por tudo para chegar á vitória e tentar adiar a decisão de um dos lugares de subida para a última jornada. Ambas estiveram perto de marcar mas quis a sorte que o jogo terminasse com uma igualdade.
De salientar a boa exibição do central Tiago nesta partida e ainda de mais uma oportunidade dada a um jogador dos juniores, Mike.
Falta um jogo para terminar a temporada e, depois, é tempo de preparar atempadamente a próxima época para que nada falhe e não sejam cometidos os erros que se verificaram nesta temporada. O Fafe merece muito mais que a Terceira Divisão e não pode ficar muito tempo neste escalão, sob pena de ser absorvido por e perder o respeito conseguido ao longo de uma vida no futebol português.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Andebol – Jogos

.
Seniores Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

Alavarium - AC Fafe


Juniores Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

AC Fafe - Ginásio do Sul »» Domingo, 17H30


Juvenis A - Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

AC Fafe - Espinho »» Domingo, 15H30


Juvenis B Masculinos - Nacional da 2.ª Divisão

AC Fafe B – ABC »» Sábado, 17H00


Iniciados Masculinos

AC Fafe – Alavarium »» Sábado, 15H00

Meias finais da Taça AF Braga: Águias da Graça - GD Silvares

.
Domingo, pelas 16 horas, no Complexo Desportivo
Dona Maria Teresa em S. Martinho de Sande


Vamos todos apoiar o Silvares!

O Silvares vai defrontar o Águias da Graça, em campo neutro, em jogo a contar para as meias-finais da Taça AF de Braga, onde os fafenses se encontram com todo e merecido mérito. O jogo realiza-se no próximo Domingo, pelas 16 horas, no Complexo Desportivo D. Maria Teresa, Em S. Martinho de Sande, Guimarães, vulgarmente conhecido pelo campo do Sandinenses.
Depois de chegarem a este patamar, a equipa fafense vai lutar, como aliás é seu timbre, para conquistar um lugar na final desta emblemática prova, a disputar no dia 10 de Junho no estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.
Depois da brilhante carreira que a equipa orientada por Carlos Salgado fez no Campeonato Distrital da 1.ª Divisão onde foi campeão de série e conquistou um lugar na Divisão de Honra na próxima temporada, os silvarenses vão querer terminar a época de forma memorável.
A equipa é bem orientada e composta por jogadores muito experientes no Futebol Distrital que não ficam nada a dever aos jogadores orientados pelo ex-atleta da AD Fafe, Jorge Guimarães. Pelos jogos que vimos do Águias da Graça, é uma equipa perfeitamente ao alcance do Silvares, ainda que sejam de escalões diferentes.
Todos os fafenses em geral deviam apoiar esta equipa do Silvares que, em condições adversas conseguiu aquilo que outras equipas com mais poderio e melhor organização não alcançaram.
O mérito vai inteirinho para a equipa técnica e para os briosos jogadores que conseguiram fazer da adversidade a energia positiva que já os levou à glória e ainda os pode levar mais longe. Uma presença na final da Taça seria um prémio mais que merecido para quem tanto lutou e se sacrificou em nome do clube.
A AF de Braga estipulou o preço do bilhete em cinco euros.

VAMOS TODOS APOIAR O SILVARES!
ESTES JOGADORES MERECEM O NOSSO APOIO!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Futsal: Fase final – AF Braga: André Soares - Nun’Álvares

.
Despedida do campeonato a pensar na Taça


O Nun'Álvares desloca-se a Braga para jogar com a formação do André Soares a última jornada desta fase de subida. A equipa de Nelo Barros já não tem qualquer aspiração nesta temporada que não tentar conquistar a Taça AF de Braga para a qual está apurado para a final, depois de falhada a hipótese de subida de divisão.
A equipa fafense não foi feliz nos últimos e decisisvos jogos mas, isso não impede de lhe dar o devido mérito pela excepcional temporada que fez na fase regular e mesmo até determinada altura desta fase de subida. Lesões, Castigos e algumas decisões menos acertadas de quem dirige as partidas, acabaram por condicionar as aspirações do comjunto Nunalvarista que chegou a fazer jogos de grande classe e a mostrar credencias de grande qualidade pela forma como o seu técnico fazia a leitura dos jogos.

Futebol - 3.ª Divisão Nacional: Bragança - Fafe



Samu, Fábio Teixeira, Mike, e Marçal convocados
.
- Silvio, João Pedro, Mobil e Kita foram dispensados do Fafe
.
Seria muito bonito ver o último jogo
- com o Limianos - só com jogadores da terra

O Fafe viaja até Bragança com a convicção de que é quase impossível subir de divisão esta época. A confirmação disso está na dispensa, a duas jornadas do final da temporada, de quatro jogadores. Sílvio, João Pedro, Kita e Móbil cujos serviços foram dispensados. Não se vai criticar agora o trabalho dos jogadores só por os mesmos serem dispensados porque eles, mais que qualquer um de nós queriam triunfar. As coisas não correram bem e quando assim é a corda rói por qualquer lado, infelizmente para estes atletas roeu para o lado deles. Resta desejar que encontrem um bom clube que os acolha e agradecer o que de bom fizeram pela AD Fafe, porque seríamos hipócritas se atribuíssemos a estes quatro elementos as culpas pelo que se passou na temporada. De um modo geral, correu mal para todos os jogadores.
Neste Sábado a equipa desloca-se a Bragança, onde jogará pelas 17 horas. Com ela viajam também quatro jogadores da equipa júnior cuja época já terminou. Samú, Fábio Teixeira, Mike e o guarda-redes Marçal foram os escolhidos para fazer esta viagem a Trás-os-Montes.
Mike e Fábio Teixeira já tiveram a felicidade de jogar esta temporada pelos seniores. As suas prestações não defraudaram as expectativas e com mais rodagem e oportunidades, qualquer um destes jogadores poderá representar a AD Fafe com dignidade. O mesmo se diz do jovem Tiago que subiu esta temporada aos seniores. Nas vezes que jogou esteve sempre irrepreensível. Há muito sangue novo na AD Fafe com vontade de agarrar as oportunidades.
Aliás, seria muito bonito, uma vez que o Fafe já não tem esperanças e nem tem nada a ganhar nem a perder, de ver, na última jornada da temporada, um onze só de jogadores de Fafe. Seria como que um prémio para os sócios e para os próprios jogadores que fizeram a formação na AD Fafe. Anunciado devidamente, com certeza que chamaria muita gente ao estádio. Seria único, diferente e bonito. Fica aqui o desafio.

Campeonatos Distritais – Camadas Jovens – Resultados

.
Infantis – Série G

AD Fafe (folga nesta jornada)

Ases de S. Jorge – Brito




Infantis – Série H

AD Fafe (folga nesta jornada)

Amigos de Urgeses - Ases S. Jorge B

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Campeonato Nacional de Karate Shotokan 2009

Fotos: CB Fafe


Maria João Santos e
António Pedro Dantas
sagraram-se Campeões
Nacionais pelo CBF
.
.
O Centro Budo de Fafe, participou, no passado Sábado, 23 de Maio de 2009, no Campeonato Nacional de Karate Shotokan, que se realizou nas Caldas da Rainha, com oito atletas, em várias modalidades, mais precisamente em Kata Individual na categoria de Infantis A e Kumité Equipe Infantis A, com a presença dos atletas Maria João Santos e António Pedro Dantas, em Kata Equipe Infantis B, com a presença dos atletas, Maria Beatriz Santos, Orlando Filipe Freitas e José Miguel Costa, em Kata Individual Kadetes femininos, com a presença da atleta Ana Sofia Pires, em Kata Individual Juniores masculinos com a presença do atleta Tiago Rafael Moreira e Kumite juniores masculinos com a presença dos atletas, Tiago Rafael Moreira e Fábio André Freitas.
Os atletas do Centro Budo de Fafe, estão de parabéns pelos resultados obtidos, no Campeonato Nacional, uma vez que dos oito atletas que esta Associação apresentou, conseguiram trazer para o nosso concelho cinco medalhas, o que elevou o nome de Fafe ao mais alto nível, uma vez que conseguiu trazer para Fafe três medalhas de primeiro lugar o que equivale aos respectivos títulos de Campeões Nacionais e duas medalhas de terceiro lugar.
A atleta Maria João Santos, com somente oito anos de idade sagrou-se Campeã Nacional em duas modalidades diferentes, sendo em Kata Individual infantis A e Kumite Equipe Infantis A, o outro grande Campeão é o Atleta António Pedro Dantas que se sagrou Campeão Nacional em Kumité Equipe Infantis A, os atletas Ana Sofia Pires e Tiago Rafael Moreira, conseguiram dois brilhantes terceiros lugares nas respectivas modalidades em que participaram, sendo que o atleta Tiago Rafael Moreira, o conseguiu em Kata Individual Juniores masculinos.
Os restantes atletas, mesmo sem terem conseguido alcançar qualquer medalha, estiveram num bom nível nas suas participações, o que deixou a Associação Centro Budo de Fafe, muito orgulhosa dos seus atletas na totalidade.
Mais uma vez o Concelho de Fafe está ao mais alto nível no que respeita à prática do Karate Shotokan, uma vez que possui dois novos Campeões Nacionais, sendo certo que a Atleta Maria João Santos é Campeã em duas modalidades diferentes.
Encontram-se de parabéns todos os atletas desta recente Associação, assim como o seu responsável e treinador Sensei Armando Novais e sua direcção.
Uma palavra de reconhecimento a esta nova entidade desportiva, Centro Budo de Fafe, por representar de forma tão brilhante o desporto fafense em mais um Campeonato Nacional e elevar o nome do Concelho ao primeiro lugar do pódio, por três vezes.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Sorteio em benefício do ARÕES SPORT CLUBE

.
Prémios atribuídos pelos últimos quatro
algarismos da lotaria de 25 Maio de 2009


1º Prémio – 2629 ; 2º Prémio – 3844 ; 3º Prémio – 7563


A Direcção do Clube agradece a colaboração de todos os que cooperaram com o Arões S. C. e estiveram ligados directa ou indirectamente, na aquisição e venda de bilhetes (ou cadernetas).

A Direcção do Arões aproveita também para agradecer a todos os sócios, simpatizantes e patrocinadores, pelo empenho prestado em prol do clube, ao longo desta época desportiva 2008/2009.

O mais popular na sondagem do Montelongo Desportivo

Texto e foto (de arquivo): João Carlos Lopes e Tiago João Lopes



Tiago Novais persegue
o sonho desde menino


Na sondagem que o Montelongo Desportivo levou a cabo, recentemente, durante trinta e sete dias, sobre quem era considerado o melhor jogador da Associação Desportiva de Fafe, o jovem, de 19 anos - completa 20 no dia 24 de Junho -, Tiago Novais revelou-se o mais popular entre os cibernautas que seguem atentamente este blog-jornal.
Tiago Novais é um ex-júnior da AD Fafe que ascendeu este ano à equipa principal, mercê da excelente campanha realizada na época 2007/2008 às ordens de Ténio Tenev, tendo-se sagrado campeão distrital de Juniores que, por via disso, ascenderam à segunda divisão nacional.
O atleta conseguiu manter a actividade desportiva ao mesmo tempo que conseguia completar o 12.º ano de escolaridade o que, hoje em dia, em jovens que gostam muito de futebol não é fácil.
O central fafense que gosta de utilizar o número três e tem como ídolos de infância Aloísio e Jorge Costa, claro está que simpatiza com o Futebol Clube do Porto mas o seu Clube de coração chama-se Associação Desportiva de Fafe.
Apesar da sua juventude, Tiago, que utiliza mais o pé direito, não nega as origens e essas aconteceram no Santa Maria de Ribeiros com a tenra idade de sete anos.
Apesar da sua tenra idade o jogador já conheceu vários treinadores. No Santa Maria de Ribeiros foi treinado por José Maria que mais tarde o treinaria também no Grupo Cultural e Desportivo de Estorãos. Contactou, depois, com os conhecimentos de Luís Miguel e Paulinho nos Juvenis da AD Fafe e também com Miguel Paredes e Fernando Ferreira, na equipa júnior da AD Fafe, quando ainda era juvenil, por a época neste escalão ter terminado mais cedo. Seria treinado ainda nos dois anos que fez de júnior, também na AD Fafe, por Tenev e Ivo. Fez depois, já na presente temporada, a pré-época com a equipa técnica constituída por Carlitos, Agostinho e Professor Ricardo com quem ganhou o primeiro contacto com os seniores e disputou alguns jogos de preparação.
Com a substituição, na mesma equipa técnica, de Carlitos por Carlos Condeço, Tiago acabou por fazer a sua estreia oficial nos seniores.
Este atleta tem a cultura desportiva dos campeões que começou quando ainda jogava no futebol popular tendo-se sagrado campeão por duas vezes com as cores do Estorãos. Pelo mesmo clube ainda conquistou a Taça Dr. Antero e foi sempre um dos melhores marcadores da equipa. Disputou, também, no seu segundo ano de Juvenil e primeiro na AD Fafe, o campeonato Nacional, onde marcou o primeiro golo da primeira vitória fafense e terminou a época com três golos marcados. No primeiro ano de juniores a equipa de Tiago ficou em segundo lugar, muito perto da subida, tendo o central marcado cinco golos. No segundo ano de júnior uma das maiores alegrias que teve foi darem-lhe o prazer de ser capitão de equipa. Nesse ano sagrou-se campeão de série e distrital pela AD Fafe com a consequente subida ao nacional, tendo aumentado o número de golos marcados para sete.
O jovem jogador trabalhou muito para subir à equipa sénior, e agradece a Deus e às pessoas que acreditaram nele o facto de lhe terem concedido essa fantástica oportunidade. Esta época de 2008/2009 jogou por três vezes na equipa principal, mas como o campeonato ainda não terminou continua a trabalhar com a esperança de poder jogar mais. Para um primeiro ano já se pode considerar positivo, embora seja lógico que qualquer jogador ambicione jogar um pouco mais.
Tiago considera terem sido muito importantes os jogos que fez e estreou-se no campeonato com uma vitória frente ao Amares, considerando que aprendeu sempre mais de cada vez que jogou. Por isso se considera uma pessoa feliz por representar a AD Fafe onde sente que evoluiu e considera estar a ser uma experiência muito agradável, esperando continuar a merecer um lugar no plantel.
Como melhor recordação da sua carreira futebolística, Tiago coloca em primeiro lugar o facto de ter sido campeão de juniores e subir ao nacional da categoria na época de 2007/2008.
Já no que respeita à sua pior experiência elege a presente temporada, em que assistiu a uma grande injustiça que foi descerem a AD Fafe para a 3.ª Divisão quando na verdade o Fafe conquistou por direito próprio a permanência na 2ª Divisão.
Como objectivo a curto ou médio prazo o seu desejo é continuar na AD Fafe e sempre a subir de divisão.
Já na sua opinião sobre a formação da AD Fafe, considera que a mesma está muito evoluída e tem pessoas muito competentes, realçando que se notam os objectivos traçados pela Direcção, equipas técnicas e directores, e que o Fafe cada vez é mais conhecido nas camadas jovens e cada vez mais temido. Por outro lado, considera que há uma grande evolução e que em todos os escalões existem grandes jogadores e com potencial de um dia serem profissionais de futebol
Este é o jovem humilde que se revelou o mais popular na votação de Montelongo Desportivo e que deseja chegar o mais longe possível no futebol, estando certo que, para isso, tem muito trabalho pela frente mas que não desiste de alcançar esse sonho desde miúdo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

LEGIÃO ESTRANGEIRA


LIGA VITALIS - 30.ª jornada
- Boavista deu um tiro no pé e desceu


O BOAVISTA, de Bruno, perdeu em casa com o Sporting da Covilhã por 4-1 e acabou na 2.ª Divisão B. Sem o seu matador, João Tomás, de fora por castigo, a equipa do Bessa não conseguiu amealhar pela segunda vez no seu terreno os pontos necessários para garantir a manutenção. Já tinha perdido com o Gil Vicente na antepenúltima jornada e agora, no jogo que tudo decidia, não foi capaza de segugar o menino nas mãos, deixando-o cair. Em oito anos apenas o Boavista passa de Campeão Nacional no maior campeonato português ao terceiro escalão do mesmo futebol. Bruno, que esteve em campo mais noventa minutos, deve ter feito o último jogo pela equipa axadrezada. Agora só a secretaria pode devolver a equipa à Liga de Honra pois está por decidir o “caso” do Vizela e Gondomar.


O GONDOMAR, de Castro, acaompanha o Boavista na descida de divisão, ao empatar no terreno do Oliveirense a uma bola. O jogador fafense jogou a titular mas foi substituído aos 59 minutos. O Gondomar chegou a fazer acreditar que era possível fugir do pantanal em que se meteu à muito mas o tempo não foi bom conselheiro e a equipa acabou mesmo por cair onde não queria.


O GIL VICENTE, de Tiago André, perdeu no terreno do já campeão, Olhanense, por 1-0. Os gilistas já tinham garantido a manutenção e o Olhanense acabou por voltar a festejar o título perante os seus adeptos. Desta vez, Tiago, não fez parte do lote de convocados.


O AVES de Jorge Duarte e Henrique perdeu em casa com o Estoril por 2-1. A jogar de forma tranquila a equipa avense relaxou e os homens da Praia estenderam a toalha para conquistarem os três pontos. Nem Jorge Duarte nem Henrique fizeram parte do lote de convocados.


O VIZELA, de Sandro, acabou a época a vencer o que é um feito, numa época em que conquistou 16 empates. Sem pressão os jogadores corresponderam àquilo que lhes era pedido. Sandro cumpriu mais 90 minutos e despediu-se da época com um sorriso nos lábios.


CLASSIFICAÇÃO: 1.º Olhanense; 2.º Leiria; 3.º Santa Clara; 4.º Estoril; 5.º Feirense; 6.º Freamunde; 7.º Covilhã; 8.º Varzim; 9.º Gil Vicente; 10.ª Vizela; 11.º Aves; 12.º Beira-Mar; 13.º Portimonense; 14.º Oliveirense; 15.º Boavista; 16.º Gondomar.


III DIVISÃO: Série A – Subida
- Vieira mais perto da subida

VIEIRA SPORT CLUBE, de Óscar, Rambóia e Pablo, bateu o Bragança por 3-1 e praticamente garantiu a subida de divisão, precisando apenas ganhar um dos dois jogos que lhe falta disputar, podendo festejar já a subida no próximo jogo quando se deslocar ao terreno do Limianos.

O JOANE de Gil, Miguel Lemos, Jader e André, deslocou-se a Fafe onde perdeu por 2-1. A equipa do concelho de Famalicão entrou melhor no jogo e esteve a vencer por 1-0, com Gil a marcar e a não festejar na sua terra. Depois, duas expulsões consecutivas deitaram tudo por terra, apesar do Joane ter vendido muito cara a derrota e quase ter conseguido sair de Fafe com o empate, mesmo a jogar com nove.

Regionalona – Resultados



I DIVISÃO - SÉRIE B

Silvares campeão!

O SILVARES, de Carlos Salgado, ao terreno do Ases de Santa Eufémia jogar o último trunfo na perseguição ao título de campeão de série, vencendo por 3-2. Na verdade é que os “salgadinhos” conseguiram alcançar outro importante objectivo. Já escasseiam os adjectivos para classificar esta equipa que fez uma época simplesmente brilhante. Época essa que ainda não acabou porque a equipa está ainda nas meias-finais da Taça AF de Braga.

O ANTIME, de Domingos Freitas, venceu a sempre difícil formação do Pedralva, por 2-0 mas não se livrou da descida de divisão. Se a época tivesse corrido como nos últimos quatro jogos, certamente que não descia de divisão. Porém, o futebol é assim mesmo e os jogadores só começaram a ganhar confiança quando a época se aproximava do fim. A descida é um facto consumado e agora à que pensar na próxima época.

O FERMILENSE de Luís Carlos, venceu no campo do Santo Estêvão por 3-1 mas também desce de divisão pois terminou em igualdade pontual com o Tabuadelo mas esta equipa ganhou no confronto directo apenas por um golo, uma vez que havia vencido em casa por 2-0 e perdido em Fermil apenas por 1-0. É em coisas como esta que se pode utilizar o termo “morrer na praia”.


O PONTE, de Paulinho, foi a casa do Polvoreira vencer por 1-0. Foi uma despedida em alto do presente campeonato que deverá valer a continuidade do técnico fafense à frente dos destinos da equipa vimaranense. Como já se disse aqui, o Ponte chegou a ameaçar os primeiros lugares depois de uma recuperação sensacional, porém, depois surgiram os impoderantes do futebol que desviaram a equipa dessa trajecto.


II DIVISÃO - SÉRIE D
.
- Agrupamento deixou fugir o pássaro
.
O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, recebeu o Vitória de Brito e venceu por 2-1. Foi importante para os fafenses terminarem a época com uma vitória pois a última imagem é a que fica. Embora um dos objectivos da época tivesse sido alcançado há muito, o outro, o de campeão de série acabou por não se concretizar.

O FORNELOS de Carlos Careca, foi ao campo do Mosteiro e parece que entrou nas rezas do adversário pois saíram os dois do campo com um empate a zero bolas. Faltou mesmo um matador ao Fornelos para ter feito uma época sensacional, mesmo assim, louva-se o bom trabalho desenvolvido e os frutos obtidos e a forma como Carlos Careca motiva os seus jogadores para a “luta” dentro de campo.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, acusou a responsabilidade de ter de vencer e baqueou, em casa, frente o S. Romão por 2-1. Nada fazia prever este desfecho para os fafenses que tinha a faca e o queijo na mão para segurarem o terceiro lugar. Foi uma desilusão para todos os fafenses que assim não tenha acontecido depois da espectacular recuperação que a equipa fez no campeonato, sobretudo ao leme de Marcelo Fernandes.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Ceiras, perdeu no campo do líder, Guilhofrei, por 3-0. Frente ao adversário que foi, a equipa fafense recusou-se a ser o bombo da festa e o resultado não desprestigia os de Moreira de Rei que tinha objectivos bem diferentes que os do Concelho de Vieira do Minho. Se Ceiras continuar á frente da equipa certamente que sabe do que precisa para fazer melhor.

Campeonatos Distritais - Camadas Jovens - Resultados

.
Juvenis I Divisão – Apuramento do Campeão

Gil Vicente A, 0 - AD Fafe, 1 (após prolongamento)


Infantis – Série G

AD Fafe, 0 – Pencelo, 4

Barco, 2 - Ases de S. Jorge, 0


Infantis – Série H

AD Fafe, 6 – Fair Play, 3

Ases S. Jorge B, 9 – Moreirense, 1

2.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Mosteiro, 0 – Fornelos, 0


- Fornelos prepara digressão a França


Marçal garantiu o nulo

Numa tarde quente e abafada em Mosteiro os hoemns de Carlos Careca não foram além do empate a zero bolas. Nem uma nem outra equipa tinham nada a perder pois o campeonato estava feito para ambas, mesmo assim, nenhuma queria sair derrotada. A equipa fafense com muitas baixas importantes como, Kikas por castigo, Mika, Zézito e Pinto por lesão, que embora não pudessem dar o seu contributo dentro das quatro linhas o fizeram da parte de fora ao deslocarem-se até ao Ermal para apoiar a sua equipa, Mesmo em final de época, nota-se que a equipa continua unida.
Mesmo com tantas adversidades os fafenses eentraram bem no jogo a tentar chegar ao golo por intermédio de Nuno que esteve incansávél, mas o remate feito pelo mesmo saiu à figura do guardião da casa. Mais uma vez se verificou a falta de um matador.
A equipa de Mosteiro cresceu minuto após minuto e notava-se que poderia chegar ao golo a qualquer momento, mas Marçal esteve mais uma vez muito bem a defender tudo o que havia para defender e, diga-se, em abono da verdade que, caso assim não fosse, o Fornelos sairia derrotado deste jogo.
Na parte final do jogo, o Fornelos, por intermédio de Leonel e André, poderia ter chegado ao golo mas tal não aconteceuAgora, enquanto outras equipas partem para o merecido descanso, o Fornelos continua a treinar, para o Torneio que vai realizar em França. Bertinho e Marçal, por motivos profissionais e o "capitão" Pinto por lesão não viajam com a equipa.

2.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Guilhofrei, 3 – União Moreirense, 0



O futuro começa hoje

O União Moreirense perdeu por 3-0, no último jogo do campeonato realizado na casa do campeão de série, Guilhofrei.
A equipa de Ceiras acaba um ciclo para repensar noutro. Sabe-se as limitações do União Moreirense, bem como as de muitos clubes de Fafe mas, por vezes as fornadas são melhores que outras e os de Moreira de rei só têm que acreditar que a fornada do próximo ano pode fazer um pouco melhor que esta. Já é uma vitória manter uma equipa a competir a nível distrital e proporcionar a pratica desportiva a muitos jovens.

domingo, 24 de maio de 2009

3.ª Div.Nac. – Fase de Subida: AD Fafe, 2 - GD Joane, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes e Tiago João Lopes



Exibição paupérrima



O Fafe exibiu-se de forma triste perante uma formação do Joane que se viu privada de duas unidades - Laureta e Roberto – logo aos 35 minutos de jogo. Entretanto a formação fafense também viu João Pedro ser expulso aos 76 minutos. A equipa de arbitragem contribuiu de forma negativa para o espectáculo, com erros em todas as direcções.
O Fafe teve uma ocasião de golo logo aos três minutos quando o remate de Fernandez saiu um pouco ao lado da baliza do Joane.
Aos poucos a formação joanense tomou conta da partida e começou a aparecer com frequência junto da área do Fafe, com Marquinho a dar muito trabalho na esquerda e Gil a fazer o mesmo na direita. Foi mesmo Gil que, aos 16 minutos, disparou uma bomba para Carneiro defender com muita dificuldade.
No minuto seguinte, concretizou-se a ameaça. Carlos cruzou ao segundo poste onde apareceu Gil a rematar de cabeça e a ter a felicidade da bola bater nas costas de um defesa fafense e entrar na baliza. O jogador, natural de Fafe, não festejou o golo.
A grande oportunidade do Fafe surgiu aos 23 minutos, quando Armando rematou à queima para ver Sérgio negar-lhe o golo com uma grande defesa. Zézé ainda se fez ao lance mas a destempo.
Aos 34 minutos, surgiu o lance que viria a mudar o cariz do jogo. Zézé encaminhava-se para a baliza quando Laureta lhe terá tocado, ficando a dúvida se dentro ou fora da área. O árbitro assinalou grande penalidade, o jogador viu o cartão vermelho e, nos protestos, o capitão Roberto também foi expulso.
Quem não se desconcentrou com o lance foi Fernandes que se encarregou de marcar a grande penalidade, enviando um míssil à baliza para fazer o golo do empate.
Na segunda parte, o Fafe não teve inteligência para gerir a partida, com mais duas unidades. Jogou como se nada tivesse acontecido, com muitas bolas pelo ar, uma guarda de honra de quatro homens a Sócrates, que por acaso era de cor e não era o Primeiro-Ministro, mas que deu muito que fazer aos fafenses.
O Joane fechou muito bem no seu último terço e o Fafe não tinha soluções para encontrar o caminho da baliza. Além disso, tanto Marquinho como Sócrates não deixavam os fafenses em paz na sua retaguarda. Na equipa do Joane, Miguel Lemos viria a sair lesionado aos 64 minutos. O fafense estava a fez uma boa exibição nesta partida.
A falta de discernimento e a vontade de querer resolver tudo rápido, tolhia os movimentos dos fafenses que acumulavam erros nos passes finais.
Aos 80 minutos, uma desconcentração de Carneiro que quis fintar o seu homónimo do Joane quase provocava um escândalo.
Aos 84 minutos, o outro fafense do Joane, em campo, Gil, haveria de sair igualmente lesionado, ele que é o motor desta equipa e que esteve, mais uma vez ao seu melhor nível. Para o seu lugar entraria outro homem natural de Fafe, André Silva.
Os fafenses atingiram o golo da vitória aos 85 minutos, numa altura em que Armando acorreu a um cruzamento ao segundo poste, aproveitando alguma apatia do guarda redes Sérgio que não fez tudo que estava ao seu alcance, chegando mais alto com a cabeça que o guardião com as mãos, a bola ficou perdida e Cerdeira aproveitou para atirar para o fundo das malhas. Reclamaram os de Joane falta sobre Sérgio mas, na verdade, este esteve desastrado no lance.
Aos noventa minutos Daniel ainda levou algum susto à baliza fafense mas, a bola apenas farejou a baliza e saiu pelo lado do poste mais distante. O mesmo Daniel, rematou forte de fora da área, mas a bola saiu demasiado por cima da trave.
O Fafe acabou por ter sorte, numa das piores exibições que lhe vimos fazer esta temporada. Noutras alturas jogou muito melhor e acabou por empatar ou perder.

Em jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe, sob a orientação do árbitro Hugo Pinto (A. F. Aveiro), auxiliado por João Silva e Nelson Cardoso, as equipas apresentaram:

AD FAFE: Carneiro; Xavi, João Pedro, Armando Pinto; André, Cerdeira, Fernandes (Kita, 46’), João Nogueira (Móbil, 57’), Zézé (Fábio Teixeira, 64’), Armando e Ferrinho. Treinador, Carlos Condeço.

JOANE: Sérgio; Laureta, André Campos, Hugo, Roberto, Miguel Lemos (Carneiro, 64’), Daniel, Marquinho (Álvaro, 87’), Gil (André Silva, 85’), Carlos, Sócrates e Marquinho. Treinador, Paulo Rafael.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Amarelos: Daniel, 13’, André, 39’; Fernandes, 45’; João Pedro, 54’ e 76’; Cerdeira, 70’; Kita, 80 e Gil, 84’. Vermelhos: Laureta, 34’; Roberto, 35’ e João Pedro (AA), 76’.
MARCADORES: Gil, 17’; Fernandes, 36’ (g.p.) Cerdeira, 85’.

DIVISÃO DE HONRA - AF BRAGA: Arões, 2 – Esposende, 0




Raimundo bisou

O Arões não desperdiçou a oportunidade de vencer no último jogo da temporada e venceu o histórico Esposende por 2-0, com Raimundo a marcar os dois golos da partida.
Em jogo de portas abertas, o Arões voltou a marcar muito cedo, pois o primeiro golo ocorreu aos trinta segundos de jogo.
A formação orientada por Luís Gomes ampliou a vantagem aos 18 minutos novamente pelo jovem avançado.
Ao contrário do que se possa pensar foi uma partida animada em que Luís Gomes aproveitou para colocar em campo jogadores que tinham sido pouco utilizados na época.
A equipa do Esposende teve uma boa ocasião de golo mas, o veterano guarda-redes, Coelho, evitou com risco de lesão grave o tento dos forasteiros logo nos minutos iniciais da segunda parte. O Arões tem a certeza que vai estar na próxima temporada nesta exigente divisão em que termina a temporada na sétima posição com os mesmos pontos do sexto, precisamente o Esposende.

DIVISÃO DE HONRA - AF BRAGA: Pica, 4 – Forjães, 0




Vitória agridoce


O Pica venceu o Forjães por 4-0 no jogo que encerra a época 2008/2009, mas essa vitória poderá ser agridoce para a equipa orientada pelo catedrático técnico, António Valença.
Os golos dos fafenses foram da autoria de Álvaro, Ismael, Cristovão e Isarel e a vitória da Pica não merece qualquer contestação. O mesmo já não se pode dizer de quem organiza os campeonatos pois o Pica, que confirma dentro de campo a manutenção, deverá ter descido de divisão, pois as mexidas de cima para baixo acabam por afectar uma formação que lutou com dignidade para merecer estar neste escalão na próxima temporada.
Resta esperar que que desista alguma equipa dos campeonatos nacionais para que a justiça seja reposta por linhas travessas e a verdade desportiva venha ao de cima. De resto, foi um campeonato esforçado dos fafenses, que lutaram contra muitas contrariedades ao longo de toda a época mas acabaram nos lugares que, por direito próprio, lhe deviam ter assegurado a permanência. O futebol também é feito de injustiças e a confirmar-se a descida do Pica, é uma delas.

Miguel Paredes fala de mais um título Distrital para a AD Fafe

Texto e fotos: João Carlos Lopes

"É uma vitória que
significa tudo"


Miguel Paredes, técnico da AD Fafe que se sagrou Campeão Distrital de Juvenis é uma cara já muito conhecida a nível do Futebol Distrital, nomeadamente a nível de formação onde tem desenvolvido excelente trabalho, sempre com as cores da AD Fafe.
As suas equipas revelam-se sempre competitivas, fazendo despontar jogadores que parecem emergir do nada, aos quais transmite uma grande cultura táctica e técnica, não descurando o aspecto físico. Neste mesmo blog-jornal, ainda a época não tinha chegado a meio, já tínhamos dado conta do trabalho que estava a ser efectuado, pelas inúmeras vitórias consecutivas, sem sofrer golos, desta fabulosa equipa.
Esse profícuo trabalho prosseguiu de forma imaculada, com os fafenses a ganharem a dianteira e a perdê-la, uma única vez, à condição, devido a um jogo em atraso. De resto a época foi notável e, nos anais da história da AD Fafe, não há memória, recente, de feito tão notável a nível de Juvenis, com tão bons resultados.
Para o técnico fafense “esta vitória significa tudo”, depois de uma época de planeamento constante em que a Formação da AD Fafe saiu mais uma vez reforçada.
Miguel Paredes e esta equipa de Juvenis 2008/2009, são o exemplo vivo de que em Fafe se faz boa formação e se talham grandes jogadores.
Em resumo, o técnico fafense afirma que: “foi um ano, de facto, maravilhoso. Em primeiro lugar gostaria de agradecer àqueles jogadores que jogam menos porque para quem joga mais é fácil comparecer nos treinos. Esta é uma vitória que significa tudo. Temos 33 jogos feitos, com 28 vitórias, quatro empates e apenas uma derrota pelo que esta foi uma época excepcional. Tenho que agradecer aos jogadores porque são eles que fazem com que esta felicidade aconteça. Esta talvez tenha sido a maior alegria que tive a nível de futebol. Já orientei, aqui nas camadas jovens da AD Fafe uma equipa que acabou por ser afastada, numa decisão idêntica a esta, nas grandes penalidades mas hoje tivemos a felicidade de vencer o que representa um prémio para todos nós, para os pais dos atletas e todas as pessoas que nos deram o seu apoio apoio ao longo da época. Quero ainda deixar uma palavra de conforto ao Gil Vicente porque sei quanto é ingrato subir apenas uma equipa nestes moldes. A sorte uma vez calha a uns e outra a outros e desta vez coube-nos a nós essa estrelinha e por isso estamos todos felizes”.
.
Miguel Paredes, fala ainda das condições que o Fafe tem e daquilo que poderia ser feito, como a recuperação das equipas “B”. “Apesar do Fafe apresentar ter grandes condições, a verdade é que possui campos relvados e não sintéticos o que nos cria muitas dificuldades em termos de disponibilidade de recintos para treinos. Na sequência disso, este ano tivemos que abolir as equipas “B” mas, a verdade é que esta era a equipa “B” do ano passado a qual se revelou ter sido o verdadeiro alicerce desta grande época. Seria importante a AD Fafe voltar a ter essas equipas “B”. Prevê-se uma época difícil para este escalão no Campeonato nacional, pois vão aparecer muitos jogadores novos uma vez que alguns dos que se sagraram campeões sobem aos Juniores. Ainda assim, vamos ficar com alguns desta equipa, como o autor do golo desta final, Serginho. Quem tiver que trabalhar com esta equipa vai, com certeza, fazê-lo bem, tanto aqui como em toda a formação do Fafe, porque este trabalho compensa, sendo isso mesmo que nos move, tal como a qualidade humana e futebolística dos jogadores que por aqui passam”.

Juniores – Nac. 2.ª Divisão - Manutenção: Atl. Valdevez, 3 - AD Fafe, 1


Para o ano há mais nacional
.
Os juniores fafenses despediram-se da época 2008/2009 com uma derrota por 3-1, no terreno do Atlético de Valdevez, tendo a equipa do Alto Minho garantido o primeiro lugar neste grupo de manutenção. Na próxima época fica a certeza das duas equipas se voltarem a encontrar no mesmo campeonato da 2.ª Divisão Nacional.
Foi uma época louvável dos fafenses que melhoraram gradualmente a sua prestação, ganhando a confiança necessária para discutir todos os resultados mesmo com as equipas que ficaram melhor posicionadas na fase regular. O técnico Tenev e seu adjunto Ivo fizeram um bom trabalho, tendo conseguido encontrar um onze base que lhe desse algumas garantias e, depois, haveria de ser condicionado pelas incidências normais do futebol, ou seja, as lesões e os castigos. Mesmo assim, foi meritório todo o esforço desenvolvido para manter esta formação no campeonato nacional. Ainda que não pareça, competir a um nível mais elevado, trás boas repercussões para as equipas seniores, pois os juniores que sobem acabam por levar uma rodagem mais puxada.

sábado, 23 de maio de 2009

1.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Santa Eufémia, 2 – Silvares, 3

.
Campeões de série com muita Honra e orgulho

O Silvares juntou a subida à divisão de Honra com o título de Campeão de Série ao vencer a equipa do Ases de Santa Eufémia por 3-2, beneficiando ao mesmo tempo da derrota por 2-1 do Cabeceirense no terreno do Celoricense.
A equipa de Carlos salgado voltou a entrar personalizada no jogo sem permitir erros mas, não lograria marcar qualquer golo antes do intervalo que recolheu as equipas nos balneários com um nulo no marcador. Para alimentar o sonho de ser campeão o Silvares tinha que fazer a sua parte, ou seja, vencer. Começou por marcar o primeiro golo por Dany e ampliou através de Jorge Brandão, Feirinha marcaria o terceiro golo dos silvarenses que começaram a poupar-se para o jogo das meias finais da Taça AF de Braga. Com isso e com o resultado um pouco volumoso, veio o relaxamento que permitiu aos locais recuperar no marcador para a diferença mínima. Porém o Silvares sairia vencedor e acabou por festejar um título que só vem engrandecer o trabalho da equipa e premiar o esforço e a dedicação de jogadores e equipa técnica. Foi o melhor Silvares das duas últimas décadas. Não atinge um patamar virgem porque o Silvares já andou na 1.ª Distrital quando esta dava acesso aos nacionais, ou seja o mesmo que proporciona a Divisão de Honra dos nossos tempos. Mas é de todos louvável a forma como os atletas transformaram as dificuldades em vitórias. São estas coisas que um dia vão contar aos seus filhos e aos seus netos. Bem se podem orgulhar do feito alcançado. Só é pena que nestes momentos de glória não tivessem muitos aficcionados para partilhar a alegria.

Juvenis – AF de Braga: Gil Vicente A, 0 – AD Fafe, 1 (após prolongamento)

Texto e fotos: João Carlos Lopes e Tiago João Lopes




- Mota acelerou e Serginho marcou o golo do título



Campeões da inteligência feitos de fibra "óptima"


Uma equipa fantástica, gloriosa e devota ao Clube




Cerca de quatro mil pessoas, com maior incidência para as afectas ao clube de Barcelos, presenciaram a vitória da AD Fafe, que valeu o título de Campeão Distrital de Juvenis e a consequente subida ao Campeonato Nacional, perante a equipa mais forte do Gil Vicente. O herói da tarde foi Serginho, ao apontar, de pé esquerdo, o único golo da partida, aos 103 minutos de jogo. O êxito foi festejado não só pelos Juvenis fafenses mas, também, por outros atletas do clube que se apresentaram equipados com as camisolas da AD Fafe e no final correram para o relvado para abraçar os colegas. Um momento sublime que foi acompanhado dos elogios e das palmas dos adeptos fafenses que regozijaram com o feito glorioso desta equipa fantástica que, em toda a época, perdeu uma única vez.
Apesar da considerável estatura da formação barcelense, os fafenses entraram na partida sem temerem o adversário e entregaram-se desde início á luta pelo resultado que lhes proporcionasse a alegria suprema.
Com a entrega que lhe é característica, os fafenses tomaram conta do jogo e conseguiam criar jogadas que lhes permitiam chegar com relativa facilidade à entrada da área gilista que, arrumava a casa como podia, impedindo os fafenses de progredirem dentro da grande área. Posto isso, os remates de fora da área eram a solução mais procurada. Num desses remates, aos 15 minutos, Marcelo obrigou o gilista Flávio a voar para ceder canto.
Apesar de ter as rédeas da partida, os fafenseso conseguiam materializar as suas investidas. Do outro lado, o Gil Vicente também não encontravam soluções para ultrapassar a bem organizada retaguarda fafense. Aliás, só em lances de bola parada chegavam á área do Fafe. A excepção foi a jogada ocorrida aos 34 minutos com o melhor jogador gilista e o mais incorformado, André, a rematar para Luís defender com os pés para canto.
Os fafenses haveriam de desperdiçar uma boa ocasião sobre os 40 minutos, quando hesitaram várias vezes numa situação em que poderiam ter feito o golo.
Na segunda parte o Gil Vicente apareceu muito melhor e fez aquilo que o Fafe tinha feito no primeiro tempo. Tomou conta do jogo e tentou empurrar os fafenses até à sua baliza.
Logo aos 43 minutos Luís teve dificuldade em defender um cruzamento de Dani. A equipa de Barcelos conquistou muitas faltas e bastantes cantos neste período. Na sequência de um desses cantos, aos 56 minutos, Rui Faria, bem posicionado viu o seu remate de cabeça sair por cima da trave. Nos dois minutos seguintes, foi Dani a chamar a si o protagonismo, sendo certo que num dos dois remates que fez, Luís teve de voar para lhe negar o golo.
Ao minuto 71, a sorte esteve do lado dos fafenses, quando Vítor, na sequência de mais um canto atirou ao poste.
O Fafe só reagiria nos últimos minutos da partida com João Miguel a atirar por cima e, depois, na sequência de um canto apontado por Castro quando a bola viajou com perigo pela área gilista.

O prolongamento obrigava os jogadores a esforço complementar e aí os gilistas mostraram-se mais esgotados, mesmo assim, tanto André, como Rui Magalhães e Luís, criaram lances de muito perigo para a baliza fafense. Antes, na sequência de um canto apontado por Castro, João Miguel deixou escapar a bola na hora “h”.
Aos 90 minutos, dez decorridos no prolongamento, André obrigou o fafense Luís a mais uma boa intervenção.
Na segunda parte do prolongamento os fafenses foram buscar o resto das suas forças porque não queriam morrer à beira da praia. Aos 96 minutos, o guarda-redes Flávio largou a bola mas Marcelo não estava a contar e acabou por atirar ao lado. Aos 100, João Miguel rematou com o pé esquerdo, o seu pior pé, acabando a bola por sair na direcção do guarda-redes. Aos 103 minutos Mota foi um autêntico tractor ao ganhar na raça uma bola perto do meio campo, aguentado os adversários até fazer a entrega a Serginho que não se fez de rogado e, com o pé esquerdo, de fora da área, atirou fora do alcance de Flávio, fazendo um grande e belo golo e escrevendo mais uma página brilhante na história da formação da AD Fafe.
Uma palavra ainda para a equipa técnica Miguel Paredes/Hilário, pela forma como sempre souberam motivar a equipa e pela excelente leitura de jogo que tiveram ao longo da época e, principalmente, nesta partida que valeu o título, sendo certo que o resultado é fruto de um trabalho minucioso e elaborado que muito enaltece e enobrece a formação do futebol fafense.

Em jogo realizado no Campo Cruz do Reguengo, em Vila Verde, sob a orientação do árbitro João Ricardo Silva, auxiliado por Nuno Eiras e José Barros as equipas apresentaram:

GIL VICENTE: Flávio; Riquinho, Vítor, Hugo e Stefan; Joca, André e Henrique, Dani (Pedro, 66’, Rui Faria e Vintena (Luís, 75’). Treinador, Sá Pereira.

AD FAFE: Luís; Miguel Alves (Pedro Mendes, 70’), Joni, Rui Rampa, Toka, João Vítor, Marcelo, Mota, Diogo Costa (Serginho, 81’), João Miguel e Zé Brochado (Castro, 54’). Treinador, Miguel Paredes.


ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartões Amarelos: Riquinnho, 2’; João Miguel, 69’; Henqrique, 78’; Vítor, 80’; Serginho, 103’ e Castro, 103’. Cartões Vermelhos: Jorge Miguel (suplente), 108’; Rui Faria (depois do jogo terminar).

MARCADORES: Serginho, 103’.

1.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Antime, 2 – Pedralva, 0

.
Um despertar extemporâneo


O Antime voltou a vencer, desta vez a incómoda formação do Pedrava por 2-0, com golos de Pedro e Hugo.
Pelo que se viu nos últimos jogos, afinal o Antime tinha equipa para se manter nesta divisão. Nem sempre as coisas correram bem e o Antime bem se pode queixar de lhe ter corrido mal muita coisa quase ao mesmo tempo, o que não lhe permitia apresentar a melhor equipa em cada jogo. É com amargo de boca que desce de divisão. Mas como já se disse aqui neste mesmo sítio, por vezes é precido dar um passo atrás para depois dar dois passos para a frente. Assim se espera do Antime cujo historial não se coaduna com a segunda divisão distrital, embora, seja essa a actual realidade. Foi um despertar extemporâneo. Louva-se ainda a coragem do treinador, Domingos Freitas, em assumir um barco que sabia não ser fácil levar a bom porto.

2.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Travassós, 2 – Vitória de Brito, 1

.
Adeus segunda, olá primeira


O Travassós cumpriu a última jornada do calendário da presente época com uma vitória caseira sobre o Vitória de Brito por 2-1.
A equipa fafense esteve a perder por uma bola a zero, valendo o golo de Quinzinho para repor a igualdade antes do intervalo.
No segundo tempo o Travassós, que na próxima época estará na primeira divisão, mostrou os galões e acabou por chegar à vitória num golo de belo recorte técnico, apontado por César Mendieta.
O único amargo de boca deste Travassós foi não ter chegado ao título de campeão de série, embora tenha atingido o primeiro objectivo, a subida. O técnico Fernando Ferreira soube gerir o calendário e recuperar a equipa, quando esta parecia não querer entrar nos carris.

2.ª DIVISÃO - AF BRAGA: Agrupamento, 1 – S. Romão, 2




Deixar fugir o pássaro já engaiolado


O Agrupamento de Santa Cristina tinha o pássaro já na gaiola quando o deixou fugir. Isto é, o terceiro lugar pareceia praticamente garantido, com a equipa a jogar em casa. Porém, os pupilos de Marcelo Fernandes acusaram a pressão de terem de ganhar este último jogo e acabaram a perder com o Águias de S. Romão por 2-1. Um final de época inglório para quem tinha feito uma recuprração de trás para a frente fantástica. Não vale a pena carpir as mágoas mas sim levantar a cabeça e orgulhar-se do bom trabalho desempenhado. Não é um jogo só que vai anular o bom trabalho desenvolvido.

Futsal: Fase final – AF Braga: Nun’Álvares, 3 – Gualtar, 10

.
Resultado irreal!
.
O Nun'Álvares recebeu a equipa do Gualtar e perdeu por uns concludentes 10-3, resultado que não espelha o que se passou na quadra de jogo, nem diz da valia das duas equipas.A equipa de Nelo Barros apresentou-se algo limitada, motivado pelas lesões, mas entrou bem no jogo consentindo a pressão dos bracarenses, mas saindo muito bem no contra-ataque, que ia originando boas situações de golo. E Hugo abriu o activo por volta dos cinco minutos quando o resultado já poderia ser outro. Numa falha de marcação o Gualtar chega ao empate para pouco depois o Nun'Álvares voltar à condição de vencedor num auto-golo de um defesa contrário que tentou interceptar um cruzamento-remate de Toni. Voltava a equipa fafense à mó de cima, mas pouco depois deu-se o caso do jogo, com o árbitro a mostrar vermelho directo a Toni, debilitando ainda mais a equipa nunalvarista. Neste intervalo de dois minutos com menos um elemento, o Gualtar conseguiu igualar a partida, mas este caso mexeu muito com a equipa da casa, que oscilou um pouco e ficou a perder por 2-3 ao intervalo.
A segunda parte começa com os pupilos de Nelo Barros muito bem encaixados na equipa contrária e nos primeiros quatro minutos dominou por completo o jogo, havendo umsó sentido de jogo e desperdiçando oportunidades atrás de oportunidades flagrantes de marcar. Na primeira investida do Gualtar ao campo contrário consegue elevar o marcador para 2-4. Com a dinâmíca que a equipa tinha neste momento, não se estranhou que os nunalvaristas conseguissem reduzir para 3-4 com um golo de Pisco. Mas o dia não era bom para os homens de Fafe, pois em duas ocasiões deixaram-se abater e o Gualtar passou o resultado para 3-6, sem saber bem como. A partir daqui foi o descalabro total com a equipa do grupo Nun'Álvares a sofrer golos atrás de golos sem conseguir reagir, pelo que não se estranhou o resultado final de 3-10.
Já não bastavam as lesões de alguns atletas para agora o Grupo se ver impedido (provavelmente) de utilizar Toni na final da Taça. Este é agora o principal objectivo da equipa e Nelo Barros espera poder contar com todos os elementos (à excepção de Pimenta) na final de Vizela, no próximo dia seis de Junho.
.
O NUN'ÁLVARES ALINHOU COM: Tozé; Hugo, Renato, César e Paulo. JOGARAM AINDA: Carlitos, Banana, Pisco, Toni e Mário.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Andebol – Jogos

.
Seniores Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

AC Fafe – Alavarium »» Sábado 18H30



Juniores Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

Fermentões - AC Fafe



Juvenis A - Masculinos - Nacional da 1.ª Divisão

Feirense - AC Fafe



Juvenis B Masculinos

Barrosas - AC Fafe B


Iniciados Masculinos

Penedono - AC Fafe



Infantis Masculinos


Moreirense - AC Fafe

quinta-feira, 21 de maio de 2009

JUVENIS – AF BRAGA – Apuramento do Campeão - Gil Vicente A – AD Fafe


- Sábado, pelas 16 horas, no Estádio Municipal de Vila Verde

Estes jovens merecem o apoio de todos nós!
Vamos dar força a esta sensacional equipa!


Os juvenis da AD Fafe vão disputar o título de campeões distritais de Futebol no próximo Sábado, pelas 16 horas, no Estádio Municipal de Vila Verde, onde defrontarão a equipa “A” do Gil Vicente.
Os jogadores, superiormente treinados por Miguel Paredes, fizeram uma época a todos os níveis espectacular mas, este jogo valerá igualmente a subida ao Campeonato Nacional.

A equipa ainda na semana passada demonstrou em Famalicão que prefere quebrar que torcer e foi com esse espírito que venceu essa partida, obtendo o golo da vitória no declinar da mesma.
Vamos canalizar todos os apoios para estes jovens e dar-lhes força para que consigam o objectivo principal que é a subida de divisão.

Não se esqueçam de levar as bandeiras e os cachecóis para gritar bem alto pela AD Fafe e moralizar estes jovens, que, pela sua abnegação ao clube e a entrega que colocam em campo merecem o apoio e o respeito de todos nós.

A sua força anímica chega a comover, porque eles sentem o emblema da AD Fafe como ninguém. Alguns deles rejeitaram convites de outros clubes porque têm o emblema do Fafe tatuado no coração. Estes rapazes são o verdadeiro exemplo a seguir nas camadas jovens da AD Fafe. São a imagem pura da entrega, da luta, da dedicação, do amor ao clube, da união, do querer e da persistência.


VAMOS TODOS APOIÁ-LOS! NÃO FALTES!

Futebol - 3.ª Divisão Nacional: AD Fafe - GD Joane

.
Matematicamente ainda é possível

O Fafe recebe o Joane no antepenúltimo jogo desta fase de subida de divisão. A distância pontual para as três equipas que estão na luta acesa pela subida não é, de todo, uma motivação para este jogo. Porém, as árvores morrem de pé e os fafenses têm que fazer o mesmo até ao fim da temporada. Não vá o diabo tecê-las e as difíceis conjugações de resultados permiterem que o Fafe ainda volte a entrar na corrida. Mais vale prevenir que remediar. O Merelinense é o líder com 37 pontos, o Vieira é o segundo com 36 e o Bragança, o quarto com 35, segue-se o Fafe com 31. Sucede que, na próxima jornada o Vieira recebe o Bragança e a seguir o Merelinense. O jogo mais difícil do Fafe é precisamente a deslocação a Bragança. Depois de muitas contas feitas, matematicamente ainda é possível a subida para o Fafe mas, para isso os astros têm que ter ascendente para os fafenses, coisa que até agora não sucedeu. Deixar de acreditar é morrer e enquanto há vida há esperança.
Fica aqui o calendário que resta para quem quiser fazer as contas.

JORNADA 8
Fafe - Joane
Merelinense - Limianos
Vieira - Bragança


JORNADA 9
Bragança - Fafe
Limianos - Vieira
Merelinense - Joane

JORNADA 9
Joane - Bragança
Vieira - Merelinense
Fafe - Limianos

Juniores – Nac. 2.ª Divisão - Manutenção: Atl. Valdevez - AD Fafe



Em busca do primeiro posto

Com a presença já garantida no Campeonato Nacional da 2.ª Divisão da próxima época, os Juniores da AD Fafe desloca-se aos Arcos de Valdevez para jogar com o Atltético local, em jogo que encerra a temporada 2008/2009 e referente ao grupo de manutenção. A equipa do Valdevez marcou poucos golos nesta fase mas também foi a que sofreu menos, sete marcados e seis sofridos. Enquanto Fafe marcou 12 e sofreu oito.
A equipa de Tenev desloca-se ao Alto Minho no primeiro lugar, com mais dois pontos que o adversário deste jogo e apenas mais um que o Chaves com os transmontanos a terem uma deslocação ao recinto do Taipas que ainda luta pela manutenção. Essa será a motivação que os fafenses precisam para encarar o desafio com toda a seriedade no sentido de consolidarem o primeiro lugar deste grupo de manutenção em que vão descer de escalão quatro equipas das oito que estavam na luta pela permanência. Mirandela, Vianense e Cerveira já estão condenados a descer aos respectivos distritais. Taipas e Abrambres lutam pelo lugar que resta. Um deles vai descer.

DIVISÃO DE HONRA – AF BRAGA

.
Arões – Esposende
- Entrada livre para todos


Para esta última jornada do campeonato Distrital Divisão de Honra da da A. F. Braga, o Arões recebe o Esposende, equipa que ocupa o quinto lugar com mais dois pontos que o Arões. Um ingrediente que poderá afastar o habitual fastio dos jogos de fional de época
Este jogo terá as portas abertas para quem queira assistir, independentemente de ser sócio ou não do Arões. Aliás, a equipa fafense repete aquilo que fez na última época com o Cabeceirense, cujo jogo teve entrada livre.

DIVISÃO DE HONRA – AF BRAGA



Pica - Forjães
- Picar o ponto

O Pica recebe o Forjães, penúltimo classificado, no último jogo da temporada. O 12.º lugar está garantido independentemente do resultado deste jogo. Falta esperar, agora, que as excepções às regras não retirem ao Pica aquilo que conseguiu dentro das quatro linhas, o direito a estar na Divisão de Honra da próxima época. Para este jogo, António Valença não vai querer desperdiçar a oportunidade de brindar os associados com uma vitória. O Forjães é uma das equipas que tem a descida de divisão garantida.

Regionalona – Jogos

.
I DIVISÃO - SÉRIE B

O SILVARES, de Carlos Salgado, joga o derradeiro jogo do campeonato no terreno do Ases de Santa Eufémia, actual nono classficado.Os fafenses que conquistaram com muito mérito a subida à Divisão de Honra ainda espreitam o primeiro lugar. Para que isso seja possível, têm de vencer o seu jogo e esperar que o Celoricense derrote o actual líder, Cabeceirense, num empolgante dérbi de terras de Basto.

O ANTIME, de Domingos Freitas, recebe o Pedralva na despedida do camepoanto e muito provavelmente desta divisão. Por vezes é preciso dar um apsso atrás para dar dois à frente. O Operário de Antime, depois da AD Fafe era o clube de preferência de qualquer jogador que via neste clube o patamar para dar o salto. Porém, o futebol deu muitas voltas e os “pagamentos” a jogadores vieram alterar essa ordem das coisas. Paga quem pode e quem não pode tenta fazer o que pode.

O FERMILENSE de Luís Carlos, desloca-se ao terreno do Santo Estêvão com a firme convicção de conquistar os três pontos para afastar qualquer dúvida em relação ao 12.º lugar da tabela classificativa. Mesmo assim, este lugar que, aparentemente lhe garante a manutenção, pode não chegar para isso. É que, pode haver mexidas de cima para baixo e o Fermilense poderá ser uma das vítimas das excepções às regras.


O PONTE, de Paulinho, desloca-se ao terreno do Polvoreira onde fará a despedidad deste campeonato no qual o treinador fafense apanhou já o comboio em andamento e ainda motivou a sua equipa para uma série de nove resultados positivos consecutivo, tendo chegado a estar perto dos lugares de subida. Contrariedades próprias do futebol, como as lesões, os castigos e os eventuais erros de arbitragem e alguma falta de sorte não permitiram fazer melhor. Com tempo para preparar as coisas à sua maneira, talvez Paulinho faça deste Ponte a passagem para a outra margem, como quem diz, para o patamar superior.


II DIVISÃO - SÉRIE D

O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, desloca-se ao terreno do Vitória de Brito para se despedir do campeonato e da segunda divisão. Para o ano a equipa fafense estará no lote de equipas que militam na primeira divisão. Para já ainda falta este jogo e a despedida com uma vitória seria terminar da melhor forma a temporada.

O FORNELOS de Carlos Careca, desloca-se ao campo do Mosteiro mas não vai contar com o contributo do seu goleador-mor, o central Nuno Pinto, que fracturou o perónio no jogo contra o Travassos. Também Zézito se encontra a braços com uma lesão. São baixas importantes mas o Fornelos luta sempre para ganhar e fez uma grande época, com todos os condicionalismos que são sobejamente conhecidos.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, joga cartada decisiva contra o S. Romão. Vencer é a palavra de ordem para que os fafenses possam garantir o terceiro lugar. A jogar em casa a equipa fafense não pode desperdiçar a oportunidade de garantir esta posição que lhe poderá dar acesso à1.ª Divisão. Não seria a primeira vez que o Agrupamento subia sem estar nos lugares de promoção.


O UNIÃO MOREIRENSE, de Ceiras, vai jogar ao terreno do primeiro classificado, Guilhofrei. A equipa fafense já não tem qualquer ambição e só quer acabar a época com tranquilidade. Já é uma vitória a equipa de Moreira de Rei competir a nível distrital. Ao longo dos últimos anos foram muitas as formações fafenses que abandonaram o futebol distrital e algumas delas com um passado interessante. Por isso se louva a coragem e o esforço dos moreirenses.