.

.
.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

LEGIÃO ESTRANGEIRA


LIGA SAGRES – Jornada 6

O VITÓRIA DE SETÚBAL, de Bruno Monteiro, perdeu em casa com o Paços de Ferreira por uma bola a zero e deu um passo atrás na recuperação que tinha feito quando venceu no terreno da Naval. O jogador fafense não jogou.


II LIGA – Jornada 5

O DESPORTIVO DAS AVES de Henrique e Jorge Duarte, empatou no terreno do Carregado a zero bolas. Jorge Duarte entrou na partida aos 80 minutos enquanto Henrique não jogou. Ao cabo de cinco jornadas os avenses ocupam o oitavo lugar com menos três pontos que os líderes.

O GIL VICENTE, de Tiago André e Sandro, empatou em casa com o Fátima a uma bola mas continua no topo da classificação com os mesmos pontos do segundo e terceiro classificados, Feirense e Portimonense. Sandro actuou até aos 83 minutos, enquanto Tiago André foi utilizado desde os 69 minutos até final da partida.


2.ª DIVISÃO B – 3.ª Jornada

O VIEIRA SC, de Óscar e Pablo, perdeu com um rival de fraca memória, o Vianense, por 2-0. A equipa de Pedro Rui perdeu dois jogos fora de portas e venceu um em casa. Irá manter esta bitola? Parece-nos que apesar de inexperiente neste escalão, o Vieira tem capacidade para fazer um bom campeonato. Óscar esteve em campo toda a partida e Pablo entrou aos 80 minutos.


O FC MOREIRENSE, de Castro, aplicou chapa cinco ao Lousada (5-0). Um resultado robusto para a equipa deste jogador fafense que actuou os noventa minutos do encontro. De resto este Moreirense ocupa os lugares do topo com menos um ponto que o líder, Ribeirão.



3.ª DIVISÃO – Série A - 3.ª Jornada

O MACEDO DE CAVALEIROS, de Eduardo, venceu a formação do Santa Maria por 2-0. Está a fazer um campeonato ao nível do que nos habituou na época passada. Ocupa o quarto lugar com seis pontos menos três que o também trasnmontano Mirandela que é o líder isolado.

O AMARES, de Ismael, cedeu pontos em casa, ao consentir um empate a uma bola com o Fão. Apesar disso mantém o terceiro lugar com sete pontos. Contudo, este empate não estava nas cogitações dos mais cépticos.

O MONTALEGRE, de Leonel e Ricardo Nogueira, empatou em casa com o MARIA DA FONTE, de Fredy. Para o Montalegre, à primeira vista, não parece ser um mau resultado. A equipa transmontana encontra-se na sétima posição com quatro pontos. Quanto ao Maria da Fonte o empate também não é mau, tendo em conta que a equipa se encontra no segundo lugar com sete pontos, menos dois que o líder.


3.ª DIVISÃO – Série B - 3.ª Jornada

O SERZEDELO, de Ricardo Morais, foi vencer ao terreno do Leça por 1-0. Um resultado que coloca a equipa vimaranense na segunda posição com seis pontos, exactamente os mesmos que o Fafe. A procissão ainda vai no adro e esta série promete muita surpresa e equilíbrio.

O JOANE, de Gil e Miguel Lemos empatou em casa com o REBORDOSA, de Paulo Freitas, a três bolas. Futebol, emoção e golos. Dizem que o verdadeiro futebol é isto mesmo. Pelo menos gritou-se golo por seis vezes. Por jogar em casa, o Joane perdeu dois pontos e o Rebordosa ganhou um. Ou não será assim? Só o futuro o dirá. Joane é líder com sete pontos e o Rebordosa oitavo, com quatro. Pelo que se vê e pela distância pontual, tudo ainda muito equilibrado.

Andebol: 1.ª Divisão: AC Fafe, 25 – Sporting , 35

Texto: Associação de Andebol de Braga
Foto: João Carlos Lopes

Um desfecho anunciado

O Fafe tarda a criar rupturas com o seu passado na 2ª Divisão, não desenvolveu ainda uma relação “amorosa” com a 1ª Divisão e, por isso, verte toda a sua dor a cada jogo que passa. No Sábado, viveu a sua terceira derrota consecutiva, que não sendo nada moralizadora, insere-se num contexto esperado, ainda que não desejado, tendo por referência a real valia e experiência de ambos os planteis.

Perdeu, mas esta derrota não implica nenhuma frustração. Lutou, esteve no jogo com dignidade. Não deu para mais? Paciência! Foi visível um distanciamento parcialmente incapacitante, ou se quisermos, uma mobilidade difícil, perante a ostentação do Sporting. Mas não era esse o prognóstico para este jogo?

Uma coisa é certa, não se pode apontar o dedo ao plantel por falta de empenho. Foi um Fafe corajoso, sem medo de se assumir, sem receio de expor as suas fragilidades, aquele que evoluiu no recinto do jogo. Em suma, uma equipa com dignidade!

Os pupilos do Prof. Óscar “deram luta” enquanto puderam, principalmente nos primeiros 30 minutos, período em que ombrearam com o seu adversário: 6-6, aos 15 minutos de jogo; 9-11, aos 20 minutos e 12-18, aos 30 minutos, espelham isso mesmo. O problema foi o segundo período: o descrédito apoderou-se da equipa e foi meio caminho andado para a derrota! Na constatação desta forma de estar, fica uma pequena crítica implícita ao grupo: perder por dez, ao contrário do que parece, não é o mesmo que perder por nove, oito, cinco, ou … o jogo constrói-se golo a golo, no fim logo se vê! Mas, enquanto jogarem com seriedade, tal como o fizeram no Sábado, os adeptos só podem dar-se por satisfeitos, pois, independentemente, dos resultados, a integridade é também um factor importante e essa esteve lá, do princípio ao fim do jogo.

Jogar neste campeonato implica ter a noção que o Fafe está ainda a terminar a infância. Está a reinventar-se para poder estar presente neste emaranhado dos “grandes”, com ambições. Contudo esta equipa é modesta, composta por atletas de valor, mas sem grande experiência nos palcos onde tudo se decide.

Ao contrário da concorrência, o Fafe foi descurando a formação, que era uma das suas principais fontes de alimentação no passado. Os jovens que estão a chegar aos seniores não arrastam consigo a experiência de quem viveu fases finais decisivas, ou jogos internacionais importantes. Nesta hora de prestar contas, estes pormenores fazem toda a diferença. A actual direcção já inverteu completamente a filosofia do passado e está empenhada em copiar os bons exemplos que existem no distrito. Só que isso leva tempo, muito tempo e, até lá, há que ter paciência e consciência, que devagar se vai ao longe!

Vamos com calma, acreditando todo o projecto em curso é já um ganho, independentemente dos resultados que a equipa Sénior venha a construir.

Pedestrianismo

Texto: Restauradores da Granja

“Todos os Caminhos Levam a Roma”

Ancede – Baião em 4 Outubro 2009


As Secções de Pedestrianismo dos Restauradores da Granja e da Associação Amigos do Rio Ovelha (AARO), dando continuidade à parceria iniciada no presente, convidam todos os amantes da natureza, das actividades ao ar livre, do património cultural, paisagístico e histórico, a participarem no próximo dia 4 de Outubro num percurso pedestre em Ancede – Baião.
O percurso intitulado “Todos os Caminhos Levam a Roma”, desenrola-se ao longo de 3Km num trilho romano em muito bom estado, desde a margem do rio Douro, junto a Mosteirô, até Ancede. Além do caminho romano, o percurso passará por locais ricos em vestígios da cultura castreja e culminará no Convento de Ancede onde se realizará uma visita guiada.
O percurso tem a duração aproximada de 2h30m e apresenta grau de dificuldade médio.
O local de concentração será às 09h00 na Estação de Comboios de Mosteirô, ou às 8h15 na Estação de Comboios do Marco de Canaveses, para quem pretender fazer a viagem de comboio.

PROGRAMA
08h15 – Encontro na Estação de Comboios de Marco de Canaveses
09h00 – Concentração na Estação de Comboios de Mosteirô
09h30 – Início da Caminhada
11h30 – Chegada ao Convento de Ancede (visita guiada)
13h00 – Convívio gastronómico

CONTACTOS PARA INSCRIÇÕES/INFORMAÇÕES:
Amigos do Rio Ovelha
E-mail: percursos@rioovelha.com / pedestrianismo.rioovelha@gmail.com
telemóvel: 918 608 499
Restauradores da Granja
E-mail: restauradoresdagranja@gmail.com
Telemóvel: 963 215 968 (Lobo)

PRÉ-INSCRIÇÕES ATÉ DIA 01 DE OUTUBRO,
ONDE DEVERÁ INDICAR:
- Nome
- Data de nascimento
- Localidade
- Contacto telefónico
- Nº da Carta de Montanheiro

TAXA DE INSCRIÇÃO:
- 3,00 Euros sócios (AARO/Restauradores da Granja)
- 6,00 Euros não sócios
- Até aos 16 anos é grátis

Nota: será assegurado transporte desde a Estação de Mosteirô até ao local de início da caminhada, bem como no regresso.

ORGANIZAÇÃO:
- Secção de Pedestrianismo da Associação Amigos do Rio Ovelha

PARCERIA:
- Restauradores da Granja – Secção de Pedestrianismo

Apoios_
- Junta de Freguesia de Ancede
- Jornal ‘A Verdade’
- Rádio Marcoense
- Jornal “Correio Fafe”
- Montelongo Desportivo - http://montelongodesportivo.blogspot.com/

domingo, 27 de setembro de 2009

Futsal - Taça AF Braga: Pousadense, 3 - Nun’Alvares, 1


Um Adeus prematuro

O Nun’Álvares, detentor do ceptro, não foi capaz de ultrapassar a primeira eliminatória da Taça AF Braga, tendo perdido com o Pousadense por 3-1.
Nesta deslocação a terras de Vermoim, o Nun'Álvares tinha tudo a seu favor para ultrapassar o adversário, pois partia com o avanço de um golo.
A primeira parte correu de feição à equipa de Nelo Barros, que conseguiu dominar o jogo e ia falhando golos atrás de golos, pois conseguia criar oportunidades, mas não as conseguia concretizar.
O intervalo chegou com o resultado em 0-0 o que era muito lisongeiro para a equipa da casa.
No segundo tempo voltou a equipa fafense a tomar conta do jogo e Artur conseguiu mesmo abrir o marcador na sequência de um livre. Este golo, alcançado aos cinco minutos do segundo tempo devia dar alento à equipa de Nelo Barros, mas foi precisamente o contrário, pois os fafenses deixaram-se dominar pelo adversário, não conseguindo reagir. Os da casa fizeram o golo da igualdade e aproveitaram esse alento para quase de seguida fazerem o segundo golo e igualar a eliminatória.
Entrou-se numa toada de parada e resposta e foi numa dessas jogadas que os nunalvaristas perderam a bola no ataque e sofreram um contra-ataque rápido que deu o terceiro golo aos famalicenses. Faltavam três minutos e Nelo Barros fez entrar o quinto elemento de campo, para tentar marcar um golo e levar o jogo para prolongamento, mas o guardião contrário não o permitiu.
Com esta derrota os fafenses dizem adeus à taça, troféu que na época passada venceram com todo o mérito, tendo derrotado na final o opositor que agora acaba de eliminar os nunalvaristas.

O NUN'ÁLVARES ALINHOU COM: Cunha; Artur, Hugo, Bruno e João Nuno. JOGARAM AINDA: Paulo, Banana, Pisco e Talocha. Treinador, Nelo Barros.

Taça AF de Braga: Celoricense, 4 – Fornelos, 1


Pinto ainda piou

O FORNELOS, de Carlos Careca, perdeu no terreno do Celoricense por 4-1 e ficou arredado da edição deste ano da Taça AF de Braga. Era uma missão difícil porque os fafenses já tinham perdido em casa por 2-0. Pinto ainda marcou nesta partida para o Fornelos e mandou outra ao poste. Malhado também enviou uma bola à trave. Valeu com experiência para os fafenses que, tal como na época passada, continuam a precisa de um matador.

sábado, 26 de setembro de 2009

Taça AF de Braga: Travassós, 2 – Arco de Baúlhe, 0 (4-5 g.p.)


Maldita roleta russa
.
O TRAVASSOS, de Fernando Ferreira, conseguiu inverter o resultado negativo da primeira mão (3-1) ao vencer em casa por 2-0 o Arco de Baúlhe, com golos de Marco II e Edu. No entanto, como a eliminatória ficou empatada, os fafenses não tiveram a sorte do seu lado na marcação das grandes penalidades, em que acabaram por perder por 5-4. Assim, ficam, desde já, de fora desta competição em que foram eliminados na roleta russa.

Divisão de Honra: Torcatense, 0 - Silvares, 0


Grandes empatas

O Silvares foi ao campo do Torcatense conquistar mais um precioso ponto. Na verdade a equipa de Carlos Salgado, pescou em águas difíceis e numa zona que luta sempre para a promoção. É certo que este Silvares ainda não venceu mas também é certo que ainda não conheceu o sabor amargo da derrota e já fiz dois jogos fora de portas contra duas grandes equipas, tendo recebido em casa o também tarimbado Arões. Um início de época, acima de tudo prometedor onde parece faltar apenas olear as peças da frentes para que os silvarenses comecem a facturar, pois, ao que parece, a defesa mostra-se segura.

Divisão de Honra: Arões, 2 - Pica, 0

Texto e foto: Luís Peixoto/ http://viladearoes.blogspot.com

Arões imune a picadelas

No dérbi fafense da Divisão de Honra a equipa de Arões levou a melhor sobre o rival Pica, a quem venceu por duas bolas a zero.
Numa tarde de Sábado que contou com bastante publico no Campo de Jogos de Arões. Ambas as equipas foram criando oportunidades de golo semelhantes na primeira parte mas foi o Arões que, por intermédio de Tiago, abriu o marcador, fazendo assim não só o primeiro golo da partida mas também do campeonato para a equipa aronense.
Ao intervalo os “Arõezinhos” deram um ar da sua graça ao contemplarem os presentes com aquilo que têm aprendido na escola de formação de futebol de Arões.
Nos minutos iniciais de segunda parte o técnico do Pica, Braga, numa tentativa de alterar o rumo do jogo, fez uma dupla substituição. Contudo, o Arões não sentiu as alterações feitas pelo adversário e continuou a jogar com a mesma garra e determinação. Houve tempo ainda para as habituais confusões de derbies dentro de campo. Nada que o árbitro não resolvesse com duas cartolinas amarelas uma para cada lado.Quando faltava cerca de um quarto de hora para acabar o jogo, Piruta fez o segundo golo para os da casa sentenciando, assim, a partida.

Juniores - 2.ª Div. Nac.: AD Fafe, 0 – GD Chaves, 0


Fechaduras sem chaves nas duas balizas

Os juniores da AD Fafe empataram sem golos com o Grupo Desportivo de Chaves. A maior eficácia das defesas anulou os ataques o que resultou num ponto para cada lado. Ao cabo de três jornadas os fafenses já fizeram todos os resultados possíveis, perderam, ganharam e empataram. Mas é na vitória que toda a equipa pensa e é essa que perseguem em cada jogo.

Juvenis – Camp. Nacional: Régua, 1 – A. D. Fafe, 4


Nelinho estreou-se com dois golos

O fafe, entrou novamente a sofrer um golo nos momentos iniciais, concretamente ao minuto dois, mas desta vez conseguiu empatar aos quatro, por intermédio de Luis Abreu. Passou depois para a frente do marcador com dois golos de Nelinho, que fez a sua estreia na equipa. Ao intervalo o resultado era favorável aos fafenses por 3-1.
Na segunda parte apesar da reacção do adversário, foi Renato num pontapé livre directo que fez o resultado final, tendo a equipa alcançado a segunda vitória no campeonato.
Foi uma vitória moralizadora para a equipa de Miguel Paredes, frente a um adversário directo e que deve fazer aumentar o índice de confiança dos atletas.
Destaque ainda para as excelentes condições do Estádio Municipal da Régua, com um sintético de ultima geração e infra-estruturas de grande qualidade.

Taça AF de Braga: Fermilense, 4 – Agrupamento Stª Cristina, 1


Concentrar energias no campeonato

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, perdeu no terreno do Fermilense, equipa orientada pelo fafense Luís Carlos, por 4-1. Como já havia perdido em casa na primeira mão diz adeus à edição da Taça desta época. Agora os fafenses vão tentar concentrar todas as energias no campeonato.
O golo solitário dos fafenses neste jogo teve a assinatura de Serafim.

Taça AF de Braga: Águias Alvite, 0 – União Moreirense, 0


Serviu para fortalecer
.
O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, empatou com o Águias de Alvite a zero bolas no terreno deste e despede-se da Taça AF de Braga pois havia pedido em Fafe por 2-1. Um jogo que serviu para fortalecer a equipa que ganhou mais tarimba para enfrentar o campeonato. De qualquer forma já se notou melhoria em relação à partida da primeira mão.

Nacional 3.ª Div: Pedrouços, 0 - AD Fafe, 3

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Big Show Filipe

O Fafe venceu folgadamente em Pedrouços muito por culpa da inspiração de Filipe que, aos 35 anos ainda é um grande jogador, daqueles de encher de orgulho qualquer fafense. Dois golos e a assistência para o terceiro fazem dele, sem sombra de dúvida o homem do jogo. O primeiro golo foi uma obra-prima. Depois de ultrapassar três adversários disparou um balázio à baliza do Pedrouços que quase rebentava as redes.
Não se pense porém que tudo foram facilidades para os fafenses. Nem coisa que se pareça. No primeiro tempo o jogo esteve muito equilibrado e as oportunidades de golo surgiram para os dois lados. Em algumas delas tanto fafenses como pedroucistas chegaram a gritar golo mas a bola teimou em não entrar.
A equipa da casa emitiu o primeiro aviso aos sete minutos, através de Pedro Nuno que obrigou Nuno Dias a defesa apertada. Aos 29 minutos foi o Fafe a estar perto de marcar. Filipe marcou canto, Vítor Hugo atirou de cabeça ao poste e na recarga, Silvestre também não vislumbrou um buraco para a baliza.
Aos 40 minutos, Bruno Mendes, à queima proporcionou mais uma grande defesa a Nuno Dias, que defendeu para canto. Na sequência deste Bruno Pinto, de cabeça também esteve perto do golo. No minuto seguinte, delfim, em atirou em arco mas viu a bola a bater na trave.
No segundo tempo o máximo que o Pedrouços conseguiu foi um livre perigoso á entrada da área logo no primeiro minuto. Talaia atirou por cima.
O Fafe tomou, literalmente conta da partida e aos 56 minutos Filipe cruzou para Cícero estourar mas para fora.
Aos 57 minutos, o treinador do Pedrouços deu a entender que temia o Fafe e quando Jorginho Buía se lesionou e ia sair pelo seu próprio pé o treinador obrigou-o a atirar para o chão e pedir assistência para queimar tempo.
Aos 62 minutos Cícero matou a bola no peito serviu Filipe e este atirou por cima.
Aos 69 minutos Cícero serviu Filipe ainda perto do meio campo, este meteu o turbo, fintou tudo o que lhe aparecia pela frente e já dentro da área fez a bola bater com estrondo nas redes.
O segundo golo surgiu novamente por Filipe, aos 84 minutos, que correspondeu, de cabeça, a um excelente centro de Primo.
Ferrinho teve nos pés o 3-0 mas, isolado, permitiu a defesa de Carlos. O mesmo jogador já antes havia tido uma excelente jogada.
A superioridade do Fafe era muita nesta altura e o terceiro golo surgiu com muita naturalidade, aos 88 minutos. Filipe cruzou com conta, peso e medida e Mike apareceu no miolo da área a encostar o pé e a fazer um belo golo.
De lembrar ainda que as entradas de João Nogueira e Ferrinho trouxeram outra dinâmica ao jogo, numa altura em que a equipa da casa já acusava algum desgaste. Aliás, no segundo tempo, Nuno Dias foi um mero espectador.

Jogo realizado no Estádio Municipal de Pedrouços, na Maia.
Árbitro: Luís Guimarães, auxiliado por Carlos Pereira e Pedro Costa (AF Aveiro).

PEDROUÇOS: Carlos; Fabu, Jorginho, Bruno Pinto, Ângelo, Tinaia (Flávio, 73’), Jorginho Buía (João Magalhães, 58’), Bruno Mendes, Xico, Pedro Nuno e Tino. Treinador, Ricardo Jorge.

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Miguel Mendes, Mike, Silvestre (João Nogueira, 67’), Josi, Filipe, Vítor Hugo(Ferrinho, 67’), Cícero e Delfim(Rui Gonçalves, 54’). Treinador, Carlos Condeço.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Primo, 46’; Bruno Pinto, 67’ e Mike, 68’.

MARCADORES: Filipe, 69’ e 84’ e Mike, 88’.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Taça AF Braga: Antime, 2 – Cavez, 1


Pedro e Ruca confirmaram
presença no próximo sorteio

O Operário Futebol Clube de Antime é a primeira equipa a apurar-se para a segunda eliminatória da Taça Associação de Futebol de Braga pois, esta noite, (Sexta-feira) no seu Parque de Jogos, confirmou a sua passagem ao vencer o Cavez por 2-1. Na primeira mão já havia vencido por 4-0.
O jogo de Antime teve uma primeira parte demasiado lenta e sem grandes motivos de interesse, isto apesar da equipa de Domingos Freitas ter rondado por mais que uma vez, com perigo, a baliza contrária.
No segundo tempo, o jogo acelerou um pouco, muito por culpa dos antimenses que procuraram imprimir outro ritmo ao desafio embora nem sempre as contingências saíssem a seu gosto. Mercê do seu maior caudal ofensivo, o Antime chegou à vantagem aos minuto 57 através de Pedro que apareceu no meio dos centrais a rematar com êxito para o fundo da baliza.
O Cavez não se apoquentou e sempre que podia também descia á área contrária. Foi numa dessa poucas jogadas que chegaria ao golo do empate. Diga-se, em abono da verdade, um grande golo, nascido de uma jogada bem trabalhada, iniciada no meio campo e concluída com grande estilo.
Os antimenses sabem o peso que uma vitória pode ter no moral dos jogadores e partiu em busca da vitória, em sucessivas tentativas.
Aos 89 minutos, na sequência de um canto, o antigo júnior da AD Fafe, Ruca, apareceu pleno de oportunidade a fazer o golo da vitória, num golpe de cabeça.

Nacional da 3.ª Divisão: Pedrouços - AD Fafe


Aproveitar o embalo

A AD Fafe desloca-se a Pedrouços, na Maia, para tentar aproveitar o embalamento da vitória frente à Oliveirense.
Nesta fase do campeonato só o Joane logrou vencer os dois jogos, de resto está tudo muito equilibrado. Mais um motivo para o Fafe agarrar as oportunidades e começar desde já a marcar posição.
O Pedrouços ainda só conquistou um ponto em dois jogos pelo que a equipa de Carlos Condeço tem a obrigação de trazer a vitória no autocarro fafense.

Andebol: 1.ª Divisão: AC Fafe – Sporting


Sábado, pelas 18 horas, no Pavilhão Municipal

Ainda não deve ser desta que o Andebol Clube de Fafe se estreia a ganhar na presente temporada. Pois só um verdadeiro milagre permitiria uma vitória frente ao Sporting que parece ter a equipa mais afinada das últimas épocas.
Depois de perder em casa contra o Belenenses e fora contra o ABC, os fafenses vão aproveitar mais este jogo para ganhar ritmo competitivo e maturidade para quando receberem as equipas da sua estatura.

Juvenis – Camp. Nacional: Régua - AD Fafe


Vindimar no Douro

Os juvenis da AD Fafe deslocam-se ao recinto do Régua para mais uma partida do Campeonato Nacional. Até agora não tem sido fácil o início de época mas os adversários também eram fortes. O Régua é uma formação à altura do Fafe pelo que não é de descurar a oportunidade de alcançar os três preciosos pontos. A segunda parte do jogo com o Padroense revelou que o Fafe tem qualidade para fazer um pouco melhor. Porém este Régua não é pêra doce pois já conquistou sete pontos enquanto o Fafe só conseguiu três. Ambos marcaram apenas quatro golos, embora o Régua tenha sofrido oito e o Fafe 12.

Juniores - 2.ª Div. Nac.: AD Fafe – GD Chaves



Reforçar a fechadura

Depois da vitória no terreno do Taipas os juniores da AD Fafe regressam a casa para repetir a graça, desta feita contra o Desportivo de Chaves, equipa que ainda não venceu neste campeonato.
Pelos últimos confrontos entre as duas equipas, os flavienses não são um adversário fácil para os fafenses, no entanto, o equilíbrio foi sempre a nota dominante entre os dois conjuntos. Em casa, a equipa de Tenev tem que fazer valer esse factor. Para evitar um assalto os fafenses vão ter que reforçar a fechadura e ficar com o Chaves na mão.

Futsal - Taça AF Braga: Pousadense - Nun’Alvares


Segurar a vantagem

O Nun'Álvares desloca-se ao recinto do Pousadense com a vantagem de um golo para discutir a passagem à segunda eliminatória. Pelo resultado da primeira mão, 5-4 a favor dos fafenses, adivinha-se um jogo difícil e equilibrado. Compete ao Pousadense correr atrás do prejuízo, mas um golo é facilmente recuperável. Nelo Barros sabe como montar a estratégia e tem experiencia neste tipo de jogos a eliminar pois já venceu duas Taças AF de Braga e a última foi precisamente frente ao adversário desta partida.

Regionalona - Taça AF Braga – 2.ª Mão – 1.ª Eliminatória


Quem passa à segunda Eliminatória?

O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, recebe o Arco de Baúlhe e tem a missão de tentar inverter o resultado da primeira mão em que perdeu por 3-1. Não é fácil mas também não é impossível. Só a onda de lesões da equipa fafense poderá impedir de fazer um bom jogo.

O FORNELOS, de Carlos Careca, desloca-se a casa do Celoricense para tentar contrariar o favoritismo do anfitrião e quem sabe fazer um bonito. Depois de ter perdido em casa por 2-0, poucos acreditam, porém, a esperança é a última a morrer.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, desloca-se ao terreno do Fermilense, de Luís Carlos, para tentar fazer o que fez o adversário na primeira mão, ou seja, ganhar. Os fafenses tinham

O ANTIME, de Domingos Freitas, recebe o Cavez e as contas estão a seu favor pois venceu na primeira mão por 4-0. Será mais um jogo para aproveitar e acertar pormenores dentro da própria equipa uma vez que a eliminatória está resolvida.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, desloca-se ao campo do Águias de Alvite. Com quem perdeu na primeira mão por 2-1. Fora de portas terá que inverter o resultado para tentar seguir em frente. É difícil mas não impossível.

Taça AF de Braga: Antime - Cavez

.
Hoje, pelas 21 horas em Antime

O ANTIME recebe esta noite, no se parque de jogos, pelas 21 horas, a formação do Cavez em jogo a contar para a segunda mão da primeira eliminatória da Taça Aasociação de Futebol de Braga. No jogfo da primeira mão os comandados de Domingos Freitas tinham vencido por 4-0.
A antecipação da partida visa proporcionar aos atletas um fim de semana mais tranquilo.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Paulo Jorge pára quatro meses


Lesão muito grave afasta
guarda-redes da competição

O guarda-redes Paulo Jorge deverá estar inactivo para o futebol por um período estimado, em pelo menos quatro meses, pois, segundo o site oficial da Associação de Futebol de Braga sofreu, no decorrer do jogo Águias da Graça-Santa Eulália, “uma fractura trimaleolar e do ligamento”, que na altura deixou atónitos todos os companheiros de campo e demais assistência.
O Infortúnio do antigo guarda-redes do Pica que se tinha transferido esta época para o Santa Eulália de Vizela, ocorreu ao minuto 43, dessa primeira partida do Campeonato Distrital da Divisão de Honra, numa altura em que a sua equipa perdia por 1-0 e resultou de uma situação em que ninguém tocou no jogador. Testemunhas oculares garantem que o guarda-redes ficou com o pé preso na relva e quando se tentava levantar rapidamente aconteceu o inesperado.
A partida terminaria com um empate a uma bola. Recorde-se que o valoroso atleta tinha representado recentemente a Selecção da AF de Braga em França, na Taça das Regiões UEFA.

Agrupamento: Bruno Preto está lesionado



Deverá parar 15 dias

Ao contrair um traumatismo no joelho direito no primeiro jogo do campeonato Distrital da 2.ª Divisão, frente ao Arco de Baúlhe, o jogador Bruno Preto, deverá estar impedido de dar o seu contributo à equipa nos próximos 15 dias, falhando já o próximo desafio para a 2.ª mão da 1.ª eliminatória da Taça AF de Braga, frente à formação do Fermilense. Ainda que a equipa de Marcelo Fernandes não tenha aspirações na Taça há sempre o brio de chegar o mais longe possível e Bruno não deixa de ser uma baixa importante na equipa, pela sua experiência e pelo seu contribuito generoso dentro de campo.

ESCALÕES DE FORMAÇÃO – Taça AF de Braga – Resultados

1.ª Mão – 1.ª Eliminatória

Juniores

Travassós, 0 - Antime, 3

Silvares – Estorãos (adiado)


Juvenis

Vasco da Gama, 1 – Vieira, 3

Ases de S. Jorge, o – Golães, 0

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Andebol - Nac. da 1ª Divisão: ABC, 28 - AC Fafe, 18

Texto: Associação de Andebol de Braga
.
Aprender o ABC com respeito

Não foi um jogo de encher o olho, aquele a que se assistiu no Pavilhão Flávio Sá Leite, e foi pena, pois o muito público que compareceu no pavilhão merecia um prémio bem melhor.
5-3, aos 15 minutos, era o espelho disso mesmo. O ABC tinha a noção que podia usufruir do “estatuto”, por isso apresentou-se com descontracção para o jogo. Por sua vez, o Fafe sabia que só um milagre lhe permitiria arrecadar pontos neste duelo, logo, não se excedeu no virtuosismo. Marcadas por este prognóstico que era quase infalível, demasiado infalível, as equipas não se deram a grandes incómodos e evoluíram no terreno a contento das circunstâncias.
Ao intervalo, o ABC vencia por 11-6. Na 2ª parte, foi dilatando o resultado até ao 21-12. A partir deste período, prevaleceu o equilíbrio, com o qual se chegou aos 28-18, resultado final do jogo.
No ABC, deu para perceber que o Pivot Levko Naumoski está cada vez mais integrado no sistema de jogo da equipa e Luís Bogas é a alma do grupo. No Fafe, o destaque vai para o também pivot António Martins e para o G.R. Luís Ferreira.
Com tantas falhas técnicas e algumas “agressões” ao andebol, como se pode pedir a uma equipa de arbitragem o seu melhor?Campeonato Nacional da 1ª Divisão Masculinos
ABC – Fafe
Não foi um jogo de encher o olho, aquele a que se assistiu ontem no Sá Leite, e foi pena, pois o muito público que compareceu no pavilhão merecia um prémio bem melhor.
5-3, aos 15 minutos, era o espelho disso mesmo. O ABC tinha a noção que podia usufruir do “estatuto”, por isso apresentou-se com descontracção para o jogo. Por sua vez, o Fafe sabia que só um milagre lhe permitiria arrecadar pontos neste duelo, logo, não se excedeu no virtuosismo. Marcadas por este prognóstico que era quase infalível, demasiado infalível, as equipas não se deram a grandes incómodos e evoluíram no terreno a contento das circunstâncias.
Ao intervalo, o ABC vencia por 11-6. Na 2ª parte, foi dilatando o resultado até ao 21-12. A partir deste período, prevaleceu o equilíbrio, com o qual se chegou aos 28-18, resultado final do jogo.
No ABC, deu para perceber que o Pivot Levko Naumoski está cada vez mais integrado no sistema de jogo da equipa e Luís Bogas é a alma do grupo. No Fafe, o destaque vai para o também pivot António Martins e para o G.R. Luís Ferreira.
Com tantas falhas técnicas e algumas “agressões” ao andebol, como se pode pedir a uma equipa de arbitragem o seu melhor?

LEGIÃO ESTRANGEIRA

LIGA SAGRES – Jornada 5

O VITÓRIA DE SETÚBAL, de Bruno Monteiro, foi vencer ao terreno da Naval 1.º de Maio por 1-0. Depois de duas derrotas pesadas nada melhor que uma vitória em seara alheia para acalmar os ânimos de jogadores e adeptos. O jogador fafense entrou aos 81 minutos, em missão de sacrifício para ajudar a segurar os três preciosos pontos.


II LIGA – Jornada 4


O DESPORTIVO DAS AVES de Henrique e Jorge Duarte, venceu em casa o Penafiel por 3-2. Os números dizem que houve sofrimento mas no fim o que tranquiliza é a vitória e os três pontos. Henrique não jogou e Jorge Duarte entrou aos 67 minutos quando o resultado estava em 3-1.

O GIL VICENTE, de Tiago André e Sandro, foi vencer ao terreno do Portimonense por 3-0. Sandro esteve em particular evidência ao sofrer uma grande penalidade que resultou em golo e ele próprio a fazer um golo aos 77 minutos. De resto, o central fafense esteve em campo o tempo todo. Tiago André também jogou, entrou aos 81 minutos na partida.


2.ª DIVISÃO B – 2.ª Jornada

O VIEIRA SC, de Óscar e Pablo, não enjeitou a oportunidade de vencer no seu terreno e despachou o recém-despromovido da II Liga, Gondomar, por uma bola a zero. Foi a estreia do Viera a marcar e a vencer nesta divisão.

O FC MOREIRENSE, de Castro, venceu o Sporting de Espinho por 1-0. os Cónegos também se estrearam a vencer num campeonato em que os seis primeiros classificados têm apenas quatro pontos em duas jornadas, o que quer dizer que ainda ninguém venceu duas vezes.



3.ª DIVISÃO – Série A - 2.ª Jornada

O MACEDO DE CAVALEIROS, de Eduardo, perdeu no terreno do Bragança por 2-1. No dérbi transmontano o jogador fafense não teve a sorte do seu lado.

O AMARES, de Ismael, está na mó de cima, pois registou a segunda vitória consecutiva neste início de campeonato. É um dos três líderes desta série.

O MONTALEGRE, de Leonel e Ricardo Nogueira, desta vez não teve a sorte do seu lado e perdeu no terreno do Valenciano por 2-1.

O MARIA DA FONTE, de Fredy, também está a fazer um bom arranque pois registou a segunda vitória em outros tantos jogos. Desta vez foi vencer ao terreno do Fão por 1-0.


3.ª DIVISÃO – Série B - 2.ª Jornada

O SERZEDELO, de Ricardo Morais desta vez venceu a equipa de outro fafense, o REBORDOSA, de Paulo Freitas, por 3-1. O futebol é assim mesmo, umas vezes por cima outras por baixo.

O JOANE, de Gil e Miguel Lemos está a fazer um princípio de época fantástico ao registar a segunda vitória e a comandar isolado esta série. Tal como na época passada este Joane promete.

domingo, 20 de setembro de 2009

Nacional 3.ª Div: AD Fafe, 1 – Oliveirense, 0

Texto e Fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Filipe “roubou” e Cícero disparou
- O assalto rendeu três pontos


Sem fazer um bom jogo, o Fafe conquistou três preciosos pontos, frente a uma formação da Oliveirense bem organizada defensivamente e a espreitar o erro dos fafenses. Essa estratégia quase que lhe valia pontos mas as contas saíram-lhe furadas quando, aos 86 minutos, Filipe roubou, literalmente, a bola, antes da linha de meio campo a um adversário, correu com ela alguns metros, solicitou Delfim na direita, este também levantou a cabeça e viu Cícero solto, endossou-lhe a bola em perfeitas condições, o avançado desvio-a de um contrário ganhou posição e disparou rasteiro e colocado para o golo.
Quase que o jogo se resume, praticamente, a este lance, pois foi aquele que deu um verdadeiro safanão na monotonia com que se viveu a partida.
O Fafe tomou conta do jogo nos minutos iniciais. Logo aos sete minutos, ao seu estilo, Filipe subiu no terreno e entregou em perfeitas condições para Vítor Hugo atirar ao lado, ocasião que se revelou um autêntico desperdício. O Fafe dominava o jogo mas não acelerava os movimentos, ritmo que convinha à estratégia da Oliveirense.
Os fafenses voltaram a surgir com algum perigo na área aos 17 minutos, quando Vítor Hugo cabeceou fraco um cruzamento que saiu dos pés de Rui Gonçalves.
Aos 30 minutos, nova investida do Fafe com Cícero a cruzar ao segundo poste e Filipe a tentar servir Vítor Hugo. Mais um lance que resultou em nada.
Apesar de tudo, a Oliveirense quase não se aventurava no ataque, pelo que Nuno Dias foi praticamente um espectador.
No segundo tempo surgiram melhor os do Concelho de Famalicão nos minutos iniciais.
O Fafe demorou uns bons dez minutos a recompor-se e voltou ao comando das operações, sendo certo que nem sempre o fazia bem, ou melhor, raramente o fazia bem.
Aos 58 minutos foi uma insistência a três que não deu em nada. Filipe, Vítor Hugo e Delfim foram os autores dos remates. Aos 64, Silvestre, de cabeça, atirou ao lado.
Aos 67 minutos o técnico da Oliveirense acreditou que podia fazer melhor e tirou um médio para meter mais um avançado. Três minutos depois Condeço responde e tira Vítor Hugo para meter João Nogueira.
Foi precisamente depois da entrada do irrequieto João que o futebol fafense começou a melhorar, ganhando mais velocidade e mais vida.
Aos 73 minutos, João Nogueira rasgou a defesa do Oliveirense, solicitando Delfim, mas o cruzamento deste acabou interceptado antes de chegar a Cícero. Mike ainda tentou o remate mas o guarda-redes defendeu com os pés.
Aos 77, foi Filipe a solicitar bem João Nogueira, este rematou, a bola tabelou num defesa e dirigia-se para a baliza mas o veterano João Duarte evitou o golo em cima da linha de baliza.
O maior ascendente do Fafe haveria de surtir efeito aos 85 minutos no tal lance em que Filipe roubou a bola a um contrário e deu em golo.
Não foi um bom jogo, longe disso, mas o objectivo foi cumprido e esse é que conta para o futuro. O Fafe revelou falha na ligação dos sectores, falta de velocidade e de consistência atacante. Nada que não se possa melhorar no futuro.


Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro: Manuel Oliveira, auxiliado por Pedro Aleixo e Manuel Moreira.

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Miguel Mendes, Mike, Silvestre (Ferrinho, 75’), Josi, Filipe, Vítor Hugo (João Nogueira, 70’), Cícero e Rui Gonçalves(Delfim, 56’). Treinador, Carlos Condeço.

OLIVEIRENSE: Pedro Freitas; Alex, João Duarte, China (Dani, 90’), Paulinho (Moisés, 67’), Nuno Sousa, Tiago(Ricardo, 57’), Fifas, Leal, Arturinho e Pedro Moreira. Treinador, António Remelgado.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Fifas, 82.

MARCADOR: Cícero, 85’.

1.ª Div. AF de Braga: Travassós, 3 – Ponte, 2

.
Miguel, Marco II e Malhado revelaram
o céu depois do Travassós estar no inferno

O Travassós, de Fernando Ferreira, estreou-se no campeonato com uma vitória muito sofrida mas merecida frente à sempre difícil e aguerrida formação vimaranense do Ponte.
Com uma onde de lesões ímpar no clube a afectar jogadores influentes na equipa como Marco I, Dani, Paulinho e Nuno, estes três a ficarem no banco mas a não poderem alinhar, o Travassós fez o que podia para vencer a partida.
De facto ao fim da primeira parte, a equipa fafense parecia ter descido ao inferno, pois encontrava-se a perder por 2-0. Só com muito espírito de grupo e capacidade de sofrimento, aliado ao muito querer o Travassós começou a recuperar. O ex-Arões Miguel, reduziu para 1-2 e Marco II, igualou a contenda. A vitória surgiu através de Malhado, autor do 3-2.
Para que este resultado se mantivesse muito contribuíram as defesas de Ranza que em pelo menos dois lances negou o golo ao opositor que tudo fez para mudar o rumo aos acontecimentos. Ainda assim, o Ponte enviou duas bolas aos ferros da baliza do Travassós. De resto, os vimaranenses, tentaram de todas as formas que o resultado não fosse uma derrota para as suas cores.
Todas estas nuances acabaram por valorizar ainda mais a vitória da equipa de Fernando Ferreira.

2.ª Div. AF de Braga: União Moreirense, 2 – S. Nicolau, 0


Ceiras e Talho reis de Moreira

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, estreou-se no presente campeonato com uma vitória sobre a formação de S. Nicolau por 2-0.
Os fafenses entram na prova com o pé direito e com os golos de Ceiras e de Talho.
Para quem profetiza uma mudança de mentalidade na equipa este é o melhor sinal que se poderia dar pois anima a equipa e incute-lhe o vício da vitória.

Juvenis – Camp. Nacional: AD Fafe, 0 – Padroense, 5


Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Quarto de hora fatal

Os juvenis da AD Fafe perderam em casa com o Padroense, equipa satélite do FC Porto, por 5-0. Os fafenses entraram da pior maneira na partida pois antes de se completar um minuto de jogo já perdiam por uma bola a zero. Aos seis minutos perdiam por dois e aos 15 por três.
Foi, sem dúvida, uma entrada demolidora dos jogadores do Padroense, porém, se o Fafe tivesse apanhado esta equipa noutra fase da época, certamente que não cometeria alguns dos erros que estiveram na origem de pelo menos dois destes três primeiros golos.
A partida começou com o primeiro golo do Padroense. Frederic embalou quase desde a linha do meio campo com a bola nos pés, não teve oposição e disparou para o fundo da baliza. O cronómetro registava 45 segundos de jogo.
O segundo golo foi um pouco consentido. Canto a favor dos visitantes e o seu elemento mais baixo, surgiu ao primeiro poste a surpreender a defesa fafense, marcando golo de cabeça.
O terceiro golo forasteiro teve origem num livre directo apontado com o pé esquerdo de Gerson, do meio da rua.
Sem que o Fafe esboçasse grande reacção, o Padroense chegou ao 4-0 aos 23 minutos. Uma bola cruzada ao segundo poste e Frederic, em voo, fez um belo golo mas que poderia ter sido evitado.
No minuto seguinte Serginho, de cabeça, rematou fácil para as mãos de Cadu. O mesmo jogador, de fora da área, rematou forte mas desenquadrado.
O Fafe surgiu muito melhor no segundo tempo e nos primeiros minutos de jogo andou muito perto da baliza contrária, dando que fazer ao último reduto do Padroense, equipa que tinha agora dificuldades em progredir no terreno. Neste período tentou o remate por várias vezes embora sem qualquer consequência.
O certo é que a partida ficou muito mais equilibrada no segundo tempo e a atitude dos pupilos de Miguel Paredes foi muito melhor. Tanto assim foi que o técnico Rui Gomes, se viu forçado a mexer na equipa aos 12 minutos da
segunda parte, com duas alterações ao mesmo tempo.
Com os fafenses a tentarem o golo de honra, sobrou espaço para o contra-ataque do Padroense mas, seria em mais um golpe de génio de Frederic, que os visitantes chegariam ao 5-0, quando este rodou sobre a bola para ganhar espaço e tirar fora do alcance de Marçal. Pelo que fizeram no segundo tempo, os fafenses não mereciam ter sofrido o quinto golo, o qual torna a derrota demasiado pesada.


Jogo realizado no Campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro: Pedro Mesquita, auxiliado por António Coelho e Diogo Mesquita.

FAFE: Marçal, Chico, Mário, Fábio, Paulo Sérgio (Gil, 19’), Bruno (Bertinho, 46’), Marcelo, João Miguel, Rafael (Renato, 58’), Luís Abreu e Serginho. Treinador, Miguel Paredes.

PADROENSE: Cadú; Baldaia, Gerson, Bruno, Lima Pereira, Diogo, Frederic, Ricardinho, Gonçalo (Pedro Tavares, 52’), Cristian (João Paulo, 69’), Edú (Costa, 52’). Treinador, Rui Gomes.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Gonçalo, 26’; Cristian, 54’ e Fábio, 70’.

MARCADORES: Frederic, 1’; 23’ e 80'+1’; Edú, 6’ e Gerson, 15'.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Taipas, 0 – Fafe, 1


A vez de Sando resolver

Os juniores da AD Fafe venceram pela margem mínima no sempre difícil reduto dos Caçadores da Taipas.
Desta vez o técnico fafense optou por uma equipa inicial em que se incluíam cinco elementos de segundo ano e outros tantos de primeiro ano, com Samora, que veio do Gil Vicente a ser o elemento sobrante nesta divisão e a completar o onze.
Não foi um jogo fácil para os fafenses mas a sua persistência e capacidade de sofrimento acabaria por dar frutos. Sandro, no segundo tempo, resolveu a partida a favor dos fafenses com um remate certeiro. Uma vitória importante depois da derrota na primeira jornada, em casa, frente ao Famalicão.

sábado, 19 de setembro de 2009

2.ª Div. AF de Braga: Mosteiro, 1 – Fornelos, 0


Penitência sem benção

O FORNELOS, de Carlos Careca, perdeu por uma bola a zero no terreno do Mosteiro. A escassez do resultado a favor dos de Vieira do Minho revela o equilíbrio do jogo. Porém, os três pontos ficaram do outro lado e os fafenses acabaram por fazer penitência pois fizeram a romaria e não receberam a benção.

2.ª Div. AF de Braga: Agrupamento de St.ª Cristina, 1 – Arco de Baúlhe, 2


Flechada de Aníbal não chegou para o arco

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, perdeu em casa com o Arco de Baúlhe por 2-1. Os fafenses estiveram a ganhar até ao intervalo com um golo do veteraníssimo Aníbal, altura em que a equipa ficou privada de Bruno Preto, por lesão. No segundo tempo a equipa de Basto deu a volta ao marcador porque fez maior pressão e aproveitou os erros da equipa local. De recordar que este Arco é a mesma equipa que derrotou o Travassós, da 1.ª Divisão, em jogo a contar para a Taça AF de Braga.

2.ª Div. AF de Braga: Nespereira, 0 – Antime, 0

.
Um ponto para começar

O ANTIME, de Domingos Freitas, começou o campeonato com um ponto mercê do empate conquistado no terreno do Nespereira. Fica a tristeza de não ter marcado e a alegria de não ter sofrido. É melhor empatar que perder e um ponto é melhor que nada. É lógico que se esperava uma vitória da equipa fafense mas no futebol são onze contra onze e nem sempre as coisas acontecem como se espera.

Divisão de Honra – AF Braga: Silvares, 0 – Arões, 0

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes


Pouca parra e pouca uva

Silvares e Arões terminaram o primeiro dérbi fafense da época com uma igualdade a zero bolas num jogo demasiado pobre, principalmente na primeira parte, pelo que o resultado acaba por se ajustar ao que os dois conjuntos fizeram. Na verdade esperava-se mais da maior experiência do Arões neste campeonato. O Silvares esteve bem no capítulo defensivo mas poderia ter resolvido a partida aos 66 minutos, num contra-ataque de Celso, que rematou mal, ao segundo poste, quando tinha Mike I para servir.
Foi um futebol sem ideias aquele que se assistiu durante o primeiro tempo, com as equipas a defenderem demasiado bem e a atacarem mal. Os guarda-redes estiveram atentos mas o trabalho não dava para desesperar.
Neste primeiro tempo a jogada mais perigosa acabou por pertencer ao Silvares, por intermédio de Mike I, que acabou por atirar ao lado.
No segundo tempo o Arões surgiu um pouco melhor e apareceu mais solto e mais rematador. Assim sucedeu aos 52 minutos por Tiago e, no mesmo minuto, por António. Três minutos mais tarde, a cruzamento de Piruta, Fernando quase marcava na própria baliza. Aos 63, Tiago voltou a rematar ao lado.
Nesta altura já Carlos Salgado tinha tirado Diogo Gomes e Samú para as entradas de Celso e Nelinho. Na verdade o Silvares voltou a equilibrar o jogo e aos 66 minutos podia ter inaugurado o marcador na tal jogada de Celso. Aos 69, Renato cruzou ao primeiro poste onde Mike I atirou ao lado.
Até ao final da contenda apenas dois remates, um para cada lado e inconsequentes de, por António, á figura do guarda-redes e Celso, por cima da trave.
O resultado ajusta-se ao que se passou em campo e só o tempo dirá se foi um ponto ganho ou dois perdidos para estas duas equipas de Fafe.

Para o técnico do Silvares, Carlos Salgado, “este foi um jogo muito equilibrado com uma primeira parte sem grande interesse e uma segunda em que o Arões pressionou até o Silvares fazer as suas alterações”. Disse ainda que o Silvares “tem que aproveitar as oportunidades que tem porque não vai ter muitas”, referindo-se, pelo menos, a uma perdida por parte de Celso. Argumentou ainda que “a equipa é jovem e está a dar os primeiros passos e que dois pontos em dois jogo já é bom, até porque são os mesmos obtidos pelo Arões”.

Do lado do Arões, “Luís Gomes disse que ainda não conseguiram marcar esta época mas também não sofreram nenhum. Mas mostrou-se um pouco caustico com os seus atletas quando afirmou “que tiveram lances em que podiam jogar com o parceiro do lado mas optaram pela jogada individual, mostrando algum egoísmo”. Quanto a isso disse: “não vou tolerar mais este individualismo e falta de camaradagem dentro de campo já a partir do próximo jogo com o Pica”.

Jogo realizado no Campo Professor Manuel José Dias em Silvares.
Árbitro: António Miranda, auxiliado por Fernando Cunha e Vítor Monteiro.

GD SILVARES: Bruno Pinto; Jorginho, Renato, Antero, Fernando, Miguel, Gomes, Samú (Mário Bi, 58’), Mike I (Nelinho, 74’), Armando e Diogo Gomes (Celso, 59’). Treinador, Carlos Salgado.

ARÕES SC: Abreu; Peixoto, Duarte Nuno, Beijinhos, César, Zezinho, Vitinha, António, Brokinha (Ângelo, 46’), Piruta e Tiago (Vasco, 82’). Treinador, Luís Gomes.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartões Amarelos: Antero, 32’; Mike I, 47’; Celso, 77’ e Gomes, 92’.

Divisão de Honra – AF Braga: Pica, 1 – Porto D’Ave, 3


Golo de Ismael desta vez não chegou

O Pica perdeu em casa com o Porto D’Ave por 3-1, em jogo da segunda jornada do campeonato. A equipa orientada por Braga ainda esteve por cima mas o maior poderio da formação da Póvoa de Lanhoso acabou por vir ao de cima. De facto, de nada valeu, desta vez, o golo obtido por Ismael pois o Porto D’Ave consguiu dar a volta ao marcador. Nada a fazer num resultado que deverá apenas servir para corrigir o menos bom e tentar melhor no futuro.

Futsal - Taça AF Braga: Nun’Alvares, 5 – Pousadense, 4


Muitos golos mas pouca vantagem

O primeiro jogo da época acabou com o resultado de 5-4 a favor do Nun'Álvares. Foi um jogo muito disputado e que teve momentos de bom futsal como o primeiro golo da equipa de Nelo Barros que logo ao minuto e meio viu Paulo marcar, numa bela triangulação ao primeiro toque entre César, Bruno e Paulo.
Entrou muito bem a equipa fafense, dominando completamente o jogo. Mas como nem tudo corre sobre rodas, Bruno perdeu uma bola que foi aproveitada pelo adversário para fazer o empate. Abanou um pouco a confiança dos pupilos nunalvaristas e o Pousadense aproveitou para se adiantar no marcador com um golo obtido numa jogada de repelões. Tentaram os homens da casa pegar outra vez no jogo, mas a cabeça não deixava e acabaram por sofrer o 3-1 já perto do intervalo. Ainda tiveram dois livres directos sem barreira aos 10 metros, mas não conseguiram reduzir a diferença do marcador.
Os 10 minutos de descanso foram bem aproveitados por Nelo Barros para colocar os seus atletas com outra atitude e, em cinco minutos, conseguiram marcar quatro golos, passando o resultado para 5-3 e sem dar qualquer hipótese do Pousadense fazer perigar a baliza dos fafenses. Artur de penálti, Bruno, João Nuno e outra vez Artur fizeram os golos da revolta.
À passagem dos 10 minutos, os famalicenses conseguiram reduzir para 5-4 ao aproveitarem uma bola que ficou solta à entrada da área, após uma falta sobre Hugo que o árbitro não marcou.
Mas os homens do Nun'Álvares já estavam com a atitude correcta e nem a expulsão de César quando ainda faltavam cerca de sete minutos para o final, veio alterar o resultado. Foram muito generosos naqueles dois minutos em que actuaram com menos um atleta e acabaram por vencer o jogo por 5-4.
No próximo sábado haverá a segunda mão desta eliminatória e os pupilos de Nelo Barros partem com a vantagem de um golo, que embora não seja muito bom é um resultado positivo. Esperamos que os fafenses consigam ultrapassar este incómodo adversário.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Andebol 1.ª Divisão: ABC - AC Fafe


Aprender de novo?

O Andebol Clube de Fafe desloca-se ao, Pavilhão Flávio Sá Leite, recinto do ABC, para o jogo da segunda jornada do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão. Será que os fafenses vão vir de Braga a saber dizer ABC? Ou será que levam a lição bem estudada? Óscar Freitas sabe o que fazer e o gigante que vai defrontar. Milagres? Às vezes acontecem. Io jogo realiza-se este Sábado, pelas 18 horas, em Braga.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe - Oliveirense


Fazer de conta e começar de novo

A derrota com o Amarante já lá vai e os fafenses vão fazer de conta que o campeonato só começa nesta partida com a Oliveirense. Só assim se poderão abstrair dos dois jogos oficiais da temporada cujos resultados lhes foram desfavoráveis.
Em casa, perante o seu público, à segunda jornada e com a esperança ainda toda intacta, a equipa de Carlos Condeço vai, certamente, dar uma resposta à altura daquilo que os sócios e simpatizantes esperam para a presente época.
O Fafe tem boa equipa e dá mostras disso nos jogos-treino que efectua, só precisa agora, perder a vergonha, e jogar tudo o que sabe nas partidas oficiais.

Juvenis – Camp. Nacional: AD Fafe – Padroense


Vem aí a equipa satélite do FC Porto
.
Os juvenis da AD Fafe recebem, em jogo a contar para a 3.ª jornada, a formação do Padroense. Para quem não sabe o Padronese é a equipa satélite do Futebol Clube do Porto, onde, inclusive, jogam filhos de antigos jogadores portistas. Não vai ser um jogo fácil para os jovens fafenses treinados por Miguel Paredes, que ainda estão a entrosar-se neste campeonato e têm uma equipa desfalcada de muitas peças importantes.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Taipas - Fafe


Uma equipa do mesmo campeonato

Os juniores da AD Fafe deslocam-se ao terreno do Taipas depois de uma estreia em falso em casa frente ao Freamunde. Agora vão encontrar pela frente uma formação do seu campeonato, pelo que este jogo servirá para aferir as reais capacidades dos atletas comandados por Ténio Tenev.

Regionalona - Jogos


DIVISÃO DE HONRA

O SILVARES, de Carlos Salgado, vai protagonizar o primeiro dérbi concelhio com o ARÕES, de Luís Gomes. De um lado um treinador novo e irreverente e do outro um técnico que não sendo velho na idade é um veterano no futebol. Ambos os clubes empataram no jogo da primeira jornada, o Silvares em Porto D’Ave, a duas bolas e o Arões em casa, com o Prado, sem golos.
A assistência num jogo destes, caso S. Pedro não pregue uma partida, é garantida.


O PICA, de Braga, vai receber o Porto D’Ave. Depois de ter ido a Cabeceiras buscar três pontos, a formação fafense vai querer, agora, repetir a proeza perante o seu público. As duas equipas protagonizam sempre jogos muito renhidos, sendo certo que o Porto D’Ave já vai contar com as suas trutas nesta partida.


1.ª DIVISÃO – Série B

O TRAVASSOS, de Fernando Ferreira, vai receber o Ponte no Campo dos Carvalhinhos e, em casa terá que mostrar todo o seu potencial para fazer esquecer a derrota do jogo da Taça.


2.ª DIVISÃO – Série D


O ANTIME, de Domingos Freitas, desloca-se ao campo do Nespereira para tentar repetir a gracinha que fez no jogo da Taça em Cavez. Quem quer subir de divisão tem que começar a época a vencer.

O FORNELOS, de Carlos Careca, desloca-se ao terreno do Mosteiro para rezar por uma boa temporada e quem sabe fazer já um pequeno milagre e vencer naquele campo.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, recebe o S. Nicolau no primeiro jogo do campeonato. A vitória está no pensamento dos jogadores que estão de espírito renovado.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, recebe o Arco de Baúlhe, no jogo da primeira jornada. Entrar com o pé direito é o desejo que paira por aquelas bandas.

O FERMILENSE, de Luís Carlos, recebe o Cavez e está moralizado pela vitória conseguida para a Taça no campo do Agrupamento. O técnico fafense também espreita o regresso à 1.ª divisão.

Futsal - Taça AF Braga: Nun’Alvares – Pousadense


Pelas 21:30 no pavilhão do Nun’Alvares

Hoje inicia-se a época 2009/2010 do Futsal Distrital com um jogo da Taça Associação de Futebol de Braga. O Nun'Álvares vai dirimir forças com a equipa que na época passada, disputou a final desta competição, Pousadense, em que a equipa de Fafe levou a melhor, trazendo a Taça pela segunda vez. Agora será outro jogo e com uma eliminatória a duas mãos. A primeira mão será disputada hoje (6.ª feira) no Pavilhão do Nun'Álvares, pelas 21:30 horas, com entrada gratuita. No próximo Sábado dia 26, será a vez do Pousadense jogar em casa, na decisão definitiva da eliminatória.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Vasco assina pelo Antime


Mais uma opção para o ataque

Depois da vitória no primeiro jogo da Taça AF de Braga, o Operário Futebol Clube de Antime acaba de ver a sua frente de ataque alargada. A equipa orientada por Domingos Freitas garantiu o concurso de Vasco, avançado possante que já representou esta mesma equipa. Trata-se de mais uma opção às ordens do treinador com vista à conquista de um lugar que dê direito a subir de divisão.
A 2.ª Divisão Distrital é um erro de casting para o Antime cujo historial e pergaminhos estão muito acima deste escalão. Porém, a realidade é esta e a vontade de sair da divisão terminal do futebol Distrital é mesmo muita.

União Moreirense 2009/2010



Quebrar a monotonia

O União Moreirense, clube de Moreira de Rei, vai encarar a época desportiva 2009/2010, com mais optimismo que aquele que tem vivido nas últimas temporadas.
Para isso tem uma equipa técnica constituída por um treinador que conhece o futebol regional, Arlindo Silva (na foto) e por dois professores de Edução Física, João Lira e Chano. Três elementos com conhecimentos suficientes para agitarem um pouco a monotonia que tem sido os últimos campeonatos do União Moreirense, cujas classificações se quedaram pelos últimos lugares da tabela.
É precisamente essa mentalidade do perder e ganhar é desporto que se quer mudar em Moreira de Rei, cuja equipa já andou no escalão máximo do futebol distrital há alguns anos atrás.
Novos métodos de treino, empenhamento por parte de quem treina e de quem é treinado, fazem parte de uma espécie de vida nova no União Moreirense.
Fazer o melhor possível é pois a única motivação existente numa equipa que não pode aspirar a muito, mas que quer fazer melhor que as últimas épocas. Incutir a vontade de vencer e transformar a mentalidade da equipa é o trabalho que o trio de treinadores tem vindo a fazer, aliado a uma componente física e ao rigor do trabalho apresentado nos treinos, sempre adaptado à realidade da equipa e à vida particular dos próprios atletas.


PLANTEL UD MOREIRENSE 2009/2010

GUARDA-REDES: Bruno e Leandro

DEFESAS: Sousa (ex-Futebol Popular), Oliveira, Maurício (ex-Regadas), Ricardo, Sapatilha, Fifi e Marco.

MÉDIOS: Ceiras, Feira, Talho, Neves (Ex-Ribeiros), Miguel Gato (ex-Regadas), Hugo, Paulinho e Pascal.

AVANÇADOS: Carvalho, Bruno Oliveira (ex-Antime), Sérgio e Taxas.

EQUIPA TÉCNICA: Treinador, Arlindo Silva: Adjuntos, João Lira e Chano.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Escolinhas da AD Fafe abriram as portas

Texto e foto: João Carlos Lopes

A primeira de muitas vezes

Os treinos das escolinhas da AD Fafe tiveram o seu início no final da tarde deste dia 15 de Setembro. Para muitos foi um regresso mas para a grande maioria foi a primeira vez que tomaram contacto com esta realidade de ter treinadores e fazer parte de uma equipa.
É um momento que fica guardado na memória dos miúdos que passaram muitas horas sem dormir a pensar na hora de chegar ao primeiro treino. Não foi o primeiro contacto com a bola, porque esse já aconteceu há muito mas, foi, certamente, um momento verdadeiramente único para estas crianças que acabam por fazer grandes amizades através do futebol.No início parecem pássaros em debandada, correm todos para o mesmo lado, atrás do seu brinquedo preferido, mas aos poucos vão aprender o que são posições, marcações e outras complicações que o futebol revela. É verdade! O futebol também é complicado. Mas nesta idade! Basta deixar os miúdos jogarem, ver a alegria estampada no rosto deles e deixá-los aprender lentamente. Apesar de dizerem que sim, a maior parte deles não vai ser jogador de futebol mas a verdade é que o futebol lhes vai abrir muitas portas e lhes vai criar objectivos, lhes vai incutir o espírito de grupo, de sofrimento, da alegria da vitória e da tristeza da derrota. Através daquilo que mais gostam, vai prepará-los para a vida. Para isso é preciso que os pais vejam o futebol como um complemento à educação e uma forma de desporto e não vejam os filhos como minas para explorar. Vamos deixar os miúdos viverem o seu sonho sem interferir nele para que possam ser felizes em cada treino e em cada jogo
.

Legião Estrangeira


LIGA SAGRES – Jornada 4
.
O VITÓRIA DE SETÚBAL, de Bruno, voltou a perder por números expressivos, desta vez em casa, frente ao União de Leiria, por quatro bolas sem resposta. Desta vez o fafense ficou no banco e não foi utilizado. A crise de resultados do Vitória de Setúbal já custou a queda do treinador Carlos Azenha.


TAÇA DE PORTUGAL - 2.ª Eliminatória

O DESPORTIVO DAS AVES de Henrique e Jorge Duarte está de fora da Taça de Portugal pois foi eliminado pelo Vila Meã, clube da 3.ª Divisão, com quem perdeu por 2-0.


O GIL VICENTE, de Tiago André venceu em casa a equipa do MACEDO DE CAVALEIROS, de outro fafense, Eduardo. Os gilistas bateram a equipa da 3.ª Divisão por 2-0.


O MARIA DA FONTE, de Fredy, foi eliminado em casa, por números expressivos, uma vês que o Carregado, da Liga de Honra, marcou cinco golos sem resposta na Póvoa de Lanhoso.

O VIEIRA SPORT CLUBE, de Óscar e Pablo, foi ao terreno do Caniçal, da 3.ª Divisão vencer por concludentes 4-0 e carimbar o passaporte para a terceira eliminatória.

O MOREIRENSE, de Castro, foi eliminado pelo Pinhalnovense também da 2.ª Divisão B. No final do prolongamento mantinha uma igualdade sem golos. Porém, nas grandes penalidades os de Pinhal Novo foram mais eficazes.

O REBORDOSA, de Paulo Freitas, foi ao Açores perder com o Santa Clara, da Liga de Honra, por um único golo. Foi à tangente que a equipa do guardião fafense foi eliminada mas, por um golo se ganha e por outro se perde.

Andebol 1.ª Divisão: AC Fafe, 27 - Belenenses, 37


Texto: Associção de Andebol Braga/Foto: João Carlos Lopes


Faltou ritmo competitivo


O inconformismo de Armando Pinto do A C Fafe, não foi suficiente para contagiar o resto da equipa. O muito público que assistiu ao jogo Fafe – Belenenses viu frustrarem-se as expectativas que alimentavam sobre um resultado positivo para o Fafe, no encontro de Sábado.
O que faltou em organização ofensiva e defensiva, sobrou, e de que maneira, em nervosismo, ou se preferirmos inverter os adjectivos, o excesso de nervosismo, condicionou e, de que maneira, a organização táctica do Fafe.
Foi notório que o Fafe ainda não encontrou o ritmo competitivo necessário para esta competição e, por isso, foi um adversário fácil às mãos da jovem equipa do Belenenses.
As bolas perdidas infantilmente, no início do jogo, deixaram logo antever um mau presságio. Apesar de tudo, ainda conseguiram efectuar uma primeira parte razoável conforme mostra o evoluir do resultado (5:5 aos 10 minutos; 8:11 aos 20 minutos e 14:16 aos 30 minutos). O pior estava para vir no tempo complementar: sete minutos sem marcar, sofrendo quatro golos, trouxeram uma quebra anímica evidente para a equipa do Fafe, oferecendo de mão beijada uma tranquilidade ao Belenenses, que não a renunciou.
Foi apenas o primeiro jogo, não há motivo para atirar a toalha ao chão, porque o campeonato ainda mal arrancou. Esta equipa vai precisar de muita paciência no vector técnico e administrativo, para que se possa adaptar, numa primeira fase, às novas exigências competitivas, para, posteriormente, poder lutar pela permanência. Há ainda muito tempo para corrigir os passos para o futuro e o plantel dá garantias de sucesso. Só é preciso acreditar!

domingo, 13 de setembro de 2009

Divisão de Honra – AF Braga: Porto D’Ave, 2 – Silvares, 2

.
Mike e Rui em bom porto

O Silvares foi a Porto D’Ave fazer uma pequena surpresa, ou talvez não. De facto a equipa orientada por Carlos Salgado impôs um empate a uma das equipas que mais aspirações têm nesta temporada, reforçando-se nesse sentido. Os fafenses têm um naipe de rapazes novos com vontade de mostrar serviço porque a montra tem muitos olhos nela. Na verdade, o Silvares esteve a vencer por uma bola a zero, com Mike a abrir o activo. A jogar em casa, o Porto D’Ave conseguiu empatar a contenda e passar mesmo para a frente do marcador. Porém, os fafenses não se deram por vencidos e, através de Rui, colocaram o resultado num empate a duas bolas.

Divisão de Honra – AF Braga: Cabeceirense, 0 – Pica, 1


Ismael fez a Pica grande

O Pica foi a Cabeceiras de Basto fazer aquilo que mais nenhum clube da Divisão de Honra da AF de Braga fez nesta primeira jornada, vencer. Um golo de Isamel aos 65 minutos fez toda a diferença e coloca o Pica isolado no comando da tabela.
Uma estreia em grande para o técnico Braga que não poderia ter desejado um resultado melhor. Estes três pontos já ninguém os tira ao Pica que entra, assim, com o pé direito neste campeonato.

Juvenis Camp. Nac.: Diogo Cão, 3 - Fafe, 0


Sorte de cão

Num campo pelado e sem condições para os nacionais, a equipa de juvenis da AD Fafe efectuou uma boa primeira parte, em que ombreou com o seu adversário. Um jogo de muita luta e entrega, com o arbitro a ter dificuldades em segurar o jogo. Aos 33 minutos o arbitro Ambrósio Vara de Bragança não marcou um penálti evidente sobre o avançado Serginho e na resposta o Diogo Cão marcou num lance infeliz do guarda-redes fafense que depois de ter a bola em seu poder a "largou" e o adversário se limitou a empurrar para a baliza. Como um mal nunca vem só, passados três minutos o Diogo Cão aumentou o resultado num livre directo.
Na segunda parte a equipa fafense tentou mudar o rumo dos acontecimentos, não o tendo conseguido e acabou por sofrer o terceiro golo na parte final depois de uma falta grosseira do avançado sobre o defesa do Fafe, que o arbitro não assinalou.
Enfim uma boa primeira parte do Fafe, numa equipa que está a crescer lentamente, mas que teve neste jogo de contar com a má arbitragem, sempre a favor do adversário.

Onda de lesões na equipa

Os juvenis da AD Fafe, para além de terem de construir uma equipa nova, têm ainda de contar com inúmeras lesões, todas traumáticas que têm atrasado a evolução da equipa.
Assim, do ano passado vêm as lesões de Raphael, operado ao menisco, Renato que desde o ano passado se encontra sem jogar por problemas num adutor e Micoli com um problema no menisco, desconhecendo-se ainda se vai ser operado.
Na semana passada Zé Zepas fracturou um osso do joelho, encontrando-se imobilizado e Vasco fracturou, na passada quarta-feira a clavícula em dois locais. Acresce ainda que o guarda-redes Zé Marçal esteve toda a semana retido em casa doente. Seis atletas que, certamente, ajudariam a equipa, caso pudessem dar o seu contributo.

Taça AF de Braga: União Moreirense, 1 – Águias Alvite, 2



Só um carvalho não fez sombra

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, recebeu e perdeu com o Águias de Alvite por 2-1. O resultado evidencia algum equilíbrio da partida. Os fafenses lutaram pelo resultado mas marcaram apenas um golo, através de Carvalho, mas não chegou para evitar a derrota frente a uma equipa mais experiente. Fica a boa réplica demonstrada.

Taça AF de Braga: Cavez, 0 – Antime, 4



Pedro bisou, Oliveira e
Billa também marcaram

O ANTIME, de Domingos Freitas, foi a Cavez e impôs-se com grande gala. Quatro golos sem resposta praticamente garantem a passagem da eliminatória pois só uma hecatombe poderia indicar o contrário.
Era o resultado que o Antime queria face ao objectivo a que se propões e nada melhor que um resultado robusto para dar moral no início da época.
Pedro bisou na partida e Billa e Oliveira também saborearam o gosto do golo.

Taça AF de Braga: Fornelos, 0 – Celoricense, 2


Pão-de-ló amargo

O FORNELOS, de Carlos Careca, perdeu, em casa, com o Celoricense por 2-0. O adversário é doutro campeonato e os de Santa Comba tentaram contrariar esse favoritismo. Por vezes quem pode tem muita força e o poderio do Celoricense acabou por fazer a diferença.

Taça AF de Braga: Arco de Baulhe, 3 – Travassós, 1


Deu mais em arco

O TRAVASSOS, de Fernando Ferreira, perdeu por 3-1 no terreno do Arco de Baúlhe em jogo da primeira-mão da primeira eliminatória da Taça AF de Braga. Ao intervalo os fafenses registavam um empate a uma bola, com Quinzinho a ser o autor do golo do Travassós.
Os fafenses criaram oportunidades suficientes para terem feito outro resultado mas o futebol é assim mesmo e a equipa da casa foi mais eficaz. O resultado ainda pode ser rectificado no jogo da segunda mão.

sábado, 12 de setembro de 2009

Divisão de Honra – AF Braga: Arões, 0 – Prado, 0

Texto e Fotos: Luís Peixoto/ http://viladearoes.blogspot.com/
.
Nulo abre época em Arões

O Arões abriu a época oficial com um empate a zero bolas frente a uma formação que a época passada jogava contra o Fafe no Campeonato Nacional. As oportunidades criadas pelos aronenses não se traduziram em golos que poderiam muito bem ter aparecido durante a partida.
Os cerca de 300 adeptos que assistiram ao jogo em Arões procuraram a sombra para assistirem a esta partida devido à temperatura elevada registada à hora do jogo.
Logo no pontapé inicial dado pelo Arões a equipa da casa tentou a velocidade de Broquinha para criar perigo. Decorridos 10 minutos de jogo, na sequência de uma falta que resultou em amarelo para a equipa do Prado e através da conversão de um livre por Romeu, no bico da área, César saltou mais alto que a defesa forasteira mas o seu toque na bola apenas resultou num pontapé de baliza depois desta ter saído pela linha de fundo.
Aos 15 minutos de jogo o Arões registou uma baixa importante. Romeu sentiu fortes dores nos gémeos e apesar da vontade de continuar em campo ser tal não foi possível, entrando, assim, para o seu lugar, Bruno. No primeiro canto da partida, aos 24 minutos de jogo, convertido por António, não resultou nenhuma jogada de perigo, depois de este ter sido convertido directamente para a baliza escapando a bola pela linha de fundo.
Piruta encantou os adeptos quando pegou na bola no lado esquerdo do Arões driblando, com fintas sucessivas, pelo corredor esquerdo, conseguindo fazer ainda uma “coxinha” numa jogada que culminou com um remate forte que não passou muito longe do poste esquerdo do Prado.
Na primeira parte, registe-se, também, um remate forte e baixo pela equipa do Prado, a cerca de 35 metros da baliza de Arões.
Na segunda parte, o Prado entrou melhor, conseguindo a posse de bola e obtendo uma série de cantos nos primeiros instantes. E aos 50 minutos de joigo, um remate de fora de área, imprevisível, colocado e com força bateu com estrondo na barra dos do Arões que até deixou o guarda-redes preso ao chão seguindo a bola apenas com os olhos.
A superioridade inicial registada pelo Prado foi diminuindo e o Arões através de um canto cobrado por Piruta poderia muito bem ter chegado ao golo por intermédio de Tiago que, de cabeça, colocou a bola nas redes laterais.
Não só através de cantos mas, também, através de livres, o Arões tentou chegar ao golo. No final do jogo um lance polémico “gelou” Arões, onde o guarda-redes aronense fica mal na fotografia, atrapalhando-se, deixou a bola fugir-lhe das mãos, depois da cobrança de um livre. O Prado ainda reclamou golo mas a equipa de árbitros deu por terminado o jogo.

Em jogo realizado no campo do Centro Para a Formação da Juventude de Arões, as equipas apresentaram:

ARÕES SC: Ricardo; Peixoto; Nuno; Zézinho; César; Vitinha; Piruta; Romeu (Bruno 13’); António; Tiago (Vasco 85’); Broquinha (Ângelo 80’). Treinador, Luís Gomes.

PRADO: João Pedro; Bruno Dias; Banana; Hernani; Joy; Martinho; Lelo; Sérgio; Lagoa (Pedro Reis 70’); Diego; Barroso. Treinador, João Santos.

Taça AF Braga: Agrupamento, 1 – Fermilense, 2



Luís Carlos entra com o pé direito

O Agrupamento de Santa Cristina, de Marcelo Fernandes, perdeu com o Fermilense de Luís Carlos por 2-1, em jogo a contar para a primeira-mão da primeira eliminatória da Taça AF de Braga.
A equipa fafense deixou-se surpreender em casa por uma formação do seu campeonato e com quem irá jogar forçosamente mais três vezes em jogos oficiais, ou seja, a segunda mão da primeira eliminatória e os dois jogos do campeonato. Normalmente, estes primeiros jogos, revelam as condições das equipas mas, estamos perante realidades diferentes. O Fermilense vai lutar para subir de divisão e o Agrupamento vai tentar fazer o melhor possível.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Fafe, 0 – Famalicão, 3

Texto e foto: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Meia parte de avanço

Os juniores da AD Fafe perderam por 3-0 com o Famalicão no jogo inaugural do campeonato, num resultado construído na primeira parte.
Os fafenses tiveram uma boa oportunidade através de Ivo, logo aos 13 minutos, mas este não quis ser egoísta e ao tentar servir um companheiro viu a bola ser interceptada pela coesa defesa famalicense.
Os primeiros 20 minutos disputaram-se sob o signo do equilíbrio, com ligeiro ascendente do Famalicão que chegou à vantagem precisamente ao minuto vinte, na sequência de um canto, em que Branco bateu a defensiva fafense de cabeça.
Ainda mal refeitos do primeiro golo e volvidos apenas três minutos, os famalicenses chegaram ao 2-0, através de Bruno, numa desatenção de todo o sector recuado do Fafe.
Em vantagem, os de Famalicão partiram para uma exibição segura, ao invés dos fafenses que revelavam alguma intranquilidade e a quem parecia nada correr bem. Daí as inúmeras dificuldades em chegar junto da área forasteira.
Aos 40 e 42 minutos o Fafe esteve perto de marcar, através de Fábio Teixeira, mas ao gorarem-se as oportunidades que relançariam a partida acabou por surgir o inesperado já perto do intervalo.
Aos 43 minutos o Famalicão chegou ao 3-0 e praticamente arrumou com o jogo. Bruno carvalho apareceu solto ao segundo poste a bater novamente os fafense. As bolas paradas são mesmo o forte dos famalicenses.
No segundo tempo, o Famalicão limitou-se a gerir o jogo apesar do Fafe arriscar um pouco mais, passando até, a partir dos 52 minutos, a jogar apenas com três defesas. Por ironia do destino, acabou por não sofrer golos quando tinha a defesa menos vulnerável.
Aos 79 minutos o Fafe esteve mesmo perto de marcar quando Ricardo de Cabeça, fez brilhar Maia que defendeu para canto.
De realçar que, ao contrário do que se esperava, os melhores jogadores dos Juvenis da época passada não foram sequer convocados, sendo certo que o treinador fafense é quem melhor conhece os jovens que treina todas as semanas e talvez tenha metido aqueles que, no seu entender, são mais experientes e lhe dão maior garantia.

Em jogo realizado no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, sob a orientação do árbitro Ricardo Coimbra (AF de Braga), auxiliado por António Ribeiro e Nicolas Oliveira, as equipas apresentaram:

AD FAFE: Luís; Beijinhos, Ricardo, Tiago Miguel, Nuno Carneiro (Sandro, 52’), Samora, Ivo Lopes, João Soares (Zé Brochado, 45’), Luís Carneiro, Ruben (Castro, 65) e Fábio Teixeira. Treinador, José Lopes.

FC FAMALICÃO: Maia; Sousa, Bruno Carvalho, Nuno, Alex, Kauskas, Álvaro, Nélson, Veiga (João Miguel, 65’), Bruno (Faria, 75’), e Branco (Rui Sousa, 59’). Treinador, José Lopes.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Amarelos, carneiro, 30 e Nelson, 85’.

MARCADORES: Branco, 20; Bruno, 23 e Bruno Carvalho, 43.

Jogo-treino: Fafe, 3 – Montalegre, 1


Só falta fazer o mesmo nos jogos

A AD Fafe venceu o Montalegre por 3-1, em mais um jogo-treino. Mais uma vez os fafenses mostraram terem uma equipa capaz de enfrentar com tranquilidade o Nacional da 3.ª Divisão. Os golos fafenses foram apontados por Silvestre, Cícero e João Nogueira.
No primeiro jogo da época, frente ao Amarante, as coisas não correram bem, ao invés do adversário de hoje, que na série A venceu o Fão em casa na primeira jornada do campeonato.
Os fafenses precisam de encarar os jogos oficiais com tranquilidade porque a equipa é boa e a qualidade do futebol, como se vê nestes jogos-treinos é muito superior à evidenciada em Amarante.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Fafe – Famalicão


Boa fornada entra em acção

A equipa de Juniores da AD Fafe estreia-se hoje para o campeonato 2009/2010, com a recepção que vai fazer ao Futebol Clube Famalicão, em jogo a disputar, pelas 17 horas, no campo n.º 2 do Municipal de Desportos.
A equipa fafense, orientada por Tenev, é constituida, na sua maioria, por jogadores de primeiro ano de juniores mas com uma tarimba especial pois, como se costuma dizer, são de uma boa fornada.

Juvenis Camp. Nac.: Diogo Cão - Fafe

.
Teste complicado

O terceiro jogo da temporada leva, novamente, os fafenses a Trás-os-Montes, para defrontar a formação do Diogo Cão.
Um jogo complicado para os pupilos de Miguel Paredes, face ao bom início de temporada dos transmontanos, que já venceram o Rio Ave, em casa, e empataram em Guimarães. Quanto aos fafenses ganharam fora ao Cachão e perderam em casa com o Freamunde.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Andebol – 1.ª Divisão: AC Fafe - Belenenses


Sábado 18 horas no Pavilhão Municipal

O Andebol Clube de Fafe regressa ao convívio dos grandes do Andebol Nacional já neste Sábado, pelas 18 horas, no Pavilhão Municipal de Desportos, na recepção ao histórico da modalidade, Belenenses.
A equipa de Óscar Freitas sofreu poucas alterações em relação á época passada, apenas com dois reforços conhecidos, mas vai encarar esta competição com a vontade de quem quer permanecer neste escalão e não de que veio só para ver como era.
Os jogos com os colossos nacionais do Andebol estão de regresso a Fafe e o Belenenses é o primeiro visitante ilustre da época.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Agrupamento de Santa Cristina – Época 2009/2010


Fazer o melhor possível

O Agrupamento de Santa Cristina prepara-se para iniciar a nova época ainda com o pensamento que a mesma, por muito pouco, podia ter sido um escalão acima. A realidade é que conta e o Agrupamento está na 2.ª Divisão e com ambição de fazer uma época no mínimo idêntica à que passou, embora sempre a pensar em melhor.
Marcelo Fernandes é o timoneiro da equipa e os jogadores já o conhecem, só quer vencer. No entanto o discurso é modesto, “fazer o melhor possível”.
Apesar da curta pré-época a equipa apresenta-se bem fisicamente e com muita vontade de entrar nas competições oficiais. A motivação está em alta e em Santa Cristina acredita-se numa boa época porque há união, estabilidade e companheirismo, com tudo isso, os resultados vão aparecer com naturalidade.
Uma palavra de apreço para o veterano Aníbal que é como o Vinho do porto, quanto mais velho melhor. A idade parece não passar por ele tal é o vigor que empresta ao jogo e os golos que marca.

PLANTEL PARA A ÉPOCA 2009/2010

GUARDA-REDES: Zé Luis e Sérgio

DEFESAS: Bruno, Ricardo Filipe, Ricardo Alberto, Laureano (Ex.S.Romao), Miguel, Cláudio, David (Ex.Antime), A.Daniel

MÉDIOS: Duscher, Ismael (Ex-treinador-adjunto do Travassós), Johnny, Serafim, Pinho (Ex-Treinador De Futsal Popular), Petit (Ex-Futebol Popular), Chinelo (Ex-Futebol Popular).

AVANÇADOS: Aníbal, Eurico, Torranha (Ex-Futebol Popular)

TREINADOR: Marcelo Fernandes. TREINADOR ADJUNTO: Vieira

Taça AF de Braga - 1.ª Mão – 1.ª Eliminatória


Arranque oficial da época

Algumas equipas de Fafe vão começar oficialmente a temporada 2009/2010, através da Taça AF de Braga, cuja primeira mão da primeira eliminatória se disputa este fim-de-semana. Arões, Pica e Silvares ainda não participam nesta eliminatória. Recorde-se que o Silvares (na foto) foi a equipa fafense que chegou mais longe neste troféu, na época passada, tendo sido eliminado apenas nas meias-finais pelo Águias da Graça, na marcação de grande penalidades.

O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, desloca-se ao terreno do Arco de Baúlhe e vai com a esperança de fazer um bom resultado que, volvidos 15 dias e após a primeira jornada do campeonato, lhe permita passar à segunda eliminatória.

O FORNELOS, de Carlos Careca, vai receber o Celoricense, num confronto que se prevê de dificuldade elevada para os fafenses. Porém, em Santa Comba, reina a vontade de fazer um resultado animador.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, joga em casa contra o Fermilense, de Luís Carlos. A equipa fafense parece estar forte esta temporada mas, do outro lado, está um treinador que é de Fafe e conhece os jogadores. Perspectiva-se um bom jogo de taça.

O ANTIME, de Domingos Freitas, viaja até Cavez e vai em busca de um resultado animador que lhe permita encarar, na semana seguinte, a primeira jornada do campeonato com a alegria e confiança que poderá trazer deste jogo da taça. É que o Antime só pensa em subir de divisão mas não querer perder nenhum jogo mesmo que seja da taça.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, vai receber o Águias de Alvite. Com um treinador novo, os de Moreira vão querer mostrar que algo mudou na colectividade e entre essas mudanças, a vontade de vencer todos os jogos passou a ganhar mais força e motivação.

DIVISÃO DE HONRA – AF BRAGA


Arões, Pica e Silvares juntos de novo na Divisão de Honra
.
O Campeonato Distrital da Divisão de Honra arranca este fim-de-semana com três clubes fafenses envolvidos na competição, o que não acontece pela primeira vez, já que em 2005/2006, precisamente as mesmas equipas se encontraram na Série B da Divisão de Honra. De salientar desde já que os três clubes são treinados por treinadores fafenses, todos eles ex-jogadores de futebol. No Arões, Luís Gomes, tenta dar seguimento ao bom trabalho que tem vindo a desenvolver. No Pica, Braga, estreia-se como treinador principal depois de muitos anos como adjunto, e no Silvares, Carlos Salgado, estreia-se a treinar neste escalão à frente de um projecto ligado à AD Fafe do qual se esperam resultados a médio prazo.

O ARÕES, recebe o Prado, uma equipa forte, com experiência de futebol nacional. Para os aronense este não seria, certamente, a equipa que escolheriam para inaugurar oficialmente a época. Foi o que o sorteio ditou e, sendo assim, nada há fazer que não seja encarar o jogo com o máximo de seriedade para entrar a ganhar na temporada. Todos sabem como o Arões joga em casa, seja qual for a equipa que venha ao Campo do Centro de Formação. Já lá perderam grandes clubes.

O PICA, desloca-se ao terreno do Cabeceirense, equipa recém-promovida e que viu parte dos jogadores que tinha “contratado” fugirem antes da época começar, assim como o treinador da subida. Mas no campo vão ser onze contra onze e o Pica também reformulou a sua equipa pelo que ainda está também à procura do enquadramento ideal para encarar os jogos com confiança. Os fafenses vão querer a vitória tanto como os que jogam em casa e entrar a vencer é entrar com o pé direito.

O SILVARES, tem missão mais que difícil em Porto D’Ave, equipa que se reforçou bem e tem aspirações a mais qualquer coisa que os regionais. Se assim não fosse não tinha ido buscar o segundo melhor goleador das duas épocas passadas, com mais de vinte golos marcados em cada uma, Manaus. O Silvares é estreante mas tem jogadores experientes e outros ainda verdes para estas andanças. Um resultado positivo neste primeiro jogo seria uma injecção de confiança para o clube e jogadores que abraçam um projecto novo que pode alterar muita coisa no futebol em Fafe.