.

.
.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Div. Honra: AF Braga: Pica - Apúlia


Ambos a precisarem de oxigénio

O Pica, penúltimo classificado, recebe o antepenúltimo, Apúlia, na luta pelo oxigénio que permita respirar melhor a ambos os conjuntos. Os da orla marítima vêm de um resultado positivo frente ao fafense Silvares, a quem surpreenderam na última jornada. Já os fafenses, depois da iniciarem o campeonato com uma vitória fora de portas, acumularam quatro derrotas, a última das quais em Martim. Este é o tal jogo para dar a volta aos acontecimentos.

Div. Honra: AF Braga: Silvares – Águias da Graça


Evitar os ninhos e atacar as águias

O Silvares recebe o Águias da Graça depois da surpreendente derrota sofrida no terreno do Apúlia que fez a equipa descer vários lugares na tabela classificativa.
Ninguém está à espera de grandes resultados por parte do Silvares. Só que, o bom início de época leva as pessoas a pensar que a equipa é capaz de os conseguir. Bateu-se bem com os melhores e perdeu com o então último. São coisas que acontecem no futebol. Aliás, este mesmo Silvares que foi campeão da I Divisão fez coisas semelhantes na época passada.

Div. Honra: AF Braga: Arões – Torcatense


Velhos conhecidos

Arões e Torcatense são, nesta divisão, dois prestigiados clubes. Aliás, institucionalmente têm boas relações, basta lembra o convite para o torneio Domingos Castro, e desportivamente são dois grandes rivais mas, como dizia o Zé Maria do Big Brother, no bom sentido. O Torcatense já festejou uma subida aos nacionais em Arões mas, cada jogo é um jogo e os aronenses não costumam facilitar em casa, apesar de, na presente temporada, o seu ataque se mostrar um pouco enferrujado. A época até nem está a correr mal e uma vitória sobre o rival fará os fafenses dar um salto na tabela.

1.ª Div. AF Braga: Bairro – Travassós


O melhor remédio é vencer

O Travassós viaja até Famalicão para visitar o Bairro Futebol Clube, onde jogará em terra batida, portanto, num terreno idêntico ao do campo dos Carvalinhos. O Bairro é sexto classificado e o Travassos é quinto, com dois pontos a separar as duas equipas. Para não descolar dos lugares da frente a equipa de Fernando Ferreira precisa mesmo de vencer este encontro, sendo certo que vem de uma derrota no campo do Guilhofrei, depois de um empate em casa com o Airão.

Futsal Feminino – Supertaça concelhia


Regadas - Serafão

Este sábado, dia 31 de Outubro, pelas 19 horas, vai realizar-se a Supertaça de Futsal feminino, em jogo a realizar no Pavilhão Multiusos, em Fafe, entre a formação do Regadas, vencedor do campeonato e da Taça na temporada passada e do Serafão, finalista vencido da taça.
A avaliar pelo jogo da final da Taça, prevê-se uma partida muito disputada e equilibrada. Falta saber agora se as equipas se reforçaram ou ficaram debilitadas em relação à temporada anterior, o quem poderá influenciar o resultado.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: Vila Meã - AD Fafe


Recuperar o poleiro

O Fafe perdeu o poleiro na última jornada com o empate consentido em casa com o Torre de Moncorvo. Agora tem uma oportunidade soberana de o recuperar jogar no terreno do actual líder, Vila Meã.
Não vai ser um jogo fácil quanto mais que é jogado num dia de emoções à flor da pele em que todos os jogadores vão querer dedicar a eventual vitória a uma pessoa muito especial que já tenha partido das suas vidas. O futebol é vida e emoção.

Nacional de Juvenis.: AD Fafe – Limianos


De volta ao trabalho

A série A do campeonato Nacional de Juvenis está de volta, após duas semanas de interregno e vai colocar frente a frente a AD Fafe com o Limianos. A equipa de Miguel Paredes vai encontrar uma formação que, à partida lhe é acessível e, como tal não pode facilitar no sentido de poder amealhar mais três preciosos pontos neste difícil campeonato.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Moreirense - AD Fafe


Manter a mesma bitola

Os juniores da AD Fafe deslocam-se ao concelho vizinho para defrontar a equipa do Moreirense. Depois de quatro vitórias consecutivas, os pupilos de Tenev, agora coadjuvado por Cunha, vão querer repetir a graça e manter a adrenalina das vitórias.
Os fafenses ocupam o segundo lugar da tabela com 17 pontos, 14 golos marcados e 5 sofridos e o anfitrião mora, de momento, na posição 9, com 12 golos marcados e outros tantos sofridos.

Campeonato Concelhio de Futsal

.
Dia 30 de Outubro

Ases de S. Jorge – Seidões (MU) 21H

Cepanense – Travassós – (GN) 22 H

Golães – Ara do Bugio (PM) 21H

Rumo Futuro – Vinhos (MU) 22 H



Dia 31 de Outubro

Ardegão – Fornelos (GN) 22H

Paços – Sol Poente (PM) 21H30

Aboim – Amigos de Fafe (GN) 21H

Rest. Granja – S.tª Luzia (PM) 22H30

Bombeiros – Arões (MU) 21H



PM – Pavilhão Municipal; GN – Grupo Nun’Álvares; MU –
Pavilhão Multiusos

Campeonato de Futebol Popular de Fafe


Jornada 4

Ribeiros – Pardelhas

Armil – S. Clemente

Fareja – Amigos Quinchães

Aboim – Serafão

Regadas - Marinhão

Futsal - AF Braga: Apulienses - Nun’Alvares


A banhos de (fut)sal

O Nun'Álvares desloca-se a casa dos Apulienses e vai aproveitar a orla marítima, não para apanhar banhos de sol mas para apanhar as “vaporizações de sal” necessárias que o deixem respirar durante o resto do campeonato. Claro está que só a vitória permitirá essa terapia.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Camp. Futebol Popular de Fafe – Resultados

.
Serafão, 1 – Fareja, 2

Marinhão, 0 – Amigos Quinchães, 1

Pardelhas, 3 – Armil, 2

Regadas, 4 – Ribeiros, 2

S. Clemente, 0 – Aboim, 0

Legião Estrangeira

.

LIGA SAGRES – Jornada 8

O VITÓRIA DE SETÚBAL, de Bruno Monteiro, recebeu e bateu o Leixões por 1-0. Agora sob o comando de um novo técnico, Manuel Fernandes, a equipa sadina procura um novo fôlego para sair dos últimos lugares da tabela. O fafense foi suplente não utilizado.


II LIGA – Jornada 7

O DESPORTIVO DAS AVES de Henrique e Jorge Duarte, perdeu em casa com o Fátima por uma bola a zero. É caso para dizer que os clubes da casa não fazem milagres. A equipa avense ocupa, nesta altura a 13.ª posição com sete pontos.

O GIL VICENTE, de Tiago André e Sandro, naufragou em casa com o Varzim, perdendo por 2-1. A equipa gilista encontra-se na quinta posição com 11 pontos. Entretanto, já realizou mais um jogo para a Taça da Liga, tendo empatado com o Blelenenses a uma bola resultado que eliminou a equipa do Restelo desta competição.


2.ª DIVISÃO B – Jornada 5


O VIEIRA SC, de Óscar e Pablo, empatou no terreno da AD de Lousada a zero bolas. Um ponto fora de portas não deixa de ser animador ainda que conquistado contra o último classificado. O Vieira é penúltimo e esta época regista apenas uma vitórias e um empate, acumulando três derrotas.


O FC MOREIRENSE, de Castro, venceu o Merelinense e está instalado no primeiro lugar da tabela classificativa. Esta foi, de resto a primeira derrota da equipa de Merelim no primeiro campeonato. O Moreirense, já se sabe, é candidato à subida de divisão.


3.ª DIVISÃO – Série A - Jornada 5

O MACEDO DE CAVALEIROS, de Eduardo, perdeu em casa com o MARIA DA FONTE, de Fredy, por 2-1. A equipa da Póvoa de Lanhoso é segunda classificada enquanto os transmontanos são quintos.

O MONTALEGRE, de Leonel e Ricardo Nogueira, ganhou ao AMARES, de Ismael,
por 3-2. Os homens da terra do oculto levaram a melhor sobre a formação do Concelho das laranjas. O Montalegre é agora o sexto classificado e o Amares o sétimo e ambos têm sete pontos.



3.ª DIVISÃO – Série B - Jornada 5

O SERZEDELO, de Ricardo Morais, foi perder ao terreno do Amarante por 4-1. A única derrota do Fafe foi precisamente no campo do Amarante que em casa parece fazer-se valer desse facto. O Serzedelo ocupa agora a oitava posição.

O JOANE, de Gil e Miguel Lemos empatou em casa com o Leça sem golos. Depois de um início prometedor a equipa famalicense está agora a derrapar um pouco. É sexta classificada.

REBORDOSA, de Paulo Freitas, empatou no terreno do Infesta a uma bola. A equipa do guardião fafense é dona do quinto lugar da tabela classificativa.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Andebol: 1.ª Divisão: Águas Santas, 26 - AC Fafe, 23

Texto: Associação de Andebol de Braga

A cruz tarda em chegar ao Calvário

Álvaro Martins iniciou-se no Sábado no Fafe, mas a sua estreia não conseguiu transformar-se num factor de motivação suplementar para a sua nova equipa.

O jogo A. Santas – Fafe era o ideal para o Fafe encetar uma recuperação? No plano da utopia, poderia deixar essa leitura nas entrelinhas, dado o mau momento que o A. Santas também atravessa. Mas numa leitura sem emoção, o Fafe tinha apenas 25% do favoritismo no jogo. Há excepções, mas quase sempre prevalece a regra. Foi o que aconteceu no sábado na Maia.

Por momentos, ou melhor por 30 minutos, ainda ficou a sensação que era desta vez que o Fafe ia conseguir levar a cruz ao calvário. Não foi, e, inexplicavelmente, numa situação que não é virgem, após uma primeira parte disputada com intensidade e que terminou com uma vantagem de 1 golo para o A. Santas, deixou-se cair nos dez minutos iniciais da 2ª parte, sofrendo 7 golos, marcando apenas 2, hipotecando assim qualquer possibilidade de discutir o resultado.

Vem aí um providencial descanso de 15 dias, que poderá ser aproveitado para rever todo o processo evolutivo da equipa, bem como para preparar novas soluções que acrescentem mais valia à equipa.

Camadas Jovens – AF de Braga - Resultados

JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

S. Paio, 0 – Antime, 3

Travassós, 2 – Prazins, 1

Estorãos, 3 – Celoricense, 3



JUVENIS – 2.ª Divisão – Série D

Vasco da Gama,2 - Golães, 1

Celoricense, 2 - Ases S. Jorge, 0



INICIADOS - 1.ª Divisão – Série C

AD Fafe, 7 – Amigos Urgeses, 2



INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Ases de S. Jorge, 14 – Airão, 0


INFANTIS – SÉRIE I

Fair Play, 0 – Fafe, 1

Ases, 2 - Tabuadelo, 4


INFANTIS – SÉRIE J

Fafe, 1 – Vitória Guimarães, 4

Ases S. Jorge, - Os Craques

Vizela – Arões (Adiado)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Campeonato Concelhio de Futsal - Resultados

Colaboração de Francisco Barbosa
.
SÉRIE A

Vinhós, 3 - Santa Luzia, 3
Amigos Fafe, 2 – Golães, 2
Rumo Futuro, 0 – Aboim, 3
Rest. Granja, 7 – Bombeiros, 1
Ara Bugio, 4 – Arões, 3

SÉRIE B
Santo Ovídio, 1 – Ases S. Jorge, 2
Seidões, 3 – Ardegão, 5
Fornelos, 4 – Cepães, 5
Sol Poente, 3 – Travassós, 3
Folgou o Paços





XI Jornadas Nacionais de Pedestrianismo - Fafe 2009

.
O Papel do Pedestrianismo no
desenvolvimento sustentável do Turismo


14 e 15 de Novembro 2009 - Fafe


Auditório Dr. António Marques Mendes
IESF – Instituto de Estudos Superiores de Fafe

Inscrições: Grátis

Dia 14 de Novembro (sábado)

09:30/10:00 – Recepção e Boas Vindas10:00 – Sessão de abertura

10.30/12.30:
PAINEL I – PEDESTRIANISMO, UM CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE?
12:30/14:00:
Almoço


14:00/17:00:
PAINEL II – ESTUDO DE CASOS: Impactos do Pedestrianismo


17:00/18:30:
PAINEL III – PERCURSOS TEMÁTICOS: Turismo de Experiências

18:40: Magusto e animação cultural – Parque de Lazer de Medelo

Dia 15 de Novembro (domingo)10:00
Percurso Pedestre “Trilho Verde da Marginal” - do pensamento à realidade.

12:30
Almoço

14:30
Visita ao Moinho de Vento e Museu do Povo de Aboim

15:30
Encerramento

Organização:
- Restauradores da Granja – Pedestrianismo
- Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal
- IESF – Instituto de Estudos Superiores de Fafe – Turismo


Apoios:
- Câmara Municipal de Fafe
- Naturfafe
- Junta de Freguesia de Fafe
- Junta de Freguesia de Medelo


Colaboração:
- Montelongo Desportivo http://montelongodesportivo.blogspot.com/

- Jornal “Correio de Fafe”
- Jornal “Povo de Fafe”

domingo, 25 de outubro de 2009

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe, 1 – T. Moncorvo, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Não era dia do Fafe
mas sim de S. Victor


A equipa do Torre de Moncorvo apresentou-se em Fafe com muito atrevimento e a querer discutir o resultado com os fafenses. Durante a primeira parte conseguiram jogar “taco a taco” mas no segundo tempo o seu guarda-redes, Victor e a sorte fizeram com que os transmontanos levassem de Fafe um ponto, de resto muito festejado pelo seu treinador. Este resultado custou o primeiro lugar aos fafenses agora ocupado pelo Vila Meã, próximo adversário do Fafe, que tem agora mais um ponto que os fafenses.
O Fafe começou bem o jogo, bem demais até, com Filipe a disputar uma bola a meio campo, esta a sobrar para Cícero que isolou o mesmo Filipe e este quando tocou na bola foi derrubado pelo guarda-redes Victor, naquele que foi o único erro deste atleta do Moncorvo, tendo estado, de resto, irrepreensível, sendo, até, o homem do jogo pelas defesas decisivas que fez. Vítor Hugo encarregou-se de converter a grande penalidade em golo.
A equipa do nordeste transmontano não se apoquentou com o golo sofrido e partiu em busca do prejuízo. Não foi preciso muito tempo para chegar ao empate. Ao minuto sete Jaime aproveitou uma grande confusão na área do Fafe para empurrar a bola para a baliza.
Dois minutos depois o mesmo Jaime disparou para defesa apertada de Nuno Dias.
O Fafe não aproveitava da melhor maneira as ocasiões que tinha para marcar. Aos 13 minutos, dentro da área, Vítor Hugo atirou à figura. O Torre de Moncorvo respondia e depois de boa jogada de Jaime, Flávio atitou ao lado.
Aos 18 minutos excelente investida de Mike, a solicitar Cícero e este a rematar para defesa de Victor.
Aos 31 minutos foi Nuno Dias a negar o golo a Elísio. Dois Minutos depois Victor nega o golo a Silvestre depois de uma grande jogada deste. Aos 37, Cícero rematou à meia volta para defesa aparatosa de Victor com os pés.
No segundo tempo o Fafe entrou melhor e desde cedo mandou no jogo. Logo aos 48 minutos, Cícero e Vítor Hugo, este último por duas vezes, não conseguiram marcar e viram Victor a brilhar de novo. Aos 55, Cícero solicita Vítor Hugo que remata ao lado. Aos 59’ Filipe não chega à bola que Victor defende e Cícero falha a emenda. Aos 62, remate de Victor de fora da área mas Victor defendeu com os pés. Aos 66, Jader rematou a bola tabelou num defesa mas, gritou-se golo, mas Victor fez uma defesa do outro mundo.
A partir dos sessenta minutos o Torre de Moncorvo começou a denotar problemas físicos e os seus jogadores começaram a atirar-se ao chão para receber assistência, o que não agradava aos fafenses.
A equipa de Moncorvo esteve retraída no segundo tempo até aos 73 minutos, altura que voltou a espevitar e a criar contra-ataques venenosos. Precisamente ao minuto 73 valeu Zé Manel ter oferecido o corpo à bola para evitar golo de Flávio. Aos 75, Elísio rematou com muito perigo. Aos 78, foram dois os homens de Moncorvo a precisarem de ajuda ao mesmo tempo. Aos 80, Jader cruzou para Filipe, de cabeça, atirar ao lado.
O Torre de Moncorvo espreitava sempre o golo e aos 81 minutos Sérgio obrigou Nuno Dias a defesa apertada. Aos 82, Cícero, de cabeça, atirou ao lado.
O árbitro mandou anunciar seis minutos de compensação mas acabaram por ser sete. Precisamente no último desses minutos João Nogueira, de calcanhar, solicitou Filipe e este atirou ao poste direito da baliza guardada por Victor. Não era mesmo o dia do Fafe.

Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro: Luciano Silva (CA Porto), auxiliado por Paulo Costa e Nelson Pascoal.

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Miguel Mendes, Mike (João Nogueira, 77’), Silvestre, Delfim (Rui Gonçalves, 55’), e Josi; Filipe, Cícero e Vítor Hugo (Jader, 57’). Treinador, Carlos Condeço.

TORRE DE MONCORVO: Victor; Fernando, Zé Borges e Glauber (Sérgio, 72’), Alexandere (Leandro, 96’), Paulo Dores, Filipe, Flávio, Elísio, Jaime e Baba (Pedro Borges, 61’). Treinador, Sílvio Carvalho.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Vítor Hugo, 36’ e Filipe (T.M.), 71’.

MARCADORES: Vítor Hugo, 3’(g.p.) e Jaime, 7’.

Div. Honra: AF Braga: Apúlia, 2 – Silvares, 0

.
Naufrágio junto ao farol

Quis o destino que o Silvares tivesse a primeira derrota com o até então último classificado desta divisão o Apúlia.
Desta vez a equipa de Carlos Salgado não esteve tão feliz como de costume e sofreu dois golos logo nos minutos iniciais da partida. Com uma desvantagem destas não era fácil recuperar no marcador mas um golo daria novo alento. Foi esse golo que faltou aos fafenses para poderem discutir o resultado após estarem a perder por dois. Há dias assim e os fafenses acabam por naufragar mesmo no farol, com a lanterna vermelha ali à vista.

Div. Honra: AF Braga: Cabeceirense, 1 – Arões, 1

Foto: Rui Silva
.
Surpresa pela negativa

Não há vencedores antecipados mas ninguém estava à espera de outro resultado do Arões que não fosse a vitória. Assim não foi porque os fafenses estiveram a vencer mas consentiram o empate.
A equipa de Luís Gomes teve um dia mau em Cabeceiras de Basto onde as coisas não correram como o esperado. Os jogadores não são máquinas e por vezes o esperado não acontece. Tiago colocou os fafenses a vencer aos 34 minutos, no entanto os de Basto empataram a contenda a cerca de dez minutos do fim. Tá feito tá feito. Não vale a pena pensar mais nisso, ou melhor, é preciso transformar este dia mau num dia de glória já no próximo jogo.

Div. Honra: AF Braga: Martim, 3 – Pica, 0

.
Melhores dias virão
.
O Pica perdeu em Barcelos, com a formação do Martim por 3-0. Os barcelenses tinham perdido na semana anterior em Silvares e agora vingaram-se contra outra equipa fafense. A equipa de Braga não está a ter um campeonato nada fácil neste início de temporada. Este adversário também não era o ideal para se começar uma recuperação. Havia no entanto a esperança de um bom resultado que acabou por não acontecer. Não se pode baixar os braços porque ainda falta muito campeonato e melhores dias virão.

1.ª Div. AF Braga: Guilhofrei, 3 – Travassós, 1

Foto: Gil Soares
.
Fafenses começaram melhor mas…

O Travassós de Fernando Ferreira não conseguir vencer no terreno do maior rival da época passada, Guilhofrei, onde perdeu por 3-1.
Começou melhor a equipa fafense que esteve a vencer até perto do intervalo com um golo de Quinzinho, altura em que a equipa do concelho de Vieira do Minho empatou a contenda.
O resultado ficou consumado à passagem da meia hora da segunda parte com o 2-1 e passados cinco minutos o 3-1 a favor do Guilhofrei.

sábado, 24 de outubro de 2009

Futsal - AF Braga: Nun’Alvares, 5 – Cabeçudense, 0


Música coral amansou “Gigantones”

O Nun'Álvares recebeu a equipa da freguesia de Cabeçudos, do concelho de Famalicão e venceu por uns concludentes 5-0. Não se pense que foi um jogo fácil, pois a equipa famalicense controlou praticamente toda a primeira parte, sem no entanto criar grandes oportunidades de golo.
O Nun'Álvares entrou mal no jogo, deixou-se manietar pelo adversário e estava constantemente na situação de defesa. Apesar desta situação e valendo-se da maior experiência e valia da equipa, os homens de Nelo Barros conseguiram adiantar-se no marcador, na sequência de um canto em que Bruno Portas aparece de trás a dinamitar por completo a defesa adversária. Foi um remate muito potente a que o guardião contrário não conseguiu responder. Pensava-se que com a inauguração do marcador, outros golos se seguiriam, mas João Nuno estava desinspirado, pois dispôs de três boas ocasiões que não conseguiu aproveitar.
Terminou a primeira parte com o resultado em 1-0, que acabava por ser lisonjeiro para os forasteiros, já que as únicas oportunidades de golo tinham sido da sua área.
Na segunda parte voltaram a entrar muito contraídos os elementos do Nun'Álvares e não conseguiam materializar a maior valia técnica em golos, até que César, numa insistência, elevou para o 2-0. Estava-se nos primeiros minutos do segundo tempo e finalmente os nunalvaristas ficavam mais soltos. Cerca dos dez minutos, houve uma situação que foi boa para os fafenses, mas que poderia ter mudado um pouco o desenrolar do jogo.
Um atleta do Cabeçudense rematou forte e a bola bateu nos dois postes e saiu, tendo a equipa da casa marcado o terceiro golo por Talocha, no seguimento da jogada. De um possível 2-1, passou-se para um 3-0 e ficou tudo mais ou menos resolvido. João Nuno acabou por incluir-se nos marcadores do jogo, na mais bela jogada do desafio, com uma movimentação rápida em que em apenas três toques acabou com a bola dentro da baliza. Mário desmarcou Hugo na ala direita e este de primeira colocou a bola ao segundo poste onde apareceu João Nuno a marcar. Tentaram os famelicenses alterar o resultado com a colocação do quinto elemento no ataque, mas os fafenses não estiveram pelos ajustes e num roubo de bola, Banana e Paulo trocaram-na entre eles acabando Paulo por isolar Banana que se limitou a empurrar a bola para a baliza. Estava feito o resultado final, acabando por conseguir um resultado que até acaba por ser justo se contabilizarmos as oportunidades que cada equipa desfrutou.

O NUN'ÁLVARES ALINHOU COM: Cunha; Hugo, César, Bruno Portas e João Nuno. JOGARAM AINDA: Mário, Pisco, Banana, Paulo, Talocha e Remy (estreou-se na baliza do Nun'Álvares). TREINADOR: Nelo Barros.

2.ª Div. AF Braga: Fornelos, 2 - J. Nespereira, 1


Diabruras do menino André

O Fornelos voltou a vencer, desta vez em casa, frente à formação da Juventude de Nespereira. A equipa de Carlos Careca não foi nas cantigas da “juventude” e mostrou uma orquestra mais experiente e melhor afinada.
Quem esteve em especial destaque na partida foi André, jogador que não se fez rogado e apontou os dois golos que deram a vitória aos verdinhos de Santa Comba que, com este resultado, ficam numa posição qualitativa na tabela classificativa. O menino André tem destas coisas: marcar golos e jogar bom futebol.
Esta equipa do Fornelos é um de estudo. Um conjunto de elementos bastante unidos e identificados com o seu treinador, com alguns deles a poderem representar clubes de outra dimensão mas a preferirem manter-se em família.

2.ª Div. AF Braga: Antime, 1 - União Moreirense, 1


Amigo empata amigo

Tal como se previa, amigo empatou amigo, ou seja, uma equipa fafense empatou com outra equipa fafense e, na perspectiva de quem vê as coisas de fora e torce por todas as equipas de Fafe, ambos perderam dois pontos.
Esmiuçando melhor, porém, chega-se à conclusão que o União Moreirense fez um bom resultado, a confirmar a mudança de atitude em relação a épocas anteriores e o Antime, candidato assumido à subida de divisão, deveria ter feito um pouco mais. Assim, a equipa de Arlindo Silva, cujo comando foi assumido, excepcionalmente neste jogo por João Lira, revela-se, no que a equipas de Fafe diz respeito e não só, como a surpresa desta série. Quanto ao Antime, de Domingos Freitas, vai ter de agitar-se mais um pouco para ganhar gás e aumentar a chama. Esta divisão é muito pouco para a grandeza e historiual de uma equipa como o Antime.
Resta falar dos marcadores dos golos de um jogo que ao intervalo registava um empate a zero bolas. Pedro adiantou o Antime no marcador mas Neves, já no declinar da partida, restabeleceu a igualdade.

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe, 2 – Diogo Cão, 0

Texto e foto: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Grande atitude

Os juniores da AD Fafe venceu a formação transmontana do Digo Cão por duas bolas a zero, resultado feito durante o primeiro tempo. Na segunda parte a partida ficou marcada pela expulsão do fafense Sandro e as situações de golo escassearam por parte dos dois conjuntos. Depois de dominar no primeiro tempo, os fafenses tiveram que se reorganizar no segundo, trocando a inspiração pela transpiração, numa missão de sacrifício e de grande atitude.
A equipa do Concelho de Vila Real teve algumas dificuldades em se adaptar ao relvado fafense que, devido à chuva se apresentou com um piso muito rápido. Ora, como o Diogo Cão procurava jogar nas costas da defesa fafense, a bola acabava por ganhar muita velocidade e ficar no poder do guardião fafense, Luís, que se encarregava de a despachar depressa da sua zona de jurisdição. Foram várias as situações em que o guardião fafense teve de intervir em lances semelhantes.
O Fafe chegou à vantagem ao minuto 12. João Miguel, junto da meia lua, fez uma recepção de bola perfeita de costas para a baliza, com um toque subtil iludiu o adversário e ficou em posição de remate, o disparo foi estrondoso mas a bola bateu na trave e ficou à mercê de Sandro, que, de cabeça, inaugurou o marcador, com o guardião André ainda a tocar na bola.
O Fafe animou e o guarda-redes transmontano voltou a estar em foco aos 16 minutos para evitar o golo de João Victor que penteou a bola na sequência de um livre.
O Diogo Cão fez o primeiro remate à baliza aos 18 minutos, através de João Pedro I, com a bola a sair ao lado.
A referência atacante dos forasteiros era Mário, que acabou quase sempre anulado pela eficácia defensiva fafense.
Aos 27 minutos o Diogo Cão teve uma contrariedade ao ver Sigra lesionar-se. De referir que a equipa tinha trazido para este jogo como jogadores suplentes apenas quatro jogadores sendo um deles guarda-redes.
Aos 34 minutos a equipa que viajou de Trás-os-Montes ganhou algum espaço no meio campo fafense o que proporcionou a José Pedro II um remate muito forte sem, contudo, ter acertado no alvo.
Aos 38 minutos, na sequência de um canto e após uma série de carambolas, Ivo conseguiu furar a muralha der pernas que tinha à frente e fazer o 2-0 para o Fafe.
No segundo tempo e após quatro minutos de jogo, Sandro respondeu da forma menos correcta a uma falta e provocação de um adversário e viu o cartão vermelho directo. Essa situação condicionou o jogo ofensivo do Fafe e deu ânimo e alento ao Digo Cão para se aventurar mais no ataque.
É nas horas difíceis que se costuma ver os homens e foi isso que aconteceu nesta partida depois do Fafe ficar reduzido a dez unidades. A malha defensiva fafense apertou e foi impedindo com muita eficácia as investidas do opositor que não encontrou grandes linhas de passe. Aos poucos os fafenses foram-se retraindo para o seu meio campo embora o Diogo Cão não tirasse qualquer dividendo dessa situação. Diga-se em abono da verdade que os transmontanos fizeram tudo para tentar marcar um golo que lhe desse novo alento.
Nas poucas oportunidades de que dipôs no segundo tempo, o Fafe podia ter facturado aos 66 minutos com Ruben a ganhar espaço mas a precipitar-se na hora do remate. Aos 78 foi Samora a interceptar um passe do guarda-redes André, mas o médio fafense adiantou a bola em demasia e permitiu defesa fácil.
O Digo Cão voltou a pressionar nos momentos finais da partida e esteve muito perto de marcar aos 81 minutos, através de José Carvalho, que viu Rampa tirar a bola na linha de golo. Aos 87 foi João Pedro II a atirar ao lado, de cabeça.

Em jogo realizado no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, sob a orientação do árbitro Daniel Cardoso (CA de Aveiro), auxiliado por Bessa Silva e Nelson Cardoso, as equipas apresentaram:

AD FAFE: Luís; João Pedro, Tiago, Rampa, Ivo Lopes, Toka, Samora (Soares, 86’), João Victor, Ruben (Mota, 75’), João Miguel (Teixeira, 65’) e Sandro. Treinador, Ténio Tenev.

DIGO CÃO: André; Rui (José Ribeiro, 65’), Mourão, Sigra (José Carvalho, 29’), Mário, José Pedro I, José Pedro II, Eduardo, Roke, Bento (Carvalhais, 84’) e Cocas. Treinador, Nuno Barbosa.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Amarelos, José Pedro I, 15’; Mourão, 42’; Rui, 49’; Fábio Teixeira, 72’; Samora, 79’ e Mota, 90’+2’.

MARCADORES: Sandro, 12’ e Ivo, 38’.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

AD Fafe revelou atletas estudiosos

Texto e fotos: João Carlos Lopes

Escola e desporto
de mãos dadas

O Departamento de Formação da AD Fafe levou a efeito, nesta noite de sexta-feira (dia 23 de Outubro), a entrega dos troféus e diplomas aos atletas que mais se destacaram a nível escolar, durante a época 2008/2009.
Com o auditório da AD Fafe completamente cheio, os estudiosos atletas foram chamados ao palco onde se encontravam directores de alguns estabelecimentos de ensino de Fafe, o presidente da AD Fafe, o responsável do Departamento do Futebol Juvenil do Clube e o vereador do pelouro desportivo da Câmara Municipal de Fafe.
Esta cerimónia visa “homenagear os atletas que se destacaram no aproveitamento escolar, que foram grandes exemplos de empenhamento, dedicação e espírito de sacrifício, e que foram capazes de fazer bem o trabalho com os treinadores e os seus colegas mas ao mesmo tempo foram os alunos mais esforçados, mais entusiasmados e mais envolvidos com a escola”.
Os responsáveis da AD Fafe consideram “ser perfeitamente possível ser bom jogador e bom aluno ao mesmo tempo”.
É louvável de facto o desempenho escolar destes alunos que, ao mesmo tempo praticam desporto, sacrificando-se um pouco mais para honrar os compromissos escolares, mais aqueles que assumiram moralmente em representar o clube com honra e dignidade, buscando a felicidade das vitórias e revelando companheirismo nas derrotas, bem como o respeito pelo adversário e por todos os agentes desportivos.


E os premiados são:

ESCOLAS A
João Pedro Fernandes
João Pinto
João Marinho
Pedro Gomes

ESCOLAS B
Eduardo Fernandes

INFANTIS
Nuno Bento

INICIADOS
Francisco Castro

JUVENIS
José Brochado

JUNIORES
José Ribeiro

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe – Torre de Moncorvo


Em defesa da torre

A AD Fafe recebe a formação do Torre de Moncorvo, actual sexto classificado mas com apenas dois pontos de desvantagem para os fafenses. À priori não se afigura um jogo fácil para os comandados de Carlos Condeço. Vai ser uma torre a lutar contra outra, ou seja, o Fafe, neste momento está na torre da classificação e tem que se resguardar da outra torre, o adversário. A equipa fafense, á excepção do primeiro jogo com o Amarante, tem, mostrado argumentos para merecer o lugar que ocupa. Neste interregno da Taça de Portugal fez um jogo treino em Moreira de Cónegos e devolveu ao Moreirense a derrota que tinha sofrido em jogo idêntico realizado semanas antes em Fafe. O golo fafense nessa partida foi da autoria de Silvestre. A jogar em casa, a equipa fafense não pode desperdiçar a oportunidade de reforçar as defesas da torre. É que quem está em cima leva sempre vantagem. Um passo em falso e a torre já era. Há outros povos de vista nela para reinarem neste campeonato.

Futsal - AF Braga: Nun’Alvares – Cabeçudense

.
Quem tem medo dos cabeçudos?
.
O Nun'Álvares recebe o cabeçudense em jogo a contar para quarta jornada do campeonato Distrital de Futsal, ainda que este, por força do descanso na primeira jornada, seja apenas o terceiro jogo dos fafenses. Uma vitória e uma derrota são o pecúlio conquistado até agora. O Cabeçudense venceu um jogo e perdeu dois. A exemplo das duas jornadas anteriores esta é mais uma equipa do Concelho de Famalicão no caminho dos fafenses. É preciso acreditar.

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe – Diogo Cão


Luta de galos

Os juniores da AD Fafe vão receber o Diogo Cão. Um jogo que coloca em confronto duas equipas com os mesmos pontos no campeonato mas com diferença entre golos marcados e solos sofridos. A equipa do Diogo Cão ocupa a segunda posição com 14 golos marcados e sete sofridos. O Fafe é terceiro com doze golos marcados e cinco sofridos. Do ataque dos transmontanos para o dos fafense vão dois golos a favor dos primeiros. Já no que diz respeito à defesa o Fafe leva a melhor precisamente pela mesma diferença. Vamos estar perante duas equipas com um percurso muito semelhante, ambas com quatro vitórias, um empate e uma derrota. Pela aragem já se vê que vai ser um grande jogo de futebol com os dois conjuntos a lutar pela segunda posição. Também pode acontecer que pode ficar tudo na mesma ou beneficiar terceiros.

Div. Honra: AF Braga: Cabeceirense - Arões


Ataque tem que perder a vergonha

O Arões volta a jogar fora de portas, desta vez em Cabeceiras de Basto, frente à equipa local. Já se sabe que o Arões ainda não sofreu qualquer golo nesta temporada. À “agressividade” da defesa contrapõe-se alguma “vergonha” do sector atacante que só apontou dois golos em quatro jogos, todos na mesma partida, o que dá uma média de meio golo por jogo. É preciso menos perfume e mais cheiro a cavalo para abanar as redes mais vezes.

Div. Honra: AF Braga: Apúlia - Silvares


Cuidado com os últimos

Lembram-se daquele ditado que diz: “guarda-te dos amigos que os inimigos sabes quem são”?. O Silvares desloca-se ao recinto do último classificado, o Apúlia, mas terá que ter a mesma concentração e dignidade como se for jogar com o primeiro. A equipa marítima anda à procura da primeira vitória e os fafenses não costumam facilitar nem a brincar que nem é o caso. Com a atitude do costume, o Silvares fará um bom resultado.

Div. Honra: AF Braga: Martim – Pica


Levantar a cabeça

O Pica viaja até Barcelos onde defrontará o Martim. A equipa do técnico Braga está apostada em mudar a atitude e o rumo aos acontecimentos. As três derrotas consecutivas deixam mossa. Ricardo Barbosa e S. Martinho já não fazem parte do plantel, o primeiro foi titular frente ao S. Torcato e o segundo estava lesionado. O Martim não está também nos seus melhores dias mas em casa costuma mandar quem pode. No entanto nem sempre é assim e o Pica vai tentar contrariar o adversário para que possa começar a levantar a cabeça e seguir caminho.

Regionalona - Jogos

.
1.ª Divisão - Série B

O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, desloca-se ao terreno do Guilhofrei. Na época passada a equipa de Vieira do Minho ficou à frente dos fafenses na 2.ª Divisão. Nesta temporada os fafenses, por enquanto estão melhor.


2.ª Divisão - Série D
.
O FORNELOS, de Carlos Careca, recebe o Juventude de Nespereira. Os fafenses estão numa boa onda neste início de campeonato. Os vimaranenses só registam empates mas têm menos um jogo.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, deslocava-se ao terreno do S. Romão. Porém esta equipa ainda não efectuou nenhum jogo esta temporada.

O ANTIME, de Domingos Freitas, recebe o UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva. Os antimenses não têm tido um bom arranque. Em dois jogos efectuados para o campeonato nem marcaram nem sofreram golos. Já a equipa de Moreira de Rei, que será orientada por João Lira nesta partida, por ausência justificada de Arlindo, tem sido a sensação do campeonato. Isto tendo em conta as modestas prestações de épocas anteriores. Vamos ter dérbi em Antime pois as duas equipas prometem espectáculo e nestes jogos entre caras conhecidas ninguém gosta de ficar a chorar, pelo contrário, todos se querem rir.

O FERMILENSE, de Luís Carlos, recebe o Águias de Alvite em mais um duelo de Basto. Nesta altura, por força dos resultados, as águias andam a voar baixo. Será que os caçadores de Fermil as conseguem abater?

Camadas Jovens – Jogos

.
JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

S. Paio - Antime

Travassós – Prazins

Estorãos – Celoricense


JUVENIS – 2.ª Divisão – Série D

Vasco da Gama - Golães

Celoricense - Ases S. Jorge


INICIADOS - 1.ª Divisão – Série C

AD Fafe – Amigos Urgeses


INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Ases de S. Jorge – Airão

Andebol: 1.ª Divisão: Águas Santas - AC Fafe


Santas águas para os fafenses

O AC Fafe desloca-se ao recinto do Águas Santas ainda na corrida pela primeira vitória no campeonato. A formação do Concelho da Maia não é um adversário fácil para os fafenses. Perante o naipe de equipas deste escalão, nenhum conjunto é fácil. Os fafenses só terão que tentar contrariar o favoritismo do adversário.

Campeonato Concelhio de Futsal - Jogos


Dia 23: Santo Ovídio – Ases: 21 horas Pavilhão Multiusos
Dia 24: Seidões - Ardegão: 22 horas Pavilhão Municipal
Dia 23: Fornelos – Cepães: 22:30 horas Pavilhão Municipal
Dia 24: Sol Poente – Travassós: 22 horas Pavilhão Nun’Álvares
Folga o Paços

Dia 23: Vinhos - Santa Luzia: 21:30 horas Pavilhão Municipal
Dia 24: Amigos Fafe – Golães: 21 horas Pavilhão Nun’Álvares
Dia 24: Rumo Futuro – Aboim: 22:30 horas Pavilhão Multiusos
Dia 23: Rest. Granja – Bombeiros: 23:30 horas Pavilhão Multiusos
Dia 24: Ara Bugio - Arões: 21:30 horas Pavilhão Municipal

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

2.ª Divisão Distrital – O seu a seu dono


OFC Antime tem a melhor defesa e
União Moreirense o melhor ataque


Induzidos em erro pela fonte consultada escrevemos em notícia certa neste blog que o Fermilense detinha a melhor defesa e o melhor ataque da 2.ª Divisão Distrital - Série D. Erramos e penitenciamo-nos por isso. Na verdade quem detém a melhor defesa desta série com zero golos sofridos é a formação do OFC de Antime, comandada por Domingos Freitas e o melhor ataque pertence a outra equipa fafense, o União Moreirense, liderada por Arlindo Silva, com sete golos marcados. O Fermilense de Luís Carlos é o líder desta série mas não detém a melhor defesa nem o melhor ataque como se escreveu, disso nos penitenciamos, pedindo desculpa aos visados.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Campeonato Concelhio de Futsal – Resultados

.
Série A - 1.ª jornada
.

Ara, 1 – Granja, 1
Amigos, 3 – Vinhós, 2
Rumo, 0 – Arões, 6
Golães, 4 - Santa Luzia, 4
Bombeiros, 2 – Aboim, 4


Série B - 1.ª jornada

.
Ardegão, 1 - Santo Ovídio, 1
Sol Poente, 4 – Fornelos, 2
Passos, 4 – Cepães, 0
Travassós, 1- Seidões, 2

O Ases de S. Jorge ficou isento

Fermilense de Luís Carlos lidera isolado


Técnico fafense em alta

O Fermilense, equipa orientada pelo técnico fafense, Luís Carlos, lidera a série D do Campeonato Distrital da 2.ª Divisão. A equipa de Fermil de Basto comanda invicta a classificação, com três vitórias em três jogos.
Depois de ter descido de escalão a equipa deste jovem treinador parece apostada em regressar à 1.ª Divisão Distrital. Para já, neste início de temporada, tem mostrado argumentos para isso.

Taça AF Braga: Juniores/Juvenis

Sorteio da 2.ª eliminatória

O sorteio da segunda eliminatória da Taça AF de Braga em Juniores ditou o embate entre o Antime e o Porto D’Ave, com os antimenses a jogarem em casa. O Estorãos ainda não realizou o jogo da primeira eliminatória ante o Santa Maria. Caso vença, terá que defrontar, fora de portas, o Antas.

Em Juvenis o Sorteio ordenou a deslocação do Golães ao terreno do Cavalões.

LEGIÃO ESTRANGEIRA


Taça de Portugal – 3.ª Eliminatória

O VITÓRIA DE SETÚBAL, de Bruno Monteiro, venceu o Atlético da 2.º divisão B, por 2-0, no campo do adversário e segue em frente na Taça. O jogador fafense foi suplente não utilizado.


O GIL VICENTE, de Tiago André e Sandro venceu a formação do Nelas, da 3.ª Divisão, por 6-1, pelo que carimbou o passaporte para a eliminatória seguinte. Os jogadores fafenses entraram de início, Sandro jogou o tempo inteiro e Tiago André foi substituído no decorrer do encontro.

O VIEIRA SPORT CLUBE, de Pablo e Óscar, também deveria ter jogado nesta partida mas o seu desafio ainda está pendente de saber quem é o adversário.

Camadas Jovens – AF de Braga

JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

Antime, 1 – Celoricense, 1

Cabeceirense, 5 – Travassós, 0

Bairro, 4 – Estorãos, 1



JUVENIS – 2.ª Divisão – Série D

Ases S. Jorge, 2 – Vasco da Gama, 0

Golães, 1 – Tabuadelo, 5



INICIADOS - 1.ª Divisão – Série C

Os Sandinenses, 2 – AD Fafe, 1



INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Cabeceirense, 1 – Ases de S. Jorge, 2

AD Fafe premeia atletas melhores alunos

Texto: adf.pt

Sexta-feira, 20 de Outubro

Na próxima sexta-feira, às 21:00 horas, no auditório da AD Fafe realizar-se-á um encontro festivo dirigido a todos os atletas e encarregados de educação.
O que o Departamento de Formação pretende é, à semelhança do que já fez no ano anterior, homenagear os nossos atletas que se destacaram no aproveitamento escolar, que foram grandes exemplos de empenhamento, dedicação e espírito de sacrifício, e que foram capazes de fazer bem o trabalho com os treinadores e os seus colegas mas ao mesmo tempo foram os alunos mais esforçados, mais entusiasmados, mais envolvidos com a escola e cujo resultado só podia ser a excelência. É este o exemplo que queríamos que fosse regra na formação daA.D.Fafe. É perfeitamente possível ser bom jogador e bom aluno ao mesmo tempo. O segredo estará no interesse e na motivação de cada um pois da nossa parte faremos o que estiver ao nosso alcance para estimular uma atitude positiva para atingirmos estes dois objectivos, excelentes alunos e excelentes atletas, grandes homens.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Andebol: 1.ª Divisão: AC Fafe, 26 – Xico, 30

Texto: Associação de Andebol de Braga

Não começou bem o
“campeonato residual”

Há derrotas que são um marco e nos confrontam de forma mais real com o futuro imediato. Para o Fafe, esta, frente ao Xico, possivelmente foi um desses marcos.
No plano teórico, o Fafe tem que superar em casa as equipas menos dotadas do campeonato, se quiser alimentar a ambição de permanência na 1ª Divisão. O jogo de ontem, frente ao Xico, fazia parte desse contexto. O Fafe perdeu, logo, há contas que se começam a complicar!
Mas será que esta derrota era inimaginável? Não o creio. O
Xico, superiormente orientado, possui um conjunto jovem, em progressão constante, marginada por alguns atletas experientes, que emprestam alguma tranquilidade à equipa.
Pelo contrário, o Fafe tem um plantel mais maduro, onde pontuam alguns atletas interessantes, com capacidade para disputar este campeonato, mas tem lacunas visíveis em alguns sectores importantes, que impedem uma harmonização do grupo. E se esta fragilidade já era detectável desde o início da época, acentuou-se ainda mais com o infortúnio de ter perdido, na mesma semana, os dois pivots da equipa. E neste retrato menos capaz da equipa Sénior do Fafe, quem são os culpados? Em boa verdade ninguém!
É desonestidade intelectual atribuir culpas a quem quer que seja com responsabilidades neste clube: Direcção, Técnicos ou Atletas.
Aquela que poderia ser o principal alvo, a Direcção, teve a atitude correcta de não pensar a curto prazo (como outras anteriormente o fizeram), hipotecando o futuro. Tem no terreno um trabalho importantíssimo, bem delineado, direccionado para o futuro; a equipa técnica faz o que pode (e não é pouco) com as limitações que tem; o plantel é brioso e luta com as armas que possui nesta batalha desigual. Quando assim é, quando todos dão o seu melhor, como é o caso, só nos resta tirar o chapéu, porque aquilo que parece pouco é efectivamente um trabalho enorme, hercúleo!
Mas vamos ao jogo:
Subjectivamente, este marcava o início de “um campeonato residual”, onde deveriam gravitar as três equipas oriundas da 2ª Divisão. Apesar do Xico ter vindo a negar que esteja disposto a integrar este grupo, este estereótipo abria prenúncio para um jogo carregado de ingredientes aliciantes, onde a emoção deveria marcar o ponto alto.
Não foi tanto assim como se esperava: cansaço de uns, ansiedade de outros, podem ter sido os factores condicionantes, que deram origem a um jogo fraco, nas componentes técnicas e tácticas, sem grandes referências a salientar.
Durante os primeiros 15 minutos, a alternância no marcador imperou, sem grandes diferenciais. A partir deste período, o Fafe ganhou uma ligeira ascendência, que se traduziu numa vantagem de três golos, mas esta inverteu-se nos últimos dez minutos da 1ª parte, levando o Xico o proveito de quatro golos para o intervalo.
Na posse da liderança, o Xico entrou na 2ª parte mais tranquilo que o seu adversário e foi gerindo o jogo na fasquia dos 4/6 golos, sem grandes sobressaltos até ao fim, conquistando os três pontos em disputa.
Rui Silva, João Ferraz, Nuno Silva e João Silva (enquanto jogou), destacaram-se no Xico. No Fafe, o Tiago Heber foi o mais inconformado com a corrente do jogo.
A jovem dupla de Braga composta por Alberto Alves e Jorge Fernandes confirmaram aquilo que se espera deles: capacidade mais que suficiente para pisar estes palcos exigentes. O jogo de ontem integrava o lote dos mais exigentes desta jornada, inclusive por todas as equipas pertencerem à AAB. Tiveram um trabalho seguro, souberam estar à altura do jogo e foram, objectivamente, a melhor das três equipas em campo.

domingo, 18 de outubro de 2009

1.ª Div. AF Braga: Travassós, 0 – Airão, 0

.
Primeiros pontos perdidos
.
Ao terceiro jogo o Travassós perdeu os primeiros pontos do campeonato, ao ceder um empate em casa, a zero bolas, com o Airão.
Depois de duas vitórias, a equipa de Fernando Ferreira abrandou o ritmo de pontos conquistados frente a uma formação vimaranense que registou por empates todos os jogos até agora disputados.
Como um jogo não são jogos a equipa fafense vai pensar em recuperar os pontos perdidos no próximo jogo para o campeonato. Apesar de não ter marcado neste jogo fica ainda o consolo de não ter sofrido.

Futsal - AF Braga: Mouquim, 5 - Nun’Alvares, 3



"Quem não marca sofre"

Houve uma noite atípica de futsal, que valeu uma derrota para a equipa do Nun'Álvares. Num jogo muito bom da equipa de Nelo Barros, só faltou a concretização, principalmente por culpa do guardião contrário, que fez das melhores exibições que se vêem nos pavilhões desta Associação. Se os fafenses conseguissem concretizar uma terça parte das oportunidades criadas, teriam ganho o jogo por sete ou oito golos. Como tal não foi possível, perderam por 5-3.
Começou muito mal o jogo para os nunalvaristas, pois na primeira investida adversária, Cunha defendeu o remate e Mário ao aliviar a bola, bateu com ela no peito do adversário e ressaltou para a baliza. Estava feito o 1-0 e os rapazes do Nun'Álvares tremeram um pouco, para pouco depois sofrerem o segundo golo num rápido contra-ataque. Nelo Barros mexeu na equipa e a partir daqui o jogo passou para as mãos da equipa de Fafe, que ia conseguindo criar oportunidades atrás oportunidades, mas não as conseguia concretizar. No entanto, Bruno Portas conseguiu furar a muralha adversária, marcando o 1º golo do Grupo, carregando cada vez mais ao ponto do adversário não conseguir sair do seu meio campo. Pensou-se que tudo se alteraria quando o árbitro apontou para a marca de grande penalidade, por corte com a mão de um famalicense. Artur foi chamado à sua concretização, mas não conseguiu bater o guardião contrário. Nem de penalti conseguiam marcar. Após várias oportunidades falhadas em que numa delas Banana rematou por cima da barra, quando nem o guarda-redes contrário estava na baliza. Estava difícil fazer golo. A cerca de 15 segundo para o final, houve
um assédio às redes do Mouquim com remate ao poste e três boas intervenções do guarda-redes a remates de recarga, para um jogador aliviar a bola da sua área que apanhou um colega completamente isolado, que correu para a baliza de Cunha e fez o terceiro golo do Mouquim.
Faltavam 11 segundo para o final, mas ainda a tempo de Bruno Portas visar e fazer o 3-2 a três segundos do final da primeira parte.
A segunda parte teve mais do mesmo ... Os homens de Nelo Barros carregaram sobre o meio campo adversário, mas o nível de eficácia mantinha-se muito baixo, pois não conseguiam materializar o seu bom jogo em golos. E mais uma vez o velho ditado veio ao de cima: "quem não marca, sofre". Num rápido contra-ataque o Mouquim passou a ganhar por 4-2 quando faltavam cerca de sete minutos para o final da partida. Nos últimos cinco minutos e meio, os fafenses prescindiram do guarda-redes e passaram a actuar com 5 elementos de campo, numa tentativa de marcar e conseguiram várias situações de golo que se mantinha difícil de concretizar. Numa bola defendida pelo guardião contrário, este chutou para a baliza deserta e fez o 5-2. Pouco depois Pisco conseguiu reduzir para 5-3. Mais não conseguiram os nunalvaristas, que segundo o seu técnico Nelo Barros fizeram dos melhores jogos dos últimos tempos, à excepção da finalização que foi dos dias mais sombrios da equipa. Ainda segundo palavras de Nelo Barros, a época ainda vai no segundo jogo e nada se ganha ou perde nesta altura, pelo que mantém a confiança na equipa para o resto do campeonato, baseando-se na exibição dos dois jogos do campeonato em que foram sempre a melhor equipa no terreno de jogo.

O NUN’ÁLVARES ALINHOU COM: Cunha; Hugo, Mário, Bruno Portas e João Nuno. JOGARAM AINDA: Artur, Banana, Talocha e Pisco. TREINADOR: Nelo Barros.


OUTROS RESULTADOS DE FUTSAL DO GRUPO NUN’ÁLVARES

Juvenis perdem e meninas vencem


Os Juvenis do Grupo Nun’ Álvares foram a Vermoim e perderam por 3-1, enquanto a equipa feminina recebeu e venceu a equipa do Ribeirão por 4-3.

2.ª Div. AF Braga: União Moreirense, 2 – A. Urgeses, 2

.
Golos de Nelinho e Sérgio
reforçam a equipa da União
.
O União Moreirense empatou a duas bolas com a formação dos Amigos de Urgeses. Mais uma vez a equipa de Arlindo Silva mostrou credenciais atacantes ao apontar mais dois golos. Porém sofreu igualmente dois tentos. O certo é que a equipa fafense mostra melhorias substanciais em relação a épocas anteriores, mostrando, agora, credenciais para discutir o resultado com qualquer equipa o que não acontecia antes. A mentalidade parece estar a mudar em Moreira de Rei e para bem melhor. Não se pode é exigir muito mais a quem está a tentar potenciar estes jogadores nem aos próprios atletas que estão a dar o seu melhor em prol da equipa e da freguesia que representam. Neste encontro, os marcadores de serviço foram Nelinho e Sérgio.

2.ª Div. AF Braga: Águias de Alvite, 1 – Fornelos, 2


André e Carlos marcaram e
Malhado esteve endiabrado

Num jogo totalmente dominado pelos rapazes de Santa Comba desde o primeiro ao último minuto, os fafenses venceram os de Basto por 2-1. Na primeira parte os rapazes de Carlos Careca tiveram várias oportunidades de golo quase sempre criadas pelo lado direito onde estava o endiabrado Malhado que neste jogo foi o homem que mais se destacou pelas várias tentativas de infiltração na defensiva de Alvite. Foi dos pés de Malhado que saiu o primeiro golo. Estavam decorridos cerca de 30 minutos da partida, após uma investida Malhado cruzou, a bola atravessou a área onde apareceu Nuno que disparou forte para defesa do guarda-redes que não segurou a bola, aparecendo André que, com calma e perfeição, fez o primeiro e único golo da primeira parte. Ainda neste período, Pinto após a cobrança de um livre fez tremer a equipa de Alvite ao fazer passar a bola a centímetros da trave da baliza adversária.
Na segunda metade da partida a entrega dos homens de Fafe foi a mesma, criando muitas oportunidades para dilatar o marcador.
O segundo golo nasceu de uma bola colocada num passe rasgado onde Pinto viu Malhado e este, mais uma vez, passou pela defesa da casa e cruzou para Carlos que, num remate de cabeçada à peixe fez o segundo golo da partida e também o mais bonito do jogo
A equipa da casa pressionou mas quase todos os lances foram anulados pelo sector médio e defensivo dos "Mamasumae".
O golo do Alvite apareceu ao cair do pano através de um jogador que estava praticamente acampado na área da equipa fafense que ainda reclamou fora de jogo.
Resultado bastante importante para os lutadores de Santa Comba, que mais uma vez mostraram a sua raça dentro das quatro linhas.

Div. Honra: AF Braga: Porto D'Ave, 0 – Arões, 0

Foto: Rui Silva
Defesa imaculada

Ao fim de quatro jornadas a equipa do Arões continua com a sua defesa imaculada na Divisão de Honra da AF de Braga. Na verdade, os aronenses conseguiram passar mais uma partida sem sofrer golos no difícil terreno do Porto D’Ave, formação da Póvoa de Lanhoso que tem o segundo melhor ataque desta divisão com nove golos apontados. Os aronenses têm revelado dificuldades na concretização mas, no aspecto defensivo têm estado irrepreensíveis.
O Arões dominou esta partida em Porto D’Ave mas pecou no capítulo da finalização. Na segunda parte teve um lance, através de Ângelo, que atirou de cabeça mas viu a bola a passar junto ao poste. Seguiram-se remates de César, Piruta e António mas saiu tudo ao lado. À passagem dos 35 minutos registou-se o único lance de perigo dos da casa que enviaram a bola à barra.
Até ao final foi o Arões que dominou o jogo, conquistando uma a serie de cantos mas , sem que daí surgisse perigo.

sábado, 17 de outubro de 2009

Juniores 2.ª Div. Nac. FC Vizela, 1 - AD Fafe, 2


Vitória da formação
- Beijinhos e Ruben resolveram

Os juniores da AD Fafe venceram no difícil terreno do Futebol Clube de Vizela por 2-1. Foi uma vitória muito importante em todos os aspectos. Primeiro permitiu aos fafenses ascender ao segundo lugar da classificação; depois, mostrou que a formação fafense tem tanto valor como as demais. Isto a propósito de alguns jogadores do concelho de Fafe preferirem a formação do FC Vizela às em detrimento da AD Fafe.
Até ao intervalo o jogo parecia estar condenado a um empate mas, na segunda parte, um cruzamento/remate de Beijinhos acabou por inaugurar o marcador. É certo que houve muita sorte à mistura, com o guarda-redes a defender eva bola a bater no poste e depois a acabar por entrar, mas a sorte também se procura.
O segundo golo fafense nasceu de uma grande penalidade cometida sobre Sandro. Ruben foi chamado à cobrança e colocou a vantagem em 2-0.
O autor do primeiro golo fafense foi expulso por acumulação de cartões amarelos e o Fafe teve que jogar cerca de uma quarto de hora com menos um elemento. Nesse período os vizelenses reduziram para 2-1. Fábio Teixeira ainda esteve perto de marcar mas a bola acabou por ir ao poste.
Com este resultado, os fafenses afirmam-se neste campeonato e levam já três vitórias consecutivas e já só estão a um ponto do líder, Trofense. Ao mesmo tempo, os fafenses já registam a melhor defesa desta série.

Camadas jovens – Jogos-treino

Escolinhas A

Fafe, 6 – Ases S. Jorge, 6


Infantis A

Fafe, 2 – Ases S. Jorge, 3


Infantis B

Fafe, 4 – Ases S. Jorge, 5

Div. Honra: AF Braga: Silvares, 1 – Martim, 0


Antero sentenciou

O Silvares conseguiu um brilhante resultado ao vencer o Martim por uma bola a zero, golo obtido já na segunda parte, através de uma grande penalidade apontada por Antero.
O jogo chegou ao intervalo com uma igualdade sem golos embora o Silvares estivesse muito perto de marcar por duas ocasiões, através de Nelinho e de Gomes. Na segunda parte o Silvares conseguiu a grande penalidade numa jogada em que Mike foi travado em falta. Ao que tudo indica terá ficado outra grande penalidade por marcar a favor do Silvares. O certo é que depois do golo, o Martim quase que massacrou a equipa fafense. Porém, os pupilos de Carlos Salgado mostraram robustez e concentração defensiva e os de Barcelos acabaram por ver os de Fafe a cantar de galo no final da partida. Para isso muito contribuíram as boas defesas efectuadas pelo guardião Bruno.

2.ª Div. AF Braga: Agrupamento, 0 – Antime, 0

.
Antimenses falham penálti

O Agrupamento de Santa Cristina empatou em casa com o Operário de Antime a zero bolas, numa partida em que os de Antime se podem queixar da sorte pois falharam uma grande penalidade já na segunda parte. O jogo nem atou nem desatou e o nulo acaba por penalizar as duas equipas. A orientada por Marcelo Fernandes por jogar em casa e a que jogou fora mas se assume como candidata à subida, orientada por Domingos Freitas. Mas, tanto um como outro treinador sabem bem, por experiência própria que é contra as equipas de Fafe que se perdem, normalmente os pontos que tanta falta podem fazer. Neste caso, amigo empatou amigo, ou seja, fafense empata fafense. Mas o futebol é isto mesmo apesar de não ter tido golos para animar a malta. O Antime teve essa oportunidade flagrante de marcar, através da grande penalidade, mas os Deuses nada quiseram com os operários.

Div. Honra: AF Braga: Pica, 0 – Torcatense, 2

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Pica sem pica saiu picada

Quinze minutos de desconcentração foram o suficiente para que o Pica perdesse o confronto contra o Torcatense que marcou dois golos no primeiro quarto de hora de jogo. A partir daí foi tudo muito complicado para a equipa orientada por Braga que raramente se encontrou no desafio. Esteve mesmo mais perto o Torcatense do terceiro golo que propriamente o Pica do golo de honra.
O primeiro golo da partida surgiu aos seis minutos, na sequência de um livre apontado no lado direito do ataque do Torcatense por Domingos que colocou a bola no coração da área onde Hélder cabeceou sem oposição. Fernando Jorge ainda esboçou uma defesa mas a bola acabou por entrar.
Três minutos depois o Torcatense desenhou uma excelente jogada mas Pedro Rui com tudo para o golo rematou fraco para as mãos do guarda-redes do Pica.
O segundo golo do Torcatense surgiu em cima do minuto 15. Pedro Rui no lado esquerdo do seu ataque solicitou Gil e este rematou de pronto obtendo um golo de belo efeito, com remate sem preparação de fora da área.
Sem ter feito grande esforço o Torcatense chegava aos 2-0 com muita facilidade. O Pica estava apático e tentou correr atrás do prejuízo mas só aos 36 minutos conseguiu criar um lance de relativo perigo. Álvaro cobrou um livre e Flávio, ao segundo poste, de cabeça, atirou ao lado.
Aos 39 minutos Pedro Rui ficou isolado, e quis disparar de primeira mas muito torto. O Torcatense falhava nova ocasião.
O Pica surgiu na segunda parte com outra atitude mas a equipa do concelho de Guimarães controlou o jogo a seu belo prazer. Os remates de Murilo e Flávio aos 46 e 49 minutos pareciam evidenciar algo que não se veio a concretizar.
Ao Pica faltavam ideias, soluções e força física e anímica. Mesmo assim esteve perto do golo aos 65 minutos num grande remate de primeira de Murilo. A bola encaminhava-se para a baliza mas Paulinho meteu-lhe a cabeça e evitou golo. O remate foi tão violento que o jogador do Torcatense ficou por terra alguns minutos.
Aos 69 minutos, Murilo cobrou um livre ao segundo poste para ver um molhe de jogadores da sua equipa a não se entenderem e a deixarem a bola a sair para fora de campo.
No minuto seguinte, foi Chiquinho a tentar aumentar a vantagem para a sua equipa mas viu Montenegro a tirar a bola sobre a linha de golo.
O jogo terminou sem que o Pica tivesse feito muito para contrariar a maior experiência e o melhor andamento do Torcatense. A equipa fafense realizou uma exibição pobre e descaracterizada. Vai ter que fazer bem melhor para se manter neste escalão. Os jogadores do Pica podem fazer mais e melhor do que aquilo que se viu neste jogo.


Jogo realizado no Parque de Jogos da Pica, Fafe.
Árbitro: Vítor Ferreira, auxiliado por José Carlos Silva e Armindo Duarte (AF Braga).

PICA: Fernando Jorge; David, André, Montenegro, Rui Soares; Murilo, Paulo Russo (Vasco, 46’), Flávio, Ismael (Samuel, 60’), Barbosa (Raul, 34’) e Álvaro. Treinador, Braga.

TORCATENSE: Bruno; Hélder, Paulinho, Gustinho (Nené, 90’), Gil, J. Ribeiro (Kevin, 78’), Chiquinho (Bruno Ribeiro, 83’), Domingos, Pedro Rui, Neves e Gonça. Treinador Francisco Branco.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Vasco, 52’ Hélder, 63’; Álvaro, 76’ Gil, 82’; David, 85’ e Flávio, 87’.

MARCADORES: Hélder, 6’e Gil, 15’.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Div. Honra: AF Braga: Porto D’Ave - Arões


Pode haver fumo sem fogo

O Arões, que é quarto classificado, desloca-se ao terreno do segundo, com mais dois pontos que os fafenses. A grande diferença destas duas equipas é nos golos marcados e nos sofridos. O Porto D’Ave já marcou nove e sofreu três. O Arões só marcou dois mas não sofreu nenhum. Um ataque forte para uma defesa forte. Se não houver fogo, poderá haver pois vão estar frente a frente dois conjuntos que lutam convictamente pelos seus objectivos .

Div. Honra: AF Braga: Silvares – Martim


Cinco empates em seis jogos
.
Um dos três reis dos empates, o Silvares (os outros dois são Torcatense e Prado), vai receber o Martim, equipa barcelense que se encontra na terceira posição com uma vitória e dois empates. Os de Fafe só empataram mas também sabem ganhar. Ou será que não sabem? Está na hora de mostrar que sim. Se não acontecer, ao menos que seja outro empate. As duas equipas juntas somam cinco empates em seis jogos.

Div. Honra: AF Braga: Pica - Torcatense


No acreditar pode estar o ganho

O Pica recebe o Torcatense, sempre crónico candidato à subida mas que esta época, em três jogos, tem os mesmos pontos que os fafenses, ou seja apenas três. Os fafenses venceram uma vez e perderam duas, os de S. Torcato, nem ganharam nem venceram, empataram sempre. Um jogo que não está virado para estatísticas.

Regionalona - AF Braga



O TRAVASSÓS, de Fernando Ferreira, vai receber o Airão, contra quem vai tentar conquistar a terceira vitória consecutiva no campeonato. O Airão tem dois empates mas é preciso não facilitar.

O FORNELOS, de Carlos Careca, desloca-se ao campo do Águias de Alvite. Os de Santa Comba já ganharam e já perderam neste campeonato, os de Basto registaram dois empates.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, recebe o ANTIME, de Domingos Freitas, no primeiro dérbi desta divisão. Estes jogos são quase como os melões só depois de abertos é que se sabe. Neste caso só mesmo depois de terminar a partida. È que está mais que provado que entre equipas de Fafe não há vencedores antecipados e tudo pode mesmo acontecer.

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, recebe os Amigos de Urgeses. Amigos que é como quem diz. Amigos, amigos negócios à parte e os fafenses são “meninos” para vencer este jogo.

Futsal - AF Braga: Mouquim - Nun’Alvares


Ganhar embalamento

O Nun'Álvares desloca-se ao recinto do Mouquim para tentar registar a segunda vitória consecutiva neste campeonato. Depois de ir ao Pousadense para a taça, regressa novamente a Famalicão para um jogo do campeonato perante uma equipa que está perfeitamente ao seu alcance. Mas como dizia o João Pinto, prognósticos só no fim. Mas que acreditamos na vitória do Nun’Alvares também é verdade.

Juniores 2.ª Div. Nac.: Taipas, FC Vizela - AD Fafe


Em memória de outros tempos

Os juniores da AD Fafe deslocam-se a Vizela para jogar a sexta ronda do campeonato. Nesta altura, os fafenses estão melhores que os vizelenses mas essa supremacia pontual tem que ser evidenciada dentro de campo. O Vizela é um velho rival do Fafe, em quase todos os escalões mas de outros tempos. Nos últimos anos, a formação vizelense ultrapassou a do Fafe mas, os tempos parecem estar a mudar novamente a favor das dos fafenses. Uma vitória dos fafenses consolidará ou melhorará a sua posição na tabela e poderá fazer sonhar com voos mais altos.

Andebol: 1.ª Divisão: AC Fafe – CD Xico


Sábado pelas 18 horas no Pavilhão Municipal

Apesar do CD Xico (ex-Francisco de Holanda), ser uma equipa do nível do AC Fafe, esta partida não vai ser fácil para os fafenses, pois os vimaranenses têm sido a sensação deste início de campeonato. Com as contrariedades que a equipa de Óscar Freitas tem tido a nível de lesões, a juntar ao grande nível de exigência do campeonato, vai ser uma temporada difícil de gerir. Mas é preciso acreditar sempre.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Autocross e Kartcross em Serafão


Domingo, 18 de Outubro

A "Pista do Bi", em Serafão, recebe pela primeira vez no seu circuito, as espectaculares provas de Autocross e de Kartcross, no próximo Domingo a partir das 14 horas.
O circuito terá 1 Km de extensão com 10 a 18 metros de largura máxima, situado na pista minhota de Serafão, concelho de Fafe.
O staff da "Pista do Bi" tem larga experiência na realização de provas desportivas, contando no seu "Curriculum" com provas a contar para os Campeonatos Nacionais de Quadcross, Nacional de Motocross e Campeonatos Stock Car.
O preço dos bilhetes é de 5€ por pessoa e crianças com menos de 10 anos não pagam.
Visite a "Pista do Bi" no próximo Domingo e desfrute da beleza automóvel e competitividade destas provas, velocidade e adrenalina de mãos dadas no dia 18 de Outubro, em Serafão.
A não perder.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Camadas Jovens – Taça AF de Braga

JUNIORES

Antime, 0 – Travassós, 1 (3-0 na primeira mão)

JUVENIS

Viera, 4 – Vasco da Gama, 1 (3-1)

Golães, 4 – Ases S. Jorge, 1 (0-0)

Legião Estrangeira

.
3.ª DIVISÃO – Série A - 4.ª Jornada

O MACEDO DE CAVALEIROS, de Eduardo, foi arrancar uma vitória no terreno do Fão por 3-2. Apesar de o Fão, esta época, não ter o peso que tinha na época anterior, conquistar pontos fora de casa é sempre salutar. A equipa transmontana ocupa a terceira posição na tabela.

O MARIA DA FONTE, de Fredy, venceu o AMARES, de Ismael, pela margem mínima. Neste confronto entre fafenses ficou a ganhar o mais experiente, Fredy que já representa o Maria há muitos anos. Este resultado coloca o Maria da Fonte isolado no segundo posto com menos dois pontos que o líder, Mirandela e mais três que o Amares, quarto classificado.


O MONTALEGRE, de Leonel e Ricardo Nogueira, foi perder à Vila mais antiga de Portugal com o Limianos por 3-1. Não é fácil jogar no sintético de Ponte de Lima, onde a equipa local se mostra sempre aguerrida. A equipa dos fafenses caiu para o nono lugar com apenas quatro pontos em quatro jogos.


3.ª DIVISÃO – Série B - 4.ª Jornada

O SERZEDELO, de Ricardo Morais, consentiu um empate em casa com o histórico FC Infesta. Não houve festa para uns nem para outros apesar do ponto ter beneficiado mais os forasteiros. Apesar disso, o Serzedelo é quarto classificado com apenas menos três pontos que o líder, o Fafe.

O JOANE, de Gil e Miguel Lemos perdeu no terreno do Fafe por 3-0. Os famalicenses não só perderam o jogo como a liderança que passou precisamente para as mãos do seu opositor na jornada. No entanto, apenas dois pontos separam as duas equipas, embora o Joane tenha caído para o terceiro lugar.


O REBORDOSA, de Paulo Freitas, venceu o Leça para 3-2. A equipa do concelho de Paredes, nesta temporada, marca e sofre muitos golos pelo que não se pode dizer que não haja emoção e alegria nos jogos que disputa. Ocupa a quinta posição com os mesmos pontos do 3.º e 4.º classificado.

domingo, 11 de outubro de 2009

Pedestrianismo: Rota da desfolhada

Texto: Restauradores da Granja


Várzea Cova – Fafe
18 de Outubro de 2009

De volta à aldeia para reviver usos, costumes e tradições, a genuinidade do mundo rural.
Ao som de tocadores e de cantares, vai desfolhar-se o milho, recuperando-se uma tradição que continua a estar bem presente na memória de todos, como era tradição nas casas rurais de “Couvila” e das “Aveledas”, que vão servir de cenário ao evento.
Como aperitivo, embebemo-nos na Rota dos Espigueiros (PR 5 FAF), que é a melhor forma de promover e preservar o património construído – os espigueiros –, que faz parte da nossa identidade cultural, a qual se desenvolve ao longo de 12 km por caminhos magníficos entre os lugares de Bastelo e Várzea Cova, da freguesia de Várzea Cova.
Este percurso é sobretudo um percurso pedagógico. É perfeito para a observação de espécies autóctones, para o reconhecimento de um vasto património ambiental e para a contemplação das diversas manifestações da vida rural.

“É milho-rei, milho vermelho
Cravo de carne, bago de amor
Filho de um rei que sendo velho
Volta a nascer quando há calor”

José Carlos Ary dos Santos
* * *

Data: 18 de Outubro de 2009, domingo
09:00 horas: Abertura Secretariado, junto à Igreja em Várzea Cova
09:30 horas: Início do percurso pedestre PR5 FAF “Rota dos Espigueiros”:
12:30 horas: Final da marcha (previsão)
13:00 horas: Convívio gastronómico “Leva do teu, come de todos”, não esquecer de levar um petisco e uma pinga para partilhar.
14:30 horas: - Exposição de alfaias agrícolas;
- Desfolhada pelo Rancho Folclórico de Fafe.
* * *
Taxa de Inscrição/Marcha: Efectuadas e pagas até 15 de Outubro de 2009.
- Sócios com as quotas em dia: 4,00 Euros;
- Não sócios: 7,50 Euros;
- Até aos 12 anos é grátis.
ATENÇÃO: Após o dia 15 de Outubro 2009, a inscrição sofre um agravamento de 50%
SEGURO: 3,50 Euros por cada participante não portador de Carta de Montanheiro, pago até 15 de Outubro de 2009.
* * *
OFERTA: Lembranças a todos os participantes pré-inscritos e participação na desfolhada com degustação de produtos da terra.
* * *
Organização:
- Restauradores da Granja/Fafe – Secção de Pedestrianismo
- Associação Cultural e Desportiva de Várzea Cova
- Rancho Folclórico de Fafe
Parceria:
- Associação Amigos do Rio Ovelha

Apoios:
- Junta de Freguesia de Várzea Cova
- Junta de Freguesia de Fafe
- Narturfafe
- Centro Cultural Social e Desportivo dos Trabalhadores da CM Fafe
- Vinhos Norte

Colaboração:
- Jornal “Correio de Fafe”
- Jornal “Povo de Fafe”
-
http://montelongodesportivo.blogspot.com/

CONTACTOS
http://www.restauradoresgranja.com/

restauradoresdagranja@gmail.com

939 253 134 (Américo Lapa)
963 215 968 (Manuel Lobo)
966 771 364 (Afonso Costa)
919 021 132 (Gabriel Soares)
938 972 592 (Florêncio Costa)

Futsal - AF Braga: Nun’Alvares, 7 - Pousadense, 3



Temos candidato

O Nun'Álvares entrou com o pé direito no campeonato 2009/2010, recebendo e vencendo a equipa do pousadense por concludentes 7-3.
Apesar do dilatado do marcador, não se pense que o jogo foi fácil, pois os famalicenses deram boa réplica e só um jogo em que todos estiveram num nível muito bom é que permitiu alcançar tal resultado.
Os pupilos de Nelo Barros entraram muito mal no jogo, deixando o adversário tomar conta do jogo e impôr o seu futsal o que resultou em dois golos sofridos, pelo que aos seis minutos de jogo, os fafenses perdiam por 0-2. Havendo muito tempo por jogar, Nelo Barros fez algumas alterações que resultaram na perfeição, pois em poucos minutos deram a volta ao resultado. Toni foi rasteirado na área e Artur não perdoou na sua conversão, fazendo o 1º golo, para pouco depois o próprio Toni fazer um golo espectacular, pois após uma finta de corpo, tirou o seu adversário da frente e rematou rasteiro e colocado, igualando a partida. Com a produção da equipa a subir, o adversário viu-se na
contingência de recorrer às faltas, o que veio a proporcionar dois livres directos sem barreira, que Artur e Toni aproveitaram para fazer o 4-2, antes do intervalo do jogo.
Para a segunda parte, a equipa nunalvarista deu a despesa do jogo ao adversário, tentando c oncluir no contra-ataque. Dominavam os famalicenses, mas sem conseguir criar claras ocasiões de golo, pois os fafenses estavam muito concentrados. Numa reposição lateral junto da sua área, Artur tocou para Mário e deslocou-se para o ataque. Mário fez a tabela para Artur que aproveitou para se isolar perante o guardião contrário e quando chegou junto dele, tocou a bola para Mário que acompanhara o lance e só teve de empurrar para o quinto golo. Excelente jogada de conta-ataque. Pouco depois o Pousadense conseguiu diminuir a diferença num lance em que a equipa do grupo perdeu a bola à entrada do seu meio-campo. Mas na jogada seguinte, mais uma bela combinação de futsal com Bruno a tocar para João Nuno e este a tocar na paralela, proporcionando que Bruno aparecesse isolado e conseguisse tocar para a baliza, quando o guardião contrário saíu a tentar cortar o lance. Estava reposta a diferença de 3 golos, mas ainda houve tempo para mais um grande golo de contra-ataque quando após uma boa troca de bola, apareceram 3 atletas do Grupo para o guarda-redes contrário e João Nuno tocou para Banana fazer o encosto final.
Uma boa exibição da equipa do grupo que proporcionou belos momentos de futsal e que demonstrou que está pronta para a luta deste campeonato.

O NUN’ALVARES ALINHOU COM: Rui Cunha; Hugo, Artur, Bruno e Banana. JOGARAM AINDA: Toni, João Nuno, Pisco, Talocha e Mário. TREINADOR, Nelo Barros.

sábado, 10 de outubro de 2009

Taça AF Braga: Silvares, 3 – S. Nicolau, 0

.
Quase a fechar as urnas

O SILVARES, de Carlos Salgado, venceu o S. Nicolau por 3-0 mas o golo ainda tentou fazer boicote à primeira-mão da segunda eliminatória da Taça. Já poucos tinham esperança que o golo fosse votar quando ele escolheu o Silvares.
De facto a formação de S. Martinho teve que trabalhar muito para levar de vencida esta formação de basto que milita na 2.ª Divisão. Já se sabe como são os jogos da taça e como os pequenos se agigantam, indo buscar forças a todo o lado. Foi preciso esperar 75 minutos para ver o primeiro golo surgir à boca da urna. Celso foi o primeiro angariador de golos para o Silvares. Depois, Mike e Nelinho também fizeram o mesmo e as eleição para a próxima eliminatória não deverá ficar comprometida no jogo da segunda mão uma vez que este resultado dá uma margem de manobra confortável e o Silvares sofre poucos golos.

Taça AF Braga: Pica, 2 – Antime, 1

.
Sondagem favorável ao Pica
mas Antime espera para ver


O PICA, de Braga, venceu o ANTIME, de Domingos Freitas mas que neste jogo foi orientado pelo seu adjunto Rui Oliveira, por 2-1. Ao que tudo indica foi uma vitória justa por parte de quem jogou em casa e que mais procurou chegar à vitória. No entanto, o resultado deixa em aberto a passagem da eliminatória, uma vez que ainda falta o jogo da segunda mão. Este jogo foi uma espécie de sondagem à boca da urna mas que carece de confirmação pois ainda falta abrir a urna do segundo jogo e só com o resultado aí apurado se dirá quem segue em frente.
As equipas estiveram empatadas até perto do intervalo mas antes do sinal para o descanso Vasco deu um voto de confiança à sua equipa contribuindo com um chapéu para a campanha. O mesmo jogador haveria de ampliar o resultado quando estava decorrido cerca de um quarto de hora da segunda parte, em jogada de contra-ataque. O Antime colocou a decisão da eliminatória em suspenso ao apontar o seu golo por volta do minuto setenta, quando Hugo se isolou e bateu o guardião do Pica. Parece não haver dúvidas quanto á superioridade do Pica mas um jogo não são jogos e a segunda mão tem a vantagem de as equipas já se conhecerem ainda melhor. Pena é que, uma destas duas equipas fafenses fique pelo caminho.

Taça AF Braga: Arco de Baúlhe, 0 – Arões, 4

.
Candidato confirmado

O ARÕES, de Luís Gomes, foi ao terreno do Arco de Baúlhe vencer e não o fez por menos de quatro golos sem resposta. O candidato à passagem de eliminatória teve mais argumentos para vencer que o seu anfitrião, até porque, nesta altura se equipara a um grande partido em relação ao opositor que procura regressar à ribalta do futebol distrital.
O técnico Luís Gomes, fez algumas alterações, poucas, mas de forma a não descaracterizar a equipa, evitando sofrer qualquer surpresa, até que assim a equipa ganhou tranquilidade para enfrentar o jogo seguinte.
Quatro golos de vantagem e o jogo da segunda-mão em casa são mais que argumentos para garantir a vitória na eliminatória. Foi um jogo que se afigurou fácil com António a servir de mandatário e a facturar por duas vezes, aos 55 e 77 minutos. Mas o primeiro a “discursar” foi Vasco que inugurou o marcador aos 12 minutos. Pelo meio, aos 75, Piruta, assumiu a sua importância e também teve a sua intervenção.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe, 3 – Joane, 0

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Cícero a presidente já!
- Nuno Dias defendeu penálti

Sem ter feito um jogo deslumbrante, o Fafe bateu o Joane por três bolas sem resposta e mostrou finalmente credenciais de candidato à subida de escalão. Coesão na defesa onde o veterano Zé Manel se mostra muito eficiente e pragmatismo no ataque onde, sobretudo, Cícero e Filipe se têm revelado mortíferos. Nesta partida ante o Joane, pelo menos os dois últimos golos foram instruídos com jogadas magníficas e bem delineadas, onde intervieram também, Jader e Josi. Mas a equipa esteve bem na generalidade. O gurdião Nuno Dias esteve em particular destaque neste jogo ao defender, aos 87 minuros, uma grande penalidade apontada por Pdero Pinto quando o resultado já estava em 3-0.
Como não há bela sem senão, aos 56 minutos, Carlos Condeço tinha esgotado todas as substituições e o problema foi que Bijou, que havia entrado aos 41, se lesionou com gravidade dois minutos depois da equipa fafense esgotar os recursos ao banco. Valeu o altruísmo do jogador que, após alguns minutos a ser assistido, acabou por entrar e aguentar meia hora de jogo em grandes dificuldades físicas. Aqui, o técnico joanense não soube explorar a quase superioridade numérica, uma vez que Bijou pouco mais que presença marcou em campo, embora se esforçasse e sofresse em prol da equipa.
O primeiro sinal de perigo da partida surgiu aos cinco minutos por parte dos famalicenses, com Pedro Pinto a proporcionar boa defesa a Nuno Dias. Os minutos seguintes chegaram a ter algo de enfadonho e o jogo só voltou a despertar por volta dos 22 minutos, quando os fafense reclamaram uma grande penalidade. Cinco minutos depois e na sequência de um livre, Mike bateu a bola para a área e esta foi devolvida para a defesa, o mesmo Mike, de cabeça, isolou Cícero e este rematou colocado fazendo a bola entrar junto ao poste direito da baliza de Sérgio.
Aos 31 minutos grande pormenor de Cícero a servir Filipe de calcanhar e este a disparar para defesa apertada de Sérgio. O mesmo Cícero voltou a rematar, dois minutos depois, mas viu Sérgio a defender a dois tempos.
O Joane reagiu por Sócrates e Hugo mas os remates destes não tiveram o enquadramento legal para o golo.
Aos 38 minutos, o fafense que joga no Joane, Gil, disparou de fora da área mas Nuno Dias deteve o remate.
Aos 40 minutos foram os jogadores do Joane a reclamarem uma grande penalidade.
Nos minutos iniciais do segundo tempo o Fafe quase fazia o 2-0, quando Vítor Hugo, em remate acrobático, deu seguimento a um cruzamento de Filipe. Sérgio voou e evitou aquele que seria um dos golos do ano.
O Joane respondeu quase no minuto imediato, 47. Gil cruzou para a área, Sócrates serviu Marquinho e este em esforço obrigou Nuno Dias a defesa apertada.
Aos 54 minutos, Delfim cruzou para Vítor Hugo rematar de primeira em mais um grande lance de futebol. Vítor Hugo anda a cheirar o golo mas este teima em não lhe fazer a vontade. No minuto seguinte um cruzamento de Primo bateu na cabeça da trave perante o golpe de vista de Sérgio. O Joane respondeu no mesmo minuto com Sócrates a isolar Pedro e este a rematar muito por cima.
No minuto 58 registou-se a lesão de Bijou, uma reincidência da lesão anterior que o tem impedido de jogar.
No quarto de hora seguinte o Fafe retraiu-se e o jogo passou a disputar-se quase exclusivamente no seu meio campo defensivo. O treinador Paulo Rafael apercebeu-se disso e quando se preparava para fazer uma substituição os fafenses desataram o nó e numa jogada espectacular entre Jader e Cícero, com estes a fazerem várias triangulações, a bola acabou nos pés do ponta-de-lança que só teve que encostar. O Futebol assim até parece fácil mas é só para quem sabe.
O golpe de misericórdia do Fafe chegou aos 84 minutos. Josi que fez aqui o seu melhor jogo da época ao serviço do Fafe, muito mais solto e desinibido, iniciou uma jogada perto da linha divisória, abriu alas pelo lado esquerdo com sucessivas deambulações, entregou em perfeitas condições a Cícero e este fez o mesmo com Filipe que apareceu a entrar na área e a rematar cruzado para o fundo das malhas. Mais um golo de levantar o estádio.
O Fafe foi um digno vencedor e o Joane poderia ter explorado melhor o facto dos fafenses já terem esgotado as substituições e estarem a jogar com um elemento em inferioridade física. No entanto, despertou tarde para essa realidade e foi apanhado de surpresa quando se preparava para o fazer. O fafense Gil esteve bem na formação famalicense, acabou em missão de sacrifício numa defesa remendada. O outro fafense desta equipa, Miguel Lemos, desta vez foi suplente não utilizado.

Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro: João Paulo Silva, auxiliado por Manuel Fernandes e Orlando Silva (AF Braga).

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Miguel Mendes, Mike (Bijou, 41’), Silvestre (Delfim, 52’), Josi, Filipe, Vítor Hugo (Jader, 56’), Cícero e Rui Gonçalves. Treinador, Carlos Condeço.

GD JOANE: Sérgio; Laureta, André (Batista, 46’), Marquinho, Roberto (Magno, 77’), Pedro, Carneiro, Sócrates, Daniel (Carlos, 68’), Hugo e Gil. Treinador, Paulo Rafael.

DISCIPLINA: Cartões Amarelos: Roberto, 16’ Filipe, 17’ Gil, 29’ Vítor Hugo, 45’ Cícero, 63’ Lureta, 64’, Delfim, 70’, Magno, 90’, Batista 90’+1’ e Hugo Matos, 90’+3’.
MARCADORES: Cícero, 27’e 76’ e Filipe, 84’.