.

.
.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Futsal: Nun'Alvares, 4 - Amigos de Fafe, 0

Texto: João Carlos Lopes

Nun'Álvares mais perto do topo

O Nun'Álvares venceu o jogo que estava em atraso relativo à sétima jornada do campeonato de Futsal de Fafe ao bater, no seu próprio pavilhão a formação dos Amigos de Fafe por 4-0. 

Esta partida partida que estava inicialmente prevista para ser disputada no Pavilhão Municipal tinha sido adiada por mútuo acordo entre as duas colectividades.

Ao intervalo a equipa orientada por Nelo Barros já vencia por 3-0, tendo consolidado o triunfo com mais um golo na segunda metade.

Com este resultado a equipa do Nun'Álvares chega ao segundo lugar com os mesmos pontos do Sol Poente e com menos um que o líder, Santo Ovídio (22 pontos) mas ainda com menos um jogo que o primeiro classificado.

Já os Amigos de Fafe, orientados por Ricardo Magalhães, mantêm o quarto lugar na tabela com 16 pontos mas também com menos um jogo que o Santo Ovídio.

De recordar que Sol Poente e Nu'Alvares contam por vitórias todos os jogos até agora disputados, sete. Já o Santo Ovídio ganhou sete e empatou um.
.

Ciclismo lazer: Filiação de cicloturistas e betetistas


Licenças desportivas e seguro

Licença desportiva para quem pratica regularmente ciclismo e participa em eventos de 'Ciclismo para Todos' (passeios e maratonas BTT, cicloturismo/ciclismo de estrada) . Incluindo seguro desportivo (acidentes pessoais e responsabilidade civil), a licença custa apenas 26 €, baixando para 13 € no caso de praticantes até os 14 anos.

A filiação como cicloturista e betetista destina-se a praticantes que, de forma não competitiva, praticam regularmente ciclismo e participam em eventos de “Ciclismo para Todos” (passeios e maratonas BTT, cicloturismo/ciclismo de estrada) .

Conferindo o direito ao seguro desportivo (acidentes pessoais e responsabilidade civil) e a cartão de identificação reconhecido pela Federação Portuguesa de Ciclismo e pela União Ciclista Internacional, a emissão da licença de cicloturista ou de betetista tem o seguinte custo:
Betetista ou Cicloturista: 26€
Praticantes até 14 anos: 13

Clubes: gratuito


O seguro desportivo cobre os acidentes resultantes da prática diária do ciclismo (estrada ou BTT) até 31 de Dezembro de 2011, incluindo a participação em eventos oficiais licenciados pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

A filiação permite ainda o acesso a descontos diversos, ao abrigo dos protocolos celebrados pela Federação Portuguesa de Ciclismo e pela Associação de Ciclismo do Minho.
 
As fichas de filiação (praticantes e clubes) estão disponíveis no site da Associação de Ciclismo do Minho (aqui).
Depois de impressas e preenchidas, as fichas de filiação devem ser remetidas por correio ou entregues directamente na sede da Associação de Ciclismo do Minho (Rua Associação Artística Vimaranense, 600, Urbanização da Atouguia, Bloco A, 2ª fase, 4800-174 Guimarães).

A ficha de filiação de praticante deverá ser acompanhada de fotocópia do bilhete de identidade/cartão do cidadão, de uma fotografia actualizada (tipo passe) e do valor da quota anual de filiação. Embora não seja obrigatório, a Associação de Ciclismo do Minho aconselha a realização prévia de exame médico-desportivo.

O formulário de inscrição de clubes deverá ser assinado pelo presidente da entidade e pelo delegado desportivo. Se o clube já estiver filiado na vertente de competição, não necessita de se filiar novamente, devendo apenas ser indicado o nome do clube na ficha de filiação do praticante.
O clube terá de filiar um delegado desportivo que poderá ter a licença de cicloturista, betetista ou ser inscrito como outro agente da modalidade.

Para esclarecimentos adicionais e entrega dos processos de filiação deverá contactar a Associação de Ciclismo do Minho (Rua Associação Artística Vimaranense, 600, Urbanização da Atouguia, Bloco A, 2ª fase, 4800-174 Guimarães - Telefone: 253 416946, Telefax: 253 408839 – Email: geral@acm.ptwww.acm.pt
.

AD Fafe - Futebol Juvenil: Resultado do sorteio de Natal

Notícia: AD Fafe

Os numeros sorteados para o Sorteio de Natal do Futebol Juvenil da Associação Desportiva de Fafe foram:

1º Prémio - Viagem para 2 pessoas à Madeira
Nº 6273

2º Prémio - Programa para 2 pessoas no Gerês
Nº 1856

3º Prémio - Passeio no Douro para 2 pessoas
Nº 1905

4º Prémio - Fim de Semana no SPA
Nº 0332

5º Prémio - Bicicleta
Nº 0609

6º Prémio - Equipamento ADFafe
Nº 1151
.

Pedro Buba e Rui Neves reforçam o GD Fareja

Texto: João Carlos Lopes

Dois reforços de Inverno

O Grupo Desportivo de Fareja aproveitou as paragens do diversos campeonatos de futebol para ir ao "mercado" contratar atletas para reforçarem a sua equipa de futebol que luta pelo título no Campeonato de Futebol Popular de Fafe.

Foi nesse sentido que Pedro Buba regressa à equipa depois de uma curta passagem pelo futebol Distrital, ao serviço do Grupo Desportivo de Silvares. As boas indicações que deixou com a passagem por este clube de uma das freguesias fronteiriças de Fafe estão na origem do seu regresso.

O outro elemento que reforça a equipa é Rui Neves que transita tamb´me do futebol Distrital para o popular. Trata-se de Rui Neves que estava às ordens de Carlos Careca no Grupo Desportivo de Fornelos.
.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Pedestrianismo: PR11 - Rota dos Apanha Pedrinhas



Texto e fotos: João Carlos Lopes
.
Seis quilómetros de puro prazer
.
Fafe tem mais um percurso pedestre marcado, desde o dia 19 de Dezembro. Trata-se do trilho denominado de PR11, ou Rota dos Apanha Pedrinhas, em homenagem aos caminheiros da Cercifaf, que são pedestrianistas regulares neste tipo de actividade ao ar livre, o que fazem com gosto, dedicação e alegria, sob a tutela dos monitores João e Fátima.
Trata-se de um percurso circular, de seis quilómetros de distância, desníveis pouco acentuados e um nível de dificuldade fácil, com início e chegada ao parque de estacionamento da Barragem de Queimadela, que aproveita três quartos do percurso denominado por PR1, o qual contorna aquela albufeira. Na verdade o PR11, ou Rota dos Apanha Pedrinhas, é uma versão mais alargada do PR1 que nos leva por caminhos pitorescos e interessantes sem nos desviarmos muito do ponto de partida. Um bom passeio para se fazer ao Domingo de manhã, com um grupo de amigos, sem pressas para se poder desfrutar de toda a envolvente paisagística, rural e cultural onde o património físico e humano tem um valor incalculável. Em suma, são seis quilómetros de puro prazer.
A inauguração deste trilho contou com a presença do presidente da Cercifaf, doutor Lino Barros Silva, do representante da Câmara Municipal de Fafe, Engenheiro Vítor Moreira e ainda do presidente dos Restauradores da Granja, Gabriel Soares, tendo, todos eles, feito discursos de circunstância, aludindo á importância deste tipo de actividades e à inclusão de pessoas portadoras de deficiência nas mesmas, dando-lhe os mesmos direitos e as mesmas oportunidades.
Ao som do Grupo de Bombos da Cerfifaf que mais tarde alternaram com outro grupo convidado em que sobressaía o tradicional som da gaita de fole, os caminheiros iniciaram marcha em direcção ao pontão da barragem, para, no final deste, contornarem a mesma até junto da casa das licenças de pesca, subindo depois por cerca de um quilómetro para virar à direita em direcção à aldeia de Ribeiras. Nesta aldeia saboreou-se bolo caseiro e o afamado bolo-rei de Fafe e foi servido o famoso café da avó, tudo numa tenda montada no local.
O guia Daniel Oliveira retomou a marcha em direcção à sede da Junta de freguesia Queimadela, para, depois, junto da igreja, a caminhada derivar novamente à direita por caminhos que estão a ser alargados e, por isso mesmo, perderam parte do seu encanto. Porém, volvido esse espaço de aproximadamente quinhentos metros, volta-se a entrar em contacto com natureza virgem, contornando o rio em direcção à ponte de Queimadela, sobre o Rio Vizela, para, mais à frente derivar em direcção a Repulo mas com desvio para a Aldeia do Pontido, cujo número de casas recuperadas é cada vez maior, o que empresta uma beleza rara a toda a paisagem, pois nota-se o respeito pela traça original. Pontido é cada vez mais um grande cartão de visita para o turismo de montanha fafense, onde se louva o trabalho de recuperação que ali foi feito, que tem um cariz privado numa zona de acesso público. Nesse local pode-se ouvir o sussurrar constante do Rio Vizela, com inúmeras quedas de água pura e cristalina. O pisão também lá está à espera da visita de quem passa, na maioria das vezes em funcionamento para que se possa ver como é que as mantas outrora ficavam macias. A Aldeia do Pontido é um local que, só por si, convida a visitar e a estar largos momentos a apreciar tudo que a envolve, aproveitando a ponte que serve de varanda para cenários que a memória dificilmente esquecerá.
Contornando a Barragem de Queimadela e após algumas centenas de metros, o espelho de água depara-se-nos com reflexos de várias cores, o que empresta ao local um autêntico ambiente de cinema. A cascata também lá está para encantar quem por lá passa, bem como algumas casas em ruínas. Mais à frente e depois de largos metros sobre um passadiço de madeira, um moinho, para, pouco depois, se chegar à zona mais frequentada da barragem que precede em poucos metros o final da marcha.
O PR 11 é um percurso marcado nos dois sentidos, segundo as normas da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal e encontra-se em fase de homologação. Como o próprio nome indica é o 11.º percurso de pequena rota marcado no Concelho de Fafe, por uma Secção de Montanhismo (Restauradores da Granja) que completa em 2011 dez anos de existência.
Em jeito de homenagem ficam aqui os nomes dos aventureiros da Cercifaf, são eles: Victor, Mariana, Joaquim, Araújo, Paula Maria, Lino, Emília, José Davide, Susana e a Aida, acompanhados pelos monitores João e Fátima. Todos eles são portadores de Carta de Montanheiro, emitida pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal.
.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Festa de Natal dos Veteranos da UD Fafe A 60

Texto e fotos: João Carlos Lopes
.
Coisas do arco da velha
.
Os Veteranos da UD Fafe Anos 60, realizaram recentemente a sua Festa de Natal a qual se dividiu em duas vertentes, a desportiva e a de convívio, como de resto acontece em quase todos os jogos que realizam. 
Tendo como palco para as duas actividades o Complexo Desportivo de Rilhadas, os veteranos, aproveitaram o campo sintético para fazer uma peladinha. Contudo face à ausência dos guarda-redes o jogo ficou limitado á marcação de golos de cabeça e só dentro da pequena área. Viram-se golos para todos os gostos e as habituais quezílias de quem não quer perder nem que seja apenas um lançamento a seu favor.
Já no restaurante o convívio ganhou mais expressão com a chegada dos restantes elementos que foram entregando à medida que chegavam as respectivas prendas, recebendo pouco depois, um número para ver a sorte que lhes cabia em sorteio das mesmas.
O momento da troca de prendas é sempre hilariante, pois estes veteranos são matreiros e não deixam passar nada em claro comentando cada situação até à exaustão.
O momento de maior apreensão chegou com os galardões e os prémios que a instituição dedicou. Aqui é de louvar o esforço, a dedicação e a imaginação, na elaboração e escolha das prendas, algumas autênticas preciosidades, como a do jogador do ano, uma sapatilha verdadeira pintada a dourado a imitar o prémio de melhor marcador. Ou então o prémio revelação, bem arquitectado com um rolo de máquina fotográfica, dispensando quaisquer palavras. Estes e outros prémios que, a brincar, acabam por reconhecer o mérito a quem o tem.
A festa acabou com o “Tony Cunha Carreira” a cantar no Karaoke, aqui e acolá ajudado por João Paulo, Pereirinha e pelo presidente Rogério Ferreira.
Reinou a boa disposição e isso é que marca sempre estes momentos onde se aproveita para recordar situações vividas ao longo de algumas carreiras desportivas quando estes atletas representavam clubes de topo do futebol distrital. Uma mão cheia de histórias contadas, algumas do arco da velha, e uma infinidade delas ainda por deslindar mas que ficarão para outras ocasiões.

PRÉMIOS ATRIBUÍDOS PELA UD FAFE A60

FUTEBOLISTA DO ANO
João Paulo

MELHOR MARCADOR

Abílio Torrinheira
TÉCNICO DO ANO
Albino da Costa Leite (Bininho)
SECCIONISTA DO ANO
Carlos Soares (Charta)
DIRIGENTE DO ANO
Feliciano
SÓCIO DO ANO
Samuel
RECORDAÇÃO DO ANO
Gentil Martins
DEDICAÇÃO DO ANO
João Lopes
DIRIGENTE HONORÁRIO
Fernando Marinho Gonçalves
QUADRO DO ANO
Zé Avelino
PRÉMIO REVELAÇÃO
David (Guarda- redes)
PRÉMIOS EXTRA
Rogério Ferreira (Presidente)
Leandro (Veterano mais jovem)
.

Médio Buba (ex-Silvares) está livre

Texto e foto: João Carlos Lopes

Jogador procura agora novo projecto
.
Buba acaba de deixar o Grupo Desportivo de Silvares onde a concorrência era muita e as oportunidades de jogar eram poucas. 
.
O jogador de 25 anos que havia transitado do futebol popular, onde tinha servido o Grupo Desportivo de Fareja, para a equipa de S. Martinho de Silvares, esta temporada, ainda resistiu à primeira  monda feita pelo técnico Luís Alberto. Contudo, com a equipa a apostar em jogadores com mais experiência no futebol distrital, a margem de manobra para o atleta era cada vez menor, apesar de fazer parte do lote de convocados para os jogos.
.
É uma experiência que fica para este médio centro com características ofensivas e que tem na qualidade do passe uma das suas melhores armas.
.
Agora Buba está livre para abraçar novos projectos no futebol distrital e por em prática as suas qualidades futebolísticas, desde que jogue com mais regularidade.
.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Natação: AD Fafe no Camp. Nac. Clubes 3.ª e 4.ª Divisão

Texto: Filipe Carvalho / Fotos: Natação da ADF

Manutenção garantida de forma tranquila  

O Campeonato Nacional de Clubes da 3.ª e 4.ª Divisão realizou-se no passado fim-de-semana dias 18 e 19 de Dezembro nas Caldas da Rainha.

Estes campeonatos contaram com a presença de 310 atletas e 35 clubes na 3.ª divisão, e com 306 atletas na 4ª divisão em representação de 36 clubes provenientes das mais diversas associações de natação do país.

Na 3.ª divisão feminina a ADF-Natação esteve representada por Beatriz Meireles, Beatriz Sampaio, Inês Bastos, Isabel Monteiro, Noémia Verdi, Sofia Ramos e Rita Freitas. Na 4ª divisão masculina participaram nestes campeonatos o António Oliveira, Carlos Costa, Francisco Oliveira, Humberto Silva, Paulo Magalhães, Paulo Miranda, Daniel Steinmaier e Tiago Teixeira.

No que concerne ao campeonato nacional da 3.ª divisão feminina, sagrou-se vencedora a equipa do Sport Algés e Dafundo (266 pontos), seguida de Leixões Sport Clube e Académica de Viseu (ambos com 239 pontos) e o clube de Natação de Ponta Delgada (238 pontos) a completar o leque das equipas que transitam para a 2ª divisão dos campeonatos do próximo ano.
Nesta divisão a ADF obteve o 17º Lugar da Classificação Geral com 126 pontos. Em termos individuais destacam-se os recordes pessoais nas prestações da atleta Isabel Monteiro na prova dos 100 metros costas com o tempo de 1:08, 16 e Sofia Ramos nos 400 metros livres com 4:57,18.

Ambas as atletas realizam marcas que lhes permitem a presença nos campeonatos nacionais da presente época. Na 4ª divisão masculina sagrou-se campeã a Naval Amorense (293 pontos).

As restantes equipas a atingirem a subida para a 3ª divisão foram o Viana Natação Clube (259 pontos), Clube Natação de Olhão (242 pontos) e o Clube de Natação de Vila Real (223).

A Associação Desportiva de Fafe classificou-se na 17ª posição com 126 pontos. Também se destacam em termos individuais como melhores marcas pessoais, o tempo de 28.29 nos 50 metros livres por Daniel Steimaier, 9:59,03 nos 800 metros livres por Paulo Miranda e 4:12,11 nos 400 metros livres por Tiago Teixeira.

Este último registo é de resto considerado uma das cinco melhores prestações em termos de pontos pela tabela FINA durante estes campeonatos. Deste modo e em análise global, a Associação Desportiva de Fafe consegue de forma tranquila a manutenção de ambas as equipas nos seus respectivos escalões e com a obtenção de registos interessantes nas mais diversas distâncias que compõem o programa de provas deste evento.
.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Campeonato Nacional de Karate Cadetes e Juniores FNK-P

Texto e fotos: AK Fafe
A.K. Fafe em festa! Mais duas medalhas de bronze

Márcio Carvalho – Medalha de Bronze
No dia 18 de Dezembro a Associação de Artes Marciais do Algarve em colaboração com a Federação Nacional de Karate Portugal e Câmara Municipal de Loulé organizou o 18º Campeonato Nacional de Karate nos escalões Cadetes, Juniores, em Loulé no Pavilhão Municipal.
Pavilhão de condições excelentes para a prática desportiva, digna de receber as centenas de competidores apurados dos vários campeonatos regionais realizados: Norte, Centro Norte, Sul e Ilhas da Madeira e dos Açores.

A A.K.Fafe, esteve representada pelos atletas Pedro Marinho Loureiro, Duarte Baptista em Kumite Cadetes Masculinos, nas categorias de -52 Kg e -70 Kg e pelo Júnior masculino Márcio Carvalho na categoria de Kumite de -61 Kg.
 

Pedro Loureiro Marinho – Medalha de Bronze
 
O Campeão Regional Norte de Kumite Cadetes em -70 Kg, Pedro Loureiro Marinho, no caminho para a conquista da medalha de bronze, venceu vários combates tendo sido apenas derrotado pelo Vice-Campeão Nacional Telmo Lourenço, num combate disputadíssimo de grande qualidade.ambém o atleta Márcio Carvalho, Vice-Campeão Regional de Kumite Juniores -61 Kg, arrecadou a medalha de Bronze.

No percurso para as medalhas, deixou para trás diversos competidores, tendo sido derrotado apenas pelo Vice-Campeão Nacional Diogo Candido por ipon, num combate muito estratégico, cuja sorte pendeu para o adversário.

De referir que actual campeão nacional tinha sido derrotado pelo Márcio no Campeonato Regional Norte.

A 10 de Dezembro de 2010 a A.K.Fafe, teve a honra de receber no seu humilde dojo o Shihan Mário Águas (7º Dan) o Sensei Mota (6º Dan) e o Sensei Mesquita. Este treino contou com a presença de cerca de uma centena de praticantes da A.K.Fafe dos diversos escalões etários.


Treino Shihan Mário Águas
Findo o treino, a família A.K.Fafe, reuniu-se em festa para celebrar o Natal com todos os praticantes e familiares no restaurante “Adega Popular”. A boa-disposição, alegria e a união estiveram bem patentes nesta grande festa que contou com a animação musical dos karatecas fafenses e pela presença do incomparável grupo de concertinas “Ribeiro e Amigos”. 

A A.K.Fafe entra na quadra natalícia com duas medalhas no sapatinho e a preparar-se já para as provas de 2011.

A A.K.Fafe, aproveita a ocasião para desejar aos praticantes, familiares, dirigentes, simpatizantes e a todos os leitores um Santo Natal e um Próspero Ano de 2011.

Horário de funcionamento: das 18:45 às 20:45 horas de 2ª a 6ª e sábados das 11:00 às 13:00 horas, na Avenida da Granja em Fafe.
.

Futsal Feminino: Resultados / Classificação

.
6.ª JORNADA 

Regadas, 6 – Paços, 0

Estorãos, 3 – Medelo, 5

Armil, 1 – Amigos Quinchães, 1

Golães, 4 - C. Saúde  Fafe, 0
.

Futebol Popular / Formação: Resultados - Classificação

 -
6.ª JORNADA 
.
Paços, 4 - Amigos Quinchães, 2

Travassós, 4 – Fornelos, 1

Cepanense, 1 – Golães,1
.

Futebol Popular: Resultados / Classificação

.
7.ª JORNADA – jogos realizados a 11/12/2010

Fareja, 1 - Amigos Quinchães, 1

Serafão, 2 – Ribeiros, 4

S. Clemente, 3 – Paços, 1

Pardelhas, 3 – Armil, 1

Folgou o: Marinhão
.

AD Fafe - Condolências pela morte de Aurélio Márcio

Texto: AD Fafe / Foto: A Bola

Recebemos um comunicado da AD Fafe, sobre a morte do jornalista, nascido em Fafe, Aurélio Márcio, que publicamos na íntegra.

"A Associação Desportiva de Fafe lamenta o desaparecimento físico do jornalista Aurélio Márcio que deixa um grande legado a todos que integram a grande família do futebol.

Além do muito que escreveu e disse para bem do futebol nacional, não esquecemos o facto de ter nascido em Fafe e de ter oferecido à Biblioteca Municipal desta terra todo o seu espólio bibliográfico.

Como principal clube de futebol deste concelho não poderíamos esquecer neste momento o grande Homem, jornalista e fafense que foi Aurélio Márcio.

À família a ao mundo do futebol apresentamos as nossas mais sentidas  condolências."

Fafe, 20 de Dezembro de 2010

A Direcção da AD Fafe
.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Futebol / Legião Estrangeira

Texto: João Carlos Lopes / Foto: CD Feirense 
Henrique - CD Feirense

LIGA DE HONRA - Jornada 11

O FEIRENSE (1.º) de Henrique, venceu no terreno do Fátima, por 2-1 depois de na semana anterior ter vencido em casa o Moreirense pelo mesmo resultado. Com isso está no primeiro lugar mas a concorrência é tanta que nem dá para olhar para o lado. Uma coisa é certa, vai passar o Natal no poleiro e até pode cantar na missa do galo e saborear uma boa "salsicha" no dia de Natal.
O GIL VICENTE (8.º), de Sandro, foi perder ao Restelo por 2-0 com o Belenenses, depois da derrota caseira, por 1-0, com a Oliveirense. Apesar de tudo a equipa de Barcelos está a apenas dois pontos do líder.  
O MOREIRENSE (15.º), empatou a uma bola com a Oliveirense, na segunda partida consecutiva jogada fora de portas depois de ter perdido por 2-1 no recinto do Feirense. Esta situação deixa a equipa no penúltimo lugar mas a apenas seis pontos do líder.  
O SANTA CLARA (6.º), de Bruno Monteiro, empatou em Penafiel a uma bola, depois de ter vencido o Estoril Praia na jornada anterior. A equipa insular tem um jogo a mais que a maior parte da concorrência mas já só está a dois pontos do comando.

2.ª DIVISÃO B - Jornada 13

O CHAVES (3.º), de Ricardo Nogueira, Foi empatar no recinto do Andorinha a uma bola mas mantém o terceiro lugar e é a segunda equipa menos batida desta zona.
A AD OLIVEIRENSE (6.º), de Ismael, empatou em casa com o Macedo de Cavaleiros a uma bola. Foi o quinto empate desta equipa que subiu de escalão na temporada passada juntamente com o Fafe.
O VIZELA (11.º), de Paulo Freitas, registou mais um empate, este a zero, no recinto do Ribeirão. Foi a sétima vez que a equipa vizelense empatou esta época, em treze jogos disputados-
O BRAGANÇA (15.º), do técnico Carlitos e de Tiago André, voltou a perder em casa, com o Caniçal por uma bola a zero. O técnico fafense colocou o lugar à disposição uma vez que apesar da equipa jogar bem não consegue marcar e acaba por perder.

3.ª DIVISÃO – SÉRIE A - Jornada 13

O VIEIRA (10.º), de Óscar, Pablo e Rambóia perdeu em casa com o Limianos a uma bola depois de ter vencido o Fão por uma bola a zero, no mesmo recinto, na jornada anterior.
O MARIA DA FONTE (5.º), de Fredy e Ruizinho, venceu no recinto do Melgacense por 2-1 e já o tinha feito no terreno do Taipas na jornada que antecedeu por 2-0. Grande recuperação da equipa da Póvoa de Lanhoso.

3.ª DIVISÃO – SÉRIE B - Jornada 13

O JOANE (4.º), de Gil e Miguel Lemos, venceu o dérbi com o Famalicão por 1-0. Os joanenses levaram a melhor no braço de ferro contra a equipa do mesmo concelho. Estão a apenas dois pontos dos líderes.
O AMARANTE (5.º), de Ricardo Morais, empatou em casa com o Serzedelo depois de ter vencido o Rebordosa também na condição de visitado. Tem os mesmos pontos do Joane e também está a dois pontos dos líderes.
O MONDINENSE (11.º), de Miguel Soares, voltou a empatar, agora no recinto do Candal, a uma bola, depois ter feito o mesmo em casa mas a três bolas com o Paredes. Se continuar a acreditar as vitórias acontecem. 

3.ª DIVISÃO – SÉRIE MADEIRA – Jornada 13

O ESTRELA DA CALHETA (3.º), de Silas e Noré, foi empatar a uma bola ao terreno do Câmara de Lobos. Na jornada anterior tinha perdido por 3-1 no recinto do Ribeira Brava. É terceiro mas já está a nove pontos dos dois primeiros.
.

Andebol - Resultados

Colaboração: AC Fafe

Camp. Nac. Fase Final Juniores Masculinos

Academica S. Mamende, 33 -  AC Fafe, 27


Camp. Nac. 2ª Divisão Zona 1 Iniciados Femininos


AC Fafe, 16 - Godim, 36


JUVENIS
.
Após ter derrotado a Selecção Nacional de Juniores D por  33-32 e o ABC por 39-33 o Andebol Clube de Fafe venceu 3.º Torneio Internacional Cidade de Fafe, derrotando na Final o Xico Andebol por 28 -27.
.

domingo, 19 de dezembro de 2010

1.ª Div. AF Braga: Travassós, 2 - Ruivanense, 0

Paulinho
Texto: João Carlos Lopes 

Quinzinho e Gonça dão expressão ao candidato

O Travassós tinha um osso duro de roer pela frente, que dava pelo nome de Ruivanense, mas soube dar conta do recado ao vencer por 2-0, mantendo-se na luta pelo título de campeão de série, partilhando agora o epíteto de melhor defesa com o Pica, equipa que lidera esta série com os mesmos pontos da equipa liderada por Paulinho.

Neste jogo foi um homem da casa, Quinzinho, a inaugurar o marcador, ainda na primeira parte dando expressão ao bom futebol que o Travassós estava a praticar.

No segundo tempo apesar do domínio fafense o golo da tranquilidade tardava a acontecer o que deixou a defesa da casa em alerta máximo para não sofrer qualquer calafrio nem perder posição no cimo da tabela.

O golo da tranquilidade só chegou no período de compensação e teve a assinatura de Nuno Gonça que, assim, veio dar a tranquilidade necessária para afastar qualquer fantasma.

O Travassós de Paulinho tem levado a água ao seu moinho, sabendo gerir resultados, esforços e emoções, subindo de rendimento paulatinamente até atingir uma velocidade de cruzeiro que lhe permite ultrapassar os obstáculos com uma atitude de confiança. 
. 

1.ª Div. AF Braga: Guilhofrei, 1 - Pica, 2


Vasco
Texto: João Carlos Lopes

Vasco e Richa resolveram

O Pica foi ao sempre difícil recinto do Guilhofrei vencer por duas bolas a uma, reforçando assim a sua posição de líder nesta série, agora só com a companhia do Travassós pois o Ruivanense já está a três pontos e o novo terceiro classificado é o Antime.

Nesta deslocação a Terras de Vieira do Minho a equipa fafense teve dificuldades em inaugurar o marcador pois recolheu para o intervalo com uma igualdade a zero.

No segundo a qualidade do futebol do Pica veio ao de cima e o matador da equipa, Vasco, voltou a estar em destaque ao marcar aos 63 minutos colocando os fafenses em vantagem.

Foram precisos apenas mais dois minutos para que a vantagem aumentasse, desta vez através de Richa, outro dos avançados da equipa fafense.

Agora, como diz o ditado, candeia que vai á frente alumia duas vezes e o Pica está a saber aproveitar esse facto, pois não larga a posição desde que lá chegou.

Este campeonato tem uma curiosidade. Pica e Travassós têm 9 vitórias, um empate e uma derrota cada um, sofreram ambos cinco golos, têm os mesmos 29 pontos e apenas diferem nos golos marcados, 21 para o Pica e 18 para o Travassós. No jogo entre ambos, jogado em Travassós, registou-se uma igualdade a dois golos.
.

Futebol – 2.ª Div. B: AD Fafe, 0 – União da Madeira, 2

Texto e fotos: João Carlos Lopes
Desencantos da Madeira
O Fafe sofreu a primeira derrota, em sete jogos disputados no seu recinto, frente ao União da Madeira com quem perdeu por 2-0, numa partida em que sofreu dois golos de bola parada, nomeadamente de pontapés de canto, o segundo dos quais contra a corrente do jogo.
O União da Madeira apresentou-se em Fafe com uma equipa recheada de jogadores experientes, alguns deles com passagens pelos dois escalões mais elevados do futebol português. Não foi uma equipa esforçada mas simplesmente pragmática, fazendo a bola correr e tapando todos os caminhos da baliza aos fafenses.
Por seu lado, o Fafe também soube estancar o futebol corrido, ainda que pausado dos insulares mas acabou surpreendido naqueles dois lances de bola parada. No final da contenda as equipas até estiveram equilibradas em termos de pontapé de canto, mais ou menos dez para cada lado, contudo, os insulares foram os únicos a tirar proveito dessa situação.
Até aos 26 minutos, altura que ocorreu o primeiro golo do União, não houve qualquer situação de verdadeiro perigo a registar em toda a partida. O golo surgiu com a bola a viajar para para o coração da área e Toni a ser oportuno e, de cabeça, a inaugurar o marcador.
O Fafe quase não reagiu ao golo pois as suas acções ofensivas careciam de agressividade e acutilância.
Aos 42 minutos Hernâni marcou um livre para o União descaído para a direita tendo obrigado Ricardo a ceder canto.
Aos 43 minutos o Fafe rondou a área insular mas tanto Hugo Oliveira como Ferrinho não conseguiram furar a muralha defensiva unionista.
Neste primeiro tempo o Fafe errou muitos passes, devido à pressão alta da equipa forasteira que cortava praticamente todas as linhas de passe e dificultava a progressão fafense no terreno.
O Fafe entrou melhor no segundo tempo mas os remates que a equipa fez não levara, a direcção da baliza. Aos 60 minutos, Agostinho bento esgotou as substituições, tirando Hugo Oliveira e Bruno Pereira e metendo Miguel Veiga e João Nogueira.
Com as alterações a equipa ficou mais agressiva, principalmente com a acção de Miguel Veiga na área, sempre muito combativo e a discutir cada lance do jogo nunca virando a cara à luta.
Aos 62 minutos o Fafe conquistou quatro cantos consecutivos, tendo na sequência de um deles João Carneiro proporcionado grande defesa a Adriano. Nesta altura o União da Madeira jogava muito recuado, preocupando-se mais em desfazer do que construir jogo.
Numa das poucas vezes que desceu à área fafense, neste segundo tempo, o União conseguiu três cantos manhosos quer viriam a resultar no 2-0. Ruben cobrou o canto, Bertinho fez um desvio e Fábio Ervões, ao primeiro poste, rematou com êxito para o golo, corria o minuto 73.
A equipa da Madeira chegou ao 2-0 quando o Fafe dominava o jogo, apesar de não ter conseguido marcar.  
Mesmo a perder por 2-0 o Fafe teve uma boa reacção. Aos 80 minutos, Silvestre rematou para ganhar um canto. Aos 85, Ferrinho rematou de pé esquerdo para grande defesa de Adriano para canto e aos 85 foi Bijou a obrigar Adriano a fazer outra grande defesa para canto.
Bijou voltou a rematar aos 91 minutos mas a bola esbarrou na muralha de pernas unionista.
Aos 92 minutos, o União aproveitou o adiantamento do Fafe com Ruben a tentar picar a bola sobre Ricardo mas este negou-lhe o golo. No minuto seguinte foi Adriano a defender um livre de Miguel Veiga.

Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro, Sílvio Gouveia (CA Bragança), auxiliado por Carlos Melo e Paulo Gonçalves.
AD FAFE: Ricardo; Mike, Zé Manel, Xavi e João Carneiro; Bijou, Bruno Pereira (João Nogueira, 60’) e Silvestre; Filipe, Hugo Oliveira (Miguel Veiga, 60’) e Jorginho (Ferrinho, 24’). Treinador, Agostinho Bento.
CF União: Adriano; Fábio Ervões, Toni, Ruben, Matão (Bertinho, 70, Cleibson, Tiago, Hugo Santos (Steve, 92), Roberto, Hernâni (Valter, 77’) e Alex. Treinador, Daniel Ramos.  
MARCADORES: Toni, 26 e Fábio Ervões, 73.
.

Juniores - Taça AF Braga: Vasco da Gama, 2 - Fão, 1


Ceua e Leonel colocam o Vasco nos quartos

Os Juniores do Vasco da Gama passaram brilhantemente mais um obstáculo na Taça AF de Braga, deixando já pelo caminho duas equipas da 1.ª Divisão e este Fão que têm tradições nesta competição e no futebol distrital.

O jogo foi intenso,com uma assistência pouco vista nos tempos que correm, com os da casa a inaugurar marcador aos 10 minutos, num golo de antologia do ponta de lança Ceua que, num chapéu perfeito inaugurou o marcador.O Vasco criou mais duas ocasiões que foram desperdiçadas e foi para o intervalo a ganhar.

No segundo tempo e quase a abrir, um balde água fria com uma desatenção dos centrais da equipa fafense e o Fão a aproveitar para igualar.

O técnico do Vasco da Gama meteu uma unidade fresca no jogo aos 55 minutos, Tiago e o ajuste de posições operado resultou na perfeição, tendo o Vasco presenteado a assitência com uma segunda parte de bom nível.

Perto dos 75 minutos, depois de um livre muito bem executado por Leonel, que é um puro estratega de grandes recursos, cuja bola foi ao o poste, chegou à vitoria pelo mesmo jogador que deu seguimento a uma jogada, mais uma de bom futebol, colocando o Vasco da Gama nos quartos por mérito próprio.

Um feito nunca alcançado apesar do seu longo historial, deixando a massa adepta completamente eufórica e participativa.

Nesse mesmo dia (Sábado), seguiu-se o jantar de Natal que reuniu em convívio 115 pessoas e que constituiu mais um marco histórico para o Vasco Gama. Atletas, técnicos, familiares e associados deram largas á sua alegria, enaltecendo o trabalho que Oscar Barros e seus pares, bem como o seu presidente Engenheiro José Vicente  que em três meses vêm fazendo ao comando deste Vasco da Gama rejuvenescido.

Os Vasquinhos também estiveram presentes e deram um colorido muito agradável e também eles vão sentindo o que é o Vasco da Gama nesta fase do novo projecto.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Futebol Veteranos: Penafiel, 2 - UD Fafe A 60, 3

Braga (esquerda) e Pereirinha (direita)
Texto e fotos: João Carlos Lopes

Braga bisou e Pereirinha brilhou na baliza

Os veteranos da UD Fafe Anos 60 regressaram ao trabalho com "ganas" de vencer e não o fizeram por menos ao bater o Penafiel por 3-2, no campo deste, com um herói improvável na baliza, Pereirinha, um pequeno grande guarda-redes. Melhor dizendo, na falta dos habituais titulares, os técnicos Filipe Silva e Bininho improvisaram e saíram-se bem.

Não foi fácil esta deslocação da equipa fafense ao Vale do Sousa pois ao intervalo perdia por duas bolas a zero, o que, aliado ao facto de estar a jogar na casa do adversário fazia prever uma segunda parte difícil mas não impossível como se veio a verificar.

Com o antigo treinador do Pica a bisar na partida e a reestabelecer a igualdade os fafenses ganharam ânimo extra e conseguiram chegar à vantagem através de novo golo, desta vez de João Paulo.

Com Nelo Pereirinha inspirado na baliza, a negar os intentos aos da casa, os fafenses saíram do campo sintético do Estádio Municipal de Penafiel a cantar vitória e satisfeitíssimos pela grande reviravolta da segunda parte em que inverteram um 2-0 em um 2-3. Se calhar, muitos deles, quando ainda não eram veteranos e jogavam em grandes equipas não se lembram de virar assim um resultado. 
. 

Juniores: 2.ª Div. Nac.: AD Fafe, 0 – Gil Vicente, 2

Texto e fotos: João Carlos Lopes / Tiago João Lopes
.
Fafenses alimentam o galo

O Fafe consentiu a segunda derrota caseira consecutiva ao perder com o Gil Vicente por 2-0, num jogo em que a oferta do primeiro golo foi determinante para o desfecho final. O Fafe fez uma boa segunda parte, ainda que os gilistas não tivessem permitido grandes veleidades no seu sector mais recuado de onde sacudiam a bola de todas as maneiras possíveis.  
 Os fafenses entraram confiantes na partida e até podia ter marcado aos sete minutos quando João Vítor cruzou ao segundo poste onde João Miguel tentou servir Fábio que estava no primeiro ferro mas este atirou ao lado.
O Fafe dominava ligeiramente mas sem, com isso criar muito perigo.
Aos 17 minutos um desentendimento na retaguarda fafense quase permitia ao gilista Hélder fazer golo.
Aos 19 na sequência de uma jogada confusa na área fafense um homem do Gil Vicente rematou á queima e Marçal defendeu com os pés.
Aos 22, Tó desperdiçou para os gilistas uma oportunidade de golo quase certo, ao atirar ao lado de cabeça.
Aos 23 minutos, depois de tanto ameaçar a equipa de Barcelos chegou ao golo mas com a colaboração de um defesa e do guarda-redes do Fafe que se desentenderam. Rampa e Marçal hesitaram na hora da coordenação e o central acabou por isolar de cabeça o avançado Tó, que recebeu de coração aberto, um passe que deveria ter sido para Marçal.
Tentou reagir o Fafe, aos 25 minutos, com João Miguel a rematar para defesa apertada de Flávio.
Aos 27 minutos, Tó voltou a estar em evidência e após ter ultrapassado um defesa do Fafe, já com a baliza escancarada, atirou ao lado.
O Fafe voltou a descer à área gilista por volta da meia hora mas sem criar o verdadeiro perigo, ainda que tentasse chegar ao golo.
Aos 42 minutos Serginho saiu lesionado numa cadeira humana improvisada pelo fisioterapeuta Patrício e pelo treinador de guarda-redes Ricardo Ferreira. Zé Brochado rendeu o colega de equipa.
Se na primeira parte se viu mais Gil Vicente, na segunda praticamente só deu Fafe mas a equipa de Barcelos varreu sempre toda a sua zona defensiva sem contemplações e com alguma sorte á mistura.
Aos 46 minutos, João Miguel, de cabeça, permitiu defesa ao guarda-redes Flávio, numa excelente situação de golo.
Aos 52 minutos, Flávio opõe-se com categoria a remate cruzado de Castro que levava lume.
Aos 62 minutos, Castro cruzou tenso para a área sem que ninguém aparecesse para a emenda. Aos 66 o mesmo jogador rematou por cima da barra.
Aos 74 minutos, Diogo Costa cruzou, a bola chegou a Castro que podia ter rematado de primeira mas fez uma finta e depois Flávio resolveu para a sua equipa.
Aos 76 os remates de Zé Brochado, Mota e Diogo Costa esbarraram literalmente na selva de pernas existente na área gilista.
Aos 79 o Fafe construiu uma jogada espectacular mas o último toque voltou a estragar tudo.
Aos 83 minutos, como quem não marca sofre, talvez no único remate que o Gil fez á baliza na segunda parte chegou ao 2-0. Vítor Sousa recebeu, virou-se para a baliza e bateu Marçal.
Aos 87, João Miguel atirou ao lado e já em período de compensação o mesmo jogador iludiu um defesa contrário e atirou ao poste. Na recarga também Diogo Costa falhou.
Jogo realizado no Campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
Árbitro: Luciano Maia, auxiliado por Valdemar Maia e José Ribeiro.
AD FAFE: Marçal; João Alves, Rampa, Fábio e Toka; João Vítor (Diogo Costa, 62), Mota (Arroz, 77) e Marcelo; Serginho (Brochado, 42), João Miguel e Castro. Treinador, Miguel Paredes.
GIL VICENTE FC: Flávio; Ricardo Coutinho, Vítor, Stefan, Teko, Fábio Mendes (Riquinho, 79), Hélder (André Silva, 92), Pedro, Tó, Rui faria e Vítor Sousa. Treinador, Sá Pereira.
MARCADORES: Tó, 23; e Vítor Sousa, 83.
.