.

.
.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: Rebordosa, 1 - AD Fafe, 0

.
Texto e fotos: João Carlos Lopes
.
O azar de marcar na baliza errada
.
O Fafe perder por 1-0, no campo do Rebordosa, com um auto-golo de Miguel Veiga. Quando o avançado fafense tentava aliviar uma bola deu-lhe de rosca e a mesma, caprichosamente, sobrevoou Nuno Dias e originou o único golo da partida. Estava cumprido o terceiro de quatro minutos de compensação e o Fafe ficou sem tempo para reagir a este balde de água fria, depois de ter desperdiçado uma boa quantidade de oportunidades para marcar. No entanto, verdade seja dita, ainda no primeiro tempo e por duas vezes, a lama evitou que os da casa chegassem à vantagem quando a bola se encaminhava já para a baliza.
O Fafe dominou até durante os primeiros dez minutos mas não tirou daí qualquer dividendo.
Aos 13 minutos o Rebordosa apareceu na área do Fafe e Nuno Dias teve que sacudir para canto, após uma jogada de insistência dos homens da casa.
Com a chuva sempre a cair a bola prendia no relvado prejudicando o futebol das duas equipas, muito mais a do Fafe que evidenciava um futebol mais personalizado.
Aos 20 minutos, Zé Manel tentou meter a bola em Miguel Veiga, ao primeiro poste, mas esta foi interceptada; aos 28, Miguel Veiga isolou-se, devido ao estado do terreno teve dificuldades em progredir com celeridade, mesmo assim conseguiu chegar perto da baliza mas atirou por cima; aos 31, foi André, em boa posição a atirar á figura de Paulo Freitas, guarda-redes fafense ao serviço do Rebordosa.
Aos 32 minutos o Fafe teve a sorte do seu lado. Bom entendimento entre os avançados do Rebordosa mas, quando um deles rematou para a baliza deserta a bola ficou presa na lama; Aos 34, voltou a acontecer uma situação idêntica o que levou aos dessespero os jogadores do Rebordosa; aos 37 Nuno Dias fez mais uma defesa para negar o golo aos caseiros.
Aos 42 minutos o árbitro equivocou-se. Miguel Veiga tabelou com Vítor Hugo, ficou isolado e o árbitro, por indicação do auxiliar marcou um fora de jogo inexistente.
No segundo tempo, verificou-se um festival de golos falhados por parte do Fafe.
Os fafenses tentaram marcar de todas as maneiras e feitios e falharam na mesma proporção. Aos 51 minutos, Silvestre entendeu-se bem com Filipe e este rematou para ver Paulo Freitas defender para canto; Aos 61, Miguel Veiga desviou de cabeça e Vítor Hugo atirou ao lado; aos 63, em jogada que envolveu Ferrinho e Filipe este cruzou com conta, peso e medida para Miguel Veiga que rematou de cabeça proporcionando mais uma boa defesa a Paulo Freitas.
O Rebordosa chegava poucas vezes com perigo perto da baliza do Fafe mas aos 67 esteve muito perto de marcar.
O Fafe é que continuava a desperdiçar. Aos 71, Miguel Veiga voltou a rematar à malha lateral, após cruzamento de Josi. Um minuto depois, Filipe rematou para nova defesa de Paulo Freitas; Aos 77 Veiga atirou em jeito e a bola saiu á figura do guardião da casa; aos 81, Ferrinho fintou o guarda-redes e atirou ao lado. Era o desespero total para os fafenses, ao verem tanto desperdício. Aos 84, novo fora de jogo mal tirado a Miguel Veiga que ficava bem posicionado.
Nos minutos finais o Rebordosa acercou-se da baliza fafense e, aos 88, Nuno Dias defendeu um livre directo para canto.
Já passava do terceiro de quatro minutos de compensação quando o jogador do Rebordosa João Gouveia disparou e Miguel Veiga, em ajuda defensiva, como fez tantas vezes durante o jogo, tentou interceptar o lance, dando de rosca na bola e este, em balão passou sobre Nuno Dias, e entrou na baliza. Foi bom demais para os da casa e mau de mais para os de Fafe que tinha desperdiçado uma mão cheia de ocasiões para marcar.
De recordar ainda que Mike teve que ser substituído aos 22 minutos por não se encontrar em condições de prosseguir o jogo, devido a lesão num pé.
Uma última nota para o excelente estádio, estilo ferradura, e acessos à bancada do Rebordosa. Um exemplo a seguir para o futuro Estádio Municipal de Desportos de Fafe.
Na baliza do Rebordosa, o Fafe Paulo Freitas, foi um dos responsáveis do triunfo da equipa do Concelho de Paredes, tendo feito uma exibição muito positiva, ao negar, por várias vezes, o golo aos fafenses.
.
Agostinho Bento apresentou a seguinte equipa neste jogo: Nuno Dias; Primo, Zé Manel, Xavi e Mike (André, 22’); Silvestre, Josi e Bijou; Filipe (Delfim, 83’), Miguel Veiga e Vítor Hugo (Ferrinho, 62’).
.

1.ª Div. AF Braga: Travassós, 3 - Guilhofrei, 2


Primeira vitória de Paulinho

O Travassós conseguiu finalmente uma vitória, por 3-2, frente ao Guilhofrei, depois de uma série consecutiva de empates.
Esta é, também, a primeira vitória do técnico fafense Paulinho, á frente da equipa. O Guilhofrei não era um adversário fácil como o resultado acaba por comprovar.
Ao intervalo a equipa fafense vencia por 2-1. Paulinho inaugurou o marcador através da marcação de uma grande penalidade. A equipa do Concelho de Vieira do Minho pagou na mesma moeda, ou seja, empatou também com uma grande penalidade. Antes do recolher, Nuno Gonça colocou o Travassós novamente em vantagem.
No segundo tempo, o Travassós beneficiou de novo penálti mas desta vez foi Marco a converter e ampliar para 3-1. O Guilhofrei reduziu perto do final da partida para 3-2.
.

2.ª Div. AF Braga: União Moreirense, 1 - Antime, 1


Pedro fez Maurício desfez

O União Moreirense, de Arlindo Silva, recebeu e empatou com o Antime, de Domingos Freitas, a uma bola, o que originou com que estas duas equipas se atrasassem mutuamente.
A equipa que jogava fora conseguiu chegar primeiro ao golo, antes do intervalo por intermédio de Pedro. Porém, na segunda parte, os da casa, lograram alcançar o empate com um golo de Maurício Russo.
Ambas as equipas têm aspirações neste campeonato, umas assumidas e outras não mas, este resultado não beneficia qualquer uma delas. Contudo, entre equipas do mesmo Concelho o empate não deixa de servir, mais que não seja para que não haja motivo de regozijo amalandrado por parte dos jogadores de ambos os conjuntos.
.

Juvenis - Camp. Nac.: SC Braga, 3 - AD Fafe, 0


Jogar bem mas sem marcar

Os Juvenis da AD Fafe despediram-se do campeonato Nacional com uma derrota em Braga por 3-0, mas, segundo o seu treinador, a fazerem a melhor exibição de toda a temporada.
A formação da Cidade dos Arcebispos marcou dois golos nos minutos iniciais o que condicionou a estratégia montada por Miguel Paredes.
Depois do intervalo e com o estado do terreno a agravar-se os fafenses tomaram conta da partida mas desperdiçaram oportunidades atrás de oportunidades, encontrando-se entre elas o facto de terem falhado uma grande penalidade e de terem enviado uma bola aos ferros.
Como quem não marca sofre os arsenalistas chegaram ao terceiro golo, apesar deste ter acontecido contra a corrente do jogo.
Agora os nossos jovens vão estar cerca de sete meses sem competições oficiais. De quem será a culpa? Não seria melhor ter dividido as séries em dois grupos, os que lutavam para subir e os outros para não descer e proporcionar mais competição aos jovens atletas? Parece-nos que era o mais sensato, mas quem faz as leis é a Federação Portuguesa de Futebol, embora elas desagradem a muita gente.
.

Futsal - AF Braga: Lordelo, 2 - Nun’Álvares, 3

.
Sob a espada do Rei Artur
- Fafenses começam fase final da melhor maneira

O Grupo Nun'Álvares começou da melhor maneira a sua participação na fase final do Campeonato Distrital da 1ª Divisão. Os pupilos de Nelo Barros deslocaram-se a Lordelo para defrontar a equipa local e conseguiram sair de lá com os três pontos na bagagem. Os homens da casa começaram melhor o jogo, embora sem criarem grandes oportunidades de golo. As situações mais embaraçosas para os fafenses, eram criadas por eles próprios que estavam muito nervosos e inconstantes. Apesar disso, as movimentações ofensivas por parte dos nunalvaristas eram bem conseguidas e conseguiam desfrutar de várias oportunidades de golo, como quando Bruno rematou à barra e depois João Nuno disparou uma bola que lhe tinha sido remetida pelo ar, e sem a deixar cair rematou de primeira, tendo a bola embatido na cara do guarda-redes. No entanto, em mais uma perda de bola por parte da equipa nunalvarista, o Lordelo aproveitou bem e inaugurou o marcador. Abalou um pouco a equipa de Nelo Barros, mas Artur numa insistência a uma recarga de uma bola defendida pelo guardião contrário, conseguiu igualar a partida. Serenou um pouco a equipa que viajou de Fafe e foi com naturalidade que numa boa envolvência, César conseguiu bater o guarda-redes da casa pela segunda vez. Pouco faltava para o intervalo e este acabou por chegar sem alteração no resultado.
O Lordelo entrou para a segunda parte com a intenção de pressionar os fafenses e conseguiram, em parte, já que houve algumas hesitações por parte dos nunalvaristas que iam colocando alguma pressão. A partir dois 7/8 minutos, os homens de Fafe começaram a desperdiçar oportunidades atrás de oportunidades, algumas delas muito flagrantes, como o remate de Artur à barra, que poderia ter disparado o resultado para números que possibilitassem um controle completo do jogo. A cerca de sete minutos para o final, o Lordelo conseguiu igualar a partida, numa jogada em que os pupilos nunalvaristas poderiam ter feito um pouco mais. Apesar deste golo, os fafenses continuaram a dominar o jogo com várias oportunidades para marcar, até que a cerca de 1,5 minutos do fim, Artur é derrubado em falta. Era a sexta falta, que dava direito a um livre directo sem barreira dos 10 metros e o mesmo Artur chamado à conversão, conseguiu marcar o seu segundo golo. Com pouco tempo para jogar, o Lordelo optou pelo quinto elemento de campo, mas o Nun'Alvares soube defender bem e conseguir a primeira vitória da prova. Na próxima sexta feira, no pavilhão do Nun'Álvares os fafenses recebem a equipa de Santo Adrião, esperando-se um bom jogo, no qual os nunalvaristas esperam dar continuidade às vitórias.

O NUN'ALVARES ALINHOU COM: Rui Cunha; Mário, Artur, César e Paulo. JOGARAM AINDA: Hugo, João Nuno, Banana e Bruno Portas. TREINADOR, Nelo Barros.
.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Jader convocado para Rebordosa


Finalmente livre de lesões

O extremo direito da AD Fafe, Jader, foi finalmente convocado. Pelo menos vai estar no banco de suplentes no jogo que os fafenses disputam este Domingo em Rebordosa.
O rápido e tecnicista brasileiro da equipa fafense tem tido uma época deveras azarada. Inicialmente teve uma entorse no pé esquerdo e quando se pensou que estava apto para poder finalmente jogar teve que ser operado ao menisco externo da pena esquerda o qual o obrigou a estar parado cerca de dois meses.
O valoroso jogador ainda vem a tempo de dar o seu contributo aos fafenses que ainda vão disputar até ao final da temporada cerca de doze jogos.

2.ª Div. AF Braga: AJ Nespereira - Fornelos não se realizou

.
Queda de poste de iluminação,
ainda no aquecimento, assustou

.
O jogo que o Grupo Desportivo de Fornelos ia realizar com a Associação Juvenil de Nespereira não se realizou. Segundo indagamos junto do capitão da equipa fafense, Pinto, caiu um poste de iluminação durante o aquecimento que só por sorte não atingiu nenhum elemento da equipa da casa uma vez que o mesmo sucumbiu na zona onde a AJ Nespereira fazia os habituais exercícios antes do jogo. O mau tempo não deu tréguas e foram esperados cerca de trinta minutos mas, de comum acordo entre as três partes o jogo nem se chegou a iniciar, ficando a aguardar nova data para se concretizar.
.

Juniores - 2.ª Div. AF Braga: Antime, 4 - Travassós, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes

Vento a favor e vento contra

O Juniores do Antime, orientados por Mário Coelho, venceram os do Travassós, treinados por Paulo Magalhães, por 4-1, numa tarde de temporal, em que foi necessário evacuar toda a gente que estava na bancada, cuja cobertura ameaçava ruir com a forte ventania que se fazia sentir. Um dado curioso é que os jogadores em vez de fazerem montinhos para colocar a bola, faziam covas para a mesma não fugir com o vento, o que depois dificultava o remate, nomeadamente nos lances de bola parada. O outro foi que, aos 53 minutos, a cobertura do depósito da água voou em dois pedaços para o terreno de jogo, não tendo, por sorte, atingido nenhum interveniente na partida. De Registar ainda o minuto de silêncio pelas vítimas do temporal verificado na Ilha da Madeira.
Em tarde de temporal foi a equipa do Travassós a primeira a beneficiar de ter o vento a seu favor e esse estava mesmo com muita força, mas, os rapazes de Travassós apesar de rondarem, nos primeiros minutos, muitas vezes a baliza do Antime, não usavam o remate para aproveitar a força do vento.
Só aos 22 minutos é que a bola viajou com algum perigo junto da baliza do Antime mas sem que ninguém aparecesse para a empurrar para dentro da baliza.
Até aos 25 minutos, o melhor que o Antime tinha feito foi ter conquistado um canto. Aos, 26 Tiago Ribeiro disputou uma bola com Luís mas o guardião do Travassós foi mais lesto. Aos 32, André furou pelo meio da defesa do Travassós e ficou na cara de Luís, tendo sido derrubado por este, ficando na altura a única dúvida se teria sido fora ou dentro da área. O Travassós viu o guarda-redes expulso e o árbitro apontou a grande penalidade. O técnico do Travassós teve que retirar marco para meter o guarda-redes suplente Norberto. Gui transformou o penálti em golo.
A equipa que jogava contra o vento estava na frente e o Travassós que até então tinha tido mais posse de bola e jogado mais no meio campo contrário perdia.
Tentou reagir o Travassós e na sequência de um lançamento de linha lateral Silva Rematou mas a bola saiu á figura de Fábio que fez defesa fácil.
Antes do intervalo, o Travassós ainda fez duas tentativas de remate mas tanto Leonel como Pedro, não acertaram na baliza.
No segundo tempo o Antime entrou a marcar, através de André, que aproveitou alguma confusão para chegar ao 2-0.
O Antime, jogava com mais um elemento e com o vento a seu favor e isso fez com que dominasse a partida. Aos 58 minutos, Toninho, de cabeça, atirou ao lado; aos 60, André, também de cabeça, proporcionou uma boa defesa a Norberto; aos 69, grande abertura de Toninho para Leitão e este rematou de primeira e aumentou a vantagem para 3-0; aos 76, Tiago Ribeiro não aproveitou uma sobra deixada pela defesa visitante.
O Travassós chegou ao golo de honra aos 79 minutos. Primeiro foi Silva a rematar para ganhar um canto. Na sequência deste, Ceua, emendou para o golo, apesar de Fábio ter tentado evitá-lo. Mais um golo contra o vento.
O Antime não desarmou e voltou ao ataque. Aos 85 minutos, Toninho rematou ao lado; aos 86 foi Rafael a fazer o mesmo e aos 89, Rafael, na cobrança de um livre fez a bola bater com estrondo na barra, tendo sobrado para Isaac que, de cabeça, fixou o resultado em 4-1.
A ideia que ficou foi que o Travassós não aproveitou quando tinha o vento a favor, tendo revelado um jogador, na segunda parte com um remate muito potente, Luís.
Pica, jogador do Travassós teve de ser conduzido ao Hospital de Ambulância devido a lesão sofrida por volta dos 62 minutos.

Jogo realizado no Parque de Jogos de Antime.

Árbitro. Tiago Faria, auxiliado por Cândido Costa e Marco Marques.

OFC ANTIME: Fábio; João, Diogo Coelho, Gui (Bento, 70’), Rafael, Leitão, Isaac, Junio (Nelson, 61), Toninho, André (Tiago Moreira, 75’) e Tiago Ribeiro. Treinador, Mário Coelho.

GD TRAVASSOS: Luís; Sepúlveda, Leonel, Pica (João Paulo, 64’), Jony (Ceua, 51’), Luís, Sérgio, Marco (Norberto, 33), Pedro, Silva e Torrinheira. Treinador, Paulo Magalhães.

MARCADORES: Gui, 35 (g.p), André, 46’; Leitão, 69’, Ceua, 79’ e Isaac, 89.

.

Div. Honra: AF Braga: Silvares, 1 – Apulia, 0

Texto: Hermínio Soares/Fotos de Arquivo MD
.
E tudo o vento trouxe
.
No aniversário de Luís Alberto, Rabiola
e Mike deram-lhe o presente merecido
.
Numa tarde de ventos fortíssimos, o plantel do GD Silvares demonstrou aos cépticos que está a valer nesta guerra desportiva. Uma atitude, empenho e muito crer imposto dentro do terreno mostrando a todos que estão no campeonato e que o mesmo só termina na trigésima jornada. Um grande presente de aniversário ao “Mister” Luís Alberto.
Um grande jogo de futebol que se viu no campo Prof Mannuel José Dias, futebol muito aberto de parte a parte onde, desde o início, as duas equipas demonstraram que estavam ali para somar três pontos.
Aos seis minutos uma grande oportunidade de golo para a equipa apuliense, valendo uma grande intervenção de Rabiola, que de imediato colocou a bola na frente e isolou Nelinho que, no entanto, é antecipado pelo guardião adversário.
Na insistência atacante do Silvares, ao minuto 11, e na pequena área do Apúlia: primeiro Neca e depois Luís Miguel não conseguiram concretizar, graças às boas intervenções de Jorge. Na resposta, no contra-ataque, Marco Lima isolado vê o seu remate interceptado por uma grande intervenção de Rabiola, que mais tarde, à passagem do minuto 17 fez outra grande defesa anulando a intervenção ofensiva do mesmo atacante.
A partir desta altura, iniciou-se a supremacia atacante do GD Silvares, controlando o jogo e fazendo a bola rolar com muita velocidade, até porque estava a rumar contra o vento, geraram uma série de jogadas dignas do bom futebol mas que, na parte final, faltava a serenidade para concretizar. Nesta altura a evidência nos lances ofensivos ia para Neca, Nelinho, Luís Miguel e Gomes.
No regresso do descanço, ao minuto 46, Gomes rasgou pela defesa do Apúlia e, quando se esperava o golo, o remate saiu contra o guarda-redes Jorge que já estava batido.
O relógio ía girando e cada vez mais a equipa silvarense mais perigo criava junto da baliza dos de perto do mar, com destaque para uma série de lances consecutivos em que se gritava golo, com Luís Miguel e Nelinho sempre em grande evidência.
Ao minuto 66, e na primeira vez que os apulienses, nesta segunda metade, criaram perigo, valeu uma grande intervenção de Rabiola.
Com as substituíções ordenadas pelo técnico Luís Alberto, que resfrescaram o sector atacante da sua equipa, após mais algumas grandes oportunidade flagrantes de golo, na passagem do minuto 84, numa grande insistência sobre a defesa apuliense, o baixinho Nelinho ganhou a bola ao gigante Ricardo, capitão do Apúlia, e num cruzamento soberbo isola Mike que driblou o guardião e colocou a bola no fundo da baliza, finalmente estava justiça feita no marcador.
Após o golo, e quando o adversário queria saír para a frente, a sublime atitude dos jogadores do embelema de Silvares, não se encolheram e mantiveram a posse de bola fazendo a mesma circular de flanco para flanco com uma grande movimentação e, ao minuto 88, Celso com um excelente toque de calcanhar, isolou Mike que de imediato ofereceu o esférico a Nelinho que com um remate acrobático viu a redondinha esbarrar-se no guarda redes adversário.
No último lance do jogo, e num lance que parecia perdido, Torres desferiu um bom remate a que Rabiola respondeu com mais uma excelente intervenção
Em conclusão só resta dar os parabéns ao aniversariante Luís Alberto, treinador do Silvares e, sem excepção, parabéns ao empenho, atitude e qualidade que os jogadores do GD Silvares demonstraram, em particular merecem destaque, os dois ex-juniores da AD Fafe, Mike pelo golo marcado e Rabiola pela grande exibição realizada, negando o golo aos homens da orla marítima.
.
Jogo no Campo de Jogos Professor Manuel José Dias
.
Árbitro: António Ribeiro, auxiliado Por Filipe Faria e Nicolas Oliveira.
.
GD SILVARES: Rabiola; Neca, Antero, Fernando, Costa, Renato, Miguel, Gomes, Luís Miguel (Jorginho, 68’), Zé Berto (Celso, 75’), e Nelinho. Treinador, Luís Alberto.
.
GD APÚLIA: Jorge; Firo, Matreco, Ricardo, Tiago, Trinta, Dantas (Hélder, 66’), Manso (Torres, 79’), Gijo, Marco Lima e Gera (Carlos, 57’). Treinador, Sérgio Lino.
.
MARCADOR: Mike, 84’.
.

Div. Honra: AF Braga: Arões, 6 – Cabeceirense, 0

Texto: Ricardo Castro/Foto: Tiago João Lopes

Poker de Tiago

O Arões goleou este Sábado , no seu reduto, o Cabeceirense, por 6-0. Nos primeiros momentos da partida, o Arões entrou pressionante, à procura do golo. O primeiro remate da partida surgiu por Peixoto, aos oito minutos, que enviou a bola por cima, após passe de Tiago, à entrada da área. Aos 13 minutos, Miguel Castro remata quase na pequena área mas a bola foi interceptada. Na sequência do lance, Miguel Castro tem uma nova oportunidade mas o guarda-redes Ricardo defendeu bem. O vento forte obrigou a uma primeira paragem no jogo, pois uma das bandeirolas de canto voou.
Pouco depois, aos 18 minutos, canto de Hélder e Tiago, desmarcado, cabeceou fazendo o primeiro golo da partida. Pouco depois, aos 22 minutos, Tiago, após cruzamento de Hélder, remata de pé esquerdo mas Ricardo interveio da melhor forma. Aos 25 minutos Romeu viu o guardião do Cabeceirense adiantado e perto do círculo do meio campo rematou e fez um autêntico chapéu, dobrando a vantagem. O primeiro remate dos visitantes surgiu por Sagres, aos 28 minutos, mas Abreu segurou bem. O Arões mandava no jogo, contolando-o claramente.
Aos 42 minutos, após canto de Hélder, Duarte Nuno cabeceou ao poste. Pouco depois o jogo foi novamente interrompido devido ao forte vento que se sentiu ao longo do desafio. Desta vez, ramos de pinheiros invadiram o terreno de jogo. O jogo prossegiu pouco depois e o intervalo chegou com 2-0 no marcador.

Na segunda parte, após indecisão sobre a continuação do jogo, devido ao vento excessivo, o jogo começou equilibrado, com os visitantes a jogarem a favor do vento, e a conseguirem subir no terreno. Mas o Arões controlava o jogo e os visitantes, apear do esforço, não criavam perigo. O primeiro remate surgiu aos 60 minutos, por Zézinho, com defesa segura de Ricardo. O Arões a partir dos 70 minutos comandou por completo as operações do jogo, e adivinhava-se o golo. As oportunidades surgiam consecutivamente e aos 74’ inclusive, um golo foi anulado a Tiago. Mas o melhor estava para vir. Aos 80 minutos, Abreu pontapeou a bola para a área do Cabeceirense, e Tiago, a soltar-se bem dos defesas e a enviar a bola para o fundo da baliza, bisando na partida. Aos 84 minutos, Ângelo tentou um remate à entrada da área mas acaba por isolar Tiago, que, de pé esquerdo, fez o 4-0 e consequente hat-trick. O festival de golos estava reservado para o fim do jogo e aos 86’, o Arões partiu para o ataque, Tiago faz um passe pelo ar, isolando o jovem Fábio, que isolado correu até à área e marcou o quinto golo. Aos 88’ Ângelo pela esquerda, cruza para a área e Tiago com um toque de pé esquerdo evita que o guardião do Cabeceirense defendesse, fazndo a meia-dúzia de golos e o poker na conta pessoal. Aos 90’, Ângelo ainda podia ter marcado mais um, mas o remate saiu às malhas laterais.
Vitória justíssima do Arões, que controlou o jogo de início a fim, amealhando mais 3 pontos importantes na bela campanha feita esta época.

Jogo realizado no Centro para a Formação e Juventude de Arões, em Arões São Romão.

Árbitro: Nuno Paiva, auxiliado por José Carlos Silva e Vítor Ferreira.

Arões SC: Abreu, Peixoto, Duarte Nuno, Beijinhos, Zézinho, Bruno, Miguel Castro, Romeu (Cardoso, 82’), Hélder (Ângelo, 72’), Tiago e Vasco (Fábio, 63’). Treinador: Luís Gomes.

Atl. Cabeceirense: Ricardo, Druvel, Hugo, Brioco, Domingos (Coelho, 79’), Tocha, Sagres, Dourado, Bruno Luís, António e Ricardo (Rui, 69’). Treinador: Daniel Magalhães.

Disciplina – cartões amarelos a: Brioco (Cabeceirense), 19’.

Golos: Tiago, 18, 80, 84 e 88; Romeu, 25 e Fábio, 86.
.

Div. Honra: AF Braga: Pica, 0 – Martim, 2


Segunda derrota consecutiva

O Pica, de Carlos Salgado, sofreu a segunda derrota consecutiva ao perder em casa com o Martim por 2-0. A outra derrota tinha sido na semana passada em S. Torcato. São dois jogos seguidos que o ataque piquense fica em jejum, com as consequências devidas que isso acarreta na classificação.
A turma fafense sofreu dois golos nas extremidades de cada parte, um aos 45 minutos e o outro, quatro depois dos 90.
Depois da tempestade vem a bonança e vice-versa. Pois não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe. Agora é pensar no próximo desafio e reflectir no menos bom destes últimos dois jogos. da mesma forma que nada estava ganho com as três vitórias, nada está perdido com estas duas derrotas.
.

INICIADOS - 1.ª Div. AF Braga: V. Guimarães, 3 - AD Fafe, 2


A ganhar por duas vezes acabaram por perder

Os iniciados da AD Fafe não foram felizes em Guimarães, onde perderam por 3-2, depois de terem estado a vencer por duas vezes.
Os técnicos fafenses queixam-se de dualidade de critérios, nomeadamente na mostragem de cartões e até na análise feita ao terceiro golo vimaranense, o qual consideram ter sido obtido em fora de jogo.
Ao intervalo registava-se uma igualdade a duas bolas, tendo os golos fafenses sido obtidos por Jorge e Rúben.
.

Formação: Ases de S. Jorge - Resultados

.
INFANTIS, Série I

Vitória de Guimarães, 7 - Ases de S. Jorge, 0
.

ESCOLAS FEDERADAS, Série H

Ases de S. Jorge, 10 - Guilhofrei, 3

.

Juvenis - Camp. Nac.: SC Braga - AD Fafe


"Boys Don't Cry"

Os juvenis da AD Fafe terminam oficialmente a época 2009/2010 contra o Sporting de Braga, jogando na cidade dos Arcebispos. É uma despedida inglória mas os fafenses não podem chorar porque fizeram tudo o que estava ao seu alcance num campeonato só por si muito difícil e onde os imprevistos o tornaram ainda mais complicado. Para o ano há mais rapazes. Muitos de vós, ainda nesta categoria, vão mostrar o vosso real valor. Rapazes não chorem. Nós sabemos que deram o vosso melhor.
.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Andebol – 1.ª Div. Nacional: AC Fafe – Àguas Santas


Que a água seja benta
- Sábado, pelas 18 horas, no Pavilhão Municipal

O AC Fafe recebe o Águas Santas depois de ter perdido no início da Semana com o Xico Andebol. Tem sido uma tormenta este campeonato do AC Fafe que não tem servido mais do que para ganhar experiência, apesar de ter já alguns, ainda que poucos, jogadores credenciados. Pode ser que, neste jogo, a água seja benta e a equipa fafense consiga fazer o tal milagre que é vencer um jogo para o campeonato.
.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: Rebordosa - AD Fafe


Rebordosa é já ali e a vitória
neste jogo pode ser decisiva

O Fafe desloca-se a Rebordosa em busca da quarta vitória consecutiva e quiçá do passaporte definitivo para garantir um lugar no sexteto da frente, onde se encontra na segunda posição a apenas um ponto do primeiro classificado, Amarante, mas matematicamente ao alcance do primeiro que está abaixo da linha de água deste mesmo grupo que é o Famalicão e tem 26 pontos, contra os 34 do Fafe e com três jogos por disputar.
Por isso, Rebordosa é já ali. Basta apanhar a auto-estrada e em cerca de meia hora os fafenses, que queiram apoiar a Associação Desportiva, já estão no Estádio Monte do Azevido, em Rebordosa, Paredes. VAMOS TODOS APOIAR A AD FAFE.

.

Futsal - AF Braga: Lordelo - Nun’Álvares


Agora é uma espécie de mata mata

O Nun’Álvares vai iniciar a fase final do campeonato Distrital da 1.ª Divisão frente ao Lordelo, no recinto deste, em jogo a realizar no Sábado, pelas 17 horas. Nesta fase todos os jogos são importantes e ganhar logo no primeiro é uma moral acrescida.
O Nun’Álvares vai ter como adversários além do seu opositor neste jogo, o EPB, que também era da sua série e ainda, a Fundação Manuel da Costa, o ADC S. Mateus e o CCS Santo Adrião, todos apurados na outra série. Não vai ser fácil mas, se Nelo Barros poder contar com a equipa toda, será, sem dúvida, menos complicado.

.

Div. Honra: AF Braga: Arões – Cabeceirense


Entrada livre para todos
Jogo no Sábado pelas 15 horas, em Arões

O Arões de Luís Gomes recebe o Atlético Cabeceirense e quer fazer desta partida uma festa do futebol. Por isso abre a suas portas a toda a gente que gosta de futebol, proporcionando entrada livre. A equipa de Cabeceiras de Basto está muito debilitada esta época pelo que o Arões, se não facilitar deverá levar de vencida esta formação que ascendeu a este escalão na época transacta.
.

Div. Honra: AF Braga: Pica – Martim

.
Jogo no Parque de jogos da
Pica, Sábado, pelas 15 horas
.

Div. Honra: AF Braga: Silvares – Apúlia

.
Não deixar o mar galgar a terra
- Jogo no Sábado pelas 15 horas, em Silvares

O Silvares de Luís Alberto recebe o Apúlia e vai tentar conquistar o que lhe tem andado a fugir, a vitória. A equipa da orla marítima não vem a Fafe passear pelo que o jogo será disputado sob o signo do equilíbrio, até porque ambas as equipas necessitam de conquistar pontos.
.

Regionalona – Jogos

.
1.ª Divisão - Série B

O TRAVASSÓS, de Paulinho, joga no campo dos Carvalhinhos em busca da primeira vitória deste treinador que herdou a "doença" dos empates e ainda não a conseguiu curar. O adversário chama-se Guilhofrei, um velho conhecido, sempre com jogos difíceis entre ambos.


2.ª Divisão - Série D

O UNIÃO MOREIRENSE, de Arlindo Silva, recebe o ANTIME, de Domingos Freitas. A primeira coisa a lamentar é o jogo ser disputado no Domingo á tarde, pois se fosse no Sábado, certamente que teria muita gente a assistir. De resto, face ao campeonato que os dois clubes estão a fazer prevê-se uma partida equilibrada, a exemplo do que aconteceu na primeira volta, apesar de, agora, tanto uma como outra equipa estarem mais fortes e sólidas.

O AGRUPAMENTO DE SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes, descansa nesta jornada, pois jogaria com o desistente S. Romão.

O FORNELOS, de Carlos Careca, desloca-se ao terreno dos vimaranenses da Associação Juvenil de Nespereira. Os guerreiros de Santa Comba vão para mais uma batalha onde lutam até não poderem mais.

O FERMILENSE, de Luís Carlos, desloca-se ao terreno do Alvite em mais um dérbi de terras de Basto.

O FC GANDARELA, do Professor Eugénio recebe o S. Nicolau Basto num jogo em que, com maior ou menor dificuldade, deve garantir os três pontos.

.

Campeonato Concelhio de Futsal – Jogos

Colaboração: Francisco Barbosa
.
1.ª DIVISÃO

Sol Poente – Aboim

Paços – Restauradores da Granja


.
Ases S. Jorge – Ardegão

Amigos de Fafe – Arões

Seidões – Ara do Bugio


2.ª DIVISÃO

Santo Ovídio – Fornelos

Santa Luzia – Bombeiros VF

Golães – Travassós

CD Vinhós – Rumo ao Futuro
.
Folga o: Cepães
.
Confira as horas e os locais dos jogos e veja a classificação das duas Divisões, no blog do CD Vinhós em:
http://cdvinhos.blogspot.com/

.

Camadas Jovens – AF de Braga - Jogos

.
JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

AD S. Paio - GD Estorãos

OFC Antime - GD Travassós


JUVENIS – 2.ª Divisão – Série E

União Torcatense - GD Vasco da Gama

GD Golães - Ases de S. Jorge


INICIADOS - 1.ª Divisão – Série B

Vitória de Guimarães - AD Fafe


INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Ases de S. Jorge – Bairro FC


INFANTIS – SÉRIE I

Vitória Guimarães - Ases S. Jorge

AD Fafe – Pencelo


INFANTIS – SÉRIE J

Arões – Fermilense

Moreirense FC - AD Fafe

Vitória Guimarães - Ases S. Jorge


FUTEBOL DE SETE – Escolas

Arões SC – FC Famalicão

AD Fafe – FC Gandarela

Ases de S. Jorge – Guilhofrei


.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Campeonato de Futebol Popular de Fafe – Resultados


.
JORNADA 13 – 20/02/2010

Pardelhas, 1 – Ribeiros, 2
.
S. Clemente, 5 – Armil, 2
.
A. Quinchães, 2 – Fareja, 0 .
.
Serafão, 3 – Aboim, 3
.
Marinhão, 0 – Regadas, 2
.

Campeonato de Futsal Feminino de Fafe – Resultados

.
JORNADA 7 – 21/02/2010


Estorãos, 1 - A. Quinchães, 2

Centro S. Fafe, 1 – Serafão, 2

Armil A, 0 - Armil B, 3

Folgou o: Regadas

.

Abraço ao Bruno superou expectativas

.
TEXTO: João Carlos Lopes
FOTOS: Filipe Lobo e Benigno Marques

“Foi o maior abraço da minha vida”
- Quando o homem quer a solidariedade acontece

“Foi o maior abraço da minha vida. Foi tanto o calor humano que me fez esquecer o frio, ao ver tanta gente de coragem e de bom coração”. Foram estas as palavras que o jovem Bruno Lameiras encontrou para agradecer a todos os que se dignaram apoiar a sua causa.
A iniciativa de solidariedade “Abraço ao Bruno”, o jovem de 16 anos que ficou paraplégico numa queda de bicicleta, ultrapassou todas as expectativas propostas pela organização, movendo a sociedade em torno de uma causa que não deixou praticamente ninguém indiferente. É que hoje o azar bateu na porta ao lado e amanhã pode bater na nossa.
A campanha do “Abraço ao Bruno” era para ser um jantar promovido pela Sociedade de Recreio Cepanense. Por coincidência, nos dias imediatos o pai do Bruno foi contactado pelo Filipe Lobo e o Ismael Ramos, também a propor iniciativas, tendo-se chegado à conclusão que o melhor era reunir todas as ideias num só evento que abrangesse as várias actividades propostas. Aos poucos, foram desenvolvidos contactos que se estenderam por uma rede de amigos e que culminou com o evento que se veio a concretizar no dia 21 de Fevereiro.
Em causa estava a melhoria das condições para o jovem Bruno com a aquisição de um elevador vertical para a sua casa e uma cadeira de rodas eléctrica que lhe permita ter alguma autonomia face ao infortúnio de que foi acometido.
A vida muda a cada instante e o jovem Bruno, até então saudável e sem qualquer problema de saúde, viu a sua mudar radicalmente de um momento para o outro.
Para sensibilizar as pessoas foram emitidos bilhetes que permitiram a participação numa de várias actividades à escolha. Pedestrianismo, BTT, Cicloturismo, Indor Cycling, Free Ride e passeio de Moto Turismo, foram os apelos feitos para que cada um contribuísse ao adquirir o ingresso que lhe permitisse participar, recebendo uma camisola evocativa do evento mas, louve-se a organização, cobertos por um seguro. É claro que muita gente adquiriu o bilhete apenas para contribuir para esta altruísta e nobre causa.
O mau tempo que se tem feito sentir no país não deu tréguas no último Domingo, afastando várias pessoas, que tinham feito a aquisição do título de participação. Mesmo assim, houve quem não quisesse perder a oportunidade de dar um abraço de encorajamento ao Bruno, tendo sido ultrapassado, em muito, o milhar de participantes nas várias actividades programadas.
Homens, mulheres e crianças compareceram na Praça 25 de Abril, em Fafe, para fazerem uma onda humana de solidariedade. Foi deveras um abraço digno de entrar no livro dos recordes.
No Pedestrianismo, uma caminhada de dez quilómetros, que percorreu algumas artérias da cidade e teve como pontos de passagem a calçada Românica de Cepães, a Ponte do Prego, na mesma localidade, a Ponte Medieval de Bouças e a antiga Leprosaria, situada ali perto, contou com a participação aproximada de quatro centenas de pessoas.
No BTT, que teve duas distâncias à disposição dos participantes, 15 e 40 quilómetros, conforme a resistência de cada um, foram seis centenas, na totalidade, os participantes, que percorreram caminhos bucólicos na zona montanhosa do Concelho de Fafe, passando por Ruivães, pelo Parque Eólico, pela Santana, Lameira, Casadela e Pica de novo, antes de reentrarem na cidade pelo trilho da Rota da Levada de Pardelhas.
No Cicloturismo participaram cerca de sessenta cicloturistas que percorreram uma distância de 60 quilómetros, com passagem pelas freguesias de Quinchães, Antime, Medelo, Estorãos, Fornelos, Golães, Arões, Cepães, Armil e regresso ao ponto de partida.
No Moto Turismo, cujos pontos de referência foram a visita ao Moinho de Vento e Museu de Aboim, com passagem pela Barragem de Queimadela, participaram meia centena de pessoas em veículos motorizados de duas, três e quatro rodas.
No Indor Cycling, praticado debaixo de tendas, propositadamente montadas debaixo da Arcada, no centro da cidade, participaram três dezenas de pessoas, afectas ao Clube Mais, que fizeram uma maratona de três horas de exercício, entre as quais o presidente da edilidade, José Ribeiro, que pedalou nas bicicletas estáticas durante cerca de quarenta minutos. Devido ao mau tempo, o Ginásio Vital, uma vez que ficava perto do local do evento fez, igualmente, uma maratona de três horas de Indor Cycling mas nas suas próprias instalações, com número de participantes idêntico.
O Free Ride, descida vertiginosa em bicicletas, teve como pontos de passagem a Lagoa, Fonte de Vilela, Moreira de Rei, Marinhão, Pardelhas, terminando no centro da cidade de Fafe, onde foi feita uma demonstração de “Down Town”, com descida de escadas. Este evento teve a participação se seis dezenas de entusiastas desta actividade radical.
A organização do evento esteve irrepreensível quer em termos logísticos quer no que diz respeito à segurança das actividades, com pessoas nos sítios certos para evitar qualquer eventualidade. A título de exemplo, o percurso de 40 km de BTT, bastante duro e arriscado, estava muito bem sinalizado, assinalando os sítios perigosos nos momentos certos, para evitar qualquer surpresa menos agradável aos participantes. Quem participou nas restantes actividades também louvou o empenho e a atitude séria e digna da organização que merece nota máxima pela iniciativa, pela dedicação e pela forma como conseguiu sensibilizar as pessoas e passar a mensagem para que o objectivo proposto ultrapassasse os limites imaginados.
A esta iniciativa associou-se muita gente anónima que colaborou na venda dos bilhetes mas, existiram firmas e entidades que, à partida, garantiram, desde logo, algum sucesso ao evento. Entres elas estão a Sociedade de Recreio Cepanense, a União Desportiva Amigos da Roda de Quinchães, a BTT Free, a MotoFafe, a Escrifafe, os Restauradores da Granja, a Bigdrop-Bikes, o Ginásio Vital, o Club Mais e a Berci, entre muitas outras de que várias formas contribuíram para o sucesso da iniciativa, sendo certo, que é impossível mencionar o nome de todos. Resta agradecer ainda à Câmara de Fafe pela cedência do espaço, à Polícia Municipal pela regularização do trânsito e às Juntas de Freguesia de Estorãos e de Arões Santa Cristina pela disponibilização dos autocarros para transportar os participantes do Free Ride. Uma palavra de apreço ainda para a presença da AJKP-Associação Juvenil de Karaté de Portugal, da qual o Bruno fazia parte e que se associou ao evento marcando a sua presença e para o jornalista Carlos Rui Abreu, que foi o “speaker” de serviço.
.

Veja mais fotos em: http://www.abracoaobruno.blogspot.com/
.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Legião Estrangeira

.
Emblema do Clube Desportivo das Aves, onde jogam Jorge Duarte e Henrique.

Ao que tudo indica e segundo apuramos junto de um familiar de um dos atletas fafenses que joga na equipa do Estrela da Calheta, na Madeira, Silas e Noré estão bem e escaparam à tragédia que assolou aquela ilha e abalou Portugal e o mundo.

.
LIGA SAGRES – Jornada 20

O VITÓRIA DE SETÚBAL (14.º), de Bruno Monteiro, perdeu em casa com a Naval 1.º de Maio, e complicou ainda mais a sua vida. Desperdiçar pontos em casa é como dar tiros nos próprios pés. Faltam dez jornadas e a margem de manobra começa a ser cada vez mais curta.


II LIGA – Jornada 20

O DESPORTIVO DAS AVES (6.º) de Henrique e Jorge Duarte, recebeu e bateu o Carregado por 2-1 e já subiu mais um lugar na tabela classificativa. A dez jornadas do final da época está a apenas oito pontos do primeiro lugar e sete do segundo. Ainda dá para acreditar.

O GIL VICENTE (11.º), de Sandro, empatou em Fátima sem golos e já não pode rezar muito para lutar pela subida esta época, ainda que matematicamente tudo seja possível. No entanto a conjugação de vários jogos não dará muita margem de manobra.


2.ª DIVISÃO B – Jornada 19

O MOREIRENSE FC (1.º), de Castro, foi vencer ao campo do Merelinense por 1-0 e aumentou a vantagem para o Gondomar, que perdeu com o Boavista, para 13 pontos. Os cónegos sabem a missa de cor e esta época são muito poucos os peregrinos que não se ajoelham.

O SPORTING DE ESPINHO (6.º), de Tiago André, foi empatar ao terreno do Vianense a uma bola. De empate em empate está o campeonato empatada para a equipa espinhense. Desceu mais uma posição e esta época a subida já é quase uma miragem.


O VIEIRA SC (15.º), de Óscar e Pablo, e do treinador Sérgio Abreu, empatou em casa com o Lousada sem golos e viu a sua vida ainda mais complicada. A nove jornadas do final tem que começar a arrepiar caminho e mesmo assim não vai ser nada fácil.


3.ª DIVISÃO – Série A – Jornada 19

O MACEDO DE CAVALEIROS (1.º), de Eduardo, recebeu foi perder ao terreno do Mirandela por 2-1. Já diz o ditado que não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe. Mesmo assim a vantagem pontual para o segundo é de seis pontos e de oito para o terceiro.

O MARIA DA FONTE (4.º), de Fredy, foi perder ao terreno do Valenciano por 2-1. matematicamente ainda não tem a luta pela subida garantida mas tem uma hipótese forte de o conseguir na próxima jornada quando receber o Limianos que ainda sonha em entrar nos seis primeiros.
O MONTALEGRE (6.º), de Leonel e Ricardo Nogueira empatou em casa com o BRAGANÇA (5.º), do técnico fafense Carlitos, a uma bola. O Montalegre entrou no lote dos seis primeiros e o Bragança desceu um posto na tabela. O perigo maior vem do sétimo classificado, Limianos, que está a apenas quatro pontos do quinto lugar quando faltam apenas três jornadas para acabar esta fase. Estas equipas de fafenses vão ter que estar muito atentas para não perderem o contacto com a locomotiva. É que os seis primeiros lugares garantem desde logo a manutenção, apesar do Bragança ser uma equipa que luta sempre para subir.

O AMARES (11.º), de Ismael, foi vencer ao terreno do Marinhas por 1-0. Mais uma vez a equipa amarense desperta parde para o campeonato e já não se livre de lutar pelos lugares de despromoção a exemplo do que aconteceu a época passada.


3.ª DIVISÃO – Série B - Jornada 19

O JOANE (5.º), de Gil e Miguel Lemos, perdeu em casa com o Vila Meã por 1-0 e isso deixou a formação do Concelho de Famalicão matematicamente ao alcance de equipas que estão para lá da linha limite da luta pela subida. Nesta altura do campeonato ainda está muita coisa em aberto e esta derrota complicou as contas aos joanenses.


O SERZEDELO (11.º), de Ricardo Morais, perdeu com o Fafe por 2-1. A equipa vimaranense esteve a ganhar, com um golo contra a corrente do jogo. Depois mostrou alguma passividade e ficou indignada quando o Fafe passou para afrente no marcador e fez o mesmo. Os jogos só terminam depois do apito final. Até lá apenas se podem festejar golos como tal e não golos como vitórias, pois é sempre quem marca mais que ganha.

O REBORDOSA (9.º), de Paulo Freitas, empatou no Pedrouços a duas bolas. O Próximo jogo, contra o Fafe pode dar uma esperança a esta equipa de Paredes ou atirá-la definitivamente para a luta pela permanência.


3.ª DIVISÃO – Série Madeira - Jornada 19

O ESTRELA DA CALHETA FC (6.º), de Silas e Noré, jogava com a AD Porto Cruz mas a catástrofe que assolou aquela ilha adiou todos os jogos desta série. Ao que Montelongo Desportivo apurou, junto de um familiar de um dos atletas, os mesmos parecem estar bem, tendo escapado a esta tragédia que abalou o país e o mundo.
.

Rui Rampa ficou sem os dentes incisivos superiores

Texto e foto: João Carlos Lopes

Defesa ajudou ao apuramento
com sofrimento e sacrifício

O defesa central dos juniores da AD Fafe, Rui Rampa, um jovem e promissor jogador, que quase não se dá por ele mas é de uma eficiência extrema, acabou por ficar sem os dois dentes incisivos superiores, depois do choque com um adversário no jogo em que os fafenses disputaram no último Sábado e que valeu o apuramento para a fase final da competição.
O jogo contra o Freamunde já se encaminhava para o final quando o infortúnio aconteceu ao jovem atleta. Os primeiros momentos foram de raiva pelo sucedido mas, após ter sido tratado pelo fisioterapeuta Patrício, a vontade de ajudar a equipa a segurar o resultado falou mais alto e entrou em campo como se nada tivesse acontecido, embora com muito sacrifício e sofrimento.
No momento do choque perdeu imediatamente um dente, mais tarde perderia outro porque a gengiva já não o suportava. Os incisivos superiores do jovem atleta não aguentaram o impacto do contacto físico.
Rui Rampa já tinha sido um central nuclear na equipa de juvenis da época passada que se sagrou campeã distrital. O seu futebol simples e objectivo é de extrema utilidade à equipa de Ténio Tenev. Por outro lado é um jogador que se entrega totalmente ao jogo. É daquele tipo de atleta que qualquer desportista gosta de ter como companheiro de equipa por ser extremamente educado e voluntarioso.
.

Miguel Lemos está a afirmar-se

Texto e foto: João Carlos Lopes

A fazer a melhor época de
sénior ao serviço do Joane


Miguel Lemos é um médio centro moderno, apesar de ter mais manobrabilidade com o pé direito, joga bem com os dois. A qualidade do passe deste fafense é o seu cartão de visita e o jogo de cabeça é o seu lado menos bom mas ainda a tempo de ser trabalhado. De resto tem um bom posicionamento técnico e táctico dentro das quatro linhas, bom domínio de bola, um remate potente e uma excelente qualidade de passe.
Este fafense deu os primeiros passos na sua formação, como atleta, no Desportivo Ases de S. Jorge, porém, as suas qualidades cedo começaram a despertar a cobiça doutros clubes, tendo ingressado no Vitória Sport Clube, de Guimarães, já no primeiro ano de iniciado e por lá se manteve até chegar a sénior, sempre com bons desempenhos. O primeiro ano como sénior foi cumprido com as cores do clube da sua terra natal, onde nunca tinha jogado, a Associação Desportiva de Fafe.
Para este jogador, que tem aspirações a chegar longe, jogar na 3.ª Divisão obriga a muito contacto físico, a pensar rápido e agir ainda mais depressa, pelo que a adaptação não é fácil. Foi um pouco isso que sentiu nos dois anos que representou a AD Fafe, em que também foi preterido em função de jogadores mais experientes.
Este jovem, de 22 anos, começa agora a despontar verdadeiramente para o futebol como sénior, ao serviço do Grupo Desportivo de Joane, onde está a fazer a sua melhor época de sempre. Aliás, depois de lesão prolongada, desde que assumiu a titularidade, o conjunto joanense melhorou a sua qualidade futebolística e ascendeu notoriamente na tabela classificativa.
A ambição do jovem Miguel Lemos, que sempre sonhou ser jogador de futebol, passa por chegar à 1.ª Liga. Diz a “pedra Filosofal” de Manuel Freire que o sonho é que comanda a vida e este médio centro deixa-se guiar pelos sonhos, ainda que tenha sempre os pés assentes na terra.
A sua posição dentro de campo não lhe permite marcar muitos golos mas nas camadas jovens marcou tantos que até já lhe perdeu a conta.
Na equipa que se encontra agora, o Joane, o objectivo passa por acabar a primeira fase nos seis primeiros lugares, os que dão acesso á luta pela ascensão de escalão, e depois que seja o que Deus quiser, pois tudo pode acontecer e se a subida surgir não será enjeitada, até porque isso valorizará muito os atletas.
Miguel é adepto do Benfica mas o seu ídolo de sempre é Fernando Redondo, ex-jogador do Real de Madrid. O seu clube de referência foge um pouco ao comum dos jovens da sua idade, trata-se do Arsenal, colectividade inglesa que Miguel Lemos gostava de representar um dia.
Este fafense teve muitos treinadores ao longo da sua carreira futebolística, mas um dos que o marcou mais, pela sua personalidade, foi o professor Rogério Rodrigues. De resto, aprende um pouco com todos eles, pois considera, que cada um, à sua maneira, tem sempre algo para ensinar.
.

Camadas Jovens – AF de Braga - Resultados

.
JUNIORES – 2.ª Divisão – Série C

GD Estorãos, 1 – Briteiros, 4

GD Travassós, 3 – Fradelos, 2

Delães, 4 - OFC Antime, 3


JUVENIS – 2.ª Divisão – Série E

Celoricense, 0 – Golães, 0

GD Vasco da Gama, 2 – Desportivo de Ronfe, 1

Os Sandinenses, 4 - Ases de S. Jorge, 1


INICIADOS - 1.ª Divisão – Série B

AD Fafe, 0 – Pevidém, 1


INICIADOS - 2.ª Divisão – Série D

Ases de S. Jorge, 3 – Delães, 1


INFANTIS – SÉRIE I

Ases S. Jorge, 2 - AD Fafe, 1


INFANTIS – SÉRIE J

Celoricense, 1 - Arões, 0

AD Fafe, 7 – Tagilde, 0

Ases de S. Jorge, 10 – Serzedelo, 4


FUTEBOL DE SETE – Escolas

Os Craques, 6 - Arões, 1

Santa Eulália, 4 - AD Fafe, 6

Famalicão, 0 - Ases de S. Jorge, 6

.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe, 2 - Serzedelo, 1

Texto e Fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes

Vítor Hugo e Mike fizeram justiça

Tal como acontecera na semana passada em Famalicão, o Fafe voltou a dar a volta a um resultado que lhe era negativo. Isto só acontece porque os jogadores estão mais soltos e solidários. Muitos deles que pareciam presos de movimentos, têm-se exibido, agora, a um bom nível, o que significa uma maior autoconfiança. Contra o Serzedelo, tal como tinha acontecido na primeira volta, o Fafe voltou a ganhar por 2-1, depois de estar a perder por 1-0. Mas, diga-se, em abono da verdade, foi, de longe, a melhor equipa em campo e, mesmo sofrendo um golo contra a corrente do jogo, ao terminar a primeira parte acreditou sempre na vitória.
O Serzedelo tentou surpreender os fafenses nos minutos iniciais ao entrar no jogo com alguma agressividade e a pressionar. Aos sete minutos, na cobrança de um livre, na direita do seu ataque, a equipa vimaranense quase surpreendia Nuno Dias que teve que ceder canto.
O Fafe reagiu, através de Bijou com este a rematar ao lado, decorridos dez minutos.
A partir do primeiro quarto de hora os fafenses tomaram literalmente conta do jogo e só se via o Serzedelo a defender.
Aos 20 minutos, Silvestre teve uma boa combinação com Filipe e o pequeno genial acabou por enviar a bola à barra. Aos 21, Nera contemplou na área e Filipe quase lhe roubava a bola e fazia golo; aos 25; Delfim fez um remate portentoso de fora da área mas viu Paulo Jorge a fazer uma defesa espectacular; aos 26, Filipe Marcou um canto, Miguel Veiga desviou ao primeiro poste e Zé Manel atirou ao lado; aos 31, Mike fez um passe extraviado, a defesa do Serzedelo falhou e Miguel Veiga rematou para mais uma defesa para canto de Paulo Jorge. Aliás, o guardião do Serzedelo mostrou-se bastante seguro; aos 39, Filipe marcou novo canto e Mike apareceu ao primeiro poste mas não teve a sorte de marcar.
O Serzedelo voltou a rematar à baliza do Fafe aos 42 minutos, num remate muito desenquadrado de Cheguerov.
Sobre o apito para o intervalo, os vimaranenses ganharam dois cantos consecutivos. O primeiro criou perigo e o segundo resultou em num golo apontado por André Ká, depois de falha colectiva fafense ao primeiro poste. Uma prenda demasiado grande para quem fez tão pouco.
No segundo tempo foi notório o encorajamento dos fafenses dentro de campo com mensagens de “vamos lá”.
O Fafe não perdeu tempo em busca da igualdade e aos 55 minutos, Delfim cobrou um livre mas, mais uma vez, viu Paulo Jorge a negar-lhe o golo.
O Serzedelo desceu à área fafense aos 59 minutos, altura em que Maurício rematou de primeira mas muito por cima da trave.
A vantagem dava alguma tranquilidade aos forasteiros que já geriam o tempo a seu belo prazer. Do outro lado, a ansiedade revelava um Fafe intranquilo em busca do golo.
Aos 64 minutos, o treinador do Serzedelo abdicou de um avançado para meter mais um médio. Dois minutos depois os fafenses chegavam à igualdade. Jogada conduzida do lado direito do ataque fafense, com Filipe a cruzar para um cabeceamento eficaz de Vítor Hugo. Um golo mais quem merecido por tudo o que o Fafe tinha feito até então.
Os comandados de Agostinho Bento ainda não estavam satisfeitos com a igualdade e partiram em busca da vitória. Aos 70 minutos, Filipe cruzou na direita do ataque fafense para Miguel Veiga tentar o pontapé de bicicleta com a bola a sobrar para Josi que, de cabeça, atirou por cima. Era um aviso. Aos 71, o mesmo Josi, na sequência de um canto rematou para ganhar outro lance idêntico. No mesmo minuto, Josi serviu Zé Manel, com este a atirar ao lado, mas a mostrar perigo. Pouco depois os fafenses reclamaram uma grande penalidade, após remate de cabeça de Ferrinho mas contentaram-se com um pontapé de canto.
Aos 79 minutos Mike cruzou para ver Vítor Hugo, bem enquadrado com a baliza atirar ao poste direito da baliza guardada por Paulo Jorge; aos 81 foi Bijou a cruzar e Vítor Hugo a ganhar um canto; aos 83 Agostinho Bento tirou Josi e fez entrar o defesa central Miguel Mendes para o ataque fafense. No minuto seguinte, na sequência de um livre descaído na esquerda, apontado por Filipe, Mike, de cabeça, colocou o Fafe em vantagem. Depois da primeira justiça, o Fafe não se contentou e ganhou o recurso de apelação com as suas boas alegações.
Até final e depois, nos quatro minutos de compensação, os fafenses souberam ter frieza para segurar o resultado que muito bem mereceram.

Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.

Árbitro: Hugo Fernandes, auxiliado por Gaspar Fernandes e Joaquim Alves (CA Braga).

AD FAFE: Nuno Dias; Primo, José Manuel, Xavi (Vítor Hugo, 56’) e Mike, Silvestre, Bijou, e Josi (Miguel Mendes, 83’); Filipe, Miguel Veiga e Delfim (Ferrinho, 56’). Treinador, Agostinho Bento.

GD SERZEDELO: Paulo Jorge; Rocardo Morais, Hugo, Bruno Sousa, Feliz, Maurício, Cheguerov, Miguel Mota (Klisman, 87’), Davide (Xavi, 64’), Nera (serafim, 37’) e André Ká. Treinador, Marco Alves.

MARCADORES: André Ká, 45’; Vítor Hugo, 66’ e Mike, 84’’.
.

Div. Honra: AF Braga: Martim, 2 – Silvares, 1

Livre de Mário Bi ainda atenuou

Este jogo começou com algum equilíbrio. Nos primeiros cinco minutos, duas jogadas de ataque muito perigosas para cada lado.
Quando nada fazia prever, um remate fora da área de Zé Luís, deixou Rabiola pregado ao chão, entrado a bola junto ao angulo superior direito da baliza, estava, assim, inaugurado o marcador.
Quando se esperava a resposta da equipa do GD Silvares, nada saía bem aos comandados por Luís Alberto, e era mesmo o Martim que mais procurava a baliza contrária, criando alguns lances de perigo na área forasteira.
Nesta primeira parte os silvarenses lograram motivos para descontentamento perante a passividade do árbitro da partida, perante a dualidade de critérios na assinalação de faltas, que condicionava o futebol de contra ataque da equipa.
No retorno, Luís Alberto fez entrar Samu para o lugar de Neca, na tentativa de a equipa ir mais para a frente, mas, no primeiro remate, nesta segunda metade, do Martim, Rabiola fez uma excelente defesa para a linha de fundo. Na sequência da marcação do pontapé de canto, aos 49 minutos, a bola caiu no miolo da pequena área onde apareceu Óscar a cabecear com o guarda redes Silvarense ainda a tocar na bola mas esta alojou-se no fundo da baliza, estava o 2-0.
Segui-se uma toada de ataques para cada lado, mas com maior perigo para a baliza do GD Silvares. Ao minuto 69, o técnico Luís Alberto, fez duas substituições de uma só assentada: saíram Roberto Martins e Costa e entraram Celso e Zé Berto.
O GD Silvares aventurou-se mais na frente e criou mais perigo, tendo, em dois lances, um de Samu e outro de Celso que bem poderiam ter outro desfecho que aquele que tiverem, com a bola a sair ao lado da baliza defendida por Filipe.
No último quarto de hora, o Martim voltou a criar perigo, com Rochinha, por duas vezes, e na pequena área a rematar ao lado.
Quando estava tudo a preparar-se para recolher aos balneários, e no de último cinco minutos de compensação dados pelo árbitro da partida, num livre à entrada da área do Martim, que neste lance viu o seu defesa central Tiago a receber o segundo cartão amarelo e consequente ordem de expulsão, Mário Bi converteu soberbamente, fazendo a bola entrar sem hipótese de defesa para Filipe, estava feito o resultado final de dois para o Martim, um para o GD Silvares.

Jogo realizado no campo Zé da Nora, em Martim

Árbitro: Luís Ferreira, auxiliado por Rui Torres e Pedro Ferreira.

SFC MARTIM: Filipe; Júlio, Tiago, Pedro, Quintero, Pedro Nuno, Rochinha (Horácio, 65), Sandro, Óscar, Zé Luís e Gonçalo (Vinhas, 65). Treinador, Paulo Faria.

GD SILVARES: Rabiola; Neca (Samu, 45) Fernando, Costa (Zé Berto, 69), Renato, Gomes, Miguel, Roberto Martins (Celso, 69), Nelinho, Jorginho, Mário Bi. Treinador, Luís Alberto.

.

Juvenis - Camp. Nac.: AD Fafe, 1 – Varzim, 4


Para o ano novamente nos distritais

Os juvenis fafenses despediram-se deste campeonato, em que desceram novamente aos distritais, com uma derrota por 4-1, em casa – jogo realizado em Silvares – frente ao Varzim Sport Clube.
Ao intervalo a equipa de Miguel Paredes perdia por 2-1, com o golo do Fafe a ser apontado por Gil.
Os poveiros ampliaram a vantagem na segunda metade tendo conseguido marcar mais dois golos.
Com a classificação definida e a condenação efectuada, o técnico fafense meteu uma equipa à base de jogadores do primeiro ano, por forma a dar-lhe uma oportunidade e alguma motivação.
.

1.ª Div. AF Braga: Airão, 1 - Travassós, 1


Golo de Dani evitou mal maior

O Travassós, de Paulinho, registou novo empate, a uma bola, no terreno do Airão, e o novo treinador ainda não sabe o que é ganhar ao serviço desta equipa.
O Airão era, á partida, uma equipa acessível aos fafenses. No entanto antes deste jogo registava nove empates contra oito dos fafenses, agora acumularam mais um cada um. São os empatas desta série.
Os vimaranenses entrarm praticamente a ganhar na partida e os fafenses, algo sonolentos.
Na segunda parte a equipa de Paulinho reagiu e Dani consegui marcar o golo do empate.
.

Iniciados: 1.ª Div. AF Braga: AD Fafe, 0 - Pevidém, 1


Surpreendidos por adversário directo

Os iniciados da AD Fafe, perderam, em casa, frente ao Pevidém por 1-0. Os pupilos de Jorge Fernandes/Carlos Casagrande deixou-se surpreender.
A maior consequência foi a queda de uma posição na tabela, precisamente para o adversário deste jogo, estando agora os fafenses na quinta posição.
Ainda faltam muitos jogos para terminar o campeonato e os fafense vão redimir-se desta derrota, roubamdo pontos em campo alheio.
.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Médio Samora foi operado ao nariz

.
Lesionou-se num
choque involuntário

O mdio dos juniores da AD Fafe, Samora, um estancador de jogo no meio campo fafense, não participou no jogo com o Freamunde mas fez questão de estar presente e dar o seu apoio aos seus colegas de equipa, mesmo com dois tubos no nariz para poder respirar.
O carácter do jogador, que chocou involuntariamente com o companheiro de equipa, João Miguel, no último treino, levou-o a pedir aos médicos para o operarem no dia de sexta-feira para poder estar presente e sofrer por fora no jogo com o Freamunde.
Antes de o jogo começar o valoroso jogador compareceu em campo para saudar e apoiar os companheiros, vestido com a camisola que habitualmente usa nos jogos, em que utiliza o número 55 nas costas. Que a recuperação seja rápida pois o Fafe precisa do seu contributo para enfrentar a segunda fase deste campeonato em que vai lutar pela subida de divisão.

.

2.ª Div. AF Braga: Fornelos, 0 - Águias Alvite, 2

.
Uma equipa cada vez mais limitada

As limitações cada vez mais evidentes na equipa de Carlos Careca não lhe permitiram pontuar em casa frente ao Águias de Alvite, com quem o Fornelos perdeu por 2-0.
Ao intervalo os rapazes de Santa Comba já perdia por 1-0 e no segundo tempo, na ânsia de chegar á igualdade sofreram o segundo golo. Este já passou, agora tem que se pensar no próximo.

Ter um plantel curto e perder vários jogadores ao longo da época por motivos diversos, onde se encontram a emigração de atletas e as lesões, não é nada fácil, nem que o Fornelos tivesse o melhor treinador do mundo. Tem Carlos Careca e já muito tem feito ele nestes últimos anos.
.

2.ª Div. AF Braga: A. Urgeses, 2 - União Moreirense, 2


Empate com sabor a vitória
- Sérgio marcou os dois golos

O União Moreirense foi a Urgeses empatar a duas bolas com os amigos locais. Este resultado confirmou as dificuldades que as equipas fafenses sentem naquele campo.
A equipa de Arlindo Silva perdia ao intervalo por 2-1 mas, nesse primeiro tempo viu-se privada de um elemento pois Maurício Russo foi expulso o que obrigou a equipa a esforço suplementar.
Mesmo a jogar com menos um os fafenses mostraram porque estão a fazer um grande campeonato e conseguiram igualar a partida com Sérgio a fazer o que já tinha feito no primeiro tempo, a marcar para os fafenses e a dar-lhes um ponto que, face às circunstâncias acaba por saber a vitória.
.

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe, 1 – Freamunde, 0

Texto e fotos: João Carlos Lopes/Tiago João Lopes
.
Golão de Brochado
garantiu apuramento
.
- TGV Amarelo passou à estação seguinte

Com um golo monumental de Zé Brochado, os juniores da AD Fafe, treinados por Ténio Tenev, venceram o Freamunde e garantiram um lugar na “poule” que vai discutir a subida de divisão, depois de na época passada ter estado a um passo de o conseguirem.
O público compareceu em grande número e fez sentir a sua presença aos jogadores fafenses e isso foi muito importante. Eles conseguiram, mas não foi fácil porque o Freamunde, apesar de não complicar muito também não facilitou, pelo contrário, jogou na expectativa à espera do erro fafense para desferir o golpe fatal, o que valoriza ainda mais a vitória dos fafenses.
O tempo, um pouco soalheiro, também ajudou, pois não complicou o já de si complicado relvado do campo n.º 2 do Municipal de Desportos, o que ajudou e muito os atletas fafenses.
A equipa orientada por Tenev demonstrou muita ansiedade e acima de tudo cautelas defensivas, não fosse o diabo tecê-las, tudo saiu a preceito. Ou seja, hoje tudo correu bem e todos os jogadores deram o que tinham em campo, deixando lá a sua própria pele, tal era o empenho que puseram em cada lance que disputaram. Quem jamais irá esquecer este jogo é Rampa que já na fase final de jogo, numa disputa de bola perdeu um dos dentes da frente. Mesmo, assim, depois de formalizadas as legalidades para poder prosseguir no jogo ainda foi dar o seu contributo à equipa entregando-se de corpo e alma a cada lance, numa atitude louvável e digna de uma verdadeiro campeão.
O Fafe dominou o jogo desde o primeiro minuto mas a equipa da terra dos Capões conseguia, nas bolas paradas, levar algum perigo junto da baliza fafense. Aí, tantos os centrais Ricardo e Rampa, comos os laterais, Vítor Beijinhos e Castro estiveram cinco estrelas. Mas atrás deles estava um homem que tem tudo para ser o futuro guarda-redes da AD Fafe, chama-se Luís e transmite muita segurança e confiança à equipa. Trata-se de um guardião fafense que já há muito não se via por estas bandas. Seguro nas saídas entre os postes e muito ágil e destemido. Um verdadeiro gladiador das balizas.
O meio campo fafense esteve órfão de Samora, que teve que ser operado de urgência ao nariz, devido a choque involuntário no treino do dia anterior. Ivo Lopes, Mota e João Vítor, este a jogar condicionado devido a problemas nos pés, foram verdadeiros esteios no meio campo. Na frente, Teixeira, Ruben e Brochado tentavam dar a profundidade que o ataque precisava. Nem sempre o fizeram com a cabeça porque o coração batia forte e o emblema pulsava na camisola. No entanto fizeram o suficiente para merecerem nota alta. João Miguel, Nuno Freitas e Diogo Costa, os suplentes utilizados também fizeram tudo o que estava ao seu alcance para ajudar a equipa e os outros suplentes, Nuno Preto, Joel e Tiago Miguel, sofreram e ajudaram por fora, eles e o muito público que foi apoiar os juniores.
O verdadeiro perigo criado pelo Fafe no primeiro tempo só surgiu em cima do intervalo com Zé Brochado a rodar e a rematar mas a ver um defesa tocar na bola e ceder canto. Na sequência desse canto Ricardo, ao primeiro poste esteve muito perto de marcar, porém, o lance deu novo canto que culminou com remate forte de fora da área mas por cima da barra de Ivo Lopes.
Na segunda parte, o Fafe surgiu um pouco mais solto e não perdeu tempo no encalço do golo. No entanto notava-se de novo a ansiedade e nem tudo saía a preceito.
Aos 51 minutos, Mota, ao primeiro poste, rematou de cabeça mas sem consequência.
O momento do jogo surgiu aos 60 minutos. Os alas do Fafe movimentaram-se, levando consigo alguns jogadores e Zé Brochado que conduzia a bola nos pés viu o espaço suficiente para desferir um remate indefensável, marcando um golo monumental. Um golo que libertou o stresse, a pressão e deixou os fafenses mais tranquilos.
Ainda faltava meia hora de jogo mais cinco minutos de compensação mas o Fafe passou a jogar muito melhor. Um minuto depois do golo Teixeira rematou forte de fora da área tendo a bola saído por cima da baliza.
Apesar do Freamunde tentar despejar bolas para a área fafense a união e a força fafense resolviam tudo e aos 79 minutos João Miguel e Ruben roubam uma bola a meio campo, tendo o último chegado à área e rematado por cima da barra.
Até ao final os fafenses foram guerreiros, souberam contemporizar, aguentaram a pressão e ouviram muitas vezes a voz de Tenev a pedir calma e concentração. O Apito final foi um grande alívio e os fafenses puderam finalmente festejar, tendo merecido este prémio de se apurarem para discutir a subida de divisão. Sim, eles mereceram e merecem até muito mais.

Jogo realizado no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe.

Árbitro, Arnaldo Araújo (CA de Vila Real), auxiliado por José Teixeira, e Sérgio Correia:

AD FAFE: Luís; Beijinhos, Rampa, Ricardo e Castro, Mota, João Vítor (João Miguel, 57’) e Ivo Lopes; Ruben, Teixeira (Nuno Freitas, 63’) e Brochado (Diogo Costa, 83’). Treinador, Ténio Tenev.

SC FREAMUNDE: André; Eduardo (Fábio, 76’), Batista, Andrezinho, Paulo Monteiro, Pedro, Paulo Ferreira, Nandinho (Dani, 77’), Raul (Márcio, 57’), Joel e André Pinto. Treinador, Carlos Coelho.

MARCADOR: Zé Brochado, 60’.
.

2.ª Div. AF Braga: Antime, 2 - Agrupamento Sta Cristina, 0


Hugo resolveu o dérbi

Com a presença do programa “A Liga dos Últimos” que ao que parece já não visita só lanternas vermelhas porque, pelos vistos teria que ir quase sempre aos mesmos lugares, Hugo, foi quem deu nas vistas ao marcar os dois golos com que a equipa de Domingos Freitas venceu a de Marcelo Fernandes, em mais um dérbi fafense.
De referir que nenhuma destas equipas fafenses é última, nem coisa que se pareça. O Antime luta para subir e o Agrupamento anda pelo meio da tabela, com ligeiras oscilações para cima e para baixo.
A equipa da casa construiu o resultado ainda na primeira parte.
.

Div. Honra - AF Braga: Torcatense, 3 - Pica, 0


A luta vai continuar

O Pica não repetiu a façanha da jornada anterior em que venceu o Arões, tendo perdido, desta feita no Torcatense por 3-0.
A formação orientada por Carlos Salgado apanhou um adversário tarimbado e com muita rotina neste e noutros escalões superiores.
Ao intervalo os fafenses pediam por 1-0, golo sofrido aos 16 minutos.
Na segunda parte a equipa da terra que teima em não acabar as obras do Mosteiro, ampliou a vantagem aos 65 minutos e fechou o resultado com a conversão de uma grande penalidade aos 90.
A luta dos fafenses pela permanência vai continuar e até ao lavar dos cestos é vindima. O pica melhorou mas ainda precisa de ganhar os pontos suficientes que lhe permitam alguma tranquilidade.
.

Div. Honra - AF Braga: Arões, 3 – Porto D’Ave, 1

Texto: Ricardo Castro/Foto: Rui Silva

.
Tiagol devolve Arões às vitórias
.
À procura do regresso às vitórias, o Arões recebeu e venceu o Porto D’Ave por 3-1. Romeu, por castigo, não pode alinhar nesta partida e Luís Gomes viu o jogo fora do terreno, por expulsão no último jogo, que, inicialmente, não foi muito bem jogado, sem grandes ocasiões de perigo, de destacar um livre de Paulinho, do Porto D’Ave, aos 4 minutos, colocado e forte, com Abreu a desviar para canto. Ambas as equipas procuravam golo, mais em lances de bola parada, mas sem sucesso nas suas tentativas. Aos 25 minutos, Abreu bateu mal um pontapé de baliza, com Vitinha a dominar a bola e a rematar na área, mas Duarte Nuno conseguiu, com muito esforço, desviar para canto. O primeiro golo surgiu aos 31 minutos, por Tiago de penalti, assinalado pelo árbitro após empurrão sobre Piruta. Tiago não falhou e colocou o Arões em vantagem. Pouco depois, aos 38 minutos, Tiago, na cara do guarda-redes, rematou fraco, de pé esquerdo, para defesa tranquila do guardião dos visitantes. Manaus, aos 41 minutos após um livre, cabeceou na área, mas por cima da baliza de Abreu. O Arões ia para o descanso em vantagem.

Na segunda parte, o jogo primava pelo equilíbrio, com uma e outra equipa a qualquer momento, poderem chegar ao golo. Aos 62 minutos, o lance polémico do jogo: um lançamento favorável ao Arões, cobrado imediatamente pelo Porto D’Ave, em que Vitinha se isola e é derrubado por Duarte Nuno. Penalti assinalado de pronto pelo árbitro. Muita contestação neste lance pois este tem origem num lançamento que era favorável aos da casa, e o assistente do lado do ataque do Arões, nada fez. Na marcação do penalti Vitinha empatou a partida.

O Arões não baixou os braços e Tiago surgiu novamente para resolver. Aos 65 minutos, na área, após um lançamento de Zézinho, o avançado do Arões passa por um adversário e, na cara do golo, de pé esquerdo e com um remate forte, colocava a equipa de Luís Gomes de novo na frente. O Porto D’Ave, em várias tentativas, procurou o golo do empate, nomeadamente aos 72 minutos, com um remate de Meira na área, mas Abreu seguro, evitou o 2-2. Aos 78 minutos, Hélder, acabado de entrar na partida, aproveita uma disputa de bola entre Vasco e um atleta do Porto D’Ave, entrando na área e sem oposição, com um remate forte, fez o 3-1. Aos 81’, o Porto D’Ave, num lance de grande insistência na área, com várias remates, não conseguiu reduzir a desvantagem. Até ao final da partida, o jogo foi controlado pelo Arões, que não permitiu que os visitantes criassem perigo, voltando assim às vitórias no campeonato.

Jogo realizado no Centro para a Formação e Juventude de Arões, em Arões São Romão.

Árbitro: Rui Silva, auxiliado por Pedro Sá e Rui Amaral.

Arões: Abreu, Vitinha, Nuno, Beijinhos, Zézinho, Ibrahima, César, Piruta (Hélder, 77’), Tiago, Miguel Castro (Vasco, 61’) e António (Bruno, 88’). Treinador: Luís Gomes.

Porto D’Ave: Clemente, Jaques (Freitas, 72’), Luís Manuel (Neves, 45’), Manaus, Paulinho, Vitor, Xavier (Bruno, 83’), Vitinha, Meira, Ricardo e Daniel. Treinador: João Fernando.

Disciplina – cartões amarelos a: Meira (Porto D’Ave) 30’; Tiago (Arões), 46’; Xavier (Porto D’Ave), 47’; Piruta (Arões), 55’; Jaques (Porto D’Ave), 59’; Duarte Nuno (Arões), 62’; Ibrahima (Arões), 71.

Golos: Tiago (g.p), 31; Vitinha (g.p), 63’; Tiago, 65’ e Hélder, 78’.
.

Campeonato Concelhio de Futsal – Resultados

Colaboração: Francisco Barbosa
.
1.ª DIVISÃO

Ara Bugio, 4 – Ases de S. Jorge, 2

Sol Poente, 1 – Paços, 3

Granja, 1 – Amigos de Fafe, 5

Seidões, 1 – Arões, 3

Ardegão, 3 – Aboim, 3


2.ª DIVISÃO

Travassós, 5 - Fornelos, 0

Cepães – Golães (adiado)

Santo Ovídio, 5 – Santa Luzia, 1

Bombeiros VF, 2 – Vinhós, 7

Folgou o: Rumo ao Futuro

Confira as horas e os locais dos jogos e veja a classificação das duas Divisões, no blog do CD Vinhós em: http://cdvinhos.blogspot.com/
.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

“Liga dos Últimos” vai estar este Sábado em Antime


Uma visita inesperada para o dérbi

Apesar de nenhuma das duas equipas fafenses que vão estar em confronto, Antime e Agrupamento de Santa Cristina, estarem no último lugar, o carismático programa da RTP “Liga dos Últimos” vai estar em Antime, este Sábado, para fazer os habituais apanhados e as respectivas entrevistas.
Uma coisa é certa, já chegam tarde para saborear as bifanas do Mestre Silva, mas podem sempre bem petiscar no Restaurante do “Bragança”.
A maior certeza desta visita é que Fafe vai estar exposto mais uma vez e num canal público de televisão, onde certamente vão prestar declarações dois treinadores fafenses, Domingos Freitas e Marcelo Fernandes, para além dos habituais atrevidos que são sempre escolhidos a dedo.
Por outro lado, certamente que os melhores lances do desafio e os eventuais golos e casos do jogo vão ter exposição televisiva. Um jogo em que o empenho vai certamente ser superior ao normal.
.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Juniores 2.ª Div. Nac.: AD Fafe – Freamunde


Um jogo que pode ser de vida ou de morte
- Vamos todos dar-lhe a força que precisam

Os juniores da AD Fafe recebem o Freamunde num jogo que pode ser de vida ou de morte para os fafenses. Por isso, todos os caminhos têm que dar ao campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe, neste próximo Sábado. É que este jogo pode valer uma época e lançar os nossos jovens rumo à subida à 1.ª Divisão. A derrota inesperada em Ponte de Lima deixou os fafense à beira de um ataque de nervos. Porém a equipa é forte e vai reagir bem a essa adversidade. Para ter a certeza que vai lutar pela subida de divisão terá mesmo que vencer o Freamunde. No jogo da primeira-mão perdeu com esta equipa por 1-0 mas mostrou que tem futebol para lhe ganhar. O apoio do público será muito importante e poderá ajudar estes juniores fafenses a ultrapassarem o último obstáculo. Os nossos rapazes têm valor. Vamos apoiá-los e dar-lhe a força que precisam. Talento e valor têm eles, só precisam de um pouco mais de carinho por parte do público. É isso que não lhes podemos negar. A nossa força também conta para eles.

NÃO FALTES!. SÁBADO, PELAS 15 HORAS NO CAMPO N.º 2 DO PARQUE MUNICIPAL DE DESPORTOS. SE ÉS ATLETA COMPARECE COM A CAMISOLA OU O FATO DE TREINO DO FAFE PARA APOIAR OS COMPANHEIROS DE CLUBE.

.

Campeonato Nac. 3.ª Divisão: AD Fafe - Serzedelo


Mais uma final

O Fafe recebe o Serzedelo e já sabe que vai estar privado do seu melhor jogador, Cícero, que viu o cartão vermelho em Famalicão. Agostinho Bento vai contar, no entanto, com o regresso de Filipe, o valoroso extremo que regressa também após castigo. Outro extremo, Jader também está quase apto para a competição mas ainda não vai entrar nas contas deste jogo. O Fafe venceu em Serzedelo na primeira volta mesmo ao cair do pano. Agora a equipa está mais consistente, vem de duas vitórias consecutivas e certamente que vai dar nova alegria aos seus adeptos. Adeptos que não têm regateado esforços para acompanhar a equipa a todo o lado. Ainda no Domingo foi bem visível o apoio em Famalicão. O Fafe ainda mobiliza muita gente e se continuar a jogar assim, vamos ter uma fase final de bancada cheia. Cabe aos jogadores atraírem o público e isso faz-se com vitórias. Só se pede uma de cada vez.
.

Juvenis - Camp. Nac.: AD Fafe – Varzim

.
É preciso agradecer a estes rapazes
- Jogo no Domingo, em Silvares, pelas 11 horas

Os juvenis da AD Fafe recebem o Varzim na penúltima jornada do campeonato, Domingo, pelas 11 horas no Campo n.º 2 do Municipal de Desportos. Só quem acompanhou esta equipa de perto sabe as dificuldades que o técnico Miguel Paredes teve para remendar semana a semana a equipa, com tantas lesões que apareceram no plantel. Depois os rapazes foram acreditando e, mesmo assim fizeram o campeonato possível. Quando realmente começaram a mostrar o que valiam já era tarde mas, fica registado que têm valor e que representaram com brio, coragem e dignidade as cores da AD Fafe. Por isso, neste último jogo em casa, merecem as palmas e o carinho de todos os fafenses, independentemente do resultado que o jogo venha a apurar. A classificação está feita. Nem que perca os dois jogos que faltam, a equipa fica na nona posição. Vamos acarinhar estes atletas. Eles merecem.
.

Div. Honra: AF Braga: Arões – Porto D’Ave


Voltar a entrar nos eixos

O Arões de Luís Gomes vai receber o Porto D’Ave, numa altura em que precisa de entrar novamente nos eixos. Um empate caseiro frente ao Silvares e uma derrota no Pica, deixaram os aronenses um pouco abalados e com a imagem a afectada, uma vez que se trataram de dois dérbis. No entanto, o Arões é a equipa melhor posicionada de todos os fafenses e é nessa condição que vai tentar entrar nos eixos e prosseguir uma marcha que já levava embalamento.
.

Div. Honra: AF Braga: Martim – Silvares


Procurar elevar a moral em campo alheio

O Silvares de Luís Alberto desloca-se ao terreno do Martim em busca dos pontos perdidos em casa frente ao Torcatense e de uma vitória que levante o moral às tropas de S. Martinho. Os fafenses estão mesmo a precisar de um balão de oxigénio para conseguiram caminhar em frente de cabeça levantada.
.