.

.
.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Rali: Co-piloto fafense Mário Castro com começo atribulado

Texto: MC / Foto: João Lavadinho

Início de época atribulado
para a Politejo Rallye Team

O início do CPR 2011 teve lugar na Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho com a realização do Rali Torrié e Vítor Pascoal, navegado por Mário Castro não conseguiram um bom resultado devido a alguns problemas de que foram vitimas ao longo da prova.

Como se previa, Pedro Peres e Ricardo Moura seriam os candidatos ao triunfo, mas Vítor Pascoal, ainda que em fase de adaptação ao novo carro, poderia intrometer-se na luta pela vitória e surpreendentemente foi o que aconteceu pois a dupla da Politejo Rally Team terminou a 1.ª etapa a apenas 11 segundos do primeiro lugar apesar de durante toda a etapa não terem acertado com as melhores afinações para o seu Mitsubishi.

Mário Castro revela que, “ sabíamos perfeitamente que seria quase impossível acompanhar o Peres e o Moura devido ao nosso desconhecimento do carro, mas entramos para o rali muito motivados tentando não perder muito tempo para eles. Infelizmente as afinações do carro estavam completamente erradas para este tipo de piso e o carro tinha um comportamento muito mau em curva e mesmo em tracção.

Não conseguimos um bom tempo na primeira especial mas na 2ª andamos bem melhor e ficamos a apenas 0,3seg. de vencer a especial. Terminamos a 1ª etapa a 11,6seg do Moura, o que era um resultado bastante positivo para uma estreia neste tipo de carros. Para a segunda etapa alteramos as afinações do carro ficando este bem melhor mas ainda assim muito longe do ideal.

No 1.º troço do dia entramos pouco confiantes e perdemos algum tempo para o Moura mas a ideia era continuar a pressionar  porque ainda faltava muito rali. Infelizmente na 5ª especial demos um toque numa árvore que nos danificou o braço de suspensão traseiro sendo obrigados a fazer uma especial e meia com o carro nessas condições e perdemos com isso mais de 3min.

Ainda recuperamos da 7ª para a 4ª posição durante a 2ª secção da etapa imprimindo sempre um ritmo forte. O nosso 4º lugar da geral não foi de forma nenhuma o resultado que desejávamos mas ainda assim podemos sair satisfeitos com a nossa prestação que apesar de todas as condicionantes que teve, (adaptação ao carro, problemas com set-up e saída de estrada) acabou por nos mostrar que muito provavelmente no próximo rali já estaremos ao nível dos nossos adversários e poderemos lutar pela vitória”.

Mais uma vez o Targa Clube organizou um excelente rali, com muito público a assistir durante os dois dias de prova. Pela primeira vez na sua carreira, Ricardo Moura venceu uma prova do CPR, secundado por Paulo Antunes e Alberto Oliveira no Citroen C2 e Ivo Nogueiro no terceiro lugar do pódio. A próxima prova será o rali de Portugal entre os dias 24 e 27 de Março.
.

Legião Estrangeira / Futebol

Texto: João Carlos Lopes / Foto: MFC 
Castro - Moreirense FC

LIGA DE HONRA - Jornada 19

O FEIRENSE (3.º) de Henrique, recebeu o Trofense e não foi de modas pois despacho a equipa da tropa com o rendimento mínimo e o proveito máximo, os três pontos. Este resultado permitiu ao Clube da Vila da Feira ascender ao 3.º lugar, estando agora a três pontos do segundo lugar de subida e a quatro do primeiro.

O GIL VICENTE (4.º), de Sandro, recebeu o Desportivo das Aves com quem partiu em igualdade pontual para este jogo. As aves de terra abateram as do ar por 4-2, naquele que foi um jogo muito produtivo. O Gil Vicente subiu três lugares com esta vitória e volta a ter os lugares de subida em mira.

O SANTA CLARA (9.º), de Bruno Monteiro, foi ao recinto do Sporting da Covilhã vencer por uma bola a zero, resultado que lhe permitiu subir um degrau na tabela. E respirar um pouco mais à vontade. Mas não pode dormir à sombra desta vitória pois na próxima jornada desloca-se ao Belenenses que também está a precisar de pontos.

O MOREIRENSE (11.º), de Castro, recebeu o Arouca e venceu por 3-2. Uma vitória que vem num momento importante e dá alguma margem de manobra à equipa de Moreira de Cónegos que está a apenas seis pontos da linha de água. A onze jogos de terminar a época e com 33 pontos em jogo ainda vai ser preciso comer muita rasa de sal. 


2.ª DIVISÃO B - Jornada 21

O GD CHAVES (3.º), de Ricardo Nogueira, recebeu o líder, União da Madeira e o resultado quedou-se por um empate a uma bola. Para os flavienses foi quase a última esperança de se aproximarem do primeiro lugar. Quem aproveitou foi o Tirsense que venceu em Bragança e está agora a cinco pontos do União. O Chaves é que já está a 12.

FC VIZELA (8.º), de Paulo Freitas, recebeu e bateu o Marítimo B por concludentes 4-0. Uma vitória robusta para os vizelenses se tivermos em conta que esta equipa já empatou oito vezes neste campeonato. Subiu dois lugares.   

A AD OLIVEIRENSE (9.º), de Pedro Ismael, foi á Madeira derrotar o Andorinha por 2-0. Uma vitória muito importante para as contas desta equipa de Famalicão, neste seu ano de estreia neste escalão, em que visa a manutenção. Também subiu dois lugares.

O GD BRAGANÇA (16.º), de Tiago André, perdeu em casa com o Tirsense por uma bola a zero e afundou-se na tabela. O espectro de descida começa a ser uma realidade, ainda que se nota a luta desta equipa pela sobrevivência. Basta ver esta derrota tangencial frente a um candidato à subida.  


3.ª DIVISÃO – SÉRIE A - Jornada 20
.
O VIEIRA SC (9.º), de Óscar, Pablo e Rambóia foi ao terreno do lanterna vermelha , Valenciano, vencer por 3-1 e somar três pontos que lhe podem vir a ser úteis na luta pela manutenção.

O MARIA DA FONTE (11.º), de Fredy e Ruizinho, viajou até à terra das alheiras, Mirandela , onde perdeu por 2-0. Na fase de lutar pela manutenção vai ter que fazer bem melhor do que tem feito até agora.


3.ª DIVISÃO – SÉRIE B - Jornada 20

O MONDINENSE (11.º), de Miguel Soares, Mike Cunha e do treinador Carlitos, recebeu o AMARANTE (2.º), de Ricardo Morais e perdeu por 3-1. Um fafense alegre e três tristes com o desfecho deste jogo. Amarante na luta pela subida e Mondinense na luta pela manutenção.

O JOANE (3.º), de Gil e Miguel Lemos, foi a Vila Meã vencer por uma bola a zero o que lhe permitiu segurar o terceiro lugar e manter-se bem perto dos dois primeiros, Famalicão e Amarante.


3.ª DIVISÃO – SÉRIE MADEIRA – Jornada 20

O ESTRELA DA CALHETA (4.º), de Silas e Noré, continua a brilhar e a vencer. Desta vez deu meia dúzia (6-1) ao lanterna vermelha, Bom Sucesso. Como o sucesso foi do Estrela quem ficou de sorriso aberto foram os fafenses que com este resultado garantiram praticamente a manutenção.
.

Futebol Popular: Amigos Quinchães, 1 – Armil, 0

Texto: João Carlos Lopes

Carlos tinha o segredo no banco

Os Amigos de Quinchães, receberam e venceram o Armil por uma bola a zero, em mais um jogo a contar para a 12.ª Jornada do Campeonato Concelhio de Futebol Popular.
Entre duas equipas com protagonismos diferentes neste campeonato, com os Amigos a lutarem para o título e o Armil pelo melhor campeonato possível, previa-se um jogo mais fácil para os de Quinchães mas, na verdade a equipa do sopé de S. Salvador complicou e de que maneira.
Como seria de esperar foram os Amigos a tomarem a iniciativa do jogo e a criar mais oportunidades para marcar mas pecava na finalização. Ainda no primeiro tempo, a equipa da casa queixa-se de “uma grande penalidade em que o senhor juiz da partida assinalou falta fora da área”. Com tudo isto, o intervalo chegou com o marcador em branco.
Na segunda parte os Amigos desfizeram a igualdade através de um golo de Carlos que tinha entrado na partida no reatamento, tendo marcado logo aos 46 minutos após assistência de Vasco. Até parece que o marcador da tarde tinha o segredo do jogo bem guardado no banco.
A vencer apenas por uma bola a zero os Amigos tentaram o golo da tranquilidade mas sempre atentos a qualquer eventualidade, não fosse o Armil aproveitar o mínimo erro.
.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Futebol – 2.ª Div. B: Pontassolense, 2 - AD Fafe, 1

Texto e foto (arquivo): João Carlos Lopes

A velha rasgou o lençol...

O Fafe foi à Madeira e mais uma vez não foi feliz, nem depois de se comprometer com a "velha" na vitória da primeira volta, pois desta vez perdeu por 2-1. A velha fez a cama aos fafense mas rasgou-lhes o lençol.  

Até parece sina os resultados negativos na Madeira mesmo contra equipas aparentemente fáceis, como é o caso, pois a equipa de Ponta do Sol, ocupa a última posição.

Nos primeiros quarenta e cinco minutos houve um golo para cada lado, com a equipa insular a marcar primeiro e o Fafe a igualar através de Silvestre que aplicou um pontapé de fora da area para fazer o golo. 

No segundo tempo o Pontassolense foi mais eficaz e conseguiu chegar ao segundo golo, desiderato que os fafenses não lograriam obter, confirmando uma tradição que começa a ser arreliadora quando se desloca às ilhas.

A única nota positiva desta jornada é o facto de o fafe manter a quinta posição mas agora a concorrência está muito mais perto e a ameaçar.


.
RESULTADOS DA 21.ª JORNADA

Andorinha, 0 - AD Oliveirense, 2 

Bragança, 0 - Tirsense, 1 

Ribeirão, 0-  Merelinense, 1 

Pontassolense, 2 – Fafe, 1 

Chaves, 1 - U. Madeira, 1 

Lousada, 2 – Camacha, 1 

Vizela, 4 - Marítimo B, 0

Caniçal, 1 - Macedo Cavaleiros, 0
.

Juvenis: 1.ª Div. AF Braga: Vilaverdense, 1 - AD Fafe, 1

Texto: João Carlos Lopes

Muitas oportunidades falhadas e mais pontos perdidos

Os Juvenis da AD Fafe não conseguiram levar a melhor sobre o último classificado, ainda que jogando no campo deste, tendo consentido um empate a uma bola, perdido dois pontos e descolado do segundo classificado, o Ribeirão, que tem agora mais dois pontos que os fafenses.

O resultado foi construído na primeira parte com os fafenses a marcarem primeiro, através de Gonçalo, mas a consentirem o golo do adversário numa das suas raras oportunidades.

Como vem sendo hábito os fafenses fartaram-se de criar e falhar oportunidades de golo, demonstrando uma monumental falta de pontaria, sendo evidente a falta de um matador na frente de ataque. 
.

1.ª Div. AF Braga: Bairro, 1 - Travassós, 4

Paulinho
Texto: João Carlos Lopes

Comando de novo à distância
- Golos de Luís Carlos, Nuno Gonça, Paulinho e Marco Aurélio

O Travassós foi a Famalicão jogar com o Bairro, último classificado, venceu por 4-1 e saiu de lá com quatro pontos de vantagem, os mesmos que tinha antes de se iniciar a jornada, para o segundo classificado, o Pica, que já havia vencido a sua partida com o Tabuadelo e tinha encurtado a distância para um ponto.

A equipa de Paulinho ainda teve tempo para apanhar um susto pois a formação do bairro foi a primeira a inaugurar o marcador. Porém , o Travassós reagiu bem a essa adversidade e deu a volta aos acontecimentos ainda na primeira parte.

Luís Carlos igualou a partida e Nuno Gonça colocou os fafenses em vantagem. Ainda no primeiro tempo Paulinho Vieira colocou o resultado em 3-1 a favor do Travassós.

No segundo tempo a equipa de Paulinho geriu o resultado e ainda conseguiu ampliar a vantagem com novo golo, este da autoria de Marco Aurélio.
.

Juniores: 1.ª Div. AF Braga: Bairro, 2 - Antime, 4

Texto e foto: João Carlos Lopes

Quatro com vista para o bairro 

Depois da tempestade que foi ter sido derrotados em seis de sete jogos realizados, os juniores do Operário Futebol Clube de Antime estão de regresso aos bons momentos e registaram esta tarde em Bairro, Famalicão, onde venceram por 4-2, a terceira vitória consecutiva.

O espectro da derrota ainda pairou no ar pois foi a equipa do Bairro a primeira a marcar e seria a mesma equipa com, um auto-golo a dar o empate ao Antime, ainda antes do intervalo.

Na segunda parte a equipa orientada por Hercílio Martins colocou-se em vantagem através de um golo de Diogo Coelho e pouco depois chegava ao 3-1 com Toninho a assinar o golo que dava mais vantagem e tranquilidade à equipa. 

O Bairro jogava em casa e não facilitou tendo marcado e colocado o marcador com vantagem mínima para o Antime, deixando a partida em suspense.

Os fafense voltaram a respirar de alívio quando Rafael marcou o quarto golo e estabeleceu o resultado final.
.

Futsal - Juvenis AF Braga: Futsal 4 - Nun´Álvares, 1


Fafenses sem contacto

O Nun´Álvares saiu derrotado do confronto com a equipa do Contacto Futsal. O jogo começou a um ritmo forte com ambas as formações a pressionarem alto o adversário. Os fafenses adiantaram-se no marcador, logo aos cinco minutos, por intermédio de Diogo Rafael, após uma boa recuperação de bola e assistência por parte de Zé Guilherme.

A equipa da Contacto partiu em busca do empate e, aos sete minutos, num livre a bola desvia na barreira e obriga o guarda-redes do Nun´Álvares, Nuno, a grande defesa e na recarga um jogador envia a bola ao poste. Aos onze minutos a equipa da casa chega ao empate numa boa jogada colectiva.

O jogo continuou a um bom ritmo, até que a um minuto do fim da primeira parte os das casa chegam à vantagem, numa jogada iniciada num pontapé de linha lateral, onde os forasteiros foram apanhados desprevenidos. E foi com uma vitória para a Contacto, por duas bolas a uma, que chegou o intervalo.

 No início da segunda parte os nunalvaristas partiram em busca do empate, mas foi a Contacto que ampliou a vantagem num contra ataque bem desenhado.

Os jogadores do Nun´Álvares sentiram o golo, baixando os níveis de confiança, e pior ficou quando aos dezasseis minutos a equipa da casa faz o quarto golo, numa infelicidade de Diogo Rafael, que ao tentar interceptar uma bola faz auto-golo.

A partir deste momento o jogo entrou numa fase mais dura, com picardias entre jogadores das duas equipas, terminando da pior forma, com agressões entre jogadores e com invasão de campo por parte de alguns adeptos.

O árbitro decidiu dar por terminado o jogo, que acabou com uma vitória para a equipa da casa, por quatro bolas a uma.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

1.ª Div. AF Braga: GD Silvares, 1 - OFC Antime, 0


Texto e Fotos: João Carlos Lopes / Tiago João Lopes
Cristiano deu um pontapé no marasmo
- Vitinha foi grande na baliza

O Silvares recebeu e bateu o Operário de Antime por uma bola a zero num dérbi com fraco futebol mas com muito ambiente, a fazer lembrar os dérbis de antigamente onde não faltaram expulsões e muito diálogo dentro e fora do campo. O tempo esteve bom e por isso o Campo Professor Manuel José Dias registou uma boa afluência de público afecto às duas equipas. O golo do Silvares, obtido por Cristiano, surgiu contra a corrente do jogo, mas a equipa da casa, depois disso, revelou um grande espírito de sacrifício, de luta e entreajuda.
Cristiano
No primeiro tempo assistiu-se a uma partida muito pobre com as duas equipas a jogarem nas intermediárias e a serem muito brandas no último terço do terreno, quase que não incomodando os guarda-redes, isto apesar das ténues tentativas que o Silvares fez nesse sentido. Neste período o Antime jogou muito atrás e mostrava sérias dificuldades em sair para o ataque, muito por culpa do povoamento que Tenev fez com os dez jogadores de campo da sua equipa, o que, aliado a alguma lentidão do Antime não só travou as intenções da equipa de Vítor Pacheco, como permitia, a espaços que o Silvares andasse mais perto da baliza contrária.
De registar aos remates de ivo, Samu, Pinto, Miguel e Coelho, ainda que sem grande intencionalidade não deixaram de ser tentativas da equipa da casa. Já o Antime, nesse capítulo, se aniquilou a si mesmo, com algumas más opções no último passe.
No segundo tempo, o Antime entrou a pressionar e o Silvares praticamente que só defendia e tentava o contra-ataque ainda assim o primeiro remate deste período pertenceu a Ivo e saiu por cima da barra da baliza de Sampaio.
Ao contrário do primeiro tempo os antimenses mostravam-se mais aguerridos no ataque mas repetiam-se os problemas da primeira parte na hora do remate.
O único golo da partida surgiu aos 63 minutos, na sequência de um pontapé de canto que gerou alguma polémica pois os antimenses queixam-se de um fora de jogo no lance que o precedeu. Pinto cobrou esta bola parada para o interior da área e o defesa central Cristiano apareceu a rematar sem hipótese de defesa para Sampaio, apesar do remate ter saído um pouco enrolado.
Tentou reagir o Antime mas sempre com os mesmos erros na fase final das jogadas. A equipa ainda ficou mais agitada quando o árbitro que teve algumas más decisões durante o jogo, com prejuízo para os dois lados, expulsou o técnico antimense, Vítor Pacheco aos 77 minutos.
O Antime esteve muito perto de marcar aos 82 minutos quando Filipe, que veio desequilibrar na frente de ataque antimense, viu o pequeno Vitinha a ser grande e a negar-lhe o golo na antecipação.
Aos 90 minutos foi César a cruzar para Paulo cabecear na área mas a bola a sair á figura de Vitinha.
Aos 91 minutos, num contra-ataque rápido do Silvares a um defesa do Antime quase fazia auto-golo, tendo valido a boa defesa de Sampaio e depois, com a bola a ficar solta na área, o alívio de um companheiro. Ainda na sequência dessa jogada Ruben atirou por cima da barra em remate de fora da área.
O árbitro deu quatro minutos de compensação que acabaram sendo seis. O Antime beneficiou de um canto, batido por Barbosa e o seu guarda-redes foi à área contrária, mais uma vez Vitinha mostrou-se elástico e interceptou a bola antes de qualquer adversário.
No último minuto de jogo houve uma expulsão para o Antime com Hélder Pinto a ver o segundo amarelo e ainda um livre que foi marcado para a área, novamente com o guarda-redes antimense a subir. Houve uma grande confusão na área e o Antime ficou a reclamar uma grande penalidade mas a bola ainda sobrou para Filipe que estava em boa situação para alvejar a baliza, contudo Vitinha, mais uma vez fez uma grande defesa e segurou os três pontos para a sua equipa.  
Já depois do jogo terminar o árbitro mostrou o cartão Vermelho a Barbosa, do Antime.

Jogo no Campo Manuel José Dias, em Silvares S. Martinho, Fafe.
ÁRBITRO: Miguel Silva, auxiliado por Luís Ferreira e José Silva.
GD SILVARES: Vitinha; Coelho (Ruben, 60), Cristiano, Rui, Pinto, Rui Ferruge, Jorginho, Ivo, Samu, Miguel e Alírio (Luciano, 87). Treinador, Ténio Tenev.
OFC ANTIME: OFC ANTIME: Rui Sampaio; Catita, Hélder Pinto, Oliveira, César, João, Bruninho (Filipe, 73), Ricardo (Paulo César, 59), Barbosa, Hugo (Celso, 59) e Fábio Teles. Treinador, Vítor Pacheco.
MARCADOR: Cristiano, 63.
.

Futebol – Veteranos: Deu-la-Deu, 1 - UD Fafe A60, 3

Luís Mário
Texto e foto: João Carlos Lopes

Deu! Lá deu! Deu mesmo!
- Braga voltou a bisar e Luís Mário estreia-se a marcar

Os veteranos da UD Fafe Anos 60 regressaram às vitórias ao vencerem a equipa do Concelho de Monção, Deu-la-Deu por 3-1. Foi mesmo um suspiro de alívio para os fafenses depois de na semana passada terem, injustamente perdido no Bessa contra o Boavista. É que mesmo nestes jogos do campeonato da amizade ninguém gosta de perder.

Ao intervalo a equipa fafense já vencia por uma bola a zero, com Luís Mário a estrear-se a marcar pela UD Fafe Anos 60, no segundo jogo que faz com as cores da equipa. 

No segundo tempo o marcador de serviço da equipa, Braga, voltou a estar em foco ao marcar mais dois golos para a sua conta pessoal e para a contabilidade da equipa, ele que esta época tem estado frenético no que a golos diz respeito.

Desta vez "Deu" (vitória), "lá" (em Monção), "Deu" (mesmo). É que de azares com lesões e arbitragens já chegava e este ano de 2011 não estava a ser muito católico. Agora os veteranos da UDF vão ter de continuar a ir á missa.
.

Futebol Popular: Paços, 1 - Pardelhas, 0

Texto: João Carlos Lopes

Com um bom Pinho se faz uma vitória

O Grupo Desportivo de Paços recebeu o Pardelhas e conseguiu uma importante e moralizadora vitória para as suas cores ao vencer por uma bola a zero.

Ao intervalo as equipas recolheram ao balneário com uma igualdade sem golos o que evidenciava o equilíbrio do jogo.

No segundo tempo os da casa conseguiram desnivelar o marcador com o golo solitário da partida a ser marcado pelo também treinador Pinho.

Este foi um bom prémio para os pacenses que têm lutado para fazer um campeonato digno e mesmo nos momentos difíceis não têm desanimado e logo frente a uma das equipas históricas deste campeonato, o Pardelhas.
.

Jogo-Treino: Juniores: Trofense, 2 - AD Fafe, 3

Zé Brochado
Texto: João Carlos Lopes / Foto: Tiago João Lopes

Fortalecer para lutar
- 1.º jogo oficial vai ser com o Gil Vicente

Os juniores da AD Fafe prosseguem a sua preparação para a fase final da temporada em que vão discutir um dos dois lugares do seu grupo para subir à primeira divisão. Na partida amigável que efectuaram no recinto do Trofense conseguiram uma moralizadora  vitória por 3-2.

Ao intervalo os fafenses já venciam por duas bolas a zero com os golos de Zé Brochado e João Vítor a fazerem toda a diferença.

Na segunda metade, os fafenses conseguiram chegar aos 3-0, dando expressão ao melhor futebol praticado dentro de campo, com João Miguel a assinar o golo.

A formação da casa acabou por marcar dois golos nos últimos cinco minutos, o primeiro dos quais através de uma grande penalidade inexistente.

De salientar que já é conhecido o calendário do grupo em que está a equipa fafense. A equipa de Miguel Paredes vai jogar a primeira partida no dia 12 de Março no recinto do Gil Vicente, segue-se a recepção ao Boavista e a viagem aos Açores para defrontar o Santa Clara.
.

2.ª Div. AF Braga: Agrupamento Stª Cristina, 1 - Regadas, 0

Formiga
Texto: João Carlos Lopes / Foto: Tiago João Lopes

Quem tem Formiga não passa fome

O Agrupamento de Santa Cristina confirmou o bom momento de forma ao receber e vencer o Grupo Desportivo de Regadas por uma bola a zero, em mais um dérbi fafense.

A equipa de Marcelo Fernandes cometeu a proeza de voltar a vencer o Regadas depois de na primeira volta o ter feito por 2-0.

Como todos os dérbis fafenses este jogou-se sob o signo do equilíbrio e as equipas saíram para o descanso do primeiro tempo com uma igualdade sem golos.

De salientar que o Agrupamento de Santa Cristina viu-se privado de um dos seus jogadores mais experientes, o central Antero que foi expulso aos 15 minutos de jogos, facto que o Regadas, orientado por Alex, não conseguiu tirar qualquer proveito.

O único golo da partida surgiu aos 80 minutos através de Formiga, jogador que tem vindo a facturar nos últimos jogos o que tem ajudado sobremaneira na conquista de pontos pelos homens de Santa Cristina. O guarda-redes do Regadas não terá ficado isento de culpa no golo dos da casa pois a sua saída extemporânea contribuiu para o sucesso de formiga.  

Caso não tivesse um início de temporada atípico este Agrupamento estaria, agora, a lutar pelo primeiro lugar. Porém, o avanço que deu foi demasiado e o resultado para o esforço que está a dispender não depende só de si. Mas que, depois desse período negro, tem feito uma boa época disso ninguém dúvida disso.
.

2.ª Div. AF Braga: Fornelos, 0 - Águias Alvite, 1

Texto: João Carlos Lopes

Falhar golos de baliza aberta dá derrota

O Fornelos recebeu o Águias de Alvite e não lhe foi nada inferior, pelo contrário, mas a sorte e a falta de discernimento na hora certa acabaram por dar a vitória aos homens de Basto.

No primeiro tempo os fafenses tiveram pelo menos três oportunidades de golo e não conseguiram concretizar. Castro enviaria mesmo uma bola ao poste da baliza das Águias.

No segundo tempo a sina dos jogadores de Carlos Careca manteve-se, jogar, dominar e falhar. O Fornelos teve mesmo uma ocasião soberana de golo quando Hugo fintou o guarda-redes e a pouco mais de um metro da baliza atirou a bola à trave. A sorte nada queria mesmo com os fafenses que poderiam estar ali a tarde toda que não marcavam.

Como quem não marca se arrisca a sofrer o golo dos visitantes acabou por surgir aos 75 minutos na sequência de uma bola parada com esta a entrar às três tabelas, ou seja, a esbarrar neste e naquele e a trair o guardião fafense.

A equipa do Alvite poucas oportunidades teve ao longo da partida mas acabou por ser mais eficaz que um Fornelos que se fartou de trabalhar sem nada receber. Vá-se lá entender o futebol.
.




Futebol Popular: Serafão, 0 - Fareja, 4


Texto: João Carlos Lopes / Fotos: Ricardo Pereira

Fareja desta vez não facilitou
- Neves bisa e Camabalhota e Maia também marcam

O GD Fareja voltou ao terreno do Serafão, onde tinha sido eliminado da Taça, desta vez em jogo a contar para a 12.ª jornada do campeonato e não facilitou, tendo arrancado uma vitória por 4-0.

Para não voltar a ser surpreendido o Fareja entrou em campo com determinação deixando os locais a jogar na expectativa.

Mercê do maior caudal ofensivo, as oportunidades foram surgindo para os visitantes. Aos 14 minutos, Cambalhota, num remate à meia volta acertou no travessão da baliza do Serafão. Aos 20 minutos o Fareja desperdiçou uma grande penalidade.

Aos 33 minutos Neves aproveitou uma defesa incompleta do guarda-redes depois de remate de Maia e abriu o activo

O golo fez despertar o Serafão que se começou a aventurar mais no ataque.

O Fareja chegou aos 2-0 através de Cambalhota pouco tempo antes do apito para o descanso, aos 42 minutos.

No segundo tempo e aos 58 minutos, Neves, marcou o seu segundo golo no jogo e o terceiro da equipa, revelando-se um goleador nato e um verdadeiro reforço para este Fareja.

Como é óbvio o terceiro golo tranquilizou muito mais a sua equipa que aos 64 minutos marcava o quarto, este com a assinatura de Maia.

Ao que parece o Fareja aprendeu bem a lição com a eliminação da Taça por esta mesma equipa do Serafão e quis mostrar neste jogo porque é um dos candidatos ao título.

Jogo realizado no campo do Serafão.

SERAFÃO: Espadinha, Mola, Pirica (Nelson), Carvalho, Nini, Poc, Joni, Pirica Junior, Mitch, Vitor Hugo e Nico.

FAREJA: Marco, Gusto, Ricardo, Tiago, Filipe, Bosingua (Isac), Pinto, Cambalhota (Buba), Neves (Matador), Choco (Ruizinho) e Maia (Nuno).

MARCADORES: Neves, 33 e 58; Cambalhota, 42 e Maia64.
.

Div. Honra AF Braga: Arões SC, 1 - Vilaverdense FC, 1

Texto: Ricardo Castro / Fotos: Rui Silva

Deus no livre de Romeu
Sem vencer há cinco jornadas, recebendo o segundo classificado do campeonato e isto no primeiro jogo em casa emprestada, em Atães, o Arões empatou a uma bola com o Vilaverdense.
Com um onze inicial com algumas alterações, como a titularidade de Carlos e a adaptação de Pinto na lateral direita, com Vitinha a passar para a esquerda e César a central, assistiu-se a uma primeira parte disputada, apenas de notar as frequentes paragens da equipa de arbitragem a condicionarem, não só nos primeiros 45 minutos, como também em todo o desafio, o espectáculo.
A primeira jogada digna de registo aconteceu aos 20 minutos, num bom entendimento do Arões, com um cruzamento de Romeu, André amorteceu de peito para Raimundo que rematou mas um pouco ao lado da baliza dos visitantes.
Os comandados de Nelito responderam aos 29 minutos por Armando que, após cruzamento de Meira e toque de Pedró, obrigou Paulo Jorge a uma grande defesa. Aos 36 minutos, Ângelo toca para Romeu que de primeira rematou mas ligeiramente ao lado.
Pouco depois, aos 39 minutos, Sérgio inaugura o marcador para os visitantes. Remate cruzado que só parou no fundo das redes da baliza de Paulo Jorge. Ao intervalo, desvantagem para a equipa de Francisco Branco.
No recomeço da partida entrou Matias e saiu o autor do golo, Sérgio, na equipa de Vila Verde.
Aos 50 minutos, ressalto de bola na área do Vilaverdense, bola sobra para Romeu que tira um adversário do caminho e remata para uma boa defesa de Miguel. Em busca do empate, o treinador do Arões decidiu mexer na equipa e tirou André e o jovem Carlos e entraram Lameirão e Bruno.
E eis que com uma hora de jogo, surge o empate na partida. Falta sobre Raimundo junto à meia-lua da área do Vilaverdense e na cobrança do livre directo, Romeu colocou a bola na ‘gaveta’. Uma execução soberba de um dos elementos mais inconformados do Arões.
Com o golo obtido, a equipa aronense trabalhou afincadamente o seu jogo em busca do golo da vantagem. Aos 70 minutos, Ibrahima ganhou a bola no meio campo dos visitantes e rematou à baliza, para defesa de Miguel. As equipas lutavam por um melhor resultado, e o golo podia surgir para qualquer lado.
Aos 77 minutos, uma falta muito duvidosa a favorecer os visitantes gerou contestação na equipa do Arões, que ditou a expulsão do técnico Francisco Branco. No lance que sucedeu a este momento, Pedró cobrou o livre para a área e Romeu aliviou para canto, com a bola ainda a bater na trave da baliza de Paulo Jorge. Na sequência do canto, bola para a área e um cabeceamento de um homem do Vilaverdense obrigou Paulo Jorge a uma grande defesa.
Até ao final, destaque para uma boa jogada de Raimundo aos 84 minutos, mas sem consequências. Arbitragem sem influência directa no resultado, mas com acções duvidosas.
Jogo realizado no Campo do Atães, em Atães, Guimarães.
ARÕES SC: Paulo Jorge, Pinto, Duarte Nuno, César, Vitinha, Carlos (Bruno, 54’), Ibrahima, Romeu, Raimundo, André (Lameirão, 51’) e Ângelo (Chiquinho, 90’). Treinador: Francisco Branco.
VILAVERDENSE FC: Miguel, Luisinho, Alexandre, Agostinho, Russo, Manaus, Pedró (Marco Lima, 81’), Armando, Sérgio (Matias, 45’), Saviola e Meira. Treinador: Nelito.
Acção disciplinar – amarelos a: Lameirão, 68’; Ibrahima, 71; Duarte Nuno, 86’ e Bruno, 88’.
MARCADOR: Sérgio, 39’; Romeu, 60’.
.

1.ª Div. AF Braga: Pica, 2 - Águias Tabuadelo, 0

Gomes
Texto e foto: João Carlos Lopes

Zé Faria o que Gomes fez

O Pica somou a 12.ª vitória da época na recepção que fez ao Águias Negras de Tabuadelo a quem venceu por duas bolas a zero.

Os vimaranenses são penúltimos classificados mas isso não os impediu de dificultar o trabalho aos fafenses e de adiar para cada vez mais tarde o primeiro golo. Golo esse que aconteceria aos 66 minutos na transformação de uma grande penalidade concretizada por Zé Faria.

Apesar de estar a vencer por 1-0, o Pica teve que se manter em alerta até aos 86 minutos, altura em que Gomes conseguiu o golo da tranquilidade.
`
Com este resultado o Pica mantém a pressão para o Travassós, primeiro classificado, estando agora com menos um ponto no segundo lugar, mas o líder ainda não jogou. De igual modo mantém um distância confortável para o resto da concorrência, nomeadamente o Ruivanense e o Antime.
.

Senhores do apito: Albano Correia no Pombal Tourizense

Colaboração: NAFF
.
Liga Zon Sagres:
.

Beira-Mar - Portimonense - Cosme Machado (Alfredo Braga/ Inácio Pereira)
.

Campeonato Nacional 2.ª Divisão:
.

Pombal - Tourizense - Albano Correia (Licínio Vieira / Pedro Costa)
.
Campeonato Nacional Iniciados:
.
Leixoes - Oliveirense - Duarte Oliveira (Júlio Moura / Xavier Fernandes)

.
A. F. BRAGA:
.
1.ª Divisão:

.

Campelos - Lagense - Pedro Costa  (Licínio Vieira / Albano Correia)
.
SCL.Enguardas - Vila Chã - Marco Mendes (Hugo Sá / Leonel Ferreira)
 .
2.ª Divisão:
.

Arnoso - Antas - Joaquim Pereira  (Carlos Castro /Ismael Sousa )
.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Os juniores da AD Fafe perseguem o sonho: João Vítor chama por si






Um trabalho de João Carlos Lopes / Fotos: Tiago João Lopes
.
“Quando o esforço está no limite, é o
apoio do nosso povo que faz toda a diferença”
.
João Vítor é outro dos capitães da equipa de Juniores da AD Fafe. No meio campo funciona como um pilar e ao mesmo tempo como um farol que ilumina todo o campo e não deixa a equipa perder-se. Joga sempre até ao limite das suas forças e sacrifica-se em prol do colectivo. Nunca dá um lance por perdido e vai ser sempre recordado como mais um dos valentes jogadores desta geração dourada. É impossível pensar nesta equipa sem este bom gigante. Também ele sabe quanto a ajuda do público é importante, principalmente quando as forças parecem estar a faltar.   

1-Qual é a sensação de ver um ciclo a acabar?
R - A sensação de ver um ciclo a acabar traz a noção de que todos estes bons momentos passados ao longo dos anos se transformarão apenas em recordações e isso custa, custa mesmo bastante. Penso que fazer formação num grupo unido e onde se criam amizades tão fortes pode apenas ser compreendido por quem por isto passa: Ingressar nesta equipa aos 11 anos e conhecer tais pessoas ao longo dos anos é uma das decisões de quem mais me orgulho até hoje. No entanto, o fim do ciclo traz uma relação entre orgulho e tristeza que será ultrapassável pelas tão boas memórias que todos nós guardamos.

2 - O que esperam da fase final?
R - A fase final encerrará a nossa formação neste clube. Olhando para o grupo e para os jogos que se avizinham, é a melhor forma de encerrar uma formação. O nosso objectivo é claro e passa por terminar o ciclo com uma subida à 1.ª Divisão, acompanhando este sonho com toda a humildade necessária.

3 - O apoio do público é importante?
R - Quando o esforço está no limite, é o apoio do nosso povo que faz toda a diferença. Quando entramos em campo e ouvimos a "voz" de quem nos quer ver vencer, sentimos aquele carinho que faz com que tudo "valha a pena". Esperamos sentir este apoio durante a fase final e contamos com todos aqueles que nos apoiaram ao longo dos anos.
.

Futebol – 2.ª Div. B: Pontassolense - AD Fafe


Texto: João Carlos Lopes

Será que vamos ter boda!

A AD Fafe desloca-se à Ilha da Madeira para jogar com o Pontassolense, o último classificado desta Zona Norte. Os fafenses vão com o orgulho em alta depois da vitória caseira sobre o Desportivo de Chaves mas, acima de tudo, por terem voltado a fazer boa exibição e dado alegrias aos seus adeptos.

Os insulares não são pêra doce. Dos seis empates registados, alguns foram contra equipas que à partida lhe eram superiores. Ribeirão, União da Madeira, Lousada, Andorinha, Chaves e Merelinense, estes dois nos terrenos dos opositores. Foram as equipas que perderam pontos com o Pontassolense. Já a única vitória da prova foi em casa contra o Caniçal, por 2-1.

Na primeira volta, o Fafe venceu por 2-0 com golos de Jorginho e Xavi que, na altura ficaram com o direito de “casar com a velha na Ponta do Sol”. Será que vamos ter boda!
.

Divisão de Honra – AF Braga: Arões SC - Vilaverdense

Texto: João Carlos Lopes

Vila "verdinha" contra Vila Verde

O Arões Sport Clube vai fazer o seu primeiro jogo na condição de visitado em casa emprestada, mas não jogará muito longe do seu habitual estádio. O jogo realiza-se no Campo do Atães Futebol Clube, em Guimarães e está marcado para as 15 horas do próximo Sábado.

A equipa de Francisco Branco vem de uma derrota em Forjães e de uma queda na tabela classificativa. Nenhum jogo é fácil e este, frente a um candidato à subida, muito menos. No entanto, o Arões precisa de levantar a cabeça e voltar à regularidade para evitar a intermitência que vem a registar de alguns jogos a esta parte. O sexto lugar e os 25 pontos conquistados não dão para descansar nem coisa que se pareça. É preciso somais mais.

Que o novo relvado sintético que se está a construir seja a motivação para os jogadores dar o seu melhor e ultrapassar esta fase menos boa. Em Vila Verde registou-se um empate a uma bola com Tiago a marcar para os fafenses. Tiago que já não joga no Arões mas a equipa tem outros bons jogadores no ataque que podem facturar.
.

Regionalona – Jogos

Texto: João Carlos Lopes

Silvares – Antime (1.ª Divisão)
Agrupamento – Regadas (2.ª Divisão)


1.ª DIVISÃO – SÉRIE B
.
O PICA, joga em casa com o Águias Negras de Tabuadelo depois de derrota amarga em S. Cosme. Os fafenses vão ter que ganhar esta partida para poder continuar a manter um dos lugares que dá acesso á promoção e quiçá voltar em breve à liderança da série.

O TRAVASSÓS, de Paulinho, desloca-se ao recinto do Bairro e não deve ter muitas dificuldades para garantir os três pontos. Contudo estes jogos contra equipas do fundo da tabela nunca são de fiar e, por vezes, todo o cuidado é pouco.

O GD SILVARES, de Ténio Tenev, recebe o OFC ANTIME, de Vítor Pacheco, numa partida que está a gerar muita expectativa. O Silvares ainda não perdeu na era de Tenev e o Antime está novamente numa fase boa e ascendente. Porém, estes jogos são como os melões e só mesmo assistindo se sabe quem merece ganhar.  No jogo de Antime venceu a equipa da casa com golos de Pedro Silva e Celso mas este será um jogo diferente, pelo menos mais equilibrado.


2.ª DIVISÃO – SÉRIE D
.
O AGRUPAMENTO DCR SANTA CRISTINA, de Marcelo Fernandes recebe o GCD REGADAS, de Alex, em mais um dérbi fafense. Ambas as equipas atravessam um bom momento de forma. Na primeira volta, em casa emprestada do Regadas (Silvares) os de Santa Cristina saíram vencedores, por 2-0, com golos de Fredy e Eurico, mas este é outro jogo e certamente que ambas as equipas o vão querer ganhar.

O GDC FORNELOS, de Carlos Careca, recebe em casa o Águias de Alvite, um das equipas mais fortes deste campeonato. Mas a equipa de Careca entra em campo para lutar com qualquer adversário. Se assim não fosse, nem entrava neste campeonato.
.

Futebol – Veteranos: Deu-la-Deu - UD Fafe A60

Texto: João Carlos Lopes

No Alto Minho para dançar o vira

Os veteranos da UD Fafe A 60, viajam até ao Alto Minho, mais propriamente até Monção para defrontar a formação do Deu-la-Deu, em jogo que está marcado para as 17 horas do próximo Sábado.

Ainda com a derrota do Bessa atravessada na garganta, os fafenses vão tentar a vitória em terras do Vinho Alvarinho e mais que não seja devem vencer a terceira parte deste jogo a contar para o Campeonato da Amizade e quem sabe, até podem dançar o vira.  
.