.

.
.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Escola de Futebol para Adultos no GD Silvares


Uma iniciativa inédita na Região
.
Se tens mais de 18 anos e menos de cem, gostas de futebol e nunca tiveste oportunidade de fazer parte de uma equipa ou queres reviver os bons velhos tempos, não percas tempo, inscreve-te já e faz parte da primeira escola de futebol para adultos da região!
.
Terás oportunidade de praticar desporto num sintético de excelência, onde poderás desenvolver as tuas aptidões, sempre com acompanhamento de um treinador, planos de treino preparados ao pormenor para que possas desenvolver a componente física, técnica e táctica.
.
Os treinos são duas vezes por semana, das 20h às 21h30 e esta escola tem início previsto para o dia 14 de Novembro, no Campo Professor Manuel José Dias, recinto de jogos do Grupo Desportivo de Silvares.
.
A coordenação deste projecto está a cargo do treinador principal do GD Silvares, Vítor Pacheco.
.

domingo, 30 de outubro de 2011

Liga de futebol Juvenil da ACR Fornelos - Resultados

1.ª Jornada  -  Resultados
Escalão
Jogo
Resultado
Benjamins
Paços – Colégio (1)
2-2
Benjamins
Ases (B) – Vasco da Gama (A)
6-4
Benjamins
Ases(A) - Pica
4-0
Petizes
Arões – Colégio (1)
6-1
Petizes
Ases – A.D. Fafe
1-5
Benjamins
Fornelos – Colégio (2)
4-2
Traquinas
Fornelos – Colégio (2)
4-0
Traquinas
Colégio (1) - Ases
8-0
Traquinas
A.D. Fafe – Ases (B)
2-2

Nac. 2.ª Div. B: AD Fafe, 2 – AD Oliveirense, 1


Texto e fotos: João Carlos Lopes / Tiago João Lopes
.
Vitória para formação ver
.
- Camadas jovens apresentadas ao intervalo

O Fafe conseguiu nova vitória caseira e pelos mesmos números que tinha realizado frente ao Mirandela, ao vencer por 2-1 a formação da AD Oliveirense, isto no dia em que a bancada principal se encheu de vida com a presença de toda a formação do Clube, a qual foi apresentada aos sócios no intervalo deste jogo.
.
O Fafe dominou a partida desde o início até a Oliveirense marcar o seu golo, altura em que os fafenses perderam alguma da concentração que tinham tido até então no jogo. Nesse capítulo há que destacar a mexida operada por essa altura na formação da Oliveirense que jogava apenas com Zé Zé na frente e passou a jogar com dois ponta de lança.
.
A Oliveirense tentou fixar um ritmo lento na partida, algo que conseguiu até aos 24 minutos, altura em que surgiu a primeira situação de golo para o Fafe com Bobô a cabecear á figura de Vila Cova, após cruzamento de Filipe na direita. No minuto seguinte a jogada repetiu-se mas do lado esquerdo, com o cruzamento a ser feito por Carneiro.
.
Aos 29 minutos surgiu o primeiro golo. A jogada iniciou-se no meio campo com João Nogueira com este a entender-se bem com Elísio que, por sua vez cruzou para a entrada da área, onde Bruno Pereira, de primeira, rematou em arco invertido, com a bola a fugir ao guarda-redes, a bater no poste e a entrar.
.
O Fafe ganhou ânimo e aos 34 minutos Filipe cruzou para Bobô que, ao primeiro poste, cabeceou ao lado.
.
A Oliveirense teve a sua grande ocasião aos 37 minutos, com João Duarte a aproveitar um ressalto e a obrigar Ricardo a golpe de rins para canto.

.
Aos 44 foi Filipe a rematar dentro da área para boa defesa de Vila Cova.
.
O Fafe surgiu rematador também na segunda parte, com Bruno Pereira a disparar aos 53 minutos após insistência do ataque fafense.
.
Aos 56 minutos Bruno pereira novamente em acção, fez um grande jogo, a cruzar para Bobô obrigar Vila Cova a grande defesa.
.
O 2-0 surgiu aos 59 minutos. Mike recebeu passe magistral na esquerda de Elísio, e cruzou milimetricamente para o segundo poste onde apareceu Bobô a rematar de cabeça para o fundo da baliza.
.
Aos 61 minutos, novamente Bruno Pereira a cruzar para Bobô, ao primeiro poste, de calcanhar, atirar ao lado.  
.
Aos 65 minutos a Oliveirense chega ao golo de forma inesperada. Livre inofensivo na esquerda, marcado na diagonal por Cadete com a bola a sair ao primeiro poste e a apanhar Ricardo desprevenido.
.
Aos 69 minutos, Filipe, grande jogo também, cruzou ao segundo poste onde Elísio rematou de primeira mas encontrou o corpo de João Duarte pelo caminho. Aos 71, Sequeira rematou forte para Vila Cova largar e Filipe atirar por cima na recarga.
.
Aos 72 minutos, Cadete rematou de muito longe e a bola quase enganava Ricardo.
.
A oliveirense começava a acreditar que podia chegar ao golo e o Fafe acusava, nesta altura, alguma pressão.
.
Aos 87 minutos, Zé Zé e Sílvio, dentro da área do Fafe, desperdiçaram a oportunidade de empatar a partida.
.
Até ao final foi o Fafe a rematar, com Sequeira e Bobô a permitirem defesas fáceis a Vila Cova.
.
O resultado é justo mas o Fafe chegou a tremer depois do 2-1. No entanto acabou por segurar o resultado o que é sempre mais importante que qualquer exibição.  
.
Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.
.
Árbitro, Daniel Cardoso (CA Aveiro), auxiliado por João Silva e Nelson Cardoso.
.
AD FAFE: Ricardo; Mike, Zé Manel, Xavi e Carneiro; João Nogueira (Sequeira, 56), Bijou (André, 62) e Bruno Pereira; Filipe (Ferrinho, 76), Bobô e Elisío. Treinador, Agostinho Bento.
.
AD OLIVEIRENSE: Vila Cova; Nuno (Dani, 83), João Duarte, Silvio, Festas, Cadete, Vítor Vaz (Beni, 61), João Cruz, Zé Zé, Leal e Viana (Fábio, 70) . Treinador, Sérgio Rodrigues.
.
MARCADORES: Bruno Pereira, 29, Bobô, 59 e Cadete, 65.
.

Div. Honra AF Braga: Travassós, 1 - Águias da Graça, 0

Texto: João Carlos Lopes / Foto: Gil Soares  
.
Teve Graça matar o borrego com auto-golo
.
O Travassós conquistou, finalmente, a tão almejada vitória na presente temporada em que faz a sua estreina neste escalão, ao vencer a formação bracarense do Águias da Graça por uma bola a zero, no renovado Campo dos Carvalhinhos.
.
A equipa fafense, orientada por Paulinho, o máximo que tinha conseguido foram cinco empates em sete jogos e só à oitava jornada consegue chegar à vitória ainda que para isso tenha sido a equipa forasteira a marcar na própria baliza.
.
Como uma equipa só ganha se não sofrer, mais uma vez a defesa do Travassós esteve em grande plano ao não permitir qualquer golo à formação adversária. Mais uma vez o ataque não funcionou mas Deus quis que se fizesses história nos Carvalhinhos reservando a primeira vitória no novo sintético para este dia 30 de Outubro de 2011, uma data a reter.
.

Div. Honra AF Braga: Vieira SC, 3 - Arões SC, 3

Texto e fotos: Rui Silva

Pássaro fugiu duas vezes!

- Romeu bisou no jogo

A equipa do Arões 4º classificado deslocou-se a casa do Vieira 3º classificado e com a lição bem estudada, tinha como objectivo conquistar os 3 pontos. Nada melhor poderia acontecer ao Arões que aos 2 minutos num erro da defensiva do Vieira, Ângelo aproveitou para dar vantagem ao Arões. Essa vantagem aumentou aos 6 minutos, quando Romeu à vontade focou a baliza de Hélder e rematou para o 0-2.

Tudo a correr de feição para os homens de Francisco Branco. A equipa do Vieira atordoada tentou responder mas sem capacidades para atingir a baliza de Paulo Jorge. Quanto a Barroso técnico do Vieira, descontente com o que via, mexeu na equipa. E à meia hora de jogo num livre de belo efeito Café reduz par 1-2.

Para o segundo tempo esperava-se uma forte entrada do Vieira, mas uma vez mais o Arões aumentou a vantagem para dois golos, num remate à Romeu, a cerca de 40 metros desferiu um potente golpe para Hélder assistir.

Com esta nova vantagem por duas bolas os adeptos Aronenses presentes já sonhavam com uma bela vitoria … Mas Toni resfriou o entusiasmo quando aos 58 minutos e após vários ressaltos reduz para 2-3. Correcção aos 63 minutos, para a turma do Arões com entrada de Vitinha e Raimundo para o lugar de Hélder Silva e Rui Ossos. Mas foi de novo de livre que o Vieira chega de novo ao empate livre de Café sobre a esquerda, bola sobrevoa a área e ao segundo poste Khoné só teve que encostar para o 3-3.

O Vieira estava renascido e o Arões com quebras na sua estrutura. O Arões com uma pontinha de sorte ainda levava mesmo os três pontos para casa, Romeu de livre ainda enviou a bola à barra. Mas a justiça do jogo manteve o empate como resultado final.

Fica na retina o facto de por duas vezes em vantagem por duas bolas de diferença, o Arões desperdiçou a hipótese de somar 3 pontos e juntar-se ao Ronfe no 2º lugar.

Há quatro jornadas sem ganhar, o Arões recebe no próximo Sábado o AFC Martim, que juntamente com o Águias da Graça e Gerês partilham o último lugar da tabela. Certamente não será um jogo fácil, como nenhum o será até final da época, mas o Arões tem a "obrigação" de se assumir, e vencer o jogo.

Jogo no Campo Municipal de Vieira do Minho

ÁRBITRO: Renato Freitas; Auxiliares: Luís Cunha e Henrique Pizarro

VIEIRA SC: Hélder, Paulinho, Toni, Banana, Xipa, Café, Márcio (Khoné, 59), Silva (Luca, 31), Bruno, Duarte (Celder, 26), Batoca. Treinador, José Barroso.

ARÕES SC: Paulo Jorge; Hélder Silva (Vitinha, 63), Fernando Beijinhos, Bruno, João, César, Fernandez, Romeu, Pedro Rosita (Ismael, 80), Ruis Ossos (Raimundo, 63) e Ângelo. Treinador, Francisco Branco.

MARCADORES: Ângelo, 2; Romeu 6 e 52; Café, 30; Toni, 58 e Khoné,  73.
.

Campeonato Concelhio Futsal Feminino - Resultados

.
4.ª JORNADA
.
Armil, 6 – Paços, 0
.
Golães, 6 – Vasco da Gama, 1
.
Amigos de Quinchães, 3 – Regadas, 4
.
Centro Saúde Fafe, 1 – Estorãos, 5
.

1.ª Div. AF Braga: Fermilense, 0 - GD Silvares, 1

Texto: João Carlos Lopes

Golo de Fleck foi decisivo

Parece que o descanso forçado na última jornada, em que inaugurou o seu campo sintético, fez bem ao Silvares de Vítor Pacheco que foi a Fermil de Basto vencer o Fermilense, de Luís Carlos, por uma bola a zero, numa partida em que os homens da casa estão a ponderar protestar, pois consideram ter sido prejudicados pela arbitragem.

A última vitória do Silvares tinha sido em Antime e de lá para cá ainda não tinha efectuado mais nenhum jogo pelo que consegue a melhor sequência de resultados da época, sendo certo que em seis jogos acumula mais dois empates e duas derrotas, num início de época um pouco atípico mas com a condicionante de não estar a treinar e jogar no seu recinto de jogos.

O herói da partida foi Fleck que marcou o único golo do jogo, ainda no decorrer da primeira parte.

Agora caso venha a vencer o jogo relativo á sexta jornada, em casa, com o Operário de Campelos, os fafenses podem dar um pulo significativo na classificação.

Para já fica esta vitória em Basto em que os homens da casa contestam a actuação da equipa de arbitragem e dizem que esta partida "pode não acabar aqui".
.

Juvenis: Taça AF Braga: AD Fafe, 0 - Moreirense FC, 3

Texto: João Carlos Lopes
.
Ficou muito difícil

- Último jogo no relvado do n.º 2

Os juvenis da AD Fafe receberam o Moreirense Futebol Clube em jogo correspondente à primeira mão da primeira eliminatória da Taça AF de Braga, que tinha sido adiado por falta de policiamento, tendo perdido por 3-0.

A derrota dos fafenses não lhes deixa grande margem de manobra para o jogo da segunda mão a realizar em Moreira de Cónegos pois será difícil recuperar de uma desvantagem de três golos, o que não é, de todo, impossível.

Este foi, ao que tudo indica, o último jogo disputado na relva natural do Campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, se tudo correr bem deverá tem um novo figurino e um piso de relva sintética até ao final do ano, o que vem colmatar uma grande lacuna em termos de condições para a formação da AD Fafe.

Quem habitualmente acompanha os juniores e os juvenis da AD Fafe sabe que este campo já não tem as condições mínimas para a prática do futebol o que dificulta em muito o trabalho dos jogadores dentro de campo, principalmente o dos fafenses que jogam sempre em casa para ganhar e não conseguem construir o jogo que desejam.

O novo sintético do Grupo Desportivo de Silvares e as boas relações existentes entre os dois clubes deve ser o novo poiso dos fafenses nos próximos dois meses, tempo previsto para as obras e colocação do novo relvado artificial do campo n.º 2 do parque Municipal de Desportos, o qual vai ganhar comprimento e largura, ficando apenas com o lado das bancadas disponível para o público.
.

sábado, 29 de outubro de 2011

Juniores: Taça AF Braga: Vasco da Gama vence em Santa Eulália

Óscar Barros - Treinador dos
Juniores do Vasco da Gama
Texto: João Carlos Lopes / Foto: FB OB

Dar a volta e sair a cantar vitória

Depois de ter perdido em casa a primeira mão por 2-1, os Juniores do Vasco da Gama foram a Vizela vencer pelo mesmos resultado e levar o jogo para prolongamento e depois para as grandes penalidades onde venceram por 4-2, garantindo dessa forma a presença no sorteio para a segunda eliminatória da Taça AF de Braga na categoria.

Os fafenses fizeram noventa minutos fantásticos pois não acusaram o facto de entrarem na partida com um resultado desfavorável de 2-1.

A equipa orientada por Óscar Barros chegou aos 2-0 com golos de Leonel e Bruno André. Com o passar do tempo e sempre com o Vasco da Gama mais perto do terceiro golo, nada fazia prever que os da casa marcassem aos 89 minutos, levando a decisão da eliminatória para o prolongamento.

Com as equipas reduzidas a nove cada uma e depois de 90 minutos de jogo intenso, a equipa do Vasco da Gama não baixou os braços sempre na procura de resolver o jogo. O final do prolongamento chegou e com ele a lotaria das grandes penalidades, onde o Vasco marcou quatro e o Santa  Eulália falhou o terceiro e o quarto.

Acabou por ser uma vitória justa, num jogo vivido intensamente, em ambiente hostil, com duas expulsões para cada lado mas em que, no final, a vitória acabou por sorrir a quem mais fez por ela.
.
.

Futebol Popular: Fareja, 3 - S. Clemente, 0


Texto e foto: Ricardo Pereira
.
Foi preciso vestir o fato de macaco
.
O Grupo Desportivo de Fareja recebeu, em casa emprestada pelo Pardelhas, a equipa do S. Clemente a quem venceu por 3-0 mantendo-se invicto e só com vitórias no campeonato.
.
Os jogadores do Fareja entraram em campo precavidos sobre a qualidade do adversário, mas não tiveram tempo de por em prática o futebol que vem implementando nos últimos jogos, pois o S.Clemente entrou muito forte no jogo, fazendo muita pressão, e conseguia assim ganhar a batalha que se travava no meio campo, conseguindo algumas oportunidades para marcar, mas sem conseguir bater o guarda redes do Fareja.
.
Já o Fareja raramente conseguia sair em contra-ataque, e desfazer o ascendente que o S.Clemente tinha na partida. Aos 35 minutos e contra a corrente do jogo, o Fareja fez o 1-0 por Moisés.
.
Este golo veio estabilizar o jogo do Fareja, com os seus jogadores a ganharem mais confiança, a terem mais posse de bola e o S.Clemente a acusar esse golo sofrido.
.
Na segunda parte, o Fareja entrou decidido a procurar o segundo golo o mais cedo possível, evitando assim alguns sustos de última hora, conseguindo algumas jogadas feitas com entrosamento.
.
Sem estranhar, o 2-0 apareceu aos 53 minutos, por Mica. O Fareja não baixou o ritmo de jogo e aos 69, fez o 3-0, por Paulo.
.
Até final, criaram-se mais algumas oportunidades para alterar o marcador mas os guarda-redes levaram a melhor.
.
Jogo realizado no Parque de Jogos de Pardelhas, Fafe.
.
GD FAREJA  Luís; Ricardo, Barbosa, Tiago, Filipe, Bosingua, Pedro Nuno, Forte, Mica, Moisés, Maia. Suplentes utilizados: Zézito, Paulo, Cambalhota, Tiago, João Suplentes não utilizados: Marco (G.R.) e Gusto.
.
S. CLEMENTE: César; Paulo, Luís, Rui, Carlos, Vítor, Óscar, Mário, Joni, Pedro, e Carlos. Suplentes: Mário, Tiago, Carlos, Óscar, Gualter, Daniel e André.
.
MARCADORES: Moisés, Mica e Paulo.
.

Futebol Popular: Armil, 1 - Serafão, 0

Carlos Sampaio
Texto: João Carlos Lopes / Foto: T. Oliveira

Um golo e três expulsões

- Carlos Sampaio deixa o Armil e está livre

Num jogo cheio de incidências o Armil garantiu mais uma vitória no campeonato ao vencer o Serafão pela margem mínima.

O jogo até podia ter sido considerado morto não fossem três expulsões a agitá-lo, duas para o Serafão e uma para o Armil.

Por um golo se ganha e por um se perde e nesta partida bastou mesmo apenas um para decidir um vencedor. Paulo assinou esse golo e deu mais três pontos ao Armil.

De salientar que o Armil deixou de poder contar com um dos seus elementos mais proeminentes, Carlos Sampaio, que se desentendeu com o treinador e optou por abandonar o clube na última quinta-feira, mas que, nem por isso, deixa de viver e sentir o Armil pelo que deixa uma palavra de apreço aos colegas de equipa e à equipa tecnica, sendo agora um jogador livre.
. 

Futebol Popular: Marinhão, 2 - Pardelhas, 0

Texto: João Carlos Lopes

Fifi e Vasco no cerne da vitória

O Marinhão voltou a vencer ao receber o Pardelhas e aplicar-lhe uma derrota por 2-0, numa partida em que mostrou mais uma vez que esta época, pelos resultados verificados, será mais um candidato ao ceptro.

Na primeira parte registava-se uma vantagem para os da Freguesia de Moreira de Rei por uma bola a zero com o golo a ser apontado por Fifi.

No segundo tempo a única equipa de futebol popular da freguesia de Fafe não conseguiu ripostar e foram os da casa a chegar ao 2-0, desta vez por Vasco.
.

Futebol Veteranos: Avintes, 2 - UD Fafe A60, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes

Pior que a derrota são as
lesões de Braga e Luís Mário

Os Veteranos da UD Fafe A 60 não foi feliz na sua visita a Vila Nova de Gaia, onde perdeu no recinto do Avintes por 2-1, num jogo que fica marcado pelas lesões de dois dos goleadores da equipa fafense, Braga e Luís Mário, sofridas ainda nos primeiros minutos de jogo.

Os fafenses não deviam ter saído de casa para realizar este jogo, já de si a horas fora do normal, às 18, e com as consequências que acabou por ter, sendo o resultado o menos mal no meio de tudo pois este tipo de jogos tem um cariz que ultrapassa a vertente desportiva.

Ao intervalo os fafenses já perdiam por uma bola a zero e na segunda parte de nada valeu o golo apontado por Cunha pois os de Avintes, habituados àquela broa de códea dura, não facilitaram e, aproveitando alguma simpatia do árbitro conseguiram marcar mais um golo que acabou por fazer toda a diferença.
.

Futebol Popular: Ribeiros, 2 - Amigos de Quinchães, 0

Texto: Sandro Costa

Bruno bisa e resolve

Num jogo muito mal jogado, com muito poucos momentos de bom futebol, o  Ribeiros fez o resultado ainda dentro dos primeiros dez minutos, tendo vencido os Amigos de Quinchães por duas bolas a zero.
Logo aos dois minutos de jogo, Sílvio arrancou um autêntico canto com as mãos, num lançamento lateral muito forte, à qual Bruno deu seguimento com uma grande entrada, numa cabeçada forte e colocada deu vantegem ao Ribeiros.

Cinco minutos depois, Bruno aproveitou uma falha de entendimento entre o central e o guarda-redes dos Amigos, para fazer o segundo golo.

A partir daí, não mais se viu futebol de qualidade. Jogo de balão para o ar, com um normal ascendente dos Amigos de Quinchães, que não aproveitaram duas boas situações de golo ainda na primeira parte.
A segunda parte teve novamente mais jogo dos Amigos de Quinchães, mas a defesa do Ribeiros teve sempre uma boa resposta, pelo que o jogo terminaria com o 2-0.

Um jogo muito mau entre duas equipas sempre candidatas e que ocuparam os dois primeiros lugares do campeonato na última época.
De realçar que com este resultado o Ribeiros continua só com vitórias, 9 pontos, e depois da derrota da semana passada em Armil, os Amigos atrasaram-se mais na luta pelo título, tendo apenas três pontos ao fim de três jornadas.
.

Andebol- Nac. 1.ª Div.: AC Fafe, 19 – Sporting CP, 30

Luís Ferreira (Fruita)
Texto: João Carlos Lopes

Muita "Fruita" em jogo complicado

O Andebol Clube de Fafe recebeu o Sporting e perdeu com alguma naturalidade por 30-19, numa partida em que foi evidente a diferença de qualidade na finalização nos momentos cruciais da partida que os fafenses, em alguns momentos, chegaram a discutir taco a taco. Os guarda-redes das duas equipas estiveram em destaque em particular o fafense, Luís Ferreira (Fruita), que fez muitas e boas defesas, evitando que o marcador tivesse números mais elevados. Na baliza tanto com o Luís como com Pedro Sousa que entrou para defender um livre de sete metros o Fafe parece estar garantido.

A equipa orientada por Óscar Freitas entrou bem no jogo e chegou a ter uma vantagem de 3-0, conseguindo estar na frente do marcador até aos oito minutos quando vencia por 4-3 e o Sporting chegou aos 4-4. Depois o Sporting ganhou algum ascendente no marcador mas o AC Fafe conseguiu reequilibrar por volta dos 22 minutos, altura em que o marcador lhe era desfavorável por 11-9. Até ao intervalo o Sporting conseguiu ampliar a vantagem e terminar a primeira parte com um parcial de 15-11.

Logo no início da segunda parte o AC Fafe conseguiu reduzir para 12-15 mas depois uma série de precipitações e más soluções atacantes, nomeadamente em situações de um para um (avançado para guarda-redes) a não saber aproveitar o que acabava por ter o sentido inverso do esperado em termos anímicos.

Face a algum desanimo fafense, após situações de ataque falhadas, o Sporting mais calejado foi ganhando uma vantagem confortável que variou entre os três, no início da segunda parte e os 11 golos de diferença com que terminou a partida.

O AC Fafe chegou a impor respeito a este Sporting durante quase toda a primeira parte e nos minutos iniciais da segunda mas, depois, deixou-se contagiar negativamente e os erros sucederam-se, não por falta de qualidade dos seus jogadores mas sim por os níveis de concentração não estarem na máxima força e não permitirem o discernimento na hora da decisão.

Já se sabia que este era um jogo para ganhar mais experiência e que só um milagre daria a vitória aos fafenses. Contudo a equipa chegou a fazer acreditar que isso até era possível. Por outro lado, a maior consistência em termos de porte atlético do Sporting fez alguma diferença, pois o AC Fafe não tem uma equipa homogénea em termos de robustez física.

O AC Fafe tem que apostar tudo nos jogos do seu campeonato e como já se viu tem valor para ficar neste escalão, no entanto tem que o mostrar dentro de campo e manter um nível exibicional coerente do início ao final dos jogos pois nota-se alguma quebra, nomeadamente em partidas que parecem estar controladas e acabam com resultados nefastos, o que não se aplica ao jogo com o Sporting.
.

2.ª Div. AF Braga: S. Paio Vizela , 0 - Agrupamento Stª Cristina, 3

Texto: João Carlos Lopes

Carneiro que recua marca duas vezes

O Agrupamento de Santa Cristina, de Marcelo Fernandes, foi ao terreno do S. Paio de de Vizela dizer que não anda neste campeonato por ver andar os outros e vencer por 2-0.

Ao intervalo os fafenses já venciam por uma bola a zero, com um golo obtido por Leonel.

No segundo tempo e fazem jus ao ditado que diz "Carneiro que recua dá marrada duas vezes", o jogador com esse nome bisou na partida e estabeleceu o resultado final em mais uma vitória sem espinhas da equipa fafense.
.

1.ª Div. AF Braga: Águias Alvite, 3 - Antime, 1

Texto: João Carlos Lopes

Expulsão de Hélder Pinto condicionou

O Antime foi a Cabeceiras de Basto perder com o Águias de Alvite por 3-1, numa partida que chegou a estar a vencer mas que deixou tudo ir por água abaixo depois da expulsão do seu jogador Hélder Pinto.

Ao intervalo registava-se uma igualdade a zero bolas e na segunda parte os antimenses chegaram à vantagem nos primeiros minutos num golo obtido por Babo.

Os de Alvite empataram através de uma grande penalidade, seguindo-se a expulsão de Hélder Pinto e o desnorte dos antimenses que permitiram mais dois golos frente ao adversário que lhe era acessível.
.

1.ª Div. AF Braga: Pica, 2 - Pedralva, 0

Texto: João Carlos Lopes

De volta às vitórias com golos de Gomes e Malhado

O Pica recebeu e bateu a formação bracarense do Pedralva por 2-0, num jogo em que os fafenses estavam apostados em retomar o trilho da vitória após a derrota amarga em S. Cosme.

Os fafenses chegaram ao intervalo com uma igualdade sem golos mas no segundo tempo inauguraram o marcador aos 50 minutos com Gomes a marcar de cabeça e cinco minutos depois malhado puxou a culatra atrás para fazer um grande golo de fora da área.

Uma vitória que repõe a capacidade vitoriosa da equipa de Carlos Salgado que agora tem que esperar que o Brito escorregue para chegar de novo ao topo, sendo certo que a equipa de Guimarães também venceu nesta jornada no terreno do Operário de Campelos por 2-1.
.

Juniores: Nac. 2.ª Div.: AD Fafe, 3 – Trofense, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes / Tiago João Lopes

Bis de Rafa numa equipa com atitude

Os juniores da AD Fafe venceram o Grupo Desportivo Trofense por 3-1, numa partida bem conseguida, em que a equipa fafense mostrou atitude e conseguiu traduzir o seu esforço em golos.

Os fafenses entraram determinados e logo aos cinco minutos, Bertinho, que esteve muito bem em todo o jogo, esteve perto de marcar com o seu remate cruzado a sair um pouco ao lado.

Responderam os da Trofa no minuto seguinte e Sérgio Duarte atirou ao poste direito da baliza à guarda de Zé Marçal.

Aos 12 minutos Rafa deu sinal de inconformismo ao enviar uma bomba à barra da baliza trofense. Aos 19, foi Fábio a obrigar Marçal a grande defesa. Aos 21, Tozé cobrou um livre, Garcia surgiu ao segundo poste mas atirou ao lado. Aos 26 o mesmo Tozé rematou com selo de golo mas viu um homem do Trofense oferecer o corpo á bola. Aos 30, na sequência de um canto, Bertinho desviou de cabeça, sobrou para Gui que, dentro da área atirou por cima.

Aos 31 minutos o Fafe chegou ao golo. Cruzamento de Garcia pela esquerda para toque de raspão de Gui e a bola a ficar à mercê de Rafa que não perdoou com remate cruzado e colocado.

No minuto seguinte o Trofense espalhou pânico na área do Fafe mas na hora da verdade o seu homem escorregou.

Aos 38 o Trofense empatou. Depois de uma grande defesa para canto de Marçal, na sequência deste, Sérgio Duarte, de cabeça, mais alto que os centrais fafenses fez um bom golo.

No segundo tempo o Fafe criou algum perigo aos 53 minutos com Gui a atirar, de primeira, ao lado.

Aos 55 minutos o Fafe coloca-se de novo na frente. Livre cobrado por Tozé contra a barreira, com a bola voltar-lhe aos pés e da segunda a não perdoar.

Aos 59 minutos, Tozé atirou ao poste e Gui, na recarga, com a baliza aberta, fez o mesmo, perdendo-se mais um golo.
Aos 68 minutos o Fafe chega ao 3-1. Renato tinha entrado com a força toda cobrou um livre com conta, peso e medida na esquerda para uma entrada fulgurante de Rafa ao primeiro poste a fazer excelente golo.

Até final o Fafe controlou mas houve duas situações de golo para O Trofense resolvidas por Zé Marçal. A primeira aos 83 minutos a ceder canto a remate de Rui Casimiro e a segunda aos 90 a negar o golo a Tiago Dias com mais uma grande intervenção.

Jogo realizado no campo n.º 2 do Parque Municipal de Desportos, em Fafe.

Árbitro, Arnaldo Araújo (CA Vila Real), auxiliado por José Teixeira e Sérgio Correia.

AD FAFE: Zé Marçal; Ginho, Marcelo, Amaral, João Miguel, André, Tozé (Fábio, 79), Bertinho, Garcia (Renato, 65), Gui (Nelson, 84) e Rafa. Treinador, Miguel Paredes.

GD TROFENSE: Francisco; Pontes, Hugo (Zé Vaz, 56), Guilherme (Mira, 73), Chico, Fábio (Jorge Dias, 66), Rui Casimiro, Diogo, Bruno, Tiago Dias e Sérgio Duarte. Treinador, Pedro Sá.

MARCADORES: Rafa, 30 e 68; Sérgio Duarte, 38 e Tozé 55. 
.

2.ª Div. AF Braga: Regadas, 2 - Amigos de Urgeses, 2

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Futsal Concelhio - O campeonato está de volta e em novos moldes

Texto: João Carlos Lopes

Regressa a febre das
sextas e sábados à noite

O campeonato Concelhio de Futebol Popular está de volta aos Pavilhões fafenses, este ano com os jogos distribuídos pelos Pavilhões Municipal e Multiusos e arranca já esta sexta feira pelas 22 horas com o jogo que opõe o Moreira de Rei aos Dadores de Sangue, no Pavilhão Municipal.

Em relação ao campeonato da época passada desistiram cinco equipas e apareceu uma nova. A saber, Nun'Álvares, Cepanense, Golães, Rumo ao Futuro e Santa Luzia deixaram o campeonato e entrou o Revelhe que faz a sua estreia esta sexta-feira pelas 23:30, frente ao Vinhós, no Pavilhão Municipal.

O campeonato promete e o novo modelo vai manter a competição acesa até ao final da temporada.  Já se sabe que o detentor do título, o Nun'Álvares não o vai defender mas os seus jogadores estão espalhados por várias equipas com uma maior concentração no Santo Ovídio, mas há outros candidatos ao título, como o Sol Poente, o Arões e os Amigos de Fafe, podendo aparecer também uma equipa fora de série, recordando que o Fornelos também se apetrechou bem e outras equipas ajustaram os seus plantéis para melhor.


REGULAMENTO DO CAMPEONATO

PRIMEIRA FASE

O campeonato desta época de 2011/2012, será disputado com o um novo modelo de calendarização.

Foi feito um sorteio simples e puro de todas as 14 equipas que disputarão uma única série de todos contra todos. Serão realizadas 13 jornadas, onde se apurará a classificação final de 1º ao 14º lugar.

A segunda fase será também disputada pelas 14 equipas, que serão divididas em 2 séries de 7 equipas cada, e em que jogarão todos contra todos (em cada série). As equipas começarão esta fase com 50% dos pontos alcançados na 1ª fase. Apurar-se-ão para os ¼ de final as quatro primeiras equipas de cada série.

A divisão das equipas por cada uma das séries, será em função da classificação da primeira fase.

SÉRIE A (1º,3º, 5º, 7º, 9º, 11º e 13º) – 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

SÉRIE B (2º,4º, 6º, 8º, 10º, 12º e 14º) – 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17

NOTA: - Ao 1º corresponde o nº 1, ao 3º corresponde o nº. 2 e assim sucessivamente. Ao 2º corresponde o nº 11, ao 4º corresponde o nº. 12 e assim sucessivamente.

QUARTOS DE FINAL (1/4)

Estes quartos de final jogam-se em  eliminatórias directas, a duas mãos.

O emparceiramento será feito do seguinte modo:

JOGO 1 – 1º Série A / 4º Série B
JOGO 2 – 2º Série A / 3º Série B
JOGO 3 – 1º Série B / 4º Série A
JOGO 4 – 2º Série B / 3º Série A

Será declarado vencedor o clube que vencer os dois jogos ou vencer um jogo e empatar o outro. No caso de haver uma vitória para cada lado, o desempate será decidido por:

- Melhor diferença entre golos marcados e sofridos;

- Prolongamento do jogo da 2ª mão nos moldes que constam no desempate da final.

MEIAS FINAIS (1/2)

As meias-finais jogam-se em eliminatórias directas, a duas mãos.

JOGO 5 – Vencedor do jogo 1 / Vencedor do jogo 4

JOGO 6 – Vencedor do jogo 2 / Vencedor do Jogo 3

O vencedor será encontrado nos mesmos moldes que constam do desempate dos ¼ de final.


FINAL

Estes jogos da “Final” disputam-se à melhor de 3 jogos. A equipa que vencer 2 jogos é proclamada “campeão”.

Em todos os jogos desta final, terá de haver um vencedor. Em caso de igualdade no final do tempo regulamentar, haverá um prolongamento de 10 minutos dividido em 2 partes de 5 minutos cada. Em caso de subsistir a igualdade recorrer-se-à ao desempate por marcação de grandes penalidades, conforme consta do regulamento.


JOGOS DA PRIMEIRA JORNADA

28 OUT – 22:00 PM / MOREIRA DE REI - DADORES DE SANGUE

28 OUT – 23:30 PM / VINHÓS - REVELHE

29 OUT – 21:00 PM / RUMO AO FUTURO - SANTO OVÍDIO

29 OUT – 22:30 PM / SOL POENTE - ARA DO BUGIO

29 OUT – 20:30 MU / AMIGOS DE FAFE - FORNELOS

29 OUT – 22:00 MU / ARÕES - ASES S. JORGE

29 OUT – 23:30 MU / TRAVASSÓS - ARDEGÃO        ARDEGÃO
.

Andebol- Nac. 1.ª Div.: AC Fafe – Sporting CP

Texto: João Carlos Lopes

Sábado 18 horas, Pavilhão Municipal

Depois de ter jogado na terça-feira em casa com o Sporting da Horta, o AC Fafe volta a jogar em jogo respeitante à décima jornada do Nacional da 1.ª Divisão, para a recepção ao Sporting Clube de Portugal, no próximo Sábado, pelas 18:00 no Pavilhão Municipal.  

A equipa orientada por Óscar Freitas tem feito grandes progressos nos últimos jogos, apesar dos resultados não terem sido favoráveis. A equipa evoluiu e tem valor para ficar neste escalão. Basta que todos acreditem, dentro e fora do recinto do jogo, para que a corrente seja mais forte. Contra o Sporting vencer é difícil mas não é impossível.
.

Nac. 2.ª Div. B: AD Fafe – AD Oliveirense

Texto: João Carlos Lopes

Dar sequência ao último jogo  

A AD Fafe joga de novo em casa, este Domingo, pelas 15 horas, no parque Municipal de Desportos, onde receberá a equipa da AD Oliveirense, sua parceira de subida de escalão à duas temporadas atrás.

A AD Oliveirense não está tão forte como na temporada passada mas é sempre de desconfiar dos pássaros feridos pois estes podem levantar voo a qualquer altura.

O Fafe deu uma boa resposta contra o Mirandela no último jogo e se jogar, no mínimo, da mesma maneira vai sair de novo vitorioso.
.