.

.
.

domingo, 31 de agosto de 2014

Andebol: ABC venceu a 8.ª Edição do Torneio Cidade de Fafe

Texto e foto: João Carlos Lopes 

Boa prestação do AC Fafe

Ao vencer o terceiro jogo consecutivo em que bateu o Xico Andebol por 39-24, o ABC de Braga conquistou a VIII Edição do Torneio Cidade de Fafe, chegando ao fim uma maratona de seis jogos de Andebol realizados em três dias, entre sexta feira e Domingo.

Na outra partida deste terceiro dia, o AC Fafe perdeu com o Águas Santas por 39-28 em mais uma partida que serviu para os processos de maturação da equipa às ordens de José António Silva que tiveram três dias de trabalho intenso e de aprendizagem contra equipas de um escalão superior, o que obrigou os fafenses a trabalho extra mas de bom proveito. 

Apesar de ter ficado em último lugar e de não ter vencido qualquer partida o AC Fafe teve prestações muito positivas contra equipas de um campeonato superior e bem apetrechas, ficando uma nítida ideia de que o acerto com a baliza, apesar de alguma falta de eficácia já é considerável, pois nos três jogos contra adversários de maior calibre ainda conseguiu ter uma média de 24 golos marcados. Ao que tudo indica vamos ter uma equipa lutadoras e concretizadora contra as equipas do seu escalão, na 2.ª Divisão.

TODOS OS RESULTADOS

SEXTA-FEIRA 
Águas Santas, 34 - Xico Andebol, 27
AC Fafe, 26 - ABC, 34 

SÁBADO 
ABC, 26 - Águas Santas, 22
AC Fafe, 24 - Xico Andebol, 28

DOMINGO
Xico Andebol, 24 - ABC, 39
AC Fafe, 22 - Águas Santas, 32

CLASSIFICAÇÃO

1.º - ABC
2.º - Águas Santas
3.º - Xico Andebol
2.º - AC Fafe
.   

Futsal Masculino: Nasceu a equipa federada da Associação Futsal Fafe/Sol Poente


Redacção

Vão haver dérbis concelhios no futsal distrital 

É com enorme prazer e satisfação que anunciamos a criação de um novo projecto desportivo, fruto da união de esforços de duas associações que ao longo da última década têm contribuído activamente para o desenvolvimento do futsal em Fafe.

Esta nova equipa, criada para competir nas provas federadas da Associação de Futebol de Braga, nomeadamente na primeira divisão distrital de futsal sénior masculino, surge de uma parceria entre a Associação Futsal de Fafe e a Associação Sócio-Cultural Sol Poente. Estas repartirão responsabilidade e esforços para poder proporcionar aos atletas que a representam todas as condições elementares para o sucesso desportivo bem como representar condignamente a cidade e todos aqueles que apoiam este projecto tais como Câmara Municipal de Fafe e entidades patrocinadoras que tornam possível a dinamização deste projecto: TransNos, Evolution Clínica Estética, Paulo Car, COWE Store, Restaurante Fafense, DODSOLAS, Messias, entre outros que serão posteriormente e devidamente divulgados.

De salientar que esta nova equipa, apesar de representar em parte a Associação Futsal de Fafe em nada influenciará a tão bem conhecida dinamização e boa organização dos campeonatos de futsal em Fafe. Referir ainda que a Associação Futsal de Fafe criou um departamento independente destinado para acompanhar a respetiva equipa, possuindo também um orçamento próprio o qual é financiado pelas entidades patrocinadoras acima referidas.

Brevemente surgirão mais novidades sobre plantel, equipa técnica e calendarização dos jogos.
.

CN Seniores: AD Fafe, 4 - CD Cerveira, 0

Vasco Cruz festeja o 2.º golo,
fez uma grande exibição
Texto e fotos: João Carlos Lopes

Fafe foi dono e senhor do jogo


- Grande jogo de Nuninho e Vasco Cruz

Com uma entrada demolidora e ao marcar três golos em 20 minutos, a AD Fafe levou de vencida a formação do Cerveira, que tinha surpreendido o Limianos em casa na primeira jornada mas não conseguiu fazer o mesmo no Municipal de Desportos em que o Fafe foi dono e senhor durante todo o jogo. Foram utilizados sete jogadores da terra neste jogo de boa memória para os fafenses: Marçal, Xavi, Vasco Cruz, Ferrinho, João Nogueira, Zé Brochado e Fred, os dois últimos entraram no decorrer do jogo. Grandes exibições de Nuninho e Vasco Cruz na AD Fafe, num jogo em que o colectivo esteve em pleno. Este Fafe vulgarizou o Cerveira.

Com golos de Ferrinho, aos 11’, Nuninho aos 18’ e Vasco Cruz aos 20’ e mais algumas boas defesas do guardião do Alto Minho, Nuno, o Fafe ainda ficou a dever alguns mais golos ao marcador. 


A equipa do Cerveira retardou a entrada em campo no segundo tempo e na primeira jogada deu a entender que queria mudar o rumo aos acontecimentos, o que não se veio a verificar porque o Fafe continuou a ser dono e senhor do jogo. 

Na segunda parte o Fafe voltou a estar por cima. Ferrinho enviou a bola à trave mas aos 60’ Sócrates, ampliou o marcador para 4-0. E esteve perto do quinto golo aos 66’, quando Brochado cabeceou para fazer brilhar Nuno. O Fafe voltou a estar perto do golo aos 79’, mas João Nogueira deslumbrou-se atirou ao lado. 

Nota para o facto do árbitro não ter mostrado qualquer cartão neste jogo. 


.
[1.ª PARTE]

1' - Primeiro sinal de perigo para o Cerveira, com Miguel Pereira a ter a oportunidade de marcar mas a enrolar-se com a bola na área do Fafe. Pouco depois os visitantes conquistaram canto.

3' - Nuninho dirigiu a bola Sócrates, este deixou passar para João Nogueira que disparou para grande defesa de Nuno para canto.

5' - Ferrinho tentou rematar a bola saiu para Nuninho que rematou ao lado.


7' - Ferrinho isolado por Nuninho, apanhou Nuno a fazer a fazer a mancha e a defender para canto. 

11' - [GOLO 1-0] Nuninho rematou para defesa incompleta de Nuno, aparecendo Ferrinho recarregar para o primeiro golo do jogo.  

15' - Silvestre apareceu solto na cara de Nuno mas este negou-lhe o golo de forma categórica. O guarda-redes do Cerveira tem estado em foco no jogo. 

18' - [GOLO 2-0] Nuninho recebeu a bola com toda a calma entrou na área esperou que o adversário se aproximasse, olhou para a baliza e colocou-a fora do alcance do guarda-redes ao poste mais distante.

20' - [GOLO 3-0] Vasco Cruz servido por João Nogueira fuzilou autenticamente Nuno.

22' - Francisco Tobias fez duas substituições de uma assentada. Saiu Luís Goios e João Anhas, para a entrada de Hélder e Rui Ribeiro.    

23' - Fafe domina o jogo em toda a linha desde o segundo minuto de jogo.

30' - Vantagem confortável deu para o Fafe desacelerar e controlar o jogo a seu belo prazer sem qualquer reacção do Cerveira que entrou em campo mas parece ter desaparecido. Marçal tem sido mais um espectador na partida.

37' - Nuninho a recrear-se com a bola, fazendo uma vírgula ao adversário em plena área, arrancou alguns aplausos. Tem sido o jogador mais influente do Fafe nesta partida, com um golo e interferência nos outros dois.

42' - Intervenção de Marçal a punhos para desviar um cruzamento de Rui Manteigas para a área. Foi das poucas intervenções do guarda-redes do Fafe até ao momento.     

45' - Com o intervalo à porta o Fafe continua a dominar a partida depois de uma primeira parte demolidora, controlando as operações em toda a linha. Marcou três golos mas podia ter marcado mais. 



[2.ª PARTE]

46' - Cerveira atrasou o recomeço do jogo, entrando três minutos mais tarde e com toda a calma. Mas entrou com vontade, Rui Castro meteu a bola na área em João Neves mas este não conseguiu o remate. 

49' - Nuninho serviu Vasco na direita que vindo embalado rematou muito perto da trave da baliza de Nuno. 

56' - Ferrinho ganhou a bola com o peito a um defesa contrário e à saída de Nuno, tentou o chapéu mas viu a bola ser devolvida pela barra e a defensiva do Cerveira a resolver depois. 

60' - [GOLO 4-0] - Rui Herculano fez um cruzamento na esquerda para a área a bola passou por dois homens do Fafe e mais dois do Cerveira mas Sócrates estava ao segundo poste para fazer o golo. 

61' - Agostinho Bento fez sair Ferrinho para a entrada de Zé Brochado e Nuninho para a entrada de Vasco Costa. Os dois jogadores saíram sob aplausos, ambos marcaram golos mas Nuninho fez mesmo uma grande exibição.  

63' - Francisco Tobias esgotou as substituições, tirou Marco e meteu Postiga. 

66' - Cruzamento de Vasco Costa, a bola sofreu um primeiro desvio e depois, Brochado de cabeça fez brilhar Nuno com grande defesa. 

69' Agostinho Bento, esgotou as substituições ao fazer entrar Fred para o lugar de Silvestre. 

75' - Cerveira conquistou um pontapé de canto do qual nada resultou. 

76' - Vasco Costa rematou à entrada da área, com força mas ao lado. 
Grande jogo de Nuninho


79' - Vasco Costa fintou três jogadores entregou de bandeja a João Nogueira mas este acabou por atirar ao lado quando tinha tudo para o golo.  

85' - Fafe continua a dominar, com o Cerveira à espera do apito final. 


90´- Foram dados 3' de compensação.


Jogo realizado no Parque Municipal de Desportos, em Fafe.

Árbitro: Carlos Dias (AF Porto), auxiliado por Pedro Martins e Rui Eiras. 

AD FAFE: Marçal, Ricardo Fernandes, Vasco Cruz Xavi, , André, Ferrinho, Silvestre, João Nogueira, Rui Herculano, Nuninho e Sócrates. Treinador, Agostinho bento 

CD CERVEIRA: Nuno; Diogo Carvalho, Nibra, João Anhas, Carlos Gonzalez, Óscar Sá, Marco, Miguel Pereira, Rui Castro, Luís Goios e João Neves. Treinador, Francisco Tobias.
. 

Canoagem: Marta Noval é Campeã Nacional de K1 e Vice-campeã em C2

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Segundo título fugiu apenas por cinco segundos

Marta Noval não pára de surpreender e conseguiu juntar mais um título nacional e outro de vice-campeão nacional ao seu já vasto palmarés, no Campeonato Nacional de Slalom que tem decorrido este fim de semana em Melgaço.

Terminadas que estão as finais do Campeonato Nacional de Slalom e após a disputa das finais a atleta fafense Clube de Canoagem de Amora foi a mais forte em K1 e ficou a apenas a 5 segundos do primeiro em C2.

Depois das duas medalhas de bronze na Taça de Portugal de Maratonas em a canoísta fafense junta agora mais dois excelentes resultados ao seu currículum, terminando a temporada em grande. 
.

Andebol - Torneio Cidade de Fafe: Resultados do 2.º Dia

Texto e foto: João Carlos Lopes

AC Fafe voltou a dar boas indicações

Realizou-se este Sábado a segunda jornada do Torneio Cidade de Fafe em Andebol com mais dois jogos de grande valor a opor as quatro equipas, que jogarão todas entre si até este Domingo, quando se realizar a terceira e última jornada. 

ABC 26 - AGUAS SANTAS 22

No primeiro jogo o ABC venceu o Águas Santas por 26-22 numa partida que perdia ao intervalo por 10 -12. O Aguas Santas andou sempre na frente até o quarto de hora final, altura em que o ABC passou para a frente e venceu o jogo.

ACF 24 - XICO ANDEBOL 28. 

Na segunda partida do dia o AC Fafe perdeu com o Xico Andebol por 24-28 com um parcial ao intervalo de 10-15 favorável aos vimaranenses. 

O AC Fafe melhorou da primeira para a segunda parte a quando venceu por um parcial de 14-13. Aliás a equipa de José António Silva voltou a demonstrar que apesar da sua juventude tem capacidade para fazer um grande campeonato da 2.ª Divisão. Todas as indicações vão nesse sentido. 

O AC Fafe esteve a perder por 3-7 e conseguiu virar o resultado para 10-7, o que ase veio a desequilibrar apenas nos últimos 10 minutos da primeira parte, num total colapso dos fafenses, o Xico Andebol fez um parcial de 8-0, passando de um desfavorável 10-7 para um favorável 10-15 que se verificava ao intervalo.

O treinador fafense rectificou algumas coisa no tempo de descanso e na segunda parte a equipa deu outra resposta mais condizente com o seu valor e com aquilo que o treinador pretende para quando começar a temporada. 


PRORGAMA DOS JOGOS  E RESULTADOS

SEXTA-FEIRA 
Águas Santas, 34 - Xico Andebol, 27
AC Fafe, 26 - ABC, 34 

SÁBADO 
ABC, 26 - Águas Santas, 22
AC Fafe, 24 - Xico Andebol, 28

DOMINGO
16:00 HORAS | Xico Andebol - ABC
17:30 HORAS | AC Fafe - Águas Santas
.

Jogo-treino: GD Silvares, 1 - UD Lomba, 1

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Exibição foi melhor que o resultado 


O GD Silvares recebeu o União Desportiva da Lomba, formação que viajou de Amarante para fazer o primeiro teste à equipa de PH na pré-temporada, tendo-se registado um empate a uma bola no Campo Professor Manuel José Dias, numa partida que deu boas indicações ao técnico que se estreia nos campeonatos distritais, bem como alguns dos seus jogadores. 

O técnico PH escalonou dois onzes mais ou menos equilibrados para este jogo tendo feito alinhar na primeira parte: Júlio; Gualter, Costa, Moura, Rafa, Landinho, Papoila, César, Ratão, Celso e Carlos.

Neste período a equipa de Amarante marcou na sequência de um pontapé de canto.

Na segunda parte jogaram: Nuno Preto; Ferreira, Nuno Freitas, Castro, Flávio, Óscar, Freitas, Jorge, Ratão, Celso e Mike.


Na segunda o Silvares chegou ao golo da igualdade através de Mike na transformação de um livre directo.

O Silvares dominou o jogo na primeira parte e num dos três lances que foram à sua baliza os visitantes marcaram de canto por uma desatenção da equipa da casa, em que os jogadores adormeceram.

Na segunda parte o Silvares entrou ainda mais forte e nos primeiros 10 minutos Mike já tinha enviado duas bolas ao poste e uma à barra mas aos 15 minutos fez golo de livre directo sem hipótese para o guarda-redes redes e aos 25 Celso enviou mais uma bola à barra, tudo lances que mostravam a superioridade da equipa silvarense.


Segundo o treinador da equipa de Silvares, não é fácil por uma equipa a jogar quando quase todos os jogadores jogam juntos pela primeira vez mas a e exibição foi melhor que o resultado. acho que o plantel ficou fechado, a não ser que apareça um jogador que faça a diferença", disse


PLANTEL DO GD SILVARES 2014/2015

GUARDA-REDES: Júlio e Nuno Preto

DEFESAS: Ferreira, Nuno, Costa, Castro, Gualter, Flávio, Rafa e Marco Moura. 

MÉDIOS: Óscar, Papoila, Russo, César, Jorge, Landinho e Ferruge. 

AVANÇADOS: Celso, Mike, Teixeira, Stucka, Ratão e Carlos. 

TREINADOR: Philip Cunha (PH)

TREINADOR ADJUNTO/PREP. FÍSICO: Prof. Diogo Oliveira

TREINADOR GUARDA-REDES: Nuno Gonçalves
.

GD Travassós apresentou-se e já vence em bom ambiente



Texto e fotos: João Carlos Lopes

Reina a confiança e boa disposição

O GD Travassós fez a apresentação do seu plantel com vista ao Campeonato da Divisão de Honra da AF Braga e misturando veterania com juventude ainda conseguiu um bom lote de jogadores, capazes de fazer uma época tranquila, sem ambições de maior, e com o intuito de estabilizar a equipa desportiva e financeiramente, depois da mesma ter estado na iminência de não existir esta época. 

Para se ter uma ideia do que é este Travassos o jogador mais velho da equipa é António com 39 anos, logo seguido de Fernandes com 38 e o mais novo é Luís Durães, com apenas 18 e que ainda recentemente esteve na apresentação da equipa de juniores da AD Fafe. Um jogador extremamente experiente com passagens por muitos clubes, entre os quais o Arões SC e mais recentemente o CD Ponte onde foi capitão e campeão distrital da 1.ª Divisão e outro jovem que abraça agora o seu primeiro clube sénior mas ainda com idade de júnior. 

Principalmente pelo a vontade dos jogadores mais velhos, António, Fernandes e Lapinha, entre outros, dá para antever que este Travassós vai ter um bom ambiente no balneário pois pelo que conhecemos destes atletas vão ter a facilidade de contagiar e cativar o resto do plantel, numa situação que reverterá sempre em favor do grupo e que, com o tempo, poderá vir a dar os seus frutos. É gente que tem o futebol na “guelra” e que faz dele um motivo de alegria.

De resto é notória a satisfação por o clube prosseguir nos campeonatos distritais e de ter feito uma equipa razoável em tão curto espaço de tempo.  

António

ANTÓNIO (JOGADOR MAIS VELHO, 39 ANOS)

Falamos com o jogador mais velho do plantel, António que nos disse: 

“Prometi a mim mesmo que enquanto tivesse forças queria continuar a jogar e assim vai acontecer. Estou super motivado depois de uma época em que fui campeão e ganhei quase tudo o que havia para ganhar a nível distrital na 1.ª Divisão ao serviço do CD Ponte. 

Esta é uma nova aventura. Um clube diferente, com outras condições e que passou por uma fase menos boa mas quer reerguer-se e estamos aqui preparados para ajudar de todas as maneiras que for possível. 

Depois de ter passado pelo Arões esta é mais uma aventura em Fafe em que espero ser feliz. É um grupo que reúne experiência e malta jovem com muitos miúdos que subiram dos juniores do Clube. Pelo que temos visto ao longo dos anos, muitas vezes não é preciso ter uma grande equipa mas sim um grande grupo e nota-se que já somos, sem dúvida, uma verdadeira família. 

Já tinha assinado pelo Selho, embora o Travassós tivesse sido dos primeiros clubes a abordar-me. Vim para aqui porque me senti importante em fazer parte de um Clube que tem história como o GD Travassós. Outros dos motivos que me fez vir para aqui prende-se com o facto de terem vindo também muitos jogadores que eu conheço de Guimarães que é a minha terra. Penso que vai ser um bom ano para o Travassós e se conseguirmos os nossos objectivos o Clube fica a ganhar e muito. 

A avaliar pela experiência que tenho há aqueles objectivos que guardamos só para nós no balneário. Pelos jogadores que temos, sabemos perfeitamente que mesmo sendo uma equipa feita “em cima do joelho” parece-me ter capacidade para fazer um campeonato tranquilo. Depois, logo se vê, muitas vezes a força como começamos dita como terminados. Este é um campeonato longo com muita rivalidade, onde há muitas equipas de Fafe. Agora tudo vai entrar em jogos, desde quem se apetrechou melhor ao factor sorte, no entanto tenho a certeza que vamos fazer um bom campeonato e repensar semana a semana quais serão os objectivos do Clube”.


Luís Durães
LUÍS DURÃES (JOGADOR MAIS NOVO 18 ANOS)

Falamos também com o jogador mais novo, Luís Durães (18 anos) 

“Sinto-me bem aqui no Travassós a quem agradeço desde já por me ter dado esta oportunidade, a qual considero ser boa para mim. Estou ciente que vou entrar num campeonato em que o que conta mais é a experiência e no qual vamos aprender com os erros. Só no final da temporada é que poderei dizer se esta troca dos Juniores do Fafe pelo Travassós foi realmente benéfica para mim. Estou plenamente confiante que vou aprender muito com os guarda-redes mais velhos que o Clube tem. Vim para este Clube porque tive que fazer as minhas escolhas e optei desta forma. Sinto-me perfeitamente integrado porque há aqui muita gente nova e alguns jogadores que já conhecia e que já tinha jogado com eles, nas camadas jovens dos Ases e do Fafe. Espero que no final da épocas nos possamos sentir todos felizes com o trabalho realizado individualmente e principalmente colectivo”. 


Meirim (esq.) e Paulo Soares (dir)
PAULO SOARES (TREINADOR DO GD TRAVASSÓS)

“O início desta época foi um pouco assustadora no início e tínhamos uma noção quase já certa que a equipa não ia avançar neste escalão. Em todo o caso por insistência de algumas pessoas, nas quais me incluo escrevemos a equipa na AF Braga e fomos aguardando melhores condições, as quais surgiram porque felizmente José Fernandes assumiu os destinos do Clube. Então, em pouco mais de dois dias conseguimos reunir este plantel e considero que estamos minimamente preparados. 

Estou ciente que vamos sentir dificuldade inicialmente mas tenho a certeza que reunimos, principalmente, um grupo de homens que nos vai ajudar a fazer um campeonato tranquilo. Esta é uma mescla de veterania e juventude. Temos connosco todos os juniores do Clube que subiram a seniores e temos também jogadores com mais experiência que os vai ajudar a ter uma integração mais fácil no futebol regional pois vêm de um campeonato completamente diferente para que a progressão dos jovens seja maior e mais rápida.

A nossa primeira ambição é fazer um campeonato tranquilo mas ainda temos o plantel aberto e com outras condições. Recentemente recebemos o Filipe Gonça que saiu do Porto D’Ave e o qual aproveitamos e outras situações idênticas podem surgir. 

O objectivo principal é estabilizar em termos financeiros e o Clube pagar aquilo que deve. Desportivamente se apontarmos para meio da tabela fazemos um campeonato tranquilo. O Travassós não é de modo algum candidato à subida porque não nos preparamos para isso. Esta é uma equipa de recurso mas que tivemos sorte, com a ajuda de duas pessoas, nas contratações que ainda conseguimos fazer. O fundamental é mesmo termos uma equipa de homens. 

Tive convites de outras equipas. Antes de vir para o Travassós tinha quase tudo acertado com um Clube do Pró-Nacional, entretanto a direcção desse clube mudou e tudo acabou por se alterar. Contudo surgiu depois um convite desta divisão agradável mas o presidente José Fernandes assumiu aqui e como lhe dei a minha palavra não volto atrás. Esta é a sexta época que estou no Travassós e já começa a pesar emocionalmente, depois tenho uma grande amizade com muitas pessoas deste clube, nomeadamente com o presidente. Fui eu que lhe liguei a dizer-lhe para continuar e quando ele o fez eu não hesitei em dizer-lhe que sim, que treinava a equipa.” 


PLANTEL DO GD TRAVASSÓS 2014/2015

GUARDA-REDES: ToZé (ex-GD Serzedelo), Pedro (ex-Selho), Luís Durães (ex-Júnior AD Fafe) e Luís Silva (ex-Júnior GD Travassós)

DEFESAS: Tiago Costa (ex-Arões SC), Calicas, Marco Silva (ex-Júnior GD Travassós), Samu (ex-Júnior AD Fafe), Luís Miguel (ex-Júnior GD Travassós) e Diogo (ex-Ponte)

MÉDIOS: Filipe Gonça (ex-Porto D’Ave), Fernandes (ex-ACD Pica), Bruno (ex-Júnior GD Travassós), Gil (ex-GD Travassós), Rui Freitas (ex-Júnior GD Travassós), António (ex-Ponte), Lapinha (ex-Taipas), Paulinho (ex-Ponte) e Carioca.

AVANÇADOS: Paulo César (ex-Ponte), Nuno Gonça (sem Clube), Rubem (ex-Júnior GD Travassós) e Miguel (ex-Júnior GD Travassós). 

EQUIPA TÉCNICA: Paulo Soares (Treinador) e Meirim Pacheco e Cédric Antunes (Adjuntos).

PRESIDENTE: José Fernandes

DESPARTAMENTO MÉDICO: Dr. Rodrigues e Mário João (Fisioterapeuta). 

TÉCNICO DE EQUIPAMENTOS: Paulinho
.

sábado, 30 de agosto de 2014

Jogo-treino: OFC Antime, 2 - GCD Regadas, 1

Texto: João Carlos Lopes / Foto (arquivo): DR 

Dérbi serviu as duas partes 

O OFC Antime recebeu, em jogo-treino o GCD Regadas, equipa do mesmo escalão e que vai defrontar oficialmente esta temporada, tendo vencido por 2-1, numa boa partida que serviu para os dois treinadores, Carlos Salgado e Sérgio Pereira, respectivamente, acertaram as agulhas para a época que se aproxima a passos largos. 

Começou melhor a equipa do Antime com Jonas a inaugurar o marcador aos 18 minutos. O Regadas haveria de empatar através de Nuno, aos 41 minutos. Foi já na segunda parte, aos 76 minutos, que Ventura fez o golo da vitória para os antimenses.

Foi uma partida interessante entre um Antime que foi superior numa partida jogada com respeito e correcção, a um Regadas que sabe o que quer, nunca vira a cara à luta, e que jogou essencialmente para tentar anular o favoritismo dos antimenses. 

Os treinadores aproveitam sempre para utilizar todos os jogadores nestas partidas e tirar as devidas conclusões. Estes jogos valem o que valem, pois não há taças nem pontos em disputa, ainda que ninguém goste de os perder, por norma saem todos a ganhar quando os objectivos dos mesmos são alcançados. 


Jogo realizado no parque de Jogos de Antime

Árbitro: Pedro costa, auxiliado por Júlio Moura e João Castro.

OFC ANTIME: Bruno; Vítor Beijinhos, Oliveira, Salgado, Serginho, Lobo, Miguel, Samu, Jonas, Leo e Castanha. Jogaram ainda: Rui, Neves, Gustavo, Ventura, Pedro Ismael, Raul, Patocas, Martinho e Armando. Treinador, Carlos Salgado. 

GCD REGADAS: Ferreira; Rui, Silva, Tiago, Diogo, Pauleta, Sobrança, Quim, Milo, Nuno e Luís. Jogaram ainda: Marco André, Russo, Julien, Gomes e Flávio. Treinador, Sérgio Pereira.
.

Juniores – Nac. Da 2.ª Divisão: SC Vianense, 1 – AD Fafe, 1

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Fafenses perderam dois pontos

- Alguns erros cometidos e falta de eficácia 

- João sentiu-se mal e teve de sair  

Os juniores da AD Fafe estrearam-se com um empate a uma bola em Viana do Castelo, numa partida que deixou um sabor agridoce e em que os fafenses saíram com a sensação de ter perdido dois pontos em vez de terem conquistado um. 
 
A equipa entrou com algum nervosismo natural de início de campeonato, mas destemida. Logo aos sete minutos Zé Pedro luta pela bola entre a defensiva do vianense, esta sobrou para Zé Miguel que finalizou para o primeiro golo do jogo. 

Aos 16’ para azar da equipa fafense porque que até então estava bem no jogo, João teve que sair pois sentiu-se mal, com muita dificuldade em respirar. Ivo Castro fez entrar Nuno para o Lugar dele.

A equipa fafense procurou o segundo golo embora o último passe não estivesse a "entrar.

Aos 32’, o Fafe teve um remate cruzado fora de área de em que Ricardo rematou para a bola rasar o poste quando o guarda-redes do Vianense estava batido.

A equipa do Fafe baixou de intensidade e começou a perder algumas bolas no meio campo, mas ainda assim sem perigo para a baliza fafense. 

A última jogada de perigo para a baliza do Vianense surgiu num ataque rápido efectuado na linha com finalização de Lousada mas sem a devida concretização.

O treinador do vianense fez três substituições ao intervalo. Mas a equipa fafense até começa bem a segunda parte. Logo aos 49 minutos uma triangulação na linha entre Nuno, Lousada e Zé Miguel com este a rematar por cima da baliza.

Aos 53’ após uma infantilidade da defensiva fafense, uma má abordagem ao lance e a fazer penalti para a equipa do vianense, numa das poucas vezes que a equipa conseguiu chegar até á baliza do Fafe, deu o golo do empate para a equipa da casa.

A equipa fafense teve uma boa reacção ao golo e procurou de imediato voltar a estar na frente do marcador. Aos 56’, um cruzamento de Ricardo e Zé Pedro nas altura a finalizar de cabeça por cima da baliza.

Aos 61’ um livre a entrada da área com Lousada, num remate colocado, a levar a bola a raspar na barra vianense. Depois, aos 64 mais um rasgo de Zé Miguel nas costas dos centrais a rematar forte para a defesa do guardião de Viana.

Por volta dos 75’ o Vianense dispôs de um livre frontal, do qual saiu um remate perigoso com a bola a bater no chão, para defesa difícil de Gonçalo. 

Aos 76’, Ivo Castro fez sair Norberto para a entrada de Carvalho.

Num acto de displicência após a marcação de um canto para o Vianese, no ressalto a bola sobrou para o atacante da casa, onde toda a defensiva do Fafe pára a pedir fora de jogo, mas o remate saiu por cima e poderia ter sido um golo contra a corrente do jogo para o vianense.

Aos 80’ saiu Zé Miguel para a entrada de Scolari e aos 83’, houve mais uma situação escusada. Silva, central, da equipa fafense, após mau domínio de bola escorregou, a bola sobrou para o avançado do vianense que ia isolado e Silva agarrou-o com tudo e viu o cartão vermelho directo. 

Depois da expulsão surgiram oportunidades para os dois lados. Aos 87’, um avançado do Vianense foi expulso com duplo amarelo.

No penúltimo lance do jogo, um desentendimento entre a defensiva fafense, isolou o avançado do vianense para uma defesa enorme do guarda-redes do Fafe. 

No último lance do jogo Scolari lutou até ao fim e ganhou canto. O mesmo foi batido, mas houve um corte da defesa do vianense e depois surgiu o apito final.

Houve aspectos positivos na equipa fafense é certo. Mas como é natural ainda há muitas coisas por trabalhar. Contudo, dada a superioridade da equipa fafense fica a ideia que não foi um ponto conquistado mas sim dois perdidos.
.

Fafense Tomané marca em mais um triunfo do Vitória SC

Texto: João Carlos Lopes / Foto DR 

Segundo golo de cabeça em três jogos do campeonato 

O avançado fafense Tomané, que se encontra ao serviço do Vitória de Guimarães, contribuiu para mais um triunfo importante dos vitorianos ao marcar o segundo golo, apontado aos 38 minutos, na vitória esclarecedora no Restelo por 3-0, frente ao Belenenses.

Depois de ter apontado um golo de cabeça no D. Afonso Henriques diante do Penafiel, o jogador voltou a mostrar credenciais ao fazer novamente um golo da mesma forma.

É o segundo golo em três jogos no campeonato que surge depois da convocatória por Rui Jorge para a Selecção de Sub-21.

O Vitória de Guimarães fez o pleno com três vitórias em três jogos do campeonato tendo as mesmas o carimbo deste promissor avançado fafense que conta apenas com 21 anos.
.


Jogo de apresentação: ACD Pica, 2 - FC Mondinense, 3

Texto e fotos: João Carlos Lopes 

Houve mais Pica na segunda parte

- Fazer um campeonato para o primeiro terço da tabela 

Numa partida apitada pelo Árbitro da I liga Jorge Ferreira, a ACD Pica recebeu o Mondinense FC no jogo de apresentação aos associados e não pôde contar com todos os jogadores pois alguns ainda se encontram de férias, tendo perdido por 3-2, mas dado uma boa imagem daquilo que pode vir a fazer no campeonato, como ficou demonstrado na segunda parte desta partida.

No primeiro quarto de hora o árbitro fafense teve algum excesso de profissionalismo ao expulsar Raul da partida, o que deixou o Pica a jogar com menos um elemento, frente a um conjunto de Mondim muito bem organizado, já com outro ritmo que os fafenses ainda não atingiram e com bons jogadores. 

O técnico fafense, Marcelo Fernandes, privado de alguns atletas baralhou a equipa e com o critério que bem entendeu meteu um conjunto menos agressivo na primeira parte e outro mais experiente na segunda e mais vocacionado para o ataque na segunda, utilizando todos os atletas disponíveis ao longo do jogo. 

Neste período e face à vantagem numérica a equipa de Mondim ganhou alguma superioridade e conseguiu chegar ao intervalo a vencer por 3-0, o que penalizava fortemente o Pica. 

Na segunda parte o Pica surgiu mais afoito e diminuiu a vantagem num golo fantasma que terá iludido o auxiliar de Jorge Ferreira, pois na cabeçada de Edu a bola bateu no poste e saiu ao contrário do que foi assinalado. 

Com alguma dinâmica na frente de ataque composta por Brinca, Feirinha e Pedro Mendes o Pica ganhou asas e criou algum perigo junto da baliza de Mondim mas as oportunidades iam-se perdendo. Até que surgiu o 2-3 com Feirinha a emendar á boca da baliza. Edu ainda fez o golo do empate mas o auxiliar considerou que foi Feirinha a emendar a bola já em posição de fora de jogo. 

No final Marcelo Fernandes considerou ter sido um bom jogo e assumiu que o Pica não é candidato e apenas vai lutar para andar no primeiro terço da tabela, com o presidente Francisco Oliveira a afinar pelo mesmo diapasão mas a não descartar uma oportunidade que possa surgir. Ambos estão contentes com os jogadores que o Pica conseguiu reunir esta temporada. 

Declarações do técnico e do presidente da ACD Pica, dadas em exclusivo, para ler na próxima edição do Jornal Notícias de Fafe.

PALNTEL DA ACD PICA 2014/2015

RENOVAÇÕES: Marçal, Davide, Miguel, Tiago, Joel, Àlvaro, Catita, Edu, Raul, Feirinha, rafa e Brinca. 

AQUISIÇÕES: Ricky, Rui Abreu, André, Rafa e Toninho (todos ex-GD Travassós), André Daniel (ex-Campelos), Samu (ex-Armil Futsal), Petit (ex-Emilianos FC), Pedro Mendes (ex-GD Silvares, Laureano (ex-Águias da Graça) e Gusto (ex-Amigos de Quinchães). 

EQUIPA TÉCNICA: Marcelo Fernandes (Treinador) e Ismael Sousa e Carlos Casagrande (Adjuntos)

PRESIDENTE: Francisco Oliveira

DEPARTAMENTO FUTEBOL: António Cunha

MASSAGISTA: Carlos Piairo. 

TÉCNICOS DE EQUIPAMENTOS: Cândido e Joaquim

Andebol - Torneio Cidade de Fafe: Resultados do 1.º Dia


Texto e fotos: João Carlos Lopes 

AC Fafe está no caminho para o sucesso 

Está cumprido o primeiro dia da VIII  edição do Torneio Cidade de Fafe em Andebol, com a realização dos dois primeiros de seis jogos a realizar entre Sexta-feira e Domingo e que conta com a participação do AC Fafe, Xico Andebol, Águas Santas e ABC. 

No jogo de abertura do torneio o Águas Santas bateu o Xico de Holanda por 34-27. São duas equipas que vão actuar na 1.ª Divisão, sendo verdade que a equipa da Maia luta sempre pelos primeiros lugares e os vimaranenses regressaram este ano ao escalão principal do andebol, verificando-se algumas diferenças naturais entre as duas equipas o que não quer dizer que seja tão evidente quando jogarem para o campeonato. 

No segundo jogo, aquele que levou mais adeptos ao Pavilhão Municipal, o AC Fafe perdeu com o ABC por 26-34, um resultado que não revela os grandes momentos de equilíbrio que o jogo teve. Aliás os fafenses tiveram uma grande atitude na partida, jogando com alguma fluidez e pecando somente no capítulo da finalização, não for falta de remates mas sim de afinação na pontaria. Para que se tenha uma ideia, o intervalo chegou com um parcial de 11-17 para o ABC mas o AC Fafe falhou dois livres de sete metros e enviou pelo menos três bolas aos postes. 

Na segunda parte a equipa fafense manteve a mesma atitude e conseguiu aproximar-se várias vezes no marcador tendo reduzido a diferença de sete golos ao intervalo para quatro aos 42 minutos. A mesma diferença ainda permanecia aos 50 minutos e a cinco minutos do final da partida o ABC vencia apenas por cinco golos, 24-29. Mais uma vez a diferença estava na eficácia do remate e não na falta dele e na ânsia de reduzir a diferença no marcador esta veio a acentuar-se nos minutos finais com o ABC a chegar aos oito golo de vantagem, 26-34, o que não traduz o que se passou ao longo da partida. 

Ao bater-se como se bateu com o ABC, que tem outros recursos e luta todos os anos pelo título da primeira divisão, o AC Fafe, com muita juventude, mostrou que está no bom caminho para trilhar uma época com sucesso na 2.ª Divisão. Vai ser preciso dar tempo a estes jogadores novos e acima de tudo confiar nas suas capacidades e no trabalho do treinador. Nesta partida deram muito boas indicações, com boa circulação de bola e várias soluções para alvejar a baliza. Cometer erros nesta fase é mais que natural pois é com eles que vão aprender. 

O técnico fafense, José António Silva, utilizou dois guarda-redes, Miguel Marinho e Hugo Fernandes mas também tinha ao seu dispor João santos e fez rodar todos os jogadores e campo disponíveis: Armando Pinto, Cláudio Mota, José Santos, César Gonçalves, Nuno Pimenta, João Castilho, Sérgio Ribeiro, Vladimiro Pires, Mário Pereira, João Freitas, Luís Pereira, Vítor Ribeiro, Nuno Pinheiro e João Fernandes. Eduardo Sampaio ainda continua em processo de consolidação da recuperação da lesão sofrida na última época para que possa estar em perfeitas condições no início do campeonato, treinando-se com os restantes colegas mas sem forçar muito por enquanto.
      

PRORGAMA DOS JOGOS  E RESULTADOS

SEXTA-FEIRA 
Águas Santas, 34 - Xico Andebol, 27
AC Fafe, 26 - ABC, 34 

SÁBADO 
16 HORAS | ABC - Águas Santas
18 HORAS | AC Fafe - Xico Andebol

DOMINGO
16 HORAS | Xico Andebol - ABC
18 HORAS | AC Fafe - Águas Santas
.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Fafense Tomané foi convocado para a Selecção de Sub-21

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Confirmação do bom momento do jogador

Tomané, avançado fafense, ao serviço do Vitória de Guimarães, é um dos 24 convocados por Rui Jorge, seleccionar nacional da Selecção Sub-21, para o jogo com a Macedónia, marcado para dia 23, em Scópia, partida que poderá qualificar Portugal para o «play-off» de acesso à fase final do Europeu de 2015. 

É uma convocatória que vem confirmar o bom momento do avançado fafense que tem sido titular ao serviço do Vitória de Guimarães e uma das primeiras opções na equipa de Rui Vitória. É um atleta que se movimenta bem na área e que tem um bom jogo de cabeça. De recordar que o vitória de Guimarães é actualmente o segundo classificado da I Liga portuguesa.

LISTA DE CONVOCADOS


Guarda-redes: Bruno Varela (Benfica), Daniel Fernandes (Osnabruck) e José Sá (Marítimo).

Defesas: João Amorim (V. Guimarães), Luís Martins (Gil Vicente), Miguel Rodrigues (Nacional), Paulo Oliveira (V. Guimarães), Raphael Guerreiro (Lorient) e Rúben Vezo (Valencia).

Médios: André Gomes (Benfica), Tó Zé (FC Porto), Bernardo Silva (Benfica), João Mário (V. Setúbal), Luís Gustavo (Rio Ave), Rony Lopes (Manchester City), Ricardo Horta (V. Setúbal), Rúben Pinto (Benfica) e Sérgio Oliveira (P. Ferreira).

Avançados: Tomané (V. Guimarães), Carlos Mané (Sporting), Gonçalo Paciência (FC Porto), Ricardo (FC Porto) e Ricardo Esgaio (Sporting).
.

Formação da ACD Pica está a crescer a olhos vistos

Texto e fotos: João Carlos Lopes 

Juniores já trabalham com afinco  

A ACD Pica está a fazer uma aposta forte na sua formação e este ano deu mais um passo em frente ao federar na Associação de Futebol de Braga, uma equipa de Infantis e outra de Juniores.

Ademar Freitas e José Vicente são os responsáveis pela formação do Clube que quer aproveitar as excelentes condições de que dispõem, nomeadamente o relvado sintético e os balneários para proporcionarem, essencialmente aos jovens das freguesias de S. Gens e Quinchães a pratica desportiva, se possível federada. De todos os escalões para os quais abriram captação, para já, só não vai existir equipa de Benjamins.

Segundo estes responsáveis os custos para manter a formação são elevados, nomeadamente com a equipa de juniores cujas inscrições ascendem a cerca de 120 euros por atleta, uma vez que na sua maioria são transferências. Para tal contam com o apoio dos patrocinadores L.Clerc e Pirotécnia Simães. O restante será suportado pelo Clube com a preciosa ajuda das Juntas de Freguesia de S. Gens e Quinchães, principalmente no que concerne a transportes.

As atenções vão estar sobretudo viradas para a formação de juniores, a qual será treinada por Pedro Freitas e Pedro “Barroso”. Para este escalão apareceram inicialmente 44 atletas, o que levou a que fosse feita uma triagem que por acaso deu para aliar a preferência a jogadores da terra à qualidade pretendida. Este é o primeiro ano que o Pica tem juniores federados e segundo Pedro Freitas vão tentar fazer o melhor possível, melhorando de jogo para jogo. Também é verdade que teve que construir uma equipa de raiz pois não havia antecedentes a este nível. O critério de selecção dos atletas passou por arranjar dois jogadores para cada posição. 

Uma coisa o treinador garante, dignificar ao máximo o nome da instituição e se possível juntar a isso a alegria das vitórias. Isto porque o técnico acredita no valor da equipa que lhe foi confiada. 

Os treinadores da formação da ACD Pica são: Pedro Freitas e Pedro “Barroso” (Juniores); Álvaro Ferreira (Infantis); David Pereira (Sub-13); Tiago Costa (Traquinas). 

Pedro Freitas é o treinador dos
 Juniores da ACD PICA


Plantel dos juniores da ACD PICA 

GUARDA-REDES 

Luís Rodrigues (ex-Vasco da Gama)

Peixinho (ex-Amigos de Quinchães)

José Carlos (ex-Amigos de Quinchães)

DEFESAS

Diogo André – (ACD Pica)

Francisco (Vasco da Gama)

Hugo Gonçalves (Sem clube)

Toni Rodrigues (ex-Vasco da Gama)

Ezequiel Castro (ex-AD Fafe) 

Vasco Machado (ACD Pica)

Pedro Cunha (ACD Pica)

Gabriel Martins (ex-Amigos de Quinchães)

MÉDIOS

Jorge monteiro (Ex-Ases S. Jorge)

Duarte (ex-AD Fafe)

Tiago Rodrigues (ex-ACD Pica)

Francisco Gonçalves (ex-Arões SC)

Carlitos (ex-AD Fafe) 

Bruno – (Sem clube)

AVANÇADOS 

Tiago Pereira (ex-Vasco da Gama)

Xavi Ferreira (ex-Amigos de Quinchães)

Ricardo Cunha (ex-Vasco da Gama)

César Ribeiro (ex-Amigos de Quinchães)

Rui Alves (ACD Pica)

Miguel Carvalho (ex-Vasco da Gama)


EQUIPA TÉCNICA

Pedro Freitas (Treinador) 

Pedro “Barroso” (Adjunto)
.

AD Fafe: Declarações de Ivo Castro na apresentação do plantel Júnior

Texto e foto: João Carlos Lopes 

“A competição é que vai trazer a maturidade”

Ivo Castro é o treinador da equipa dos Juniores e o coordenador de toda a formação da AD Fafe. Sobre o jogo que a sua equipa empatou na apresentação aos associados adiantou à nossa reportagem: “tivemos algum domínio e posse de bola em superioridade ao Famalicão mas falhámos bastante na parte da finalização, se calhar fruto da imaturidade de alguns dos elementos. Neste início da temporada já estamos com alguns dos princípios inseridos, mas a competição em si é que vai trazer essa maturidade.” 

Sobre a matéria-prima que tem à sua disposição esta temporada referiu “os atletas têm muita vontade. Acreditam na formação que fizerem e que têm capacidade para corresponder às expectativas que são criadas à volta do Clube em si e da imagem que já tem neste Campeonato. Vamos ver o que vai suceder, estamos a trabalhar bem e vamos pensar em conquistar os três pontos de cada vez.” 

Questionado se já tem um onze estipulado afirmou que “nesta altura já formamos um onze no nosso pensamento. Se não o tivéssemos feito seria complicado. Temos tido dores de cabeça, o que é positivo, pois em alguns sectores os jogadores têm-se batido muito bem a nível de treinos e tem correspondido às exigências que lhe são pedidas, mas só a competição dará certezas.” 

Confrontado se escondeu o jogo dos possíveis adversários nesta apresentação retorquiu: “nesta partida de apresentação e sempre procuro preservar o que é a nossa táctica e dentro das nossas limitações vamos tentar fazer o melhor paras o clube. O Famalicão desceu na temporada passada mas já vi equipas adversárias a observar, situação que nós também já fazemos em relação aos nossos adversários directos, não sendo o caso do Famalicão que desceu aos distritais na temporada passada. Cada um vai jogando com as armas que tem.” 

Sobre os juvenis que têm treinado nos juniores afirmou: “temos vindo a treinar com quatro jogadores dos juvenis, os quais participaram no jogo de apresentação. Vamos ver se se mantêm agora no início ou se regressam mais tarde. Havendo capacidade para se manterem nos juniores vão fazê-lo, não havendo vão ajudar a equipa de juvenis que também tem os seus objectivos.” 

Confrontado com as eventuais dificuldades que se lhe deparam foi pragmático: “Clube como o Fafe em que não existe orçamento para contratação de jogadores em juniores, muito pelo contrário, noutros clubes alguns jogadores já recebem ao transferirem-se, temos que nos limitar ao que temos e vamos lutar jogo a jogo. Nunca é fácil mas é aliciante.” 

Sobre os adversários da AD Fafe salientou, “conheço os nossos adversários, as suas capacidades e dificuldades e vamos também conhecendo as nossas dificuldades e lutar por aquilo que conseguirmos fazer.” 

O técnico dos juniores faz um apelo importante. “Mais do que nunca precisamos do apoio do público fafense. Estes são atletas jovens que têm as suas capacidades, com ainda algumas dificuldades e maturidade de jogo. Se o público ajudar vai ser tudo muito mais fácil. Temos apenas seis jogadores de segundo ano na equipa e ainda corremos o risco de perder um ou outro elemento devido ao factor universidade. Estão a aguardar ainda para saberem as universidades em que serão colocados.”

Em resumo e sobre o defeso salientou: “os jogos de pré-época dizem que a equipa precisa de maturidade. A inconstância vista em resultados revelou que tanto fazem grandes jogos como de repente se vão abaixo. Isso é fruto da idade, da imaturidade e talvez da falta de campeonatos mais competitivos na formação abaixo deste escalão. Apesar de terem estado no topo a nível distrital, os campeonatos nacionais são os que fazem desenvolver mais os atletas. A imagem das nossas equipas e do próprio clube é ter equipas combativas e isso é algo que não se negoceia com os atletas, exigisse-lhes.”
.