.

.
.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Golfe P&P: Espírito Santo começa a época a vencer

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Francisca Alves venceu em "Net"

Começou, no último fim de semana, a época do Ranking Pitch&Put (P&P) da Federação Portuguesa de Golfe realizada no complexo Desportivo de Rilhadas, em Fafe, com o hexacampeão Hugo Espírito Santo a mostrar credenciais, ainda que reconheça estar com falta de ritmo competitivo.  

O Campo encontrava-se em excelentes condições e as "Pin Positions" muito difíceis. Hugo Espírito Santo, treinador e Professor no Clube de Golfe de Rilhadas (CGR) venceu a prova com um agregado de (+1), uma pancada acima do par após 36 buracos, seguido do jogador Diogo Gambini da Quinta das Lágrimas, Coimbra, com +4 e em terceiro Arnaldo Paredes. Em "Net" venceu a pupila do Clube de Golfe de Rilhadas, Francisca Alves. 

Em jeito de rescaldo, Hugo Espírito Santo disse, "bati bem na bola, mas ainda cometi alguns erros por falta de ritmo competitivo. Um dos objectivos deste ano será revalidar o titulo pela 7.ª vez consecutiva no Ranking da FPG e o Campeonato Absoluto P&P.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Futsal 1.ª Div. AF Braga: AST Santo Tirso, 1 - A.F.Fafe/Sol Poente, 3

Texto e foto (arquivo): Ricardo Jorge Castro

Lobos somam oitava vitória seguida 

A Associação Futsal Fafe/Sol Poente (AFFSP) continua na senda das vitórias e voltou a somar mais três pontos no campeonato. Desta feita, a equipa de José Magalhães venceu em Santo Tirso por três bolas a uma, continua firme nos primeiros lugares da tabela, com oito vitórias seguidas em outros tantos jogos.

Os golos da formação fafense foram apontados por Carlos, Bruno Sousa e Fonseca. 

A AFFSP está no 3.º lugar, com 45 pontos (19 jogos) e igualou o 2.º, o Nogueiró e Tenões, que tem menos dois jogos. O Lordelo está apenas um ponto acima na liderança, com 46, também ao cabo de 19 partidas.

Na próxima jornada, os 'lobos' voltam a jogar fora, no reduto do Espinho Ativo.


Treinador do Anadia jogou com o Rui Costa na AD Fafe em 1990/91

Fernando é o sexto na fila de baixo a
conta da esquerda para a direita 
Texto e foto: João Carlos Lopes  

“Foi um prazer enorme vir a uma casa em que já joguei”

O treinador do Anadia FC, Fernando Pereira, é um antigo jogador da equipa da AD Fafe, Clube que representou na época de 1990/91, na mesma equipa de Rui Costa e Agostinho Bento, na altura treinado pelo técnico fafense António Valença. 

Foi o próprio treinador de 47 anos, a fazer o reconhecimento na fotografia que estava na sala de troféus da AD Fafe, quando confrontado por um colaborador do Clube para o efeito. 

Antes de começar a prestar declarações do jogo frente ao Fafe o treinador do Anadia FC disse: “foi um prazer enorme vir a uma casa em que já joguei, onde fui sempre bem tratado, aliás o Agostinho foi meu colega, grande homem e grande treinador.”

Juvenis - 2.ª Div. AF Braga: OFC Antime, 2 - CD Ponte, 1 (Acrobático)

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Capitão Vítor mostrou como se faz! 

Os juvenis do OFC Antime receberam o CD Ponte a quem venceram por 2-1, mas estiveram em desvantagem na partida. A equipa de Zé do Salto mostrou garra e atitude e isso valeu-lhe a vitória.   

Na primeira parte o Antime teve mais oportunidades enquanto o Ponte só criava perigo de bola parada ou de contra-ataque, tendo o golo dos visitantes sido de livre numa jogada irregular que foi não assinalada pelo árbitro auxiliar. 

Na segunda parte o Antime atacou mais, tendo o Ponte parecido mais desleixado. Os Operário chegaram ao empate num remate de ressaca de João Fernandes, bem colocado, sem hipóteses para o guardião. 

Animado com o golo do empate, o Antime foi atrás da vitória e conseguiu obtê-la na sequência de um canto, em que Vítor fuzilou num remate acrobático após muita confusão na área. 

O ponte terminou com nove jogadores tendo um deles sido expulso por fazer uma falta e tirar as caneleiras quando ia ser substituído. 

OFC ANTIME: Vaz; Ruizinho, Paulo, André, Ferreira, Vítor(c), Silva, Cigas (Rocha), David (Miguel), Zé Pedro (Paulinho) e João Fernandes. Suplentes: Condeço, Bruno, Paulo, Paulinho, Miguel, Rocha e Tony. Treinador, Zé do Salto.

Juniores - 2.ª Div. Nac. Fase Subida: GD Chaves, 2 - AD Fafe, 2 (Pontinho)

Texto e foto (arquivo): João Carlos Lopes

Vitória esteve do lado do Fafe

Numa tarde de Sábado de muito frio e vento os juniores da AD Fafe foram ao difícil terreno do Desportivo de Chaves conquistar o primeiro ponto da fase de subida, ao empatarem a duas bolas depois de terem perdido em casa com o Padroense por uma bola a zero. 

Ivo Castro apresentou uma equipa titular com alterações devido a algumas ausências por importantes por lesão.

O primeiro sinal de perigo foi para a equipa da casa que aos 7', num ataque rápido do meio para a direita fez um cruzamento mas Costa, atento, cortou o lance, o Chaves insistiu mas o remate saiu ao lado.

O Fafe chegou ao golo aos 15'. Kevin recuperou a bola driblou o central e quando se preparava para o remate foi derrubado dentro da área. o árbitro marca penalti mas poupou o infractor da expulsão. Muna cobrou a grande penalidade sem hipóteses para o guardião flaviense. 

A equipa da casa tentou reagir aos 18', mas num cruzamento venenoso, Norberto fez um corte crucial sobre pressão do seu opositor, insistiu o Chaves mas Nuno limpou o lance de vez.

O segundo golo dos fafenses chegou aos 28'. Norberto fez um passe para Lousada que tabelou com Muna e este tirou um cruzamento rasteiro para corte da defesa do chaves para canto. Muna marcou o canto, cortou a defensiva da casa mas insistiu o Fafe através de Kevin que, inspirado, driblou dois adversários e, num cruzamento rasteiro, assistiu Korta que apareceu no meio dos defensores do Chaves a encostar para o 0-2.

Os flavienses reagiram e aos 37', num lançamento longo para perto da baliza fafense, surgiu um avançado no meio da defesa fafense a desviar para o 1-2.

Logo no inicio da segunda parte, aos 50', o Chaves empatou o jogo através de um cruzamento, em que o extremo se antecipou à defesa fafense e finalizou de cabeça.

O Fafe ainda coloca a bola dentro da baliza do Chaves, aos 60', através de Tiago, mas o árbitro assistente invalidou o golo, por suposto fora de jogo, perante os protestos dos adeptos presentes. 

AD FAFE: Gonçalo; Norberto (Chico, 75'), Costa, Tiago, Ricardo, Flávio, Muna (Rui, 68'), Lousada, Nuno Kevin (Miguel, 88') e Korta. Treinador, Ivo Castro.

Futsal 1.ª Div. AF Braga: AD Caldinhas, 3 - Grupo Nun'Álvares, 9

Texto e foto (arquivo): João Carlos Lopes 

Hugo Lemos fez um hat-trick

Os seniores do Grupo Nun'Álvares deslocaram-se a Santo Tirso onde defrontaram e golearam a AD Caldinhas por 9-3, numa partida em que Hugo Lemos esteve em particular destaque ao fazer um hat-trick, estreando-se a marcar da melhor forma no campeonato desta temporada . 

O GNA entrou forte no jogo e chegou à vantagem de 0-2, com dois golos de Hugo Lemos, controlando o jogo mas acabou por sofrer o 1-2 a dois segundos do final da primeira parte. 

Na segunda parte os fafenses voltaram a entrar fortes com Rui Pedro a bisar e elevar a contenda para 1-4, Luís Paulo fez o 1-5 e Laureta o 1-6. O sétimo foi de Hugo Lemos que assim fez hat-trick. Tiago Nogueira fez o oitavo golo dos fafenses e Laureta bisou ao fazer o nono. A equipa da casa ainda reduziu para 3-9 ao marcar os dois últimos golos da partida. 

Apesar do resultado na primeira parte demonstrar equilíbrio este foi um jogo de sentido único em que os fafenses depois de abrirem o livro fartaram-se de contar histórias aos "meninos" do Colégio.   

DECLARAÇÕES 

Hugo Lemos, autor de três golos no jogo 

"Estou muito feliz pela vitória conseguida neste sábado, foi muito importante para a equipa, que mesmo não tendo as melhores primeiras partes com muitas ocasiões de golo não concretizadas, conseguimos mostrar o valor do Nun'Álvares no segundo tempo e assim conseguir os tão desejados três pontos. Também foi um dia muito especial para mim, já que me estreei com golos só agora na segunda volta do campeonato mas da melhor forma possível marcando logo três golos num só jogo. Isto não seria possível sem o fantástico grupo que temos, todo o trabalho foi recompensado. Um obrigado ao mister Hugo pelo voto de confiança ao lançar-me na equipa inicial."


Rafa, guarda-redes do GNA

"Foi uma vitória importante, mas difícil, pois apesar da diferença no marcador o adversário, principalmente na primeira, parte criou-nos muitas dificuldades. Na segunda parte, sabíamos que tínhamos de resolver o jogo cedo, entrámos muito fortes e fizemos uma etapa de muita qualidade. Entramos agora na fase decisiva da época, pois temos uma série de jogos complicados para o campeonato e a meia final da taça, mas vamos trabalhar bem para estarmos preparados pois temos objectivo de vencer as duas provas."

Declarações de Fernando Pereira, treinador do Anadia FC, no jogo com o Fafe

Texto e foto: João Carlos Lopes 


"Podíamos ter conquistado um ponto"

“Foi um jogo bem disputado, em que defrontamos uma grande equipa que já vem de um trabalho longo do treinador, que tem processos bem assimilados dentro dos momentos do jogo, muito experiente. Na primeira parte o Anadia poderia e deveria ter feito mais mas a estratégia passava por isso, aguentar e retardar ao máximo o jogo ofensivo do Fafe e anular os seus pontos fortes. Não fomos felizes e sofremos o golo nos momentos finais da primeira parte. Fomos para o intervalo a perder, é verdade que o Fafe teve mais volume ofensivo mas penso que o resultado se ajustava com um nulo. Na segunda parte, após algumas alterações na equipa, penso que reagimos bem e fomos mais a equipa que costumamos ser, em termos de assumir o jogo e não ter vergonha e estou contente com aquilo que fizemos na segunda parte e penso que por isso podíamos ter conquistado um ponto. Esta equipa está a crescer muito num campeonato exigente, em que lutamos com armas diferentes mas vamos continuar a ser sérios e honestos, dignificando ao máximo a camisola que vestimos.”

Futsal - Infantis AF Braga: Nun'Álvares, 2 - Juni, 2


Texto e foto: BML

Duas equipas a querer ganhar 

A equipa de infantis do Grupo Nun'Álvares recebeu a equipa do Juni, tendo o jogo terminado com um empate a duas bolas. 

o início do jogo foi dividido, mas aos 6 minutos Tiago isola Rui Pedro, que rematou ao poste, mas aproveitou que a bola ressaltou para si e fez o primeiro golo dos condestáveis. Aos 9 minutos a equipa visitante chega ao empate, na cobrança de uma grande penalidade. Até ao intervalos, apesar dos fafenses estarem mais ativos na procura do golo, o empate manteve-se. 

Na segunda parte o Nun'Álvares partiu para cima do adversário em busca do golo da vitória, mas a falta de eficácia e a grande exibição do guardião contrário, foram adiando o golo, que chegou aos 39 minutos, por Zé Carlos. Após assistência de Rui Pedro, Zé Carlos rematou para a baliza, tendo feito um golo de belo efeito. Foi um golo merecido, visto que os nunalvaristas tudo tinham feito para merecer o golo, mas numa incrível desatenção o Juni chegou ao empate no minuto seguinte, com o autor do golo a fintar toda a equipa da casa. 

Os jogadores do Nun'Álvares sentiram o golo sofrido e foram atrás do golo da vitória, mas jogaram com muito coração e pouca cabeça, cometendo erros e dando espaço ao adversário, que também teve oportunidades de golo e o apito final chegou com o empate a dois golos. 

Na próxima semana o Nun'Álvares desloca-se a casa do Vila Nova de Sande, ultimo classificado. O jogo realiza-se no domingo às 17:00.

NUN'ÁLVARES: Tiago, Zé Carlos, Rúben e Rui Pedro (C). Jogaram ainda Rafa, Cristiano, Teresa e Guilherme. TREINADORES: Luís Barros, Nuno Barbosa e Nuno Miguel Barbosa.

Declarações de Zé Diogo que marcou golo da vitória da AD Fafe frente ao Anadia

Texto e foto: João Carlos Lopes 

"Aproveitamos ao máximo as oportunidades que tivemos"

“É sempre bom regressar aos golos, é sinal que o meu trabalho semanal está a ser bem feito, este deu-nos uma vitória importante e estamos em igualdade pontual com o Estarreja no primeiro lugar e é assim que queremos continuar, lá em cima, que é o nosso objectivo para subir de divisão. Costuma-se dizer que mais vale tarde que nunca e são os golos que nos colocam lá em cima. Sabemos que há partes fundamentais num jogo para marcar e nós aproveitamos ao máximo as oportunidades que tivemos, a terminar as duas etapas da partida. As condições do campo, o ambiente e a responsabilidade de jogar em casa não nos permitiram exibir ao mesmo nível que o fizemos em Vizela, que jogou à nossa imagem pois gosta de atacar, ao contrário do Anadia se preocupou mais em não sofrer do que em causar dificuldades ao Fafe e daí a diferença dos dois jogos. Estamos todos focados na subida, ainda que saibamos que é um objectivo difícil pois há muitas equipas a pensar no mesmo mas penso que temos condições para o conseguir”.

Declarações de Agostinho Bento (treinador AD Fafe) na vitória sobre o Anadia

Texto e foto: João Carlos Lopes 

"Para o Anadia esta partida era uma autêntica final"


“Esperamos sempre jogos difíceis, esperando simplifica-los. Sabíamos que para o Anadia esta partida era uma autêntica final pois se perdessem, ficavam arredados do sonho e ilusão de subida e agora a sete pontos dos primeiros terá muitas dificuldades de o atingir. Apesar do adversário ter feito deste jogo o tudo ou nada e nos ter criado algumas dificuldades, a vitória é justa, e só peca pelo golo da diferença aparecer na fase final da partida. Foi uma vitória do querer, coração e dedicação, talvez depois do golo do adversário não muito bem jogado na nossa parte mas penso que a vitória assenta à equipa que mais fez por isso. Estranho que a equipa adversária tenha vindo jogar para o empate quando sabia que um ponto teoricamente não lhe servia para nada”.

CPP - Fase Subida: AD Fafe, 2 - Anadia FC, 1


Texto e fotos: João Carlos Lopes

Zé Diogo resolveu nos descontos 

O Fafe venceu o Anadia por 2-1, num jogo em que o resultado foi melhor que a exibição mas que valeu aquilo que mais importava, os três pontos. 

Depois de uma parte sem grande brio o Fafe conseguiu beneficiar de um erro defensivo para chegar ao golo de vantagem já em tempo de compensação, por Marquinhos. 

Na segunda parte a equipa fafense não conseguiu tirar proveito da vantagem e foi o Anadia, numa bola parada a chegar à igualdade, com Pires a aparecer no segundo poste a encostar para o golo, num lance que Marçal diz que a bola não entrou.

Já em tempo de compensação e quando o Fafe parecia estar sem ideias, Landinho picou a bola para a área onde Zé Diogo apareceu solto a fazer o 2-1.


1.ª PARTE

1' - Canto para o Fafe, bateu Silvestre, Ferrinho em remate acrobático, ao segundo poste, atirou ao lado

2' - Remate de Landinho à entrada da área, bateu num adversário e sobrou para Gama.   

3' - Ressalto de bola a sobrar para Pires, progrediu alguns metros e optou pelo remate que saiu à figura de Marçal.

3' - Canto para o Fafe, bateu João Nogueira, Gama socou a bola, Silvestre ainda marcou golo mas estava fora de jogo. 

6' - Anadia quase a gelar o estádio do Fafe com remate de Marc~, na área e na diagonal, para defesa apertada de Marçal que largou a bola e sobrou para Marc que de cabeça atirou á figura.

8' - Canto para o Fafe, bateu Silvestre, sacudiu bem a defesa do Anadia.

11' - Canto para o Fafe, bateu Silvestre, Gama resolveu a punhos. 

15' - Anadia conseguiu encaixar no jogo do Fafe.

17 - Canto para o Fafe, bateu Silvestre, Allan cabeceou ao segundo poste saiu por cima da baliza. 

19' - Depois de um bom lance iniciado em Vasco Cruz, em que Silvestre não conseguiu rematar de primeira, um mau atraso do defensor adversário quase oferecia o golo a Allan que em esforço não conseguiu bater Gama. 


21' -  Canto para o Fafe, bateu Silvestre, falhou o Jorge Gonçalves e depois o Xavi o cabeceamento. 

26' - Fafe sem muita agressividade no ataque, defesa do Aanadia a resolver, ainda que ceda alguns pontapés de canto. 

28'- Livre lado direito, bateu Silvestre, cortou Pires para o quinto canto do Fafe. 

32' - Cartão amarelo para Mauro, Anadia. 

33' - Remate de jeito de Silvestre com intenção ao segundo poste mas saiu um pouco ao lado. 

35' - Canto, lado direito, bateu Marquinhos, muito largo sem efeito prático.


37' - Jorge Gonçalves ganhou o sexto canto do Fafe, de que nada resultou. 

40' - Tentativa de remate de João Nogueira à entrada da área com a bola a esbarrar num defesa e a desviar-se para longe. 

42' - Décimo canto para o Fafe, bateu Silvestre, Allan veio de trás para rematar mas a bola bateu no muro defensivo forasteiro. 


45'+1 - [GOOOOLO MARQUINHOS 1-0] Livre lado esquerdo, bateu Landinho para a área, a bola saiu fraca foi devolvida para a área pelo mesmo jogador, houve um mau alívio do defesa do Anadia Rodolfo que deu mal na bola e esta sobrou para Marquinhos marcar.

2.ª PARTE 

46' - Saiu Tojó e entrou Rui André no Anadia, Fafe manteve o onze inicial. 

46' - Allan conseguiu ganhar espaço e cruzou ao segundo poste onde Jorge Gonçalves, apesar do esforço, não conseguiu chegar. 


47' - Remate enrolado de Marc para Marçal defender a dois tempos.   

50' - Livre para o Anadia, ainda longe da área, bateu André para a área, cortou Vasco Cruz de cabeça.

51' - Livre perto da área, na lateral, marcou João Nogueira, cortou defesa do Anadia que podia sair em contra-ataque mas não conseguiu.

52' - Ferrinho servido por Allan, já na área, com pouco ângulo a rematar por cima da trave. 

56' - Remate sem preparação de Rui André de longe, com Marçal a desviar para o primeiro canto do jogo do Anadia, do qual nada resultou.

58' - Saiu Mauro e entrou Derick no Anadia. 

63' - [GOOOOLO PIRES 1-1] Dois cantos consecutivos para o Anadia. No segundo, apontado por André, Pires ao segundo poste encostou para o golo, mas Marçal ficou a berrar que a bola não entrou e por isso levou amarelo. O golo foi validado pelo árbitro auxiliar.         
67' - Fafe acusou o golo e não tem conseguido reagir.    


67' - Saiu João Nogueira e entrou Willams no Fafe.

70' - Remate em jeito de Silvestre na área, saiu ao lado. 


71' - Fafe dá sinais de reacção mas tem-no feito sem convicção. 

73' - Canto para o Anadia bateu André, sobrou para Hugo, ao segundo poste atirou ao lado quando podia ter feito muito melhor.

74' - Saiu Marquinhos e entrou Zé Diogo no Fafe.  

76' - Mais um erro do Anadia que podia custar caro, pois a bola sobrou para Jorge Gonçalves que rematou mas valeu um contrário a ceder canto. 

78' - Contra-ataque do Anadia, Marc não levantou os olhos pois tinha um colega a abrir, optou pelo remate que saiu fácil para Marçal. 

79' - Canto para o Fafe, resolveu a defensiva contrária. 

80' - Bola bem metida por Willams ao se segundo poste onde Jorge Gonçalves dominou mas perdeu espaço para o remate. ´

81' - Saiu Marc e entrou Taka no Anadia.

85' - Fafe sem conseguir criar perigo e a deixar adeptos impacientes. 

87' - Má abordagem de Xavi permitiu um ataque do Anadia que resultou em canto. 

89' - Faltam ideias ao Fafe. 

90+2' [GOOOLO ZÉ DIOGO 1-2] Silvestre picou a bola para a área a isolar Zé Diogo que só com Gama pela frente não desperdiçou e levou os adeptos ao delírio. 


 


LANÇAMENTO DO JOGO

O Fafe recebe o Anadia FC, numa partida entre opostos, com os fafenses a ocuparem o primeiro lugar e o Anadia a transportar a lanterna vermelha. A equipa da zona centro marcou um golo se sofreu três em duas partidas e vem de uma derrota em casa com o Bragança por 1-2. Já o Fafe está moralizado pela vitória por 2-0 alcançada em Vizela na jornada anterior. Do primeiro ao sexto lugar as equipas estão apenas separadas por um ponto pelo que a vitória tanto é importante para o Fafe que tem quatro pontos como para o Anadia que tem zero e se perder hoje fica sem moral para pensar no que quer que seja nesta fase em que há vários candidatos assumidos.

Jogo no parque Municipal de Desportos em Fafe. 

Árbitro, Rui Mendes, auxiliado por Adriano Sousa e Afonso Silveira (AF Santarém). 

AD FAFE: Marçal; Vasco Cruz, André, Xavi, Ferrinho, Silvestre, João Nogueira (Willams, 67'), Marquinhos (Zé Diogo, 74'), Jorge Gonçalves (Ricardo Fernandes, 90+3'), Allan Júnior e Marquinhos. Treinador, Agostinho Bento. 

ANADIA FC: Gama; Bruno, Tojó (Rui André, 46'), Aranha, Mauro (Derick, 58') Marc (Taka, 81'), André, branco, Rodolfo, Pires e Hugo. Treinador, Vítor Gouveia.  

DISCIPLINA: cartão amarelo - Mauro, 32'; Bruno, 33', Silvestre, 61', e Marçal, 63'. 

GOLOS: Marquinhos, 45+1'; Pires, 63' e Zé Diogo, 90+2'.

CPP - Fase Manu./Descida: Arões SC, 1 - CD Trofense, 2

Texto e fotos: Ricardo Jorge Castro

Contra-ataque foi fatal

O Arões sofreu a primeira derrota na fase de manutenção do Campeonato de Portugal. A equipa de Luís Miguel Barros perdeu por duas bolas a uma com o Trofense, num jogo em que os contra-ataques foram fatais para a equipa aronense.

Após o nulo que espelhou uma primeira parte a meio campo e com poucas oportunidades, o Trofense entrou com eficácia na segunda parte e abriu o ativo aos 47 minutos, por Zé Domingos e ampliou por Pisco a meio da segunda parte.

A equipa aronense teve dificuldade na reação, cresceu com as substituições, mas faltou mais acutilância no ataque. Zézé ainda reduziu de grande penalidade, num golo insuficiente para evitar a derrota dos da casa.

A equipa de Vítor Oliveira somou os primeiros três pontos na fase de manutenção.

1.ª PARTE:

6' - Cruzamento de Miguel e Zé Domingos a cabecear sem oposição. A bola saiu pouco ao lado.

15' - Primeiro quarto de hora muito disputado a meio campo e sem claras ocasiões de golo. O Trofense está a conseguir melhor troca de bola e o Arões com dificuldades em chegar à área do guarda-redes Russo.

16' - Cruzamento de Serginho a sair longo para o desvio de Zé Domingos.

18' - Canto de Hugo Dias, a defensiva do Trofense afastou e na sequência, Zé Fernandes bateu para a frente e Hugo Dias, em posição regular e de caminho para a baliza, viu o lance ser anulado por alegado fora-de-jogo.

22' - Agostinho colocou na pequena área em força e Zézé quase encostou. Do lance surgiu um canto do qual nada resultou.

23' - Grande ocasião para o Trofense! Zé Domingos ganhou posição pela direita, cruzou rasteiro, Hugo Dias não conseguiu o corte, mas Simões falhou um desvio quase certo para golo.

27' - Novo canto para o Arões. Pato bateu e Zé Pedro, sem marcação, errou por muito o alvo.
31' - Arões a conquistar dois cantos consecutivos, mas sem conseguir aproveitar. Está melhor o conjunto de Luís Miguel nesta altura.

37' - Rony a tentar o golo de meia distância. A bola saiu desenquadrada com a baliza.
44' - Mais um canto para o Arões, o sexto, resolvido pela defensiva do Trofense.

2.ª PARTE 


Equipas regressam sem alterações nos onzes iniciais.

47' - [GOOOOLO 0-1 ZÉ DOMINGOS] - Contra-ataque rápido do Trofense pela direita, Ricardinho colocou na área e Zé Domingos a desviar para o fundo da baliza ao segundo poste.

49' - Serginho colocou na área e depois Miguel recebeu o passe para a entrada da área e rematou pouco ao lado.

50' - Que perdida! Zézé recebeu a bola na área com o peito e remtou de primeira na pequena área, mas a bola saiu ao lado. Muito perto o empate.

54' - Hugo Dias! Livre do lateral-direito do Arões a passar do lado de fora da malha lateral. Gritou-se golo na bancada, em vão.

59' - Pedro colocou a bola na área e Chuca cortou para canto a meias com a cabeça e o braço. O árbitro, sem atender aos protestos aronenses, não assinalou grande penalidade.

60' - Jogo parado para assistência a Zé Fernandes.

63' - [GOOOOLO 0-2 PISCO] - novo contra-ataque da turma visitante, Serginho driblou Hugo Dias pelo flanco esquerdo, cruzou para a área e Pisco desviou de primeira. A bola saiu enrolada e frouxa, mas colocada o suficiente para trair o movimento contrário de Zé Fernandes.

65' - Duas substituições de uma assentada no Arões. Saem Emanuel e João Dias, entram André e Miguel. Pato recuou para o centro da defesa e André e Miguel estão nas alas, no apoio a Zézé.

68' - Sai Zé Domingos, entra Sané (Trofense).

69' - Canto de Pato e Zé Pedro a cabecear pouco por cima.

71' - Sai Pedro, entra Gutti (Arões).

73' - Livre de Pato para a área, corta a defesa do Trofense. Arões com dificuldade em reagir aos golos sofridos.

74' - Cruzamento de Barbosa e Faria a cortar a bola que seguia para André. Na sequência, Zézé cruzou para Miguel e o lance perdeu-se pela linha de fundo.

75' - Amarelo a Zé Fernandes. Derrubou Serginho já fora da área.

76' - Livre de Serginho e Zé Fernandes a defender o cabeceamento de Pisco.


77' - Amarelo a Miguel (Trofense).

78' - Grande penalidade para o Arões. Hugo Dias cruzou e Faria tocou com a mão.

78' - [GOOOOLO 1-2 ZÉZÉ] - grande penalidade batida com êxito pelo avançado aronense. Relança o jogo.

81' - Sai Serginho e entra Gael (Trofense).

83' - Novo canto para o Arões, Russo a afastar a punhos.

84' - Sai Ricardinho e entra André Gomes (Trofense).

86' - Amarelo a Tiago e Simões (Trofense).

87' - Livre de Pato, encaixa Russo.

89' - Rony a cortar a bola na hora certa. O cruzamento de André seguia para Zézé.

90' - Russo a negar o golo a Pato. O livre seguia direto à baliza, junto ao canto superior.

90+2' - Dois cantos para o Arões, sem resultados práticos.

90+3' - Livre de Hugo Dias para a área, Rony cortou, Gutti colocou na área e a bola saiu pela linha de fundo.

90+4' - Cartão amarelo a Russo.

.

Arões e Trofense defrontam-se esta tarde, em jogo da 3.ª jornada da fase de manutenção/descida da Série B do Campeonato de Portugal Prio.

Nos dois primeiros jogos desta segunda fase, a equipa aronense venceu em casa o Torcatense (1-0) e empatou a duas bolas em São Martinho, estando neste momento em 5.º lugar com 13 pontos fruto do empate de ontem do Torcatense ante a Oliveirense, no jogo inaugural da jornada. As equipas partem em igualdade pontual para o jogo, dado que o Trofense também soma 13 pontos, estando no 6.º lugar da tabela, sem no entanto ter somado qualquer ponto nesta fase até ao momento. Após a derrota (5-3) na Póvoa de Varzim, a equipa de Vítor Oliveira perdeu em casa com o Mondinense (0-1).

As equipas estão prontas a entrar no relvado. O jogo começa dentro de minutos.


Jogo realizado no Parque Desportivo de Arões, Vila de Arões São Romão, Fafe.

Árbitro: Fernando Lhano, auxiliado por Carlos Sá Carneiro e Pedro Gonçalves (AF Bragança).

ARÕES SC: Zé Fernandes, Hugo Dias, Zé Pedro, Emanuel, Zezinho (cap.), Pato, Barbosa, João Dias, Agostinho, Pedro, Zézé. Treinador: Luís Miguel Barros.


CD TROFENSE: Russo, Rony, Ricardinho, Faria, Pisco, Simões, Chuca, Miguel, Tiago, Serginho, Zé Domingos. Treinador: Vítor Oliveira.

Futsal - Torneio interassocioações: Braga na final four com golos de Telma e Leninha

Texto: João Carlos Lopes 

Telma fez um hat-trick em jogo visto pelo Selecionador nacional 


A Selecção Distrital de Braga apurou-se para a final four do Torneio Interassociações de Futsal de Feminino em Sub 19, depois de ter derrotado a congénere de Viseu por 4-0, com golos de Telma que fez um hat-trick e Leninha. 

A fase zonal já terminou, tendo-se apurado da Zona Norte as equipas de Braga e Porto, que curiosamente eram do mesmo grupo inicial que agora vão discutir a vitória na competição com as vencedoras da zona sul, numa final a quatro. 

Recorde-se que no primeiro jogo Braga venceu Vla real por 5-4 e empatou com com o Porto a uma bola. 

Selecção Distrital de Braga, vencia por uma bola a zero ao intervalo e na segunda parte as portuenses chegaram à igualdade 

A selecção de Braga conta com as fafenses do Grupo Nun'Álvares, Catinha, Joana Melo, Leninha, Marta e Telma. 

Estiveram presentes neste jogo os selecionadores nacionais Jorge Braz e Luís Conceição, dos Seniores Masculinos e Femininos respectivamente.

As seleções das Associações de Futebol de Braga, do Porto, de Leiria e de Lisboa garantiram um lugar na discussão do título, que terá lugar no fim-de-semana de 5 e 6 de março, no pavilhão municipal de Montemor-o-Velho e cujos jogos das meias-finais já estão definidos: Braga - Leiria e Lisboa - Porto.

Andebol - 1.ª Div. Nac. Fase Desc./Man.: AC Fafe, 28 - ADA ISMAI, 29 (Final dramático)

Texto e fotos: João Carlos Lopes 

2.ª parte abaixo da 1.ª  

O AC Fafe perdeu o primeiro jogo da fase de descida/Manutenção ao ser surpreendido em casa pela ADA ISMAI que venceu por 29-28, numa partida que teve um final dramático, porquanto o golo da diferença foi marcado de livre de sete metros assinalado a três segundos do apito final. Em termos estatísticos foi um jogo extremamente equilibrado mas talvez a diferença tenha estado nas falhas técnicas 25 para o ACF contra 21 do ISMAI. 

O grande problema do ACF residiu no começo das duas partes mas, se na primeira o conseguiu ultrapassar com relativa facilidade, já na segunda foi incapaz de ganhar vantagem que lhe desse alguma tranquilidade. 

O ISMAI esteve melhor nos primeiros minutos, tendo chegado ao 1-3, com o ACF a conseguir igual aos sete minutos com um golo de Pimenta. Os fafenses ganharam fôlego e chegaram aos 7-4, com golos de Pimenta, Andrejic e Armando Pinto, este de livre de sete metros, lances em que esteve irrepreensível. 

O ISMAI ainda reduziu para 7-5 mas Dario Andrade repôs a vantagem de três golos, 8-5. 

A equipa orientada por José António Silva estava confiante e chegou a ter uma vantagem de quatro golos, 11-7 e mais tarde 12-8 e 13-9, este aos 15’,19’’. O ISMAI tentou aproximar-se 15-13 mas a dez segundo do final uma jogada com nota artística, começou em Armando Pinto, passou por Cláudio Mota que fez o passe para Dario Andrade conclui em jogada área. Uma das várias boas jogadas que o ACF protagonizou neste jogo, e que levou a equipa com três golos de vantagem para o intervalo, 16-13.

Na segunda parte o ACF ainda conseguiu chegar ao 17-13 mas aos 36’,23’’ deixou-se empatar a dezoito numa série de quatro golos sem resposta do ISMAI.

A partir daí a equipa fafense nunca mais conseguiu uma vantagem que lhe desse tranquilidade e ainda que ganhasse vantagem o adversário empatava logo de seguida, mesmo assim conseguiu vantagem de dois golos e com possibilidade de chegar aos três mas desperdiçou as oportunidades e aos 50’,53’’, o ISMAI chegou á igualdade novamente 24-24. Os fafenses não conseguiram marcar e os maiatos chegaram aos 25-27. Reduziu Armando Pinto da marca dos sete metros mas o ISMAI chegou aos 26’,28’’ a um minuto e meio do final. 

Dois golos de Cláudio Mota, o último dos quais a 15 segundos do final devolveu alguma alegria aos fafenses que estavam no pavilhão mas, um livre se sete metros, favorável à equipa da Maia a três segundos do final foi como um iceberg a cair no pavilhão e a equipa da Maia não desperdiçou a oportunidade de levar esta importante vitória.

Não fossem as duas derrapagens nos começos das duas partes, principalmente na segunda e o ACF teria vencido e feito uma boa exibição, numa partida em que mostrou boas jogadas de andebol. No entanto há dar mérito ao adversário pelo que fez, pois mostrou-se uma equipa muito homogénea, também a praticar bom andebol e nunca deixou de acreditar que podia levar a vitória para a Maia, mesmo quando sofreu o golo a 15 segundos do final. 

Jogo no Pavilhão Municipal de Fafe 

Árbitros: Mário Coutinho e Ramiro Silva

AC FAFE: Bruno Dias e Miguel Marinho; Armando Pinto (10), Sérgio Ribeiro, Cláudio Mota (5) Dario Andrade (4) Vladica Andrejic (2), César Gonçalves (1) Nuno Pimenta (6), Nuno Pinheiro, Eduardo Sampaio, Vladimiro Pires, Mário Pereira, Luís Pereira, Felisberto Landim e João Fernandes. Treinador, José António Silva.

ADA ISMAI: Manuel Borges e Reyniel Nelson; Hugo Glória (2), Pedro Vieira, Mário Silva, Angel Zulueta (8), Sérgio Caniço (7), Pedro Maia, Sérgio Martins (4), Bruno Borges, António Almeida, Tiago Heber (1) Leandro Semedo (5) e André Rei (2). Treinador, Rui Silva.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Futsal - Torneio interassocioações: Braga empatou com o Porto no 2.º jogo

Texto: João Carlos Lopes / Foto: DR 

Ainda estão na luta 

O segundo jogo da Zona Norte do Torneio Interassociações de Futsal de Feminino em Sub 19, terminou com um empate entre a Selecção de Braga a e congénere do Porto, numa partida muito equilibrada. 

A Selecção Distrital de Braga, vencia por uma bola a zero ao intervalo e na segunda parte as portuenses chegaram à igualdade 

A selecção de Braga conta com as fafenses do Grupo Nun'Álvares, Catinha, Joana Melo, Leninha, Marta e Telma 

O próximo jogo das fafenses é este Domingo de manhã às 11:30 horas no pavilhão de Vila Pouca de Aguiar, contra a Selecção de Viseu.


JOGOS POR DISPUTAR
28.02.2016 (domingo)
09h00*: Viana do Castelho vs Bragança (Pavilhão Dr. Francisco Gomes Costa, Vila Pouca de Aguiar)
09h30: Coimbra vs Guarda (Pavilhão Desportivo Municipal de Pedras Salgadas)
09h45*: Vila Real vs Bragança (Pavilhão Dr. Francisco Gomes Costa, Vila Pouca de Aguiar)
10h30*: Viana do Castelo vs Vila Real (Pavilhão Dr. Francisco Gomes Costa, Vila Pouca de Aguiar)
11h30: Meia final 1: Viseu - Braga (Pavilhão Dr. Francisco Gomes Costa, Vila Pouca de Aguiar)
11h30: Meia final 2: Porto - Aveiro (Pavilhão Desportivo Municipal de Pedras Salgadas

Futebol Popular: Ases S. Jorge, 1 - Agrupamento Stª Cristina, 2

Gualter esquerda e Fred, direita, obtiveram dois bons golos
Texto e fotos: João Carlos Lopes 

Fred desequilibrou 

O Agrupamento de Santa Cristina deslocou-se ao relvado sintético dos Ases de S. Jorge, numa tarde de chuva, vento e muito frio para vencer por 2-1, num jogo tecnicamente pobre, com muitas paragens, mas com alguns lances de bom futebol.

Com os primeiros minutos a serem jogados a ritmo de cruzeiro o primeiro sinal de perigo surgiu aos 8’, de bola parada, para o Agrupamento. Ismael cobrou um canto na esquerda a que Paulão correspondeu com uma excelente cabeçada mas Carneiro, com uma defesa extraordinária, evitou o golo. 

A segunda ocasião também foi para os visitantes em canto idêntico, agora com Eurico a saltar mais alto que os defesas dos Ases mas a cabecear por cima. 

Os Ases tiveram uma boa oportunidade aos 25’, num lance em que Gualter Serviu bem Pedro e este tentou bater João mas o guarda-redes a opor-se bem e a negar-lhe o golo.

O primeiro golo do desfaio nasceu de uma grande penalidade cometida por Electro sobre Rafa, depois deste receber um passe a rasgar de Fred. Na conversão Carlos não desperdiçou e fez o 0-1. 

Aos 42’, por indicação do seu auxiliar e através do sistema de intercomunicadores, o árbitro marcou livre indirecto à saída da área do Agrupamento pois consideram que o guarda-redes tinha batido a bola fora da mesma. Na sequência do livre, depois da bola parecer perdida, ainda sobrou para Hugo mas este, em boa situação, não conseguiu tirar proveito da oportunidade para os Ases.

A um minuto do intervalo, Fred já em desequilíbrio depois de ganhar um lance, tentou enganar o árbitro para grande penalidade mas este esteve bem ao exibir-lhe o cartão amarelo. 

O Agrupamento podia ter marcado logo a abrir a segunda parte quando Fred ganhou a frente a Igor mas depois rematou muito por cima. 

No minuto seguinte, numa excelente combinação entre Micoli e Gualter, este rematou na passada para fazer um grande golo e colocar o resultado em 1-1. 

Depois do golo, os Ases pouco mais fizeram e pertenceu ao Agrupamento a iniciativa do jogo, conquistando muitos lances de bola parada. 

A equipa orientada por Jorge Guimarães viu Fred rematar cruzado aos 69’, num lance que podia ter dado golo.

Apesar do domínio do Agrupamento, uma perda de bola aos 74’, podia ter custado caro, quando a mesma sobrou para Roberto e este em boa posição rematou à malha lateral. 

Aos 83’, o remate de Fred saiu fraco e aos 84’, Hugo, ao segundo poste não conseguiu segurar a bola, numa das raras descidas dos Ases à baliza contrária na segunda parte. 

O segundo golo do Agrupamento apareceu aos 86’, com Fred a ser mais rápido que Pião e quando viu que carneiro lhe saiu ao caminho a mostrar qualidade com um toque subtil para o fundo da baliza, em mais um bom lance de futebol.
 
Já em tempo de compensação, os Ases obtiveram um canto, em que Diogo Cunha conseguiu colocar a bola ao segundo poste onde China a deixou escapar.

Jogo no parque de Jogos do Desportivo Ases de S. Jorge, em Fafe. 

ASES S. JORGE: Carneiro; China, Pião, Igor (Toni, 87’), Toca, Electro, Pedro (Joneca, 78’), Gualter, Hugo, Micoli (Dantas, 67’) e Roberto, Castor, 85’. Treinador, Tiago Silva. 

AGRUPAMENTO STA CRISTINA: João; Ismael, Hugo, Paulão, Agostinho, Pedro Oliveira, Eurico (Marquinhos, 81’), Rafa (Moura, 75’), Fred, Carlos (Serafim, 90’), e Jota (Gui, 65’). Treinador, Jorge Guimarães. 

GOLOS: Carlos, 34’ (g.p.); Gualter, 47’ e Fred, 86’. 

DISCIPLINA – Cartões amarelos: Electro, 34’; Fred, 44’; Gualter, 51’; Ismael, 53’, Rafa, 55’; Paulão, 61’; Micoli, 65’; Hugo, 75’; Joneca, 88’ e João, 90+2’.

Futebol Popular: GD Pardelhas, 3 - SR Cepanense, 2

Texto: Ricardo Jorge Castro | Foto (arquivo): AFP Fafe


Marco Moura desfez o nó

Num jogo de grande equilíbrio, o Pardelhas venceu esta tarde o Cepanense por 3-2 e mantem a aproximação ao quarteto da frente do campeonato, tendo igualado o Ases de São Jorge no 4.º lugar, com 23 pontos.

Após o triunfo ante o líder São Clemente, os visitantes começaram da melhor maneira o jogo e abriram o marcador aos 15 minutos. Silva bateu um canto para a área e Tó fez o primeiro. O Pardelhas respondeu aos 20’, com Rui Meira a empatar a partida, mas Silva recolocou a equipa de Bruno Pinto na frente antes do intervalo.

Na segunda parte, Serginho restabeleceu a igualdade à hora de jogo. Após o 2-2, houve muita luta de parte a parte e lances mais disputados e quezilentos, um dos quais acabou com a expulsão de Pedro Neves, que reduziu o Pardelhas a dez elementos. O Cepanense, em superioridade numérica, não foi eficaz e Marco Moura, após um lance de bola parada, desatou a igualdade e completou a reviravolta para os da casa. 

O Pardelhas aumentou para cinco os jogos sem perder e recebe, na próxima jornada, a 12 de março, o Amigos de Quinchães. O Cepanense, que mantém o 7.º lugar, com 11 pontos, desloca-se ao reduto do Ases São Jorge.

Futsal Fem. AF Braga: GD Porto D'ave, 6 - Clube Saúde Fafe, 0


Texto: João Carlos Lopes

Adversário muito forte

O Clube de Saúde de Fafe deslocou-se ao recinto do Porto D'ave, em jogo da 19.ª Jornada, tendo perdido por 6-0, contra uma das equipas mais experientes do campeonato. 

Ao intervalo a equipa orientada por João Tristão e Tiago Carneiro já perdia por 3-0, e na segunda parte o rendimento da equipa do Concelho da Póvoa de Lanhoso foi o mesmo. 
Foi mais uma partida para as fafenses aprenderem com os seus erros e evoluir competindo. Um jogo intenso, em que se notou a muita experiência da equipa adversária e as muitas soluções com equilíbrio de que dispõe.

O CSF volta a jogar na próxima Terça-feira na deslocação a Barcelos para jogar com a Associação Futsal Campo, pelas 21:30 horas.   

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

AC Fafe: Entrevista com o Professor José António Silva

Redacção/AC Fafe 

"Estamos melhor preparados que no início da competição"

O PASSADO

“Na época passada iniciámos um projecto que passava por construir uma equipa que permitisse em dois anos ascender à 1.ª Divisão de Andebol. Relembro que no início muitas pessoas viam como muito reduzidas as hipóteses de isso acontecer, havendo ainda outras que duvidam inclusivamente da possibilidade da equipa ser apurada para a fase final da competição. O que é certo, é que acreditando no trabalho que desenvolvemos e com o apoio de todos os que diariamente trabalham para a equipa, ultrapassamos as nossas expectativas conquistando não só a subida de divisão, mas também o título de Campeão Nacional.”

A PREPARAÇÃO DA PRESENTE ÉPOCA 

“Em devido tempo, mesmo antes de disputarmos a fase final, discuti com a Direcção o conjunto de prioridades que se devia estabelecer para projectar o futuro do Clube. Estas prioridades no meu entendimento, assumiam-se como medidas que deveriam ser adoptadas independentemente da classificação final da equipa. Só desta forma é possível criar um projecto credível e estruturado que não esteja sujeito às perturbações que inevitavelmente surgem no percurso.
Por questões de diversa ordem, e que na maior parte dos casos não podem ser imputadas ao Clube, não foi possível avançar tão rápido quanto pretendíamos, pelo que a preparação da presente época foi fortemente condicionada por alguns factores a saber:

- A aposta justa e necessária nos elementos que tinham constituído a equipa na época passada. De referir o enorme investimento que foi feita em jovens da formação e que ainda não tinham condições para competir a este nível, mas que constituem apostas fortes para o futuro do Clube.
- Constrangimentos de ordem financeira.
- A época tardia em que terminou a nossa competição (final de Junho) o que inviabilizou a procura de reforços com as características pretendidas, nomeadamente atletas com peso e altura, que permitissem equiparar nesses indicadores a nossa equipa com as dos adversários.

Tendo a noção de que entravámos numa competição para a qual não reuníamos todas as condições desejadas, abraçamos a tarefa com entusiasmo, sem lamentações e com muita ambição, sabendo que nos esperava uma época muito difícil, durante a qual eram previsíveis momentos e jogos muito complicados.”

A 1.ª FASE DO CAMPEONATO

“Durante a 1ª fase, a equipa sofreu muitas oscilações que provavelmente a impediram de encontrar a regularidade desejada, facto que teve consequências na sua prestação. A contribuir para este facto há desde logo que destacar a impossibilidade de contar com o capitão João Castilho, bem com as lesões prolongadas do Eduardo Sampaio e do Sérgio Ribeiro, para além de problemas pontuais que afectaram em bastantes jogos o Claúdio Mota, o César Gonçalves e o Armando Pinto, elementos que têm visto o seu contributo muito condicionado no treino e na competição. Os jogadores referidos tiveram uma importância extraordinária na prestação da equipa na época passada, pelo que a sua ausência se tem revelado muito penalizadora.
Outro elemento que tem dado o seu contributo de forma intermitente é o Diogo Brasão, jogador que já foi afectado por várias lesões desde início da época. 
Para a instabilidade vivida na equipa, muito contribuiu também o facto dela estar em permanente construção. Nesse âmbito, é necessário referir que, dois meses após o início dos trabalhos, perdemos o Paulo Silva e o Hugo Fernandes por motivos profissionais. Posteriormente para colmatar essas falhas e para tentar melhorar a equipa, entraram o Dario Andrade (Setembro), o Felisberto Landim (Novembro) e mais tarde o Vladica Andrejic (Janeiro). Todas estas alterações levam a que tenhamos que reiniciar o processo de construção da equipa de cada vez que chega um novo jogador e esperar que ele se adapte a uma nova realidade, facto que tem necessariamente repercussão no seu rendimento e no da equipa.

Apesar destas questões há aspectos muito positivos que importa realçar: 
- A evolução evidente de atletas provenientes da formação, cada vez mais chamados a funções de responsabilidade na equipa, bem como a promoção de outros que ainda pertencem aos escalões mais jovens, tendo em vista sua integração num modelo de jogo e treino mais exigente;
-A excelente qualidade de algumas exibições, facto que cria expectativas de melhoria da nossa prestação;
- A enorme coesão que todo grupo tem demonstrado. De facto, numa época como a que estamos a viver, em que fruto de diferença que existe para muitas das outras equipas, alguns resultados pesam bastante na motivação, é de referir que continuamos todos, jogadores, treinadores, dirigentes e equipa médica, a trabalhar para explorar ao máximo os recursos de que dispomos;
- O facto de entrarmos nesta fase com hipóteses de alcançarmos o nosso objectivo para esta época: a manutenção na 1ª divisão.

Como balanço geral, há que realçar alguns excelentes desempenhos da equipa, sem esquecer algumas situações em que desperdiçamos pontos por culpa própria e que nos poderiam ter colocado numa posição que permitia superar as expectativas iniciais. Apesar disso, a equipa está a corresponder ao que é o seu potencial, já que sabíamos que de todas as participantes no Campeonato seríamos provavelmente a que se apresentava com maiores dificuldades.”

O GRUPO B

“Como sabem começaremos no próximo sábado o Grupo B, disputando com três excelentes equipas, os dois lugares que darão a manutenção. Neste momento sentimos que estamos melhor preparados que no início da competição e esperamos que esse facto se traduza numa maior estabilidade competitiva e em melhores resultados. Sabemos que a tarefa é exigente e precisamos de unir esforços, por forma a alcançarmos o objectivo comum.
Se analisarmos os resultados que obtivemos com estes adversários, vemos que os jogos terminaram com diferenças de 1, 2 golos e com um empate, provas do equilíbrio existente. Sabemos também que por muito bem preparados que estejamos, há momentos do jogo em que um detalhe pode ser decisivo para a vitória ou derrota, pelo que necessitamos de concentração máxima na tarefa a desempenhar e evitar erros grosseiros.”

O FUTURO

“À imagem do que defendi na época passada, entendo que o futuro do Clube necessita de ser preparado desde já. Esta necessidade tem que ser independente dos resultados desportivos, bem como das pessoas que farão parte desse futuro. É imperioso que seja definido um caminho e que ele se percorra sem correr o risco de ser condicionado por aspectos pontuais. Pela minha parte tenho procurado dar o meu contributo, junto dos dirigentes, dos treinadores, de todos os jogadores e jogadoras, para que eles possam ser cada mais fortes e com isso tornar o Clube mais forte. O meu contributo é feito naturalmente em função daquilo que é o meu quadro de referências, não abdicando nunca de escutar todos os intervenientes, recolhendo as suas sugestões, já que todos trabalhamos para tornar o ACF um Clube melhor.”

O APELO 

“Por último gostaria de deixar um apelo: que todos os que gostam do ACF, de Andebol e da cidade, se desloquem ao nosso pavilhão para nos apoiar. Os jogos disputados em Fafe, podem ter um peso enorme para o desfecho da competição e seria muito importante um apoio forte à equipa. Nos jogos vamos certamente atravessar momentos menos bons e é nessas circunstâncias que o apoio de todos pode ser decisivo. A todas e todos os atletas do ACF, relembro que é uma obrigação vossa comparecer ao jogo e com o vosso entusiasmo ajudarem-nos.”