segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Futsal Feminino: Selecção Sub 20 da AF Braga terminou em 7.º lugar

Texto: João Carlos Lopes

Valeu pela experiência 


- Ganhou os dois últimos jogos

- Alvarinhas contribuíram com golos


A AF Braga terminou em 7.º lugar na fase zonal do Torneio Interassociações de futsal feminino de sub-20, que decorreu no último fim-de-semana no distrito de Coimbra, com cinco atletas do Grupo Nun'Alvares a representarem a selecção distrital. Liliana Alves, Ana Pires (Loira), Joana Melo, Joana Pereira e Telma Pereira foram as fafenses escolhidas pelo seleccionador João Macedo.

Esta primeira fase da competição contou com a participação de 18 seleções distritais divididas em seis grupos, três na Zona Norte, com os jogos a serem disputados no distrito de Coimbra, e outros três na Zona Sul, partidas jogadas no distrito de Évora.

A AF Braga saiu do torneio com um saldo de duas derrotas e duas vitórias. Perdeu o primeiro jogo da competição com AF de Aveiro por 4-3. Os três golos bracarenses foram marcados por Telma, Loira e Joaninha. Uma partida em que a vitória podia ter descaído para qualquer lado 

No segundo jogo as bracarenses perderam com a também minhota Associação de Viana do Castelo, por 3-1 com as meninas do Alto Minho a serem mais eficazes que as do baixo Minho. 

Depois destes resultados a equipa da AF Braga ficou em terceiro lugar do grupo disputando o jogo dos dois melhores terceiros lugares com a Selecção da AF de Viseu, a quem goleou por 5-0, com as fafenses Loira e Telma a contribuírem para a vitória. 

O último jogo disputou-se entre a 3.ª melhor equipa, Braga e a segunda melhor, Viseu, tendo o resultado sorrido às bracarenses por uma bola a zero. De salientar que tanto nesta como na partida anterior a selecção minhota dominou em ambos os jogos. 

O comportamento das jogadoras fafenses foi meritório, tendo as mesmas contribuído com golos para a selecção que representavam. 


RESULTADOS DA SELECÇÃO DA AF BRAGA 

AF Braga, 3 - AF Aveiro, 4 
AF Braga, 1 - AF Viana do Castelo, 3 
AF Braga, 5 - AF Guarda, 0 
AF Braga, 1 - AF Viseu, 0 
.

Andebol, 2.ª Div. Nac.: AC Fafe, 37 - FC Gaia, 34

Texto e foto: João Carlos Lopes 

71 golos e no fim ganhou quem mereceu

A equipa do AC Fafe recebeu a jovem equipa do FC Gaia num jogo em que o marcador quase não teve tempo de respirar, pois a média de golos foi superior a um golo por minuto, tendo o resultado sido favorável aos fafenses por 37-34. 

O AC Fafe dominou o marcador com parciais que confirmavam isso mesmo, desde  4-1, a 8-5 e 13-8, sendo a maior diferença de seis golos 17-11. Porém, a primeira metade terminou com uma vantagem de quatro golos 19-15.

Na segunda metade da partida a tendência do jogo manteve-se, com o AC Fafe a gerir a vantagem no marcador cujas diferenças oscilaram entre os 4 e os 6 golos. Quando o resultado atingiu o parcial de 30-25, o AC Fafe parecia ter o jogo na mão, porém a equipa de Gaia, num esforço final conseguiu aproximar-se no marcador ainda que sem colocar em risco a vitória da equipa de José António Silva com a partidar a terminar com uma diferença de três golos favorável aos fafenses de 37-34.

O AC Fafe venceu de forma inequívoca mas os visitantes apresentaram dois argumentos de peso. Bruno Pinto e Luís Carvalho, que marcaram 12 e 15 golos, respectivamente, num total de 27 dos 34 do FC Gaia.

No AC Fafe o marcador de serviço continuou a ser César Gonçalves, que neste jogo acrescentou mais 9 golos ao seu pecúlio e já leva 49 no campeonato.

A vitória permite ao AC Fafe manter-se no 2. º lugar com os mesmos pontos do 1.º Avanca. Na próxima jornada o AC Fafe vai jogar com o Marítimo no Funchal.
.

Iniciados - AF Braga: OFC Antime, 1 - Casa do Benfica Famalicão, 4

Texto: João Carlos Lopes / Foto: João Diogo Silva 


Equipa esteve ausente na 2.ª parte 

O OFC Antime recebeu e perdeu com a Casa do Benfica de Famalicão por 4-numa partida em que esteve ausente do jogo na segunda parte e pagou a factura da inexperiência a este nível.   

O Antime entrou muito bem no jogo, com boa dinâmica e na primeira parte foi superior aos visitantes e com com oportunidades para aumentar o marcador que inaugurou aos cinco minutos, com um golo de João Cunha. Foi já no final da primeira parte que a equipa antimense sofreu o golo do empate.

Ao intervalo entraram para a baliza Edgar Antunes e para o ataque Diogo Speedy e Adriano Salgado saindo Tiago Condeço,João Cunha e Toni Freitas.

Na segunda parte a equipa do Antime desapareceu do jogo o que permitiu aos adversários serem muito superiores. Uma vez que a equipa ainda ainda está muito verde, ainda não consegue reagir na adversidade. 

Neste período ainda entraram João Faria para o lugar de Hugo Freitas e Fernando Pojo para o lugar de João Freitas. 

Esta equipa do Antime tem potencial mas, sendo uma equipa de jogadores de primeiro ano padece de alguma inexperiência neste tipo de jogos, até porque a grande maioria dos atletas nunca jogou futebol de onze e outros nunca tinham jogado futebol federado.

O aspecto psicológico é um dos factores a trabalhar nos fafenses. Por outro lado, sendo o Antime uma escola de formação, o treinador tem feito todas as substituições possíveis para que todos os atletas evoluam da melhor maneira em conformidade. Na verdade, isso por vezes pode prejudicar em termos desportivos mas é uma politica da casa estar em 1.º lugar a evolução do atleta como homem e só depois aliado a isso estará a componente desportiva.

Equipa titular: Tiago Condeço;Tito,José André,Marco Ferreira,José Pedro;João Freitas,Hugo Freitas,João Silva, João Cunha,Toni Freitas e Luis Vaz. Suplentes: Edgar Antunes,João Faria,Diogo Speedy,Fernando Pojo e Adriano Salgado.

.

Juvenis - 2.ª Div. AF Braga UD. Airão, 1 - GD Vasco da Gama, 1

Carlos Freitas marcou
para o Vasco da gama 
Texto e foto A. Cunha

Um jogo deveras atípico em muitos aspectos 

Primeira nota para o muito mau estado do terreno, com um pequeno lago de numa das áreas, falta de brio de quem recebe mesmo sendo um jogo de Juvenis deveriam pelo menos ter alisado o terreno para que não ficasse com altos e baixos. A segunda nota para a equipa de arbitragem que chegou ao campo completa mas um dos elementos ficou indisposto e foi recrutado um elemento da equipa da casa, sendo apresentado ao delegado como sendo um elemento que já costuma colaborar em situações idênticas.

Mesmo com o terreno de jogo muito irregular e muito pesado a equipa do Vasco da gama rapidamente tomou conta do jogo dominando ao seu belo prazer o jogo, no entanto as oportunidades surgiam e não eram aproveitadas pelos vários motivos, mas principalmente pelo terreno de jogo junto à área da baliza do Airão, com Almeida muito técnico a meter as bolas em diagonais mas que esbarravam sempre nas irregularidades do terreno, não chegando nas melhores condições aos avançados. Oportunidades claríssimas aos 5'., 7' e 16'. 

Aos 20' a bola chega mesmo a entrar na baliza ressaltando num defesa mas o fiscal de linha anula, pareceu-nos que mal anulado. A primeira tentativa de ataque por parte do Airão surgiria pelos 30 minutos, em pontapé para a frente perante o sufoco provocado pelo ataque constante do Vasco da Gama, que chegaria ao golo numa jogada de insistência pelo avançado Carlos Freitas mesmo em cima do intervalo. Árbitro muito permissivo nas entradas violentas por parte do atletas da casa sem qualquer sanção. Ao intervalo 0-1 para o Vasco da Gama.

A segunda parte teve mais do mesmo, ataque constante por parte do Vasco da Gama, no entanto alguns atletas do Vasco da gama com algumas mazelas e dificuldades físicas pelas entradas por parte dos da casa. 

A equipa do Vasco da Gama começa a sentir algumas dificuldades físicas pelo já referido mau estado do terreno e entradas fora da lei dos adversário o treinador faz duas substituições ao mesmo tempo na passagem dos 55', o treinador do Airão apercebe-se das dificuldades físicas e faz entrar mais um avançado e coloca o jogador mais forte física e tecnicamente da equipa como avançado, até então jogava a central começando a provocar pânico na defesa do Vasco da Gama. 

Como se isso não bastasse o senhor árbitro começou a marcar faltas a favor do Airão por tudo e por nada, bolas bombeadas para a defesa do Vasco da Gama criando o primeiro aviso num remate poderosos e com boa resposta do guarda redes Ricardo, nesta fase o Vasco da Gama apenas em repelões conseguia chegar a área adversária. 

Mais bolas paradas para o Airão mais dois cantos e na sequência de um deles chega mesmo ao golo. O Vasco da Gama tentou reagir com mais intensidade mas todas as jogadas eram anulados pelo tal elemento da casa que completou a equipa de arbitragem. Resultado final 1-1 Muito injusto para o que a equipa produziu na 1.ª parte, arbitragem muito fraquinha. 

Na próxima jornada o Vasco da Gama recebe o D. Ases de S, Jorge.


Jogo no Campo paroquial de S. Maria de Airão, terreno em péssimo estado e boa temperatura para a prática de futebol.

GD VASCO DA GAMA: Ricardo, Alexandre, Mica, D. Santos e Diogo Castro, Marco, Miranda, F. Diogo, Moura, Almeida e C. Freitas. Jogaram ainda; Filipe e João Campos. Treinadores, José Gonçalves e Paulo Vieira.
.

Juniores - 1.ª Div. AF Braga: Prazins e Corvite, 1 - ACD Pica, 2

Texto: João Carlos Lopes / Foto AF 

Desperdício e sofrimento na vitória

O Pica deslocou-se a Prazins em jogo a contar para a 4.ª jornada  disputado num campo muito difícil, um pelado de reduzidas dimensões. 

A partida começou sob o signo do respeito mutuo e sem oportunidades no primeiro quarto de hora. 

A equipa anfitriã esteve perto de marcar aos 17' através de Bruno Carvalho. Fopi o suficiente para o Pica acordar e aos 21' Tchico marcou um livre à entrada da área fazendo a bola a bater na barra e entrar golo que não foi validado. 

o Pica voltou a criar perigo aos 27'. Bola metida nas costas da defesa por Carlitos para Xavi com este a picar a bola sob o guarda redes mas a vê-la sair perto do poste. 

De tanto tentar a equipa piquense chegou ao golo aos 41. Miguel Carvalho isolou-se, fez um primeiro remate o guarda defendeu mas na recarga Xavi de cabeça não perdoou. 

Na segunda parte, aos 57' numa atrapalhação entre Peixinho e Toni, permitiu a Baldé a antecipação e fazer o empate. 

Mas durou pouco a alegria dos da casa pois aos 62' houve um canto marcado por Tchico em que o defesa do Prazins apertado por Toni cabeceou para a própria baliza dando o 2-1 aos fafenses. 

o Pica voltou aos 66' quando André Costa negou o golo a Xavi. Quatro minutos depois  Miguel Carvalho rematou forte já dentro da área mas viu bola a sair muito perto do poste. 

O pica mostrou-se muito perdulário e aos 81' novamente Xavi a rematar dentro agora na pequena área mas atirar por cima da baliza. 

Perante tanto desperdício o pica sofreu até ao final num jogo em que pdoia ter goleado. 

O árbitro não esteve à altura do desafio e permitiu inclusive que dois jogadores da casa jogassem com o mesmo número nas costas.


ACD PICA: Peixinho; Gabi, Ezequiel, Toni, Jorge Monteiro, Tchico, Miguel Carvalho (César, 60'), Tiago Rodrigues (Pedro Teixeira, 72'). Treinador, Pedro Freitas.
.

Futsal AF Braga: GD Caldelas, 4 - Ass. Futsal Fafe/Sol Poente, 1

Redacção/AFF/SL 


Um dia menos bom 

A Associação Futsal Fafe/ Sol Poente (AFFSP) disputou no passado Sábado a terceira jornada do campeonato distrital de futsal sénior masculino, série B, da A.F. Braga. Pela frente enfrentou um adversário muito experiente nesta competição num jogo muito equilibrado e atípico em todos os sentidos e que apenas ficou decidido nos minutos finais. A experiência adversária e a falta de eficácia da AFFSP foram cruciais para o, muito enganador, resultado final.

Foi um início de jogo um pouco diferente em relação aos anteriores. Ambas as equipas entraram com uma postura cautelosa tentando evitar erros que pudessem ser explorados e aproveitados de parte a parte. Contudo e apesar do início equilibrado foi o Caldelas a inaugurar o marcador logo aos 5 minutos. Num lance que parecia inofensivo, com a equipa da casa a fazer posse ainda dentro do seu meio-campo, um dos jogadores resolveu rematar dali e aplicar um chapéu que não deu hipóteses ao guardião fafense Nuno.

A AFFSP tentou responder imediatamente através de uma melhor circulação e fluidez, no entanto, a conclusão dos lances nunca foi a melhor e a mais eficaz. Apesar da boa resposta fafense, a experiência adversária foi mais forte e numa altura em que nada faria prever novo golo dos visitados, o mesmo acabou por surgir já perto do intervalo.

O segundo tempo foi diferente. Com uma entrada muito aguerrida e intensa a AFFSP efectuou vários remates perigosos junto da baliza do Caldelas mas que encontraram sempre pela frente ou os postes ou o guardião adversário.

A equipa fafense dominava a partida e criava sempre muito perigo nas suas ações ofensivas. Por sua vez, o Caldelas ia fazendo, uma vez mais, uso da sua enorme experiência ao gerir melhor os momentos do jogo e praticando um futsal expectante baseado no erro contrário. Contudo, o golo fafense acabaria por surgir aos 16 minutos com um potente remate de Gijo e que só parou no fundo das redes adversárias.

Dada a desvantagem e faltando apenas pouco mais de 3 minutos para jogar, Vitor Pereira, treinador fafense, decidiu arriscar tudo e apostou no 5/4.

Uma vez a jogar com guarda-redes volante a baliza fafense ficou mais vulnerável e a equipa mais exposta às investidas adversárias. Vítimas dessa mesma maior exposição ao erro e numa altura em que ambas as equipas já haviam cometido as 5 faltas acumuladas, foi o Caldelas a marcar novamente através da marcação de um livre da marca dos 10 metros. Já nos instantes finais viria a surgir o último golo da partida com a formação da casa a aproveitar da melhor maneira o adiantamento do guarda-redes volante e fechando as contas do marcador em 4-1.

Apesar da derrota por números exagerados, a equipa vai encarar este último jogo como um factor de motivação e certamente irá dar uma resposta muito positiva já no próximo Sábado, na receção ao Lordelo.
.

domingo, 19 de Outubro de 2014

Futebol Popular: SR Cepanense, 4 – Águas Santas/Moure, 1

Texto: Ricardo Castro / Foto: DR 

Goleada no regresso à competição oficial

- Hugo Daniel bisou 

A melhor estreia, num jogo a fazer lembrar outros tempos da formação de Cepães no futebol popular. A equipa fafense goleou o Águas Santas/Moure por 4-1, na primeira jornada do campeonato.

A turma de Filipe Oliveira começou decidida a chegar à vantagem. Grande pressão e intensidade, obrigando o adversário a alguns erros. Aos oito minutos, Bruno Costa ganhou a frente e rematou perante o guarda-redes. Contudo, viu o golo ser-lhe negado em cima da linha por um defesa.

Aos 12 minutos, a explosão de alegria para o Cepanense. E de bola parada. Tó deu a melhor resposta a um livre direto e a rede abanou pela primeira vez. O segundo golo não demorou muito: aos 18’, Bruno Costa fez uso da sua velocidade e, desta feita, bateu o guardião visitante com um chapéu eficaz.

Ainda antes do intervalo, mais um golo para os fafenses. Aos 41 minutos, livre de Tó e Hugo Daniel a responder da melhor maneira na área, cabeceando para o fundo da baliza. 

Na etapa complementar, o Águas Santas/Moure apareceu mais sólido em campo, corrigindo aspetos que não deram tanto espaço aos homens da casa. Contudo, o golo surgiria novamente para o Cepanense. Aos 77 minutos, David isolou Hugo Daniel e este não vacilou perante o guarda-redes, fazendo o 4-0.

Já com o destino final traçado, o Águas Santas/Moure reduziu, aos 84 minutos. O guarda-redes Carlos Chalita agarrou um atleta contrário na área e não levou a melhor na grande penalidade, convertida com sucesso pelos visitantes.

Na próxima jornada, o Cepanense defronta o Amigos de Quinchães, no primeiro dérbi da equipa de Filipe Oliveira, neste regresso da equipa sénior ao futebol popular. O jogo está agendado para o fim-de-semana de 1 e 2 de novembro.
.

Futebol Popular: Agrupamento Stª Cristina, 4 – Serafão, 1

Texto: Ricardo Castro / Foto: JCL 

Expulsão e igualdade despertaram aronenses

O Agrupamento de Santa Cristina entrou da melhor maneira no campeonato de futebol popular ao derrotar o vizinho Serafão no dérbi fafense, por 4-1.

Jogar em inferioridade nem sempre é sinónimo de vantagem. E o dérbi entre Agrupamento e Serafão mostrou isso mesmo. A equipa aronense marcou primeiro: Neves adiantou os visitados na primeira parte. E o intervalo chegou com o 1-0 no marcador. Contudo, na segunda parte, aos 65 minutos, Moura foi expulso. Falta na área e grande penalidade para o Serafão. Pinheiro deixou, de novo, tudo empatado.

Com mais um e com a motivação da igualdade, o vento poderia soprar a favor dos visitantes. Mas foi o Agrupamento a marcar. Aos 70 minutos, Fred repôs a vantagem dos locais. Até final, ainda houve tempo para construir uma vantagem mais larga. Cardoso fez o 3-1 e Ricardo fixou o resultado em 4-1.

Na próxima jornada, o Agrupamento joga no reduto do Águas Santas/Moure, equipa que perdeu por 4-1 em Cepães. Já o Serafão recebe o Galegos, que folgou na primeira ronda. 
.

Div. Pró-Nacional: CC Taipas, 0 - Arões SC, 4




Texto e foto: Rui Silva 

Atiradores de elite abateram caçadores


- Zézé bisou na partida

Aronenses que venceram na última jornada em casa o Maria da Fonte, tinham ainda na memória a derrota pesada em Serzedelo e defrontava esta tarde um forte adversário que vinha moralizado da jornada anterior com a vitória forasteira em Porto de Ave por 4-2. Este jogo afigurava-se de extrema dificuldade para os pupilos de Miguel Paredes, mas quando se juntam qualidade à vontade à atitude, tudo fica mais simples. E assim foi, a equipa do Arões caçou com facilidade no campo do Montinho. 

Na primeira meia hora de jogo o Arões construiu o resultado que prevalecia ao intervalo. A equipa Fafense mostrou-se autoritária no relvado e foi com naturalidade que os golos foram surgindo. 

O primeiro golo acontece aos 7 minutos, quando Barbosa sobre a esquerda, cruza para Bebeto emendar na pequena área, inaugurando o placar. Em vantagem o Arões foi dominando e jogava no campo adversário, quando aos 17 minutos, Barbosa, bem posicionado na área Taipense, remata forte para defesa de André, na recarga aproveita e faz o 0-2. 

O Taipas em dificuldade viu o Arões criar perigo em diversas ocasiões e no minuto 30, André confiante, tentou o remate “do meio da rua” surpreendendo André, a bola vai à barra e o “caçador de golos” Zézé, oportuno toma posse da bola e faz o 3º golo para o Arões. 


Fernando Marques nada satisfeito, efetua dupla substituição ao minuto 35, retira André Campos e Dúnio, lançando o experiente Zé Manel e o Fafense Rúben Fernandes, procurando abanar “as tropas”. 

Efeito das substtuições ou não, a 5 minutos do intervalo, Zé Manel só perante Paulo Jorge desperdiçou soberana oportunidade, rematado ao lado. 

Seguram-se dois cantos para os Taipenses, sem perigo para as redes do Arões que foi para intervalo em vantagem com 3 golos sem resposta. 

No segundo tempo seria obvio uma reação do Taipas, mas tirando algum fulgor inicial em que conquistou um livre ao minuto 48, que Paulo Jorge resolveu, afastando o perigo da sua área, o Arões com resultado folgado, voltaria a criar perigo junto da baliza Taipense. 

Minuto 53, o pé esquerdo de Pablo isola André que só perante o seu homônimo atira à malha lateral. 

Pablo estaria de novo em destaque ao minuto 63, desmarcando Bruno Cunha que transportaria a bola até à entrada da área, entregando-a depois para Zézé bisar e fazer o 4º golo para o Arões. 

A 20 minutos do tempo regulamentar, Miguel Paredes mexia e refrescava a sua equipa, retirando primeiro Bruno Cunha, entrando Agostinho e depois saia Pablo para a entrada de Gustinho. Na tentativa de gerir a equipa e o jogo, 5 minutos depois nova alteração no Arões, sai André entra Pedro Rosita. 

Até ao final do encontro, apenas dois apontamentos, um para o lance de Zézé (Taipas) que cabeceou a bola, à baliza de Paulo Jorge, passando esta rente à barra. E outro aos 92 minutos, numa discórdia manifestada por parte do banco Aronense, após lance aparentemente mal ajuizado do juiz da partida, resultaria de forma exagerada na expulsão de Raimundo, para surpresa de todos, pois o juiz da partida tinha passado despercebido da partida, com arbitragem de bom nível. 

Na próxima jornada o Arões recebe o Brito SC que foi derrotado hoje em casa por 1-2 pelo Porto de Ave. Este encontro será disputado já no horário de inverno, soando o apito inicial da partida às 15h00. 


Jogo realizado no Campo do Montinho . Caldas das taipas . Guimarães. 

Árbitro: Jorge Fernandes, auxiliado por João Pinheiro e Miguel Silva. 

CC TAIPAS : André, João Paulo, Francisco, Bruno Machado, Berto, Bruno, Dúnio (Rúben Fernandes, 35’), André Campos (Zé Manel, 35’), Peixe, Abdou, e Zézé. Treinador: Fernando Marques. 

ARÕES SC: Paulo Jorge, Marquinhos, Fernando Beijinhos, Rui Rampa, Zezinho, Nené, Barbosa, Bruno Cunha (Agostinho, 68’), Pablo (Gustinho, 70’), André (Pedro Rosita, 75’) e Zezé. Treinador: Miguel Paredes. 

Disciplina: - cartão amarelo: Zézé, 50’; Berto, 55’; Bruno, 57’ e Zézé (Taipas), 91’.  - cartão Vermelho: Raimundo, 92’. 

Marcadores: Bruno Cunha, 7´; Zézinho, 17’; Zezé, 30’ e 63’.
.

Div. Honra AF Braga: GD Louro, 5 - GCD Regadas, 2

Texto: João Carlos Lopes 

Entregar o ouro ao bandido 

O GCD Regadas perdeu por 5-2, no terreno do GD Louro que foi completamente superior em todos os aspectos do jogo, numa tarde desinspirada dos regadenses.  

Estavam decorridos apenas dois minutos quando surgiu um penalti contra o Regadas a castigar "suposta" falta do guarda-redes Rafa sobre o adversário fazendo este o 1-0. Volvidos apenas quatro minutos  o Louro chegou ao 2-0 com o seu jogador a entrar com a bola pela baliza dentro perante a passividade da defensiva fafense. 

O desacerto do Regadas era tanto que à do quarto de hora os famalicenses chegaram ao 3-0. Após um de canto, o jogador do Louro solicitou um colega  que estava fora de área o qual fez um golo de belo efeito, com os regadenses a verem jogar. 

O Regadas tentou reagir e aos 40' Flávio que tinha entrado aos 25' para a substituir Silva fez o 3-1, dando a melhor sequência a um cruzamento de Pedro. 

Nos minutos iniciais da segunda confirmava-se que nada corrida bem ao Regadas que viu Luís expulso aos 55'.

Cinco minutos após a expulsão o Louro fez o 4-1 depois de um mau alívio da defensiva do regadense com a bola a ser cortada na direcção da cabeça do adversário e a entrar directamente, por tabela, na baliza. 

Milo entrou aos 70' para substituir Buga e pouco depois fez o segundo golo do Regadas. 

Poucos minutos de pois de reduzir o Louro elevou a contagem para 5-2, quando a defensiva do Regadas batia um livre a seu favor, entregando o ouro ao bandido. 

GCD REGADAS: Rafa, Russo, Tiago, Julien e Luís, Silva (Flávio), Samu (Quim), Rui e Buga (Milo), Pedro e Nelinho. Treinador, Sérgio Pereira.
.  

Div. Honra AF Braga: GD Geres, 1 - OFC Antime, 0

Texto: João Carlos Lopes 

Tem faltado um "danoninho" à equipa

O Operário de Antime viajou até Terras do Bouro, onde defrontou o GD Gerês, com quem perdeu, numa partida em que merecia no mínimo pontuar mas que acabou por faltar aquele "danoninho" que ajudar a chegar onde por vezes parece não se conseguir, apesar de se fazer tudo para isso.

O Antime tentou entrar forte na partida e dispôs de uma mão cheia de oportunidades mas a bola foi chegando à pequena área sem que ninguém aparecesse para a empurrar para a baliza. 

Ismael ainda enviou uma bola à trave e depois o árbitro transformou uma grande penalidade a favor do Antime em livre directo que Raul atirou ao travessão.  

O Gerês procurava fazer a diferença nas bolas paradas, principalmente nos pontapés de canto de onde saía algum perigo para a baliza de Rui. 

Armando teve o golo nos pés mas viu o seu remate ser decisivo pela biqueira da chuteira de um adversário, que desviou para canto. 

Na segunda parte houve outra grande penalidade a favor do Antime que não foi assinalada, com mão nítida na bola de um jogador do Gerês que o árbitro deixou passar.

Seguiu-se um período em que o jogo foi dividido até que nos minutos finais o GD Gerês acreditou mais e já nos descontos em mais um pontapé de canto chegou ao golo da vitória. 
. 

Juniores - 1.ª Div. AF Braga: GD Fareja, 2 - UD Airão, 2

Redacção 

Fareja deixou fugir os três pontos pontos

- Hugo lesionou-se e foi para o Hospital 

Logo nos primeiros minutos com uma bola ganha dentro da área, lado esquerdo, Teixeira dominou a bola e fez o primeiro golo. O Fareja entrou muito forte tanto assim foi que cinco minutos depois, com um remate à entrada da área Cunha fez mais um golo na sua conta pessoal, colocando o marcador em 2- 0 .

O Fareja ainda fez algumas transições muito interessantes, mas quando ninguém esperava o Airão chegou ao golo com uma falta de Teixeira dentro da área, com o árbitro a assinalar grande penalidade, convertida em golo.
 
Na segunda parte o Fareja entrou um pouco lento no meio campo durante uns bons 20 minutos. Fareja que com a saída de Faria do meio campo e com entrada de Fábio, voltou a crescer com a subida de Hugo no terreno do jogo.

O Fareja ainda tentou alcançar o terceiro golo mas faltava sempre algo mais e como se diz no futebol quem não marca acaba por sofrer, assim foi. Perto do final jogo o Airão empatou. Acaba por saber a derrota mas futebol é isto.

Mesmo perto do final do jogo Hugo sofreu uma falta tendo sido transportado ao hospital na ambulância. Pelo que apuramos, Hugo será operado ainda hoje ao braço. A equipa deseja-lhe uma uma rápida recuperação 
.

Taça de Portugal: FC Mortágua, 1 - AD Fafe, 3

Texto e foto: João Carlos Lopes 

Na quarta eliminatória com remontada

O Fafe ultrapassou o FC Mortágua na terceira eliminatória da Taça de Portugal, a quem venceu por 2-1. Uma partida entre um dos primeiros da Série A, o Fafe e o último da Série E, Mortágua, duas equipas com alguma diferença de qualidade, como de resto evidenciavam as respectivas classificações. 

Apesar da supremacia fafense foi a equipa da casa a primeira a marcar. A equipa beirã beneficiou de uma grande penalidade aos oito minutos, colocando-se na frente do marcador e obrigando o Fafe a correr atrás do resultado. 

A partir daí o Fafe tomou ainda mais conta do jogo e nos últimos minutos da primeira parte Silvestre teve a oportunidade de fazer o empate mas não conseguiu concretizar uma grande penalidade que tinha sido cometida sobre ele próprio. 

O Fafe perdia ao intervalo mas tinha feito mais que os mortaguenses para estar na frente do marcador.

Na segunda parte logo aos dois minutos, houve nova grande penalidade a favor do Fafe, sobre Vasco Cruz que substituiu Raviola ao intervalo mas desta vez foi Nuninho a cobrá-la e a colocar justiça no marcador ao fazer o 1-1.

A equipa fafense continuou na busca da felicidade e Rui Herculano fez o segundo golo da AD Fafe aos 67 minutos. Porém, aos 69, ficou a jogar com menos um jogador com a expulsão de Digas que tinha substituído Xavi ainda na primeira parte devido a lesão.

Apesar de jogar com menos um, o Fafe conseguiu manter a vantagem mas o Mortágua não tirou qualquer proveito de ter um homem a mais e foi mesmo o Fafe a chegar ao 3-1, já em período de compensação, com Silvestre a redimir-se da grande penalidade e a marcar de livre directo.



Um resultado justo porque o Fafe foi a melhor equipa em campo e apesar de estar em desvantagem conseguiu fazer a remontada e vencer com alguma facilidade.

Depois desta segunda visita à Beira Alta, o Fafe espera agora que lhe saia um dos dois grandes em prova para poder dar uma alegria aos seus adeptos. 


Jogo realizado no Campo da Gandarada, em Mortágua

FC MORTÁGUA: Mauro Leal, Fábio André (André Simões, 71’), Sérgio Alves, Rôla, Mauro Cunha, Dani Alves (Luís Santos, 82’), Barca, João Vasco, Tagui (Reis, 79’), Paulo Ribeiro e Ricky. Treinador, Maná.

AD FAFE: Marçal, Raviola (Vasco Cruz, 46’), Ricardo Fernandes, Xavi (Digas, 13’), Rui Herculano (João Nogueira, 73’), André, Silvestre Cordeiro, Vasco Costa, Ferrinho, Vasco Costa e Nuninho. Treinador, Agostinho Bento.

DISCIPLINA: Cartões amarelos - Raviola, 7’; Digas, 35’ e 71’; Rui Herculano, 51’; Sérgio Alves, 52’, Tagui, 58’; Cordeiro, 63’; Mauro Leal, 85’ e Barca, 90+2. Cartão vermelho – Digas, 71’.

MARCADORES. Dani Alves, 8’ (g.p.); Nuninho, 47’ (g.p.) Rui Herculano, 70’ e Silvestre, 90+2’.

Confira aqui os resultados da TAÇA DE PORTUGAL
.

sábado, 18 de Outubro de 2014

Futsal Feminino: Selecção da AF Braga perdeu o 2.º jogo

Texto: João Carlos Lopes / Foto: D. Lobo


Viana mais eficaz na finalização

A Selecção Distrital Feminina de Futsal Sub 20 da AF Braga perdeu o segundo jogo disputado na manhã de Sábado com a também minhota Associação de Viana do Castelo, com as meninas do Alto Minho a serem mais eficazes que as do baixo Minho. 

A selecção de Braga apresentou o seguinte cinco inicial na primeira parte: Joana Pereira (GR), Loira, Telma, Bruna e Flávia. 

Foram as bracarenses as primeiras a marcar ainda aos 13 segundos por Bruna. Aos 11 minutos empatou a equipa de Viana através de Daniela. 

Aos 15' minutos a Selecção da AF Viana beneficiou de um livre a 15 metros da baliza e colocou-se em vantagem, através de Natacha, regressando aos balneários a vencer por 2-1. 

Na segunda parte Braga apresentou o seguinte cinco inicial: Helena (GR), Loira, Telma, Bruna e Joana Serra.

Aos 27, Daniela na marcação de um livre directo a meio campo ampliou a vantagem da equipa representante de Viana do Castelo para 3-1. 

Quando faltavam cinco minutos e 40 segundos do fim, a equipa de Braga arriscou o 5x4, mas sem sucesso.

Foi um jogo bem disputado em que a equipa de Viana do Castelo foi mais eficaz nos pormenores de finalização e mais unida no colectivo mas também soube fechar bem a sua baliza. Além disso beneficiou do facto de estar mais fresca, pois este era o seu primeiro jogo enquanto que Braga tinha jogado 12 horas antes. 

No outro jogo, a formação de Aveiro venceu a de Viana por 2-1 e acabou em primeiro lugar no grupo, com Braga a quedar-se pelo 3.º lugar.
.

1.ª Div. AF Braga: GD Silvares, 2 - SC Fermilense, 2

PH - Treinador do GD Silvares
Texto e foto: João Carlos Lopes 


Uma equipa de guerreiros e heróis

- PH além de jogadores tem verdadeiros amigos

O GD Silvares empatou a duas bolas com o Fermilense mas face à conjectura de castigos e lesões que assolam o Clube e depois de estar a perder por 2-0, este empate tem o mesmo sabor que uma vitória. Numa equipa que deu tudo o que tinha e mais o que não podia, com jogadores lesionados a pedirem para entrar para ajudarem no que pudessem. PH tinha apenas 12 jogadores em condições de jogar e entre eles dois eram guarda-redes, os restantes estavam no banco a fazer presença mas mesmo assim houve alguns deles que se sacrificaram com o risco de agravar as lesões que tinham. Uma equipa de heróis é o que é esta formação 2014/15 do GD Silvares 

PH tinha seis jogadores no Banco mas só o Guarda-redes é que estava a cem por cento. Quando a equipa estava muito cansada não tinha opções no banco para entrar. Mesmo assim pediu ao Nuno Carneiro se podia fazer um esforço para entrar, porque o meio campo estava muito cansado, tendo inclusive saído os músculos a Landinho o que obrigou o técnico a retirá-lo do jogo. 

Porém como além de jogadores, o treinador tem também tenho amigos, o Nuno, sem ter feito qualquer treino durante a semana devido a lesão nas costas pois tinha-se aleijado em Santa Eufémia disponibilizou-se para entrar, mesmo lesionado. Também Rui Ferruge entrou em tempo de compensação para fazer perder um tempinho, pois a equipa estava desgastada, uma vez que teve de correr muito devido à desvantagem de dois golos. tanto é que o treinador pediu-lhe para entrar mas para não correr para não agravar a lesão.

O Silvares entrou em campo com os 11 jogadores que tinha e que mostraram ser uns valentes guerreiros dentro de campo, desde o primeiro ao último minuto. Notou-se muito neste jogo a união de grupo e o espírito de entreajuda que reina no plantel.

Praticamente no primeiro lance que o Fermilense foi à baliza do Silvares com perigo fez golo, o qual aconteceu aos dez minutos, numa altura em que os fafenses estavam a jogar bem e a criar algumas oportunidades. 

Aos 21', Papoila de livre directo ainda muito longe da baliza rematou à barra e na recarga o Silvares fez golo que foi anulado por fora de jogo 

Aos 25', na sequência de um canto a equipa de Basto chegou ao 2-0, fazendo dois golos na únicas duas oportunidades que tiveram na primeira parte. 

Ainda na primeira parte Stuka recebeu uma bola metida nas costas da defesa, fez uma grande recessão e ficou na cara do guarda-redes redes, colocando a bola fácil na baliza, reduzindo para 1-2. 

Antes do apito para o intervalo o auto do golo do Silvares apareceu desacaído para a direita e rematou à barra. 

Na segunda parte o Silvares voltou a entrar determinado, tentando ir para cima do adversário porque estava a perder o que proporcionou dois ou três contra- ataques perigosos ao Fermilense. Porém, Nuno Preto esteve em grande e fez grandes defesas.

Quando estavam decorridos 78' surgiu um golão de Papoila num livre idêntico ao que tinha cobrado no primeiro tempo, muito longe da baliza adversária mas desta vez com a bola entrar sem qualquer hipótese para o guarda-redes, saindo um autêntico tiro na gaveta. 

A partir do 2-2 a equipa do Silvares começou a acreditar que podia chegar à vitória, contudo as pernas não ajudavam.

Sem soluções no banco o treinador fafense tive de pedir para fazerem um esforço suplementar para jogar. O único que poderia fazer um pouco de esforço era o Nuno Carneiro porque os outros não tinham condições e o Ferruge entrou aos 92' apenas para matar tempo.

No final o treinador fafense ficou muito contente com a equipa, mas principalmente pela união de grupo e pela vontade que os jogador mostraram em sair deste jogo a pontuar. 
.

Juniores - 1.ª Div AF Braga: Arões SC, 3 – Os Sandinenses, 0

Texto e fotos: Ricardo Castro 


Morais abriu para o bis de Jorge

- Arões lidera isolado à condição

O trabalho está a mostrar os seus resultados. Ao fim de quatro jornadas, outras tantas vitórias no campeonato. A equipa júnior do Arões recebeu e venceu a formação d’ Os Sandinenses por 3-0. 

A história do desafio teve o primeiro capítulo aos cinco minutos. Morais abriu o livro de grande penalidade, depois de um livre marcado pelo próprio, no qual o árbitro auxiliar considerou ter havido uma mão na área.

Mas a resposta não se fez tardia: aos sete, Rui Pedro defendeu um remate forte de Bruno. Aos 25’, Miranda fez a bola bater na trave da baliza aronense. O mesmo jogador viu Rui Pedro defender um livre em cima da linha, aos 44 minutos. Três momentos em que atenção e sorte protegeram os locais.

A vantagem do Arões manteve-se até ao descanso. Depois do golo, a equipa de Miguel Castro não dispôs de grandes ocasiões. As investidas do veloz Miki e os passes a rasgar de Morais abalaram a defensiva contrária. Mas faltou mais decisão na hora de atacar a baliza.

O Arões regressou dos balneários em busca do segundo golo. À hora de jogo, os sinais dados traduziram-se em eficácia. O cruzamento da direita de Miki encontrou a cabeça de Jorge ao segundo poste. Estava feito o 2-0.

Depois do primeiro, Morais tentou dobrar a conta pessoal. Filipe, com uma defesa apertada, evitou uma vantagem mais tranquila. Não dobrou Morais, mas Jorge tratou de fazê-lo pouco depois. Aos 74 minutos, o extremo surgiu pela direita e, em diagonal, rematou em arco ao ângulo. 

A equipa de Miguel Castro segue invicta e ocupa provisoriamente a liderança, com 12 pontos. Contudo, o Polvoreira pode igualar, caso vença o jogo deste domingo. Segue-se o Prazins e Corvite na próxima jornada, onde o Arões volta a jogar na condição de visitado.

Jogo realizado no Parque Desportivo – Centro para a Formação e Juventude de Arões.

Árbitro: Luísa Azevedo, auxiliada por Rui Mota e Paulo Fernandes.

ARÕES SC: Rui Pedro, Marco, Filipe, JP, Rui Marinho, Pizarro, Morais, Cenoura, Jorge, Rui Pedro e Miki (cap.). Suplentes: Rúben, Vítor, Barros, Roberto, Marquinhos, Lizuarte e Luís Filipe. Treinador: Miguel Castro.

OS SANDINENSES: Filipe (cap.), Dani, Cláudio, Miranda, Bruno Silva, Nelsinho, Isidro, Sousa, Almeida, Toninho e Ricardinho. Suplentes: Rafa, Elísio, Pedro Nuno, Pedro, Silva e Luís Filipe. Treinador: Ricardo Marques.

Marcador: Morais, 5’ (g.p), Jorge, 60’ e 74’.

.

Divisão Honra AF Braga: ACD Pica, 0 – GD Travassós, 1

Texto e fotos: João Carlos Lopes / Tiago João Lopes  

Travassós soube sofrer e venceu

- Nuno Gonça deu a vitória e foi expulso

O GD Travassós venceu no terreno da ACD Pica por uma bola a zero num dérbi que contou com uma excelente assistência, jogado com lisura, em que acabou por vencer a formação que não tendo individualidades se revelou o melhor conjunto dentro de campo. A partida contou com uma estreia para cada lado, Ricardo Morais que jogou a médio no Pica e Tozé, como médio centro no Travassós. Mas houve um jogador que deu nas vistas, Samu (ex-júnior da AD Fafe) que representa o Travassós, apesar de muito novo está um senhor jogador e fez uma grande partida. No Pica, apesar da idade, Álvaro ainda é um senhor jogador, na entrega, na atitude e no orgulho que tem ao Clube, ainda mexe e faz mexer. 

O resultado mais justo seria o empate. Na verdade o Pica esteve um pouco ausente da partida na primeira parte mas na segunda criou um caudal ofensivo que só pecou pela falta de eficácia. Porém, há que dar mérito à atitude e entrega do Travassós que chegou à vantagem e soube guardá-la com raça e sofrimento e ainda jogou dez minutos com menos um jogador por expulsão do marcador do golo, Nuno Gonça, que acumulou amarelos. 

O jogo teve vinte minutos de demasiado respeito entre as equipas, sem velocidade, sem grandes faltas, sem confrontos verbais e sem remates de perigo. Perante tudo isto nem parecia um dérbi.

O primeiro remate à baliza foi de Edu que atirou muito por cima aos 16’. Aos 21’ ripostou o Travassós por Zé Beto que entrou na área, rematou com a oposição de Joel, permitindo a defesa de Marçal. 

Aos 25’ Ricardo Morais tentou o remate de longe com a bola a sair por cima. Do outro lado, aos 27’ Samu bateu um livre no meio campo para a área, onde apareceu Carioca a emendar, nas costas da defensiva do Pica, mas Marçal atento evitou o golo. 

Joel tentou o remate de longe aos 29’, com a bola a sair forte, a meia altura e a passar não muito longe do segundo poste. 

O Travassós utilizava um futebol mais directo, a aposta em lances de meia distância, jogando no erro, mas tentando também construir um futebol mais apoiado, o que por vezes surgia através dos seus jogadores mais experientes. 

Aos 33’ Mikey rematou ao lado e aos 36’ o Travassós chegou ao golo. António bateu um livre na direita do seu ataque, quase junto à linha, a bola caiu no coração da área onde Nuno Gonça fez a emenda no meio dos defensores do Pica. 

O Pica quase não reagiu ao golo sofrido e o Travassós controlou a vantagem até final da primeira parte onde houve um cheirinho a dérbi já depois do apito, com alguma troca de palavras entre jogadores das duas equipas, nada mais que isso.

O Pica assumiu o jogo na segunda parte e o Travassós espreitou o contra-ataque.

Aos 52’, Miguel Soares cruzou para a área onde apareceu Rui Abreu, de cabeça, a atirar por cima. Aos 54’, Pedro Mendes meteu a bola em Tiago que cabeceou á figura de Tozé e aos 56’ Feirinha entregou a Pedro Mendes e este conseguiu arranjar espaço para o remate que saiu um pouco ao lado do poste. No minuto seguinte, grande confusão na área do Travassós, com Rui Abreu a rematar mas viu o seu colega Tiago a desviar a bola do caminho da baliza. 

Acentuava-se a pressão do Pica que podia ter empatado aos 66’. Pedro Mendes lançado por um companheiro apareceu na linha lateral na intermediária, Tozé saiu da baliza e já estava perto do avançado do Pica que mesmo dali atirou em jeito de chapéu para a baliza, bola levava selo de golo mas Fernando, em esforço evitou-o cedendo canto. 

O Travassós deu um ar da sua graça no ataque aos 72’, com Zé Beto, numa bonita jogada, a fazer uma sucessão de fintas na área do Pica e a rematar por cima mas com perigo.

Respondeu o Pica dois minutos depois. Grande jogada de Edu a desviar de um adversário e fazer um grande remata para excelente defesa de Tozé para canto. Dessa bola parada batida por Miguel Soares o mesmo Edu cabeceou ao lado. 

O Travassós tentava guarda a bola e gerir o tempo o que fez sempre com muito acerto.

Ao terceiro minuto de compensação o Pica reclamou grande penalidade num lance em que um jogador da casa disputou a bola com Tozé e este ficou dono e senhor do esférico, sem qualquer reparo pelo árbitro. 


Jogo realizado no Campo de Jogos da Pica. 

Árbitro, Hélder Franco, auxiliado por José Tinoco e Bruno Silva 

ACD PICA: Marçal; Miguel Soares, Tiago, Joel, Rui Abreu, Edu, Álvaro (Vasco, 76’), Ricardo Morais (Rafa, 69), Samu, Feirinha e Pedro Mendes (Petit, 77’). Treinador, Marcelo Fernandes.

GD TRAVASSÓS: Tozé; Samu, Fernando, Filipe Gonça, Mikey (Diogo, 82’), Carioca, Nuno Gonça, Tiago, Zé Beto (Paulo César, 84’), António (Tozé, 58’) e Calicas. Treinador, Paulo Soares.

DISCIPLINA: - Cartões amarelos: Joel, 40’; Edu, 41’; António, 50’; Filipe Gonça, 57’; Nuno Gonça, 64’ e 81’; Samu (ACDP), 68’; Diogo 88’ e Rui Abreu, 90+3’.

Marcador: Nuno Gonça, 36’
.

Rali Castelo Branco: Meireles/Castro confirmam o título Nacional de RC2

Redacção 

"Agora é altura de começar a trabalhar para 2015"

Eis o que disse Mário Castro após a última prova do campeonato em que navegou o piloto Pedro Meireles. "Ainda que não tenhamos terminado o rali por opção nossa, pois a ideia seria apenas marcar presença na prova da Escuderia Castelo Branco com o objectivo de arrecadar os 5 pontos bónus necessários para a obtenção do titulo conseguimos alcançar os nossos objectivos. 

Não era desta forma que gostaríamos de estar presentes na última prova do campeonato pois a Escuderia Castelo Branco merecia mais, mas as regras relativamente às pontuações assim obrigaram. Em seis resultados possíveis, vencemos cinco ralis e terminamos uma vez em segundo e seria muito injusto perdemos este título apenas porque faríamos menos ralis que os nossos adversários. 

Felizmente conseguimos juntar mais este título ao de campeões absolutos e por isso estamos muito satisfeitos com este desfecho. Mais uma vez um muito obrigado a toda a equipa da Sports & You pelo excelente trabalho realizado ao longo do ano e também a todos quantos nos apoiaram não só na estrada como fora dela... Agora é altura de começar a trabalhar para 2015 e tentar reunir condições para mantermos o mesmo nível (ou melhor) de forma a tentar renovar os títulos conquistados."
.

Juniores - Nac. 2.ª Div.: AD Fafe, 1 - CD Trofense, 1

Texto e foto: João Carlos Lopes 

Resultado injusto para os fafenses 

Os juniores da AD Fafe empataram a uma bola na recepção do CD Trofense numa partida em que o adversário pouco fez e marcou um golo, ao contrário dos fafenses que foram incansáveis mas sem conseguir dar a cambalhota no marcador, apesar das inúmeras situações de golo que criaram. Após o apito final, foi notória a tristeza dos jogadores fafenses que ficaram com sensação de injustiça, pois deram tudo que tinham, lutaram, mas por um ou outro motivo a bola continua teimosamente a não querer entrar na baliza contrária. O empate é lisonjeiro para o Trofense e penalizador para o Fafe. A sorte há-de mudar e o importante é não desistir de lutar porque o trabalho mais cedo ou mais tarde é recompensado.  

Aos 4' Zé Pedro, servido por João rematou ao lado. Aos 9', Carvalho serviu Nuno que na cara do guarda-redes fez um autêntico passe ao guarda-redes. 

O Trofense respondeu aos 13' com uma triangulação que fez a bola ir à linha de fundo de onde saiu um cruzamento rasteiro mas com corte crucial de Carvalho

O Fafe voltou a tentar aos 23', numa jogada que envolveu Ricardo e João, co,m este a cruzar rasteiro para Nuno rematar ao lado, numa jogada rápida a apanhar a defesa da Trofa descompensada. Aos 27', Chico serviu Zé Pedro que simulou para tirar um adversário da frente mas acabou por e chutar fraco.

O Fafe cheirou o golo aos 28'. Carvalho fez um passe longo a cair nas costas da defensiva do Trofenfe onde apareceu Lousada isolado, a rematar para grande defesa do guardião trofense.

Mas o Trofense respondeu a preceito. Aos 31', numa jogada meio a bola chegou ao avançado que rematou à meia volta para defesa de Gonçalo.

Aos 37' Flávio lesionou-se, tendo Ivo Castro feito entrar Norberto. Aos 41', Nuno recuperou a bola na esquerda, jogou longo para Lousada que fintou o seu opositor e cruzou rasteiro para corte da defensiva trofense. Na sequência da jogada, Silva remata de primeira mas vê a bola a passar por cima. Aos 44' o mesmo Silva fez um excelente passe a mudar o jogo de flanco para Lousada que atrasou para Ricardo e este cruzou para Zé Pedro a cabecear ao lado.

A segunda parte começou como acabou a primeira com o fafe a tentar chegar ao golo. Aos 46', jogada na direita, João passou a Silva que jogou para Ricardo fazer o cruzamento com Nuno a finalizar  para a defensa do guarda-redes do trofense.

tento responder o Trofense, aos 50', com remate de longe mas fraco para defesa fácil de Gonçalo. Aos 54' livre a favor do trofense descaído para a esquerda, o avançado cabeceou mas Gonçalo defendeu para canto. 

Aos 63, Ivo Castro trocou Lousada por Rapha e aos 65' transição rápida do Trofense de onde saiu um cruzamento que Gonçalo interceptou.

O Trofense chegou ao golo aos 66, contra a corrente do jogo. Cruzamento na esquerda com Gonçalo a defender para a frente, aparecendo um homem do Trofense a marcar.

A reacção do Fafe surgiu aos 73', numa jogada na direita de onde saiu um cruzamento com corte da defensiva trofense. Ricardo insistiu mas o remate rasteiro saiu fácil para o guarda-redes forasteiro.

Aos 77', Num lançamento de Norberto, Nuno virou o jogo fazendo a bola chegar a Ricardo que cruzou corta a defesa trofense, Carvalho ganhou a segunda bola e rematou com a bola a rasar o poste.

Aos 89 minutos Ivo castro esgotou as substituições com a saída de Nuno e a entrada de Zé Miguel.

O golo do Fafe apareceu aos 80'. Livre na esquerda cobrado por João, Zé Pedro subiu mais alto que todos e de cabeça igualou a partida, colocando alguma justiça no marcador. 

Os jogadores fafenses acreditavam que ainda podiam marcar o golo da vitória.  Aos 81' Zé Pedro pela linha cruzou para Rapha que amorteceu para trás, onde surgiu Zé Miguel a rematar por cima

Aos 85' numa transição rápida do Fafe, Zé Pedro jogou em Zé Miguel que cruzou para Rapha, este cruza de novo com a bola a ganhar efeito para a baliza porém, atento, o guardião da Trofa defendeu para canto. João bateu o canto a bola caiu na pequena área e numa série de ressaltos a defensiva trofense conseguiu aliviar o perigo para longe. Aos 88' num canto batido por João, Zé Miguel de cabeça atirou ao lado

No primeiro minuto de compensação, Rapha ganhou na linha, cruzou e Norberto que apareceu ao segundo poste a cabecear mas a bola teimou em não entrar.

Um minuto depois, no último lance do jogo, livre na direita para João bater, a bola chega aos pés de Rapha que rematou por cima.
.

Pedro Sousa (ex-AC Fafe) vai defender Futsal no Stª Maria de Ribeiros

Texto e foto: João Carlos Lopes

Campeão de Andebol opta pelo futsal 

Pedro Sousa, ex-guarda-redes do Andebol Clube de Fafe, está de volta à competição através do Futsal Concelhio onde vai jogar na Liga Fafedry para defender as cores do Santa Maria de Ribeiros. 

Aos 28 anos, regressa assim à actividade num clube simpático que é orientado por Pedro Santos "Barroso", numa equipa que perdeu Pedro Freitas e Ruca para a Associação Futsal Fafe/Sol Poente mas que mantém a estrutura da equipa que se prevê competitiva.

O campeão Nacional de Andebol da 2.ª Divisão pelo AC Fafe era um guarda-redes carismático nessa modalidade que empolgava o público com as suas defesas e que abandonou o andebol prematuramente. Ainda este ano voltou a ser convidado mas recusou o convite. 

Pedro Sousa vai representar o Ribeiros no Futsal e segue as pisadas de outro guarda-redes campeão de andebol, Luís Ferreira (Fruita) que defende no Grupo Nun'Álvares no Campeonato Distrital.
.

Futsal Feminino: Apesar de três golos fafenses AF Braga perdeu (4-3)

Texto: João Carlos Lopes / Foto: D. Lobo

Vitória fugiu em jogo renhido

- Telma Loira e Joaninha marcaram 

A Selecção de Futsal da AF Braga não entrou da melhor maneira no Torneio de Futsal de Sub-20 porquanto perdeu no primeiro jogo com a AF de Aveiro por 4-3, numa partida em que o marcador teve várias oscilações tanto para um lado como para outro e acabou pender para as aveirenses. de Referir que no inco inicial da primeira parte estiveram três jogadoras do Nun'Álvares. 5 Inicial 1.ª parte: Joana Pereira (GR), Joaninha, Loira, Bruna e Flávia.  

A AF Braga entrou forte na primeira parte a trocar bem a bola. e chegou ao aos 8'e meio pela nunalvarista Telma, jogadora que tem apenas idade de iniciada, numa vantagem que se manteve até ao intervalo. 

Na segunda parte repetiu-se o mesmo cinco inicial  mas a equipa aveirense empatou aos 21' e aos 28' passou para a do marcador, chegando à vantagem de 3-1 aos 29'.

Aos 36' a equipa da AF Braga reduziu para 2-3 com um golo de Loira e aos 37 empatou a três com novo golo fafense, de Joaninha.

Apesar das jogadoras fafenses terem contribuído com três golos para a selecção da AF Braga a congénere aveirense acabou por marcar o golo que lhe deu a vitória aos 38 minutos na conversão de um livre de 10 metros.

A pressão da equipa aveirense na segunda parte valeu-lhe a cambalhota no marcador e apesar de Braga ter conseguido igualar, acabou por perder apesar das jogadoras lutarem até aos últimos segundos. Foi uma segunda parte muito faltosa de ambas as equipas que tiveram livres de 10 metros já a 7 minutos do fim, mas no meio do desperdício desses lances Aveiro saiu por cima.
Uma arbitragem com alguns erros na marcação das faltas.

A AF de Braga joga hoje novamente, agora contra a Selecção da AF de Viana do Castelo.  
.

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Liga Fafedry 2014/15 arranca este Sábado

Redacção/AFF 

Regadas estreia-se e Aboim e Amigos de Fafe regressam

A Liga de Futsal Fafedry 2014/15 conta com a grande maioria dos protagonistas do ano passado mas também com algumas caras novas e outras que até estão de regresso.

O G.C.D. Regadas é o estreante na décima edição da prova. Há também a destacar os saudosos regressos de A.D.C. Aboim e Amigos de Fafe. Estas três equipas são as caras novas relativamente à edição 2014/15. Este novo trio vai, certamente, alimentar alguma curiosidade e expectativa inicial por parte dos adeptos da modalidade.

As permanências de A.R.C.O. Stº Ovídio, G.D.C. Armil, G.R. Ardegão, G.C.R..S.M. Ribeiros, A.D. Fafe, Estorãos Futsal, C.D. Vinhós, Futsal Clube Fafe, S.R. Cepanense, A.R.A Bugio, Leões do Ferro/Fafedry e Arões S.C. acrescentam também a já habitual qualidade a esta liga e que ano após ano tem vindo a melhorar exponencialmente.

O campeonato será composto por uma primeira fase regular num sisema de “todos contra todos”. Os oito primeiros classificados dessa fase disputarão o acesso à “final-four” de onde sairá o grande vencedor da décima edição da Liga.

Os últimos sete classificados da fase regular disputarão, num sistema semelhante ao referido anteriormente, o título da segunda divisão.

Para abrir o apetite da edição 2014/15, disputam-se já amanhã os dois primeiros jogos da competição. Frente-a-frente estarão os campeões Stº Ovídio e o estreante Aboim. No segundo jogo da noite, Ardegão e Armil (vice-campeão), serão os protagonistas.
.

CF Os Belenenses treina este Sábado em Arões

Texto: João Carlos Lopes 

Uma presença histórica em Arões 

O histórico Clube de Futebol Os Belenenses vai treinar este Sábado, pelas 18 horas,  no campo sintético do Centro para a Formação da Juventude de Arões, local onde joga habitualmente o Arões SC, segundo nos confirmou o presidente da Direcção do clube aronense Ricardo Martins. 

Esta visita do Belenenses a Fafe está relacionada com o jogo que a formação da capital vai realizar no próximo Domingo no sintético da equipa famalicense da Associação Desportiva Oliveirense, a contar para a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal. 

Não deixa de ser relevante a visita deste Clube que já foi campeão Nacional, nem o campo do CFJA terá em toda a sua vida tão ilustres visitas de clubes com história e que militam no Campeonato principal do futebol português. 

O emblema da Cruz de Cristo, que é actualmente treinado por Lito Vidigal,  é considerado um clube simpático que cativa adeptos em todo o mundo. Um dos seus sócios mais ilustres foi o malogrado piloto de Formula um Ayrton Sena da Silva.  

O Arões SC sente-se orgulhoso de receber tão ilustre visita pelo que o seu presidente aceitou de bom grado o pedido para treinar da formação lisboeta.
.